quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

TEVE DE TUDO NO FARIÃO: WP-9, GOLEADA, VIRADAS E SUFOCO DE MANCINI

Não se pode negar que o encontro entre matriz e filial no estádio Farião, em Divinópolis, conforme era esperado, agradou em cheio. O Cruzeiro fez um bom momento no primeiro tempo até os 25m. Marcou o gol de abertura aos 17m, com Wellington Paulista aproveitando-se de um rebote do goleiro Douglas, que não segurou a bomba de Montillo. E foi só. A torcida vaiou, pediu Luxemburgo e Mancini ficou pendurado na escada.
No segundo tempo, vieram os sustos: o Nacional voltou valente e fez o empate aos dois minutos com Reinaldo Alagoano livre na cara de Fábio. O goleiro teve que trabalhar bastante pra evitar o segundo gol, mas ele veio: a virada do Nacional aconteceu aos 23m, com o zagueiro Alessandro Lopes. Apareceu sozinho na área, matou no peito e enfiou a bola no ângulo.
Cara, o negócio ficou feio pra Vagner Mancini que suava mais que tampa de chaleira e via seu emprego rolar morro abaixo. Quando mexeu tirando Roger e colocando Rudnei a torcida fez mais barulho ainda. Mas estava escrito que a noite seria de WP-9. O lateral Marcos chegou ao fundo e cruzou na cabeça do artilheiro: 2 a 2. Não durou nem um minuto, e WP-9 aparecia outra vez na área do Nacional pra anotar outro gol de cabeça, num cruzeiro de Montillo. 3 a 2, Cruzeiro.
Mancini havia colocado Walyson no lugar de Diego Renan quando o placar era adverso. O atacante entrou aos 27 e só tocou na bola aos 43m. Porém, encerrou o jogo aos prantos. Montillo sofreu pênalti aos 46m, e deixaram Walyson cobrar. Chutou forte, no meio do gol e marcou o resultado final 4 a 2.
Wellington Paulista, que marcou os três gols celestes e já é artilheiro isolado do Campeonato Mineiro, com quatro tentos. O atacante já deixou sua marca oito vezes na temporada. O time do técnico Mancini subiu para o quarto lugar no Campeonato Mineiro. No outro sábado depois do carnaval, dia 25, joga contra o Democrata, em Governador Valadares. Já o Nacional enfrenta o América na quarta-feira de cinzas, dia 22, também no Farião, em Divinópolis.

DEPUTADO VÊ ILEGALIDADE NO CONTRATO DA BWA E GALO

Antes do deputado Délio Malheiros, uma fera nesse assunto de contrato, presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da Assembléia, esta humilde Trincheira e este advogado da roça, de porta de cadeia, aposentado e afastado até da OAB, também denunciou a tal cláusula chamada de “leonina”. Não usei este termo porque ele me faltou na hora do comentário, mas o deputado foi bem.
Délio Malheiros apontou uma cláusula do contrato que seria ilegal.
“É a cláusula que diz que o clube que quiser jogar no estádio, se não for o Atlético, terá que pagar o valor que a empresa (BWA) quer receber. Consequentemente, se é um clube, por exemplo, como o Cruzeiro, a empresa coloca um valor elevadíssimo, o Cruzeiro não aceita pagar e vai jogar em outro estádio menor, prejudicando o desempenho da equipe. É uma cláusula potestativa (chique Malheiros!) Ou seja, você deixa na mão do adversário o valor que ele quer receber para jogar naquele estádio”.
“Como advogado, fiz uma leitura do contrato e vi que é uma cláusula leonina, que se um clube quiser excluir uma torcida, vai excluir. Pode colocar um valor alto de aluguel do estádio e o outro não consegue pagar, tendo que se deslocar para outra cidade, com número menor de torcedor. É uma cláusula ilegal, leonina e abusiva, que precisa ser mudada”.
“O objetivo é pedir uma revisão nessa cláusula. Não há ilegalidade no acordo entre BWA e Atlético. O que existe de ilegalidade é você privilegiar um clube em um estádio público em detrimento do outro. Não podemos conviver com isso, ou então outra torcida ficará prejudicada. E o clube também”, analisou Malheiros.
Segundo o deputado estadual, um clube não pode ser favorecido nos termos de marcação de jogos e diferenciação no preço do aluguel em estádio público. “O objetivo é que todos tenham igualdade de condições, para que o clube mineiro que quiser utilizar o Independência, não tenha que se sujeitar a aquilo que a empresa quer receber”.

RICK TROMBA COM CUCA POR DIZER A VERDADE

Bobagem a reação de Cuca ao admoestar publicamente Richarlyson sobre a sua declaração de que não está autorizado a atacar, por causa do esquema tático que o obriga a atuar como um terceiro zagueiro. Quem diz a verdade não merece punição.
“Fui surpreendido. Cada um manifesta de uma maneira. Achei que ele poderia ter chegado até mim e comentado. Ele quis fazer dessa forma, talvez, para alertar os outros jogadores”. Aí pinta aquela dúvida: sabemos todos que Cuca é rancoroso. Será que vai aproveitar o desgaste de Rick com parte da torcida e defenestrar o atleta?

AFONSO ALBERTO TAMBÉM JOGA DE PEITO ABERTO, SEM MEDO.

E é meu amigo jornalista AFONSO ALBERTO Teixeira dos Santos que me envia uma mensagem corajosa e verdadeira. Sem papas na língua, do jeito que eu gosto e endosso:. Leiam:
"Meu Deus que absurdo eu ouvi do secretário Sergio Barroso e do ex-jogador Marques. Que idéia mais burra e idiota esta de diminuir o preço do ingresso no Independência para os seis mil lugares cuja visibilidade do torcedor será prejudicada pela incompetência de quem projetou e executou esta pérola na reforma do Estádio”.
“Sr secretario, será que você não está enxergando que esta decisão provida de pouquíssima inteligência coloca a sua extraordinária secretaria como ré confessa. Secretário, nós viramos piada nacional, ainda há tempo, conserte esta lambança e depois inaugura. Se insistir nesta ideia infeliz de cobrar menos daqueles que vão enxergar menos, doe os seis mil lugares para o Instituto São Rafael ou reserve ali os lugares para as autoridades competentes, secretários, governadores, deputados etc, etc. Me ajuda aí”.
Resposta: Muito bom, Afonso, deitei de rir de sua sugestão. Bom demais. Mande outras!

REGINALDO _ BH

“Olhar para o próprio umbigo? Jheimy? Bem disse, ex-Galo e por que será que não foi aproveitado no Galo? Por que não tinha olhos verdes? Tirando o Galo, qual outro time grande que ele foi artilheiro? Você que tem tantos anos de janela, sabe que tem jogador que só joga em time sem expressão, esse é um caso”.
“ Opinião é coisa que se deve respeitar e como faço parte da "meia dúzia de entendido" e aqui é uma tribuna democrática, foi infeliz nesse nome. Para não contrariar seus cabelos branco, vamos fazer um ataque de Berola e Jheimy, pronto. Mesmo porque, são estilos diferentes, já que Berola joga mais pelas pontas e na velocidade e Jheimy, apesar da velocidade, joga mais centralizado, por isso fez gols no Boa e só. Tem notícias dele no Sport? Se for artilheiro lá, eu dou minha mão a palmatória, já que não deu a sua. E para de achar que tudo que o Galo faz ou ganha, é fruto de mazelas, ajudas e coisas mal feitas”...

Resposta: Publiquei em respeito à sua presença constante como leitor. Mas o assunto é de menor importância com relação a outros que vivemos atualmente. Passar bem.

JOÃO BATISTA – BH

Flávio, por gentileza me esclareça uma observação que fiz no jogo de domingo do Cruzeiro x Tupi: em nenhum dos três gols do Cruzeiro, vi o Montillo comemorar, há alguma coisa de errado no grupo, não há? Pois ele reclamou durante a partida, com o Mancini que a bola não estava chegando nele. E ao observar nos gols a sua apatia, e a falta de comemoração neles, me ocorreu este pensamento. Gostaria de ouvi-lo sobre esta impressão minha”.

Resposta: Confesso que não reparei, apenas vi que ele tem atuado abaixo de sua alta média. Ainda assim o suficiente pra considerá-lo peça fundamental na equipe.

2 comentários:

  1. SR GENIO, FLAVIO ANSELMO, FOI MAIS UMA VITORIA PARA ENGANAR TROUXA, SO QUE NESTA EU NÃO CAIO MAIS.SO ESTOU ESPERANDO O MANCINI SUMIR DO CRUZEIRO PARA SOLTAR OS FOGUETES.

    ResponderExcluir
  2. Antônio Luiz, sou gênio? Que legal! Quer dizer que não posso mais escrever que um jogo me agradou pq isso te ofende? Pra sua alegria tb vou soltar foguetes qd o mancini for embora, meu genio preferido. Abs

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.