sábado, 31 de março de 2012

RAPOSA DORME LIDER E TORCE PELO TROPEÇO DO GALO EM UBERABA

Foi um jogo bem movimentado, com boas defesas de ambos os goleiros, Gledson e Fábio, porém o Cruzeiro tem motivos pra comemorar além da vitória por 2 a 0 sobre o Boa, no Melão, em Varginha. Chegou pela primeira vez à liderança do Mineiro, mesmo provisoriamente, atingiu a marca de nove jogos invictos e Montillo, além de marcar um gol, jogou até o fim sem levar o terceiro cartão amarelo. Diego Renan, também, passou em branco e credenciou-se a jogar o clássico domingo que vem.
Bom público compareceu ao Melão, porém contrariando o Estatuto do Torcedor os números não foram divulgados. Lei pra quê, né?
O Cruzeiro reclama pênalti em Walyson no final do primeiro tempo que Alicio Pena Juiz, o árbitro da partida, ignorou. Os gols foram no segundo tempo. Wellington Paulista acertou forte cabeçada no cruzamento de Marcelo Oliveira, pelo lado esquerdo, e fez l a 0 aos 12m. Foi seu sétimo gol na competição e é artilheiro isolado
Aos 21m, depois de Anselmo Ramon chutar na trave, excelente bola que Montillo lançou-lhe, o argentino tabelou com Marcos, recebeu na frente e marcou 2 a 0.
Com o placar maior, Vagner Mancini colocou Everton na vaga de Diego Renan; Eber na de Walyson e Walter na de Anselmo Ramon.

A notícia ruim na Toca foi a contusão do volante Charles, no treino de sábado, e que o deixará uns dois meses, ou mais, no Departamento Médico.
O becão Alex Silva que nesta segunda inicia os exames médicos e depois assina contrato, passou a informação por telefone ao irmão Luizão, do Benfica. Recebeu o maior apoio e revelou que o mano mais velho ficou até emocionado. Alex tinha 15 anos Luizão foi contratado e fez 148 jogos com a camisa celeste.
Ao informar que teria de abrir mão da metade do salário pra se transferir do Flamengo e treinar na Toca, Alex Silva recebeu apoio do irmão famoso: “Faz mal não. Quem sai ganhando é você. Vai receber em dia.”. Será?
Nas especulações no ar, Alex Silva ganhava R$ 275 mil na Gávea e vem pra ganhar R$ 135 mil na Toca. Outras fofocas, falam que o Flamengo pagará a metade restante. Não creio, também!
A nona rodada do Mineiro que começou com a vitória do Tupi (2 a 1) sobre o América na Arena do Jacaré, seguiu neste sábado com duas partidas. O América TO derrotou o Nacional por 3 a 2, em Teófilo Otoni e saiu por enquanto da ZM. A outra, claro, foi a vitória do Cruzeiro em Varginha.
Neste domingo, mais três jogos importantes: Uberaba x Atlético, no Uberabão; Villa Nova x Democrata Pantera, em Nova Lima; Guarani x Caldense, em Divinópolis.
Vejam a situação desse pessoal.
O Leão do Bonfim está em nono lugar com oito pontos, com o mesmo número de pontos do Boa, mas perde no saldo: -l do Boa e -2 do Villa. O time de Varginha já jogou, portanto pode perder esta posição se o Leão vencer o lanterna Democrata, que tem apenas um ponto ganho e luta, ainda, desesperadamente pra não cair.

O GALO tem de vencer o Uberaba, chegar aos 27 pontos e recuperar a liderança. Desta maneira, iria para o clássico de domingo que vem contra o Cruzeiro, na Arena do Jacaré, com moral alto e 100% de aproveitamento. O Uberaba é o mais sério candidato ao descenso ao lado da Pantera. Tá no buraco negro com 6 pontos. Na décima rodada, recebe o América e finalmente encerra sua participação contra o Cruzeiro, na Arena.
Barra do zebu tá pesada!
Na briga remota, ainda, pelo G-4, o Guarani, sexto colocado com l0 pontos, tem um confronto direto com a Caldense, 5 colocado com ll pontos, em Divinópolis. Essas rodadas finais da fase de classificação pegam fogo.

quinta-feira, 29 de março de 2012

QUEM PARA O TUPI? (Usando o entusiasmo expresso no título do site do clube)

Credo! Minha ficha caiu e estou propenso a mudar de opinião sobre a qualidade técnica do Campeonato Mineiro/12. Tirante Galo e Pantera, que não assisti – mas os comentários dos colegas foram os piores possíveis pelo desinteresse dos atleticanos - os demais jogos que assisti me agradaram bastante. Tupi 2 x América l, na Arena do Jacaré foi um deles.
Mostrou várias alternativas, com defesas sensacionais dos goleiros Neneca e Rodrigo – uma das boas revelações do Mineiro, desde o ano passado. Afora que cada time perdeu imensa série de oportunidades de gols.
A vitória do Galo Carijó aumentou sua invencibilidade para seis jogos ( cinco vitórias e um empate) contada após a chegada do técnico Moacir Junior.
O Tupi saiu da rabeira do campeonato, alojado na zona do rebaixamento, e chegou ao G4. Portanto, é mais que natural tal euforia quando lhe faltam dois jogos pra sacramentar a posição entre os quatro melhores da competição.
Dia 8, o Tupi visita o Democrata Pantera, em Governador Valadares e encerra a fase contra o Atlético em Juiz de Fora.
O veterano Ademilson, ídolo da torcida, autor do segundo gol, cobrando pênalti de China, diz que “ pensamento do grupo é continuar nessa pegada para chegar ao topo”.
Ou seja, o Tupi pensa grande no momento. Com todo direito.
O time juiz-forano fez 2 a 0, com Wesley Ladeira e Ademilson. Alessandro diminuiu pro Coelho depois de perder várias chances de gol. Jogaço.
Faltou público como sempre: apenas 103 pagantes, número suficiente pra encher a paciência de Givanildo de Oliveira, que, inexplicavelmente, largou o jogo de mão e foi discutir com alguns torcedores no alambrado.
Coisa normal em treinador sem experiência e não numa pessoa andada e vivida como Givanildo.

APESAR DE duas derrotas seguidas ( Cruzeiro e Tupi) o time de Givanildo não é uma decepção. Alguém afirmou que o grupo precisa passar por trabalho psicológico, pois joga bem até encontrar Atlético ou Cruzeiro. A partir daí se desarruma.
Este chamado time de meninos do América é apenas figurativo. O goleiro Neneca é experiente e andado. Rodrigo lateral direito e os zagueiros Gabriel e Werton Luis, também. Bryan é garoto da base e tem jogado bem.
No meio-campo, Rodriguinho, Moisés, Leandro Ferreira, Luciano são jovens experientes, e China subiu agora. Na frente, Alessandro e Fábio Júnior o que têm de minutos de silêncio no futebol é fora da conta.
A solução da queda do time nos dois últimos jogos está na cabeça de Givanildo.

A DECLARAÇÃO DE VAGNER MANCINE ao site Uai sobre a ausência de Élber na lista dos convocados para os primeiros jogos do Cruzeiro no Mineiro é a confissão descarada da soberba da maioria dos treinadores brasileiros, jovens ou experientes: nunca cometem erros absurdos.
Custava dizer: “Realmente me enganei sobre as possibilidades do rapaz; ainda bem que fui alertado a tempo. A imprensa me ajudou muito nesse aspecto”. Politicamente correto.
Não, preferiu falar as besteiras que republico para meus leitores:
“O Élber é um atleta que está muito mais maduro. O ano passado era um momento de jogar muito peso sobre um atleta que não tinha sustentáculo para isso. Hoje, a equipe está mais arrumada e dá para o Élber desempenhar o que deve. Damos ao Élber uma mão firme, não cheia de sabão, em que ele possa escorregar.
Era um menino introvertido, hoje está totalmente mudado. Isso nada mais é que o cenário que ele mesmo fez; espero que, nos próximos jogos, ele possa entrar ainda melhor”.
Será que Mancine desconhecia que Élber tem mostrado talento desde quando apareceu nos juniores?
Élber, 19 anos, fez até agora 14 jogos pelo time profissional do Cruzeiro. Não marcou nenhum gol entre os titulares. Com certeza terá outra oportunidade neste sábado contra o Boa Esporte, em Varginha.

KALIL NÃO TERIA outra boa surpresa na sua ida a Ucrânia, além de comprar 20% dos direitos de André? Sei lá. O Urso Bravo é mestre em fazer surpresas. Tenho lido que o garoto Dudu, ex-Cruzeiro, também jogando na Ucrânia, fez reiterados pedidos pra que aos cruzeirenses o repatriem. Chegou a afirmar que mudou sua personalidade e que agora está mais focado no futebol.
O Cruzeiro não se manifesta. Então quem sabe o Galo pula na frente, de novo, e se reforça com outro menino revelado nas bases da Toca da Raposa?

A LEI DA COPA, exigência da Fifa, foi aprovada no plenário da Câmara Federal depois de muita discussão e acordos de bastidores.
Até a oposição votou a favor, maciçamente. Um partido ficou contra: o PSOL, porém teve a maioria de suas emendas originais aprovadas.
Como bebedores de cerveja, os caros leitores querem saber sobre tal quesito: lá na lei fala em bebidas alcoólicas, texto polêmico e que não foi definido. Com certeza, a decisão caberá aos 12 estados que receberem jogos da Copa.
Creio que a coisa se estenderá mais um bom período pra depois os estados, em comum acordo, decidirem que somente a venda de cerveja será permitida, o que atenderia aos interesses da Fifa; um dos patrocinadores fortes é cervejaria.
A Câmara garantiu a liberação de 1% dos ingressos sem ônus aos deficientes físicos. Jogou a bomba no colo da presidente Dilma, que sabe da exigência da Fifa em não permitir ingresso gratuito sob qualquer alegação.
A aprovação precisa passar pelo Senado na sequência, ganhar a sanção da presidente Dilma Rousseff.

terça-feira, 27 de março de 2012

GALO ATRASA SALÁRIOS; OS MOTIVOS NÃO SÃO IGUAIS AOS DO CRUZEIRO.

Tá na Imprensa esportiva da Capital: “Galo entra 2012 em dificuldades financeiras, esperadas por Kalil e atrasa salários”. Foram pagos na última terça-feira. O capitão Rever falou pelo grupo e considerou boas as explicações da Presidência –“ Ele já havia nos avisado que haveria pequeno atraso no início do ano em razão das fracas arrecadações e dos prejuízos. Isso é aceitável. Sempre recebemos antes do quinto dia útil”.
Leitores celestes, no entanto, questionaram o que seria um tratamento desigual com relação aos atrasos de salários na Toca da Raposa, no início do ano. O tratamento só foi diferente porque o ZZ Senador, ex-presidente, meteu-se na discussão e pressionou o novo presidente Gilvan do Pinho Tavares a negociar Montillo e liquidar as dívidas. Por quê? Porque entregou ao novo mandatário o clube quase falido, de caixa vazio e várias dívidas imediatas a liquidar.
Pinho Tavares saltou à vista do torcedor: não vendeu Montillo. Pelo contrário renovou o contrato do craque até 2015 e tem quitado, normalmente, as folhas de pagamento seguintes e acertado a situação com os credores.
Kalil, reeleito, manteve o mesmo discurso de reforçar o Galo sem desfazer dos principais jogadores de destaque do atual elenco. Quando afirmou que tem R$ 6 milhões em caixa pra contratar novos reforços, a liquidez vem, com certeza, via crédito. O Galo, segundo informou Kalil, deixou de arrecadar R$ 40 milhões de bilheteria nos últimos meses em razão do fechamento do Mineirão e do Independência.
Bota na conta do governador Anast-azia e do Senador Aécio Neves, mais os biônicos Clésio Andrade e ZZ Perrela.

ACOMPANHEI O JOGO Benfica 0 x l Chelsea, no belo Estádio da Luz. Conheço o velho, onde estive algumas vezes. Este novo não. Capacidade para 65 mil torcedores e estava lotado. O Benfica vive excelente momento e tem um das maiores arrecadações com sócio-torcedor da Europa. Cerca de 100 mil benfiquistas pagam por mês o direito a certas regalias na aquisição de ingressos. Aí está a vantagem que tem ser dono de estádio, coisa que Atlético e Cruzeiro nunca entenderam.
Ainda com relação a este confronto, encheu-me os olhos a atuação de David Luis e Ramirez, do Chelsea. Os brasileiros do Benfica ficaram no débito.
No entanto, a mídia tupiniquim quer valorizar a atuação de Kaká diante do Apoel, derrotado por 3 a 0 pelo poderoso Real Madrid. Kaká saiu do banco junto com Marcelo. Fez uma assistência e um gol. Já querem o moço na Seleção de Mano. Céus, apressadinhos!

ENTENDO, PORÉM NÃO ACEITO os argumentos de Vagner Mancini pra escalar Montillo no jogo de sábado em Varginha contra o Boa Esporte. Corre o risco de perder Montillo pelo terceiro cartão amarelo pro clássico contra o Atlético, na rodada seguinte. O treinador quer usar força máxima no próximo compromisso para manter as chances de ser líder ao fim da primeira fase do Campeonato Mineiro. E Montillo é o responsável por tudo isso?
“De maneira alguma pouparei o Montillo. Ele joga porque ele é o referencial em campo. Um atleta de sua postura tem de saber administrar o jogo e ficar longe do cartão amarelo. Ele não toma amarelo por falta. Os dois amarelos foram por reclamação. No último jogo, ele reclamou com razão, porque o atleta do América acabou desferindo um golpe na sua perna e, assim, o jogador fica irritado”.
Então, Mancini, os críticos estão certos. E se alguém do Boa desferir o mesmo pontapé que Leandro Ferreira aplicou em Montillo? Você não vê grande chance de ele tomar o terceiro cartão, a não ser que Montillo saia do normal dele. Não saiu contra o Coelho?
Também o lateral Diego está “pendurado” com dois cartões amarelos. Pra lembrar, o Cruzeiro terá pela frente, ainda, Boa Esporte, Galo e Uberaba, na última rodada.

NO FANTÁSTICO MUNDO da bola surge no momento milhares de “Lionel Messi”. Um deles é o alemão Mario Götze, do Borussia Dortmund. De contrato renovado até 2016, Götze desprezou propostas milionárias do Manchester United, do Real Madrid, do Arsenal e do Bayern, apenas pra ficar em alguns. Götze,19 anos, é o principal nome do futebol alemão atual. Foi protagonista da conquista do título nacional de seu time na última temporada. Por conta das grandes atuações, ganhou o apelido de "Messi alemão".

MANO MENESES MOSTROU que é rancoroso. Até hoje não engoliu a negativa do lateral direito Mário Fernandes, do Grêmio, em atender a convocação da Seleção Brasileira para o segundo jogo contra a Argentina. Em entrevista à Rádio Gaúcha, o treinador classificou a atitude do lateral do Grêmio como ‘bastante chata’. Nada que possa me deixar preocupado, afinal Mário Fernandes é jogador razoável, sem a estatura, contudo, de Daniel Alves ou Maicon.

O CAFUNÉ QUE o Gladiador Kleber recebe em sua casa em Porto Alegre, na recuperação da cirurgia que fez segunda-feira no tornozelo, é de sua mamãe. Ela se deslocou de São Paulo pra acompanhá-lo. Afinal, o Gladiador no momento tá sozinho desde que aplicou um tapa no rosto de sua esposa, a jornalista mineira, com quem se casou em BH. Na sua passagem pela Toca. O caso está entregue à Delegacia de Mulheres e à Promotoria Pública, apesar de a desistência da esposa.

PATRÍCIA AMORIM marca sua administração com uma relação próxima a jogadores ídolos do clube de seu coração. Que nem privilegiada torcedora, curte Ronaldinho Gaúcho e Vagner Love, agora, também, o jamanta Adriano. Nos seus discursos, já demonstra confiança na recuperação do Imperador. Como presidente do Flamengo Patrícia Amorim tá coberta de razão. Se decidiu contratar Adriano, por que não confiar nele? Informada pelo médico José Luiz Runco de que Adriano precisa de nova cirurgia no tendão de Aquiles, Patrícia manifestou apoio ao jogador. Ela ainda não conversou com o Imperador, mas mandou seu recado.
- Adriano é e sempre será nosso. Demos a mão a um ídolo do clube. Queremos que ele se recupere. (Walter) Oaquim e (Paulo César) Coutinho tiveram uma conversa olho no olho com ele. Não se falou em contrato.
Torcedores rubro-negros temem que Gerson Canhotinha, Leandro, Raul, Zico, Adílio, Andrade, e outros ex-ídolos de Patrícia resolvam voltar ao futebol!!!

COPIAR OS PAULISTAS SERIA UMA BOA; ORGANIZADAS FORA DOS ESTÁDIOS.

Se a coisa é boa não existe problema em copiá-la. Os paulistas têm sofrido com o inesgotável problema da violência nas ruas entre as torcidas. A questão teria sido solucionada nos estádios, porém os bandidos marcam brigas com horários e locais pré-estabelecidos via internet. Matam-se mutuamente, arruínam famílias e, não raras vezes, colocam sob riscos pessoas inocentes que passam pelos locais de guerra.
Até onde pode a Federação Paulista de Futebol tomou providências. Proibiu o acesso de duas dessas súcias de vagabundos, arruaceiros e assassinos – Mancha Alviverde e Gaviões da Fiel, pertencentes ao Palmeiras e Corinthians, respectivamente – nos estádios paulistas. E daí? Como ficarão os que mataram o jovem de 21 anos, não menos arruaceiro de uma dessas organizadas?
Margarette Barreto, da Decradi (Delegacia de Polícia de Repressão aos Crimes Raciais e Delitos de Intolerância), pediu o banimento na Justiça das Organizadas e está atrás do assassino do rapaz André Alves Lezo, morto com um tiro na cabeça. Vejam só, tinha arma de fogo na confusão! Vale dizer que qualquer passante, na ocasião, estava sujeito a levar bala perdida. A única vítima fatal foi esse rapaz, porém, outros dois, também, foram baleados e mais cinco ficaram feridos por paus, barras de ferro e pedras.
A PM ficou à margem , porque o confronto aconteceu entre mais de 300 pessoas e o contingente no local seria inferior. De qualquer forma, tenho comigo que a PM não deve mesmo se meter na briga entre bandidos. Apenas cuidar dos desavisados que rondam por ali, curiosos, sob as ameaças de sobrar uma bola pra eles. E deixa o pau comer na casa do Joça. Não é pra isso que marcaram tal encontro?
Acabar com esta praga de violência parece desafio às autoridades paulistas. Em 1995, a Mancha Verde foi extinta pela Justiça, por envolvimento numa briga com a Torcida Independente do São Paulo, no Pacaembu, na final da Supercopa São Paulo de juniores. A briga no gramado deixou um morto e vários feridos gravemente.
Pois bem, na apuração dos votos do carnaval deste ano, em São Paulo, lá estava a Mancha Verde, associação carnavalesca, aprontando confusão, roubando os votos e causando brigas fora do Sambódromo. O nome Mancha Verde é impagável.
Seus ex-membros fundaram agora a Mancha Alviverde, tão brava e violenta como a antiga.
FANFARRONICE do presidente do Grêmio Paulo Odone na onda das manifestações contra a violência do zagueiro Léo Carioca que vitimou o Gladiador Kleber. O bravo atacante, ex-Cruzeiro, eximiu de culpa o seu marcador, porém o cartola ameaça tirar o Grêmio da competição, em 2013, caso não haja mudanças nas questões de arbitragem. Quais?
Nos devaneios de minhas paradas, a praguejar contra a feiúra da Prudente de Morais e da esburacada Abre Campo, cá da varanda do barraco no alto do morro do Santo Antônio, saboreando umas goiabinhas da época, penso numa solução.
E se o Código Disciplinar de Futebol estabelecesse, sem efeito suspensivo, que os agressores deveriam ficar fora igual período dos agredidos?
Talvez diminuísse alguns pontos percentuais na violência do gramado. A coisa tá feia, realmente. Perguntem pro Neymar, Lucas, Montillo, Neto Berola e outros acostumados a fugir de duras marcações!
Outra coisa: se o cartola gremista tivesse mesmo peito de tirar o time do Gauchão comeria fogo com a Globo, ficaria fora da Copa do Brasil, perderia a chance de chegar à Libertadores pelo caminho mais rápido, além de levar um chute no traseiro da torcida. Claro, também, que o famoso Lupicínio Rodrigues, autor do hino do clube, tremeria no túmulo.
E O BERNARDO, HEIN? Rapaz, estou aqui a imaginar que Bernardo estaria próximo de estrear no Santos e leio a notícia de que ele só acertará nesta quinta-feira a última pendência judicial com o Vasco da Gama. Além disso, tem os tradicionais exames médicos antes de assinar o contrato. Tem mais: ainda que integrado ao elenco, Bernardo seguirá sem condições de estrear pelo clube, visto que não foi inscrito no Paulistão e na Libertadores está na relação dos vascaínos.
GUERRA HOJE NO PARAGUAI – Bobagem tremenda transformar a partida de volta entre Flamengo e Olímpia, hoje no Defensores del Chaco, em Assunção, numa segunda guerra do Paraguai. Será que aquele empate no Rio, quando o Fla vencia por 3 a 0 criou clima de confronto bélico como afirmam os flamenguistas?
Onde poderemos conferir tudo isso? A Globo Minas mostra América x Tupi. Existe a opção da Fox esportes, porém como menino bobo lá do Caratinga, não sei onde pego tal emissora.. O folclórico Joel Santana, já se precavendo, diz:
- Vai ser uma guerra, estamos esperando isso. Acredito que o Olímpia é o melhor time que enfrentamos até agora na Libertadores. Estamos preparados e queremos vencer esta guerra - disse Love.
MELHOR TIME BRASILEIRO na Libertadores o Fluminense está numa boa. Enfrenta o Zamora, da Venezuela, nesta quinta-feira e deverá ter Thiago Neves de volta:
- Estou preparado para jogar. Podem contar comigo. Claro que eu vou cansar. No final do treino já estava cansado. Se for para jogar ou entrar no segundo tempo - disse Thiago.
O meia demonstrou ansiedade para retornar aos gramados. Ele não atua desde o dia 7 de março, quando o Fluminense derrotou o Boca Juniors (ARG) por 2 a 1, em La Bombonera.
- Estou muito ansioso e isso tem atrapalhado. O pessoal pede para que eu segure um pouco mais. É normal ficar assim porque estou há muito tempo fora, mas tenho que respeitar meu corpo. Thiago Neves já fez oito partidas desde que retornou ao clube e marcou dois gols.
QUEM ESTÁ EM FORMA de barril, outra vez, é Adriano. Chegou à clínica na Barra da Tijuca sorridente, enviado a exames médicos pela diretoria do Flamengo que apostará nele mais uma vez. Adriano sabe da possibilidade de passar por uma nova cirurgia no tendão-de-aquiles do pé esquerdo. Ele se encontrou com o chefe do departamento médico do Flamengo, José Luis Runco, e recebeu conselhos sobre a importância de uma recuperação bem feita para poder voltar a jogar de maneira mais rápida. O Imperador vai passar por uma semana inteira de exames. No Flamengo e nas boates do Rio.

domingo, 25 de março de 2012

DETALHES DECIDIRAM O JOGÃO DA ARENA: Raposa e Coelho fizeram um clássico inesquecível.

Era previsível que alguém do conglomerado de presidentes do América chiaria contra a excelente arbitragem do jovem apitador Cleison Pereira Veloso (ufa!, enfim alguém assoprou o apito num clássico com quase 100% de acerto). Na opinião do sensato Marcus Salum (até tu, Turco!) o gol do América naquele lance em que Gabriel empurrou Léo por trás, obrigando-o a marcar contra, foi legal e mal anulado. Céus! A televisão mostrou em diversos ângulos a falta cometida pelo becão americano.
Aí, aí. Como a gente conhece as peças, o Flávio Júnior veio visitar-me após a partida e comentou: “O principal argumento de Salum e de outros dirigentes será o de sempre – “se o lance fosse contra o Cruzeiro seria anulado?”
Querido Salum, esta velha superada retórica de coitadinho do América precisa dar lugar a alguma coisa mais sensata e grandiosa.
O que importa é que o jogo teve gosto de quero mais. No apito final do juiz, torcedores permaneceram debaixo da forte chuva que desabou em Sete Lagoas no meio do segundo tempo, curtindo as lembranças dos lances empolgantes dos dois lados.
No esquema de três atacantes, os azuis iniciaram o clássico impetuosos. Neneca trabalhou bastante em lances com Walyson, Anselmo Ramon e WP-9. A posse de bola era cruzeirense e o Coelho contra-atacava com acerto. Aos 14m, Luciano obrigou Fábio a sua primeira e grande defesa.
Aos 21m, o gol americano. Rodrigo cobrou uma falta, a bola passou pela barreira e sobrou pra Alessandro em condições perfeitas, dadas por Victorino. O uruguaio tentou evitar o chute, porém levou o drible e estatelou-se no gramado. Alessandro chutou cruzado, de pé esquerdo, entre as pernas de Fábio. Golaço: l a 0.
Aos 31m, Montillo apareceu numa tabela com WP-9 e mandou bala. Neneca de novo salvou o América. A chance dos americanos de aumentar o marcador veio aos 32m, num contra-ataque puxado por Luciano e Fábio Júnior chutou na zaga celeste.
Aos 40m, Walyson que recupera a velha forma, driblou Rodrigo na esquerda e Cruzeiro pra Anselmo Ramon. Repetiu o lance de Alessandro: deixou o beque do América no chão e empatou o jogo: l a 1.
Na fase final, o Cruzeiro voltou em cima do América. Neneca pegando tudo. Aí o Coelho equilibrou a partida e foi pra cima. O meio-campo celeste destoava no passe de Marcelo Oliveira e na falta de um meia de ligação ao lado de Montillo.
Foi nesse período que aconteceu o gol irregular de Gabriel, que empurrou Léo. Desequilibrado marcou gol contra, anulado corretamente pelo juiz Cleison Veloso Pereira.
Os treinadores começaram a fazer mudanças e Vagner Mancini deu-se melhor. Aos 26, colocou o garoto Élber no lugar de Anselmo Ramon. Walter já havia entrado um pouco antes no lugar de WP9. Elber acertou o setor. Mal entrou enfiou a bola com perfeição pra Walter marcar 2 a 1. Mancini resgatou os méritos que poderia ser dele desde o início do campeonato caso tivesse aceitado as sugestões de colocar Elber no elenco.
Este foi o mais importante detalhe do clássico e que deu a vitória aos azuis. Guerreiro foi bem na ajuda à zaga de Léo e Victorino. O primeiro melhor que o uruguaio. Mais raçudo e decisivo. Os laterais Marcos e Diego Renan crescem e ganham mais personalidade. Falta a definição do ataque. Deixar Walter, ainda que supostamente fora de forma, é um castigo. Joga muito mais que os outros.
No América, Givanildo demorou a mexer em Luciano. Colocou China, mas o momento era de Kaká, que só entrou quase no final, quando o Coelho pressionou e a Raposa suou em bicas pra manter o placar de 2 a 1. Fábio e Neneca os melhores deste grande jogo.
CUCA REMOÇA TIME e já pensa em escalar Eron, jovem revelação da base atleticana, como titular no jogo de domingo contra o Uberaba, último adversário antes do clássico contra o Cruzeiro. Segundo ele, o teste servirá pra que ele conheça melhor suas opções. Eron tem treinado bem e entusiasmado o técnico. A atuação de Triguinho diante do Democrata Pantera no sábado (Galo 3 a 0, gols de Berola -2- e Guilherme) não é contestada por Cuca.
Eduardo Maluf me falou pelo telefone que o Atlético não entrará em leilão pra contratar o armador chileno Matías Fernandez, que joga no Sporting de Lisboa. O Galo fez uma proposta boa, segundo ele, de R$ 11 milhões, porém as boas atuações do jogador atrapalharam os planos do Atlético. Apareceram outros vários interessados com propostas bem superiores, segundo dirigentes do Sporting. Desmentiu, também, o interesse na contratação do goleiro Neto, da Fiorentina.
                                   
                                         Vibração de Moacir Júnior com o gol de Ademilson
O TUPI DE MOACIR JUNIOR, em plena subida, permaneceu no G-4 depois de vencer o Guarani por 3 a l, em Juiz de Fora. Abriu o placar, aos três minutos, em finalização do experiente Ademilson. Com o domínio, o alvinegro criou mais situações e conseguiu ampliar a vantagem aos 19, com Michel Cury.
Na etapa final, o Guarani começou agressivo e conseguiu diminuir o placar com o lateral-esquerdo Magalhães, aos 10m. Mas a reação parou por aí e o Tupi fechou o placar com o dublê de craque e taxista Alan, aos 41m.
Na próxima quarta-feira, o Tupi enfrenta o América, às 10 da noite, na Arena do Jacaré. Já o Guarani tenta a reabilitação no Estadual contra a Caldense, no Farião.
A Caldense conseguiu se recuperar da goleada sofrida para o Cruzeiro e afundou ainda mais o América-TO na zona de rebaixamento do Campeonato Mineiro. Com gol de Luizinho, a Veterana bateu o Dragão por 1 a 0, neste domingo, em Poços de Caldas, pela oitava rodada, e se manteve firme na briga por uma vaga na semifinal do Estadual.
Com o resultado, a Caldense chega a sua terceira vitória na competição e fica na quinta posição, com 11 pontos. Agora, a Veterana está apenas a dois pontos do Tupi, último time do G4.

sexta-feira, 23 de março de 2012

DEPOIS DO MINEIRO, CRUZEIRO FARÁ LIMPEZA E BUSCARÁ SOLUÇÕES

O meu espião na Toca da Raposa II me confidenciou que o Presidente Gilvan Tavares, orientado pelo novo diretor de futebol, Alexandre Matos, busca uma saída jurídica pra rescindir os contratos de Cribari, 32 anos; Jackson, 23; Diego Arias, 26; ou Rudnei, 28; ou Amaral, 29; Bobo, 27 e Fábio Lopes, 26. Talvez, se não houver rescisão de alguns, o setor de futebol haverá de procurar colocá-los em outros times antes do Brasileiro.
Além desses jogadores não terem dado retorno e alguns deles, inexplicavelmente, não foram nem testados pelo treinador Vagner Mancini, a questão prende-se ao caixa baixo do clube. Para o meio-campo, foi contratado Charles e isso valerá a dispensa de um dos muitos volantes. O mais cotado é o colombiano Árias que não entrou em nenhuma partida oficial sob o comando de Mancini.
Tem mais gente pra esta lista. Gilson, lateral esquerdo, é um deles. Abriria espaço para alguém da base, ou pra busca de um jogador que dispute bem a posição com Diego Renan. A limpeza no meio-campo permitirá sair atrás de um bom meia de ligação que faça sombra, realmente, no Roger. É esperar pra ver...

BOM FILHO Á CASA TORNA – Olhemos pelo lado pessoal, visto tratar-se de bom moço, ótimo filho e rapaz educado. Pelo lado profissional, Keirrison deixou de ser bom. Esqueceu como se joga futebol e como artilheiro faz gol. O Barcelona tá louco pra se livrar dele e considera o dinheiro investido na sua contratação como caso perdido. Uma pena! Após três anos, Keirrison retorna ao Coritiba, onde surgiu, em busca de sua nova identidade. O K-9 retorna ao Coxa emprestado por dois anos e os paranaenses garantem sua recuperação nesse período. Que o bom Marcelo Oliveira tenha bastante paciência.
Veja a caminhada do K9. Saiu do Coritiba pro Palmeiras, onde se deu bem. Foi repassado ao Barcelona e aí começou sua via crucis: Benfica, Fiorentina, Santos e Cruzeiro. Este o devolveu ao Barça, antes do término do empréstimo. Tanto que os azuis tiveram que assinar o termo de empréstimo ao Coxa pra ficar livre de outro pepino.

RETORNO Á COPA DO BRASIL – CBF divulgou os jogos da Segunda fase da Copa do Brasil porque todos os classificados são conhecidos. O Ipatinga faz o primeiro jogo, em casa, contra o Grêmio, dia 4 de abril, quarta-feira. Vale, ainda, aquele perigoso item do regulamento: se o visitante perder por uma diferença de dois gols, fica eliminado. Caso que vale, também, para o América que no mesmo dia enfrenta o Goiás na Arena do Jacaré. Tigre e Coelho que se cuidem.
O Cruzeiro só reaparecerá na Copa do Brasil dia ll, no horário da tevê aberta, contra o barriga verde Chapecoense. No mesmo dia, o Galo voará até Manaus pra enfrentar o Penarol – não tem “til” não, como os uruguaios e lê-se do jeito que está escrito. Aqui, ao contrario dos outros mineiros, os dois podem eliminar o jogo de volta. Como fizeram na primeira fase. Tá mais mole pro Galo.


                                            (A batata de Rick tá assando no Galo)
PARECE QUE antipatia de Cuca pelo futebol vigoroso e indisciplinado de Richarlyson instalou-se de vez. Durante a semana, o treinador apresentou Triguinho como de volta à lateral esquerda titular, enquanto Rick treinava de volante entre os reservas, ao lado de Filipe Soutto, outro desprezado. Outro que cresce no conceito do treinador é Wesley. Não será surpresa se ganhar de vez a vaga de titular no lugar de Escudero.

OUTRO ESPIÃO desta Trincheira, instalado no CT do América, informa que dois reforços serão anunciados, no mais tardar, esta segunda-feira: Tratam-se do armador Júnior Timbó, que atuava na Portuguesa e do atacante Romão, do Guaratinguetá. Eles só não serão contratados se levarem bomba nos exames médicos. Nos exames de Givanildo já foram aprovados. De repente, até a Trincheira leva bomba pelo atraso dessa informação. Afinal, o prazo de inscrição no Mineiro terminou sexta-feira.

QUE DINAMITE E ROMÁRIO não cruzam os bigodes e nem amarram suas éguas no mesmo toco, a gente sabe há tempos. O difícil é acreditar que o Baixinho tenha apelado de vez com o Vasco da Gama e entrado na Justiça do Trabalho cobrando R$ 50 milhões do clube onde nasceu pro futebol. Diz o deputado federal na sua pendenga contra o deputado estadual, presidente do clube, que se cansou do empurra-em-empurra do Vasco na quitação de um acordo de salários e rescisão de um contrato no período de 2007 e 2008. Justo na época em que marcou os seus discutíveis mil gols.

E NÃO É QUE PAPAI JOEL acredita em Papai Noel e guarda um lugar no ataque do Flamengo pro Adriano. Ele quer o time atacando com o Imperador, RG-10 e Love. A diretoria do Flamengo, contudo, fica de boca fechada até Adriano resolver seu caso com o Corinthians. Tá difícil! Não apenas pelo dinheiro da rescisão, mas, também, porque Adriano não quer sair de Búzios, onde está feito camarão.

A MARÉ NÃO ESTÁ nada favorável ao zagueiro Thiago Heleno, ex-Cruzeiro, agora ídolo de Felipão no Palmeiras. O becão tá afastado dos gramados desde dezembro do ano passado quando passou por uma cirurgia complicada nos dois pés, na busca de uma solução pra contínuas dores durante as partidas. Segundo o boletim médico do Hospital São Luiz, “a cirurgia foi um sucesso, o atleta passa bem, porém sem previsão de alta”.Céus! Nem os atacantes que Thiago Heleno tanto aterrorizava com duras entradas, querem tanto mal pra ele.

OLHO NOS EMPRESÁRIOS, GAROTOS. Giuliano Bertolucci era empresário de Casemiro do São Paulo e de Oscar, atualmente envolvido numa pendenga judicial entre São Paulo e Internacional. Há dois anos, Casemiro trocou de agente logo após Oscar ter entrado na Justiça pra sair do Morumbi. E agora, diante da ordem judicial pra que Oscar volte pra Pauliceia Desvairada e cumpra seu contrato, Casemiro que fez boa amizade com Oscar na Seleção de Mano Meneses, diz que toparia intermediar a volta do amigo. Casemiro revelou, também, que no mesmo período Bertolucci lhe propôs R$ 1,5 milhão pra entrar na Justiça e deixar o São Paulo.

BOLA CHEIA COM MURICI. Assim está o meia Bernardo que se apresentou ao Santos semana passada, emprestado pelo Vasco até o final do ano. Chegou prestigiado e acreditado pelo técnico, apesar de os problemas que criou no Rio de Janeiro, a ponto de entrar na Justiça contra o clube carioca. Até à primeira indisciplina, Muricy Ramalho elogiou bastante a contratação de Bernardo. Para ele, mesmo com o histórico de alguns problemas disciplinares no Vasco, o meia tem boas chances de dar certo no Santos.
"Ele teve alguns probleminhas no Vasco, mas não acredito que isso irá se repetir no Santos. O nosso ambiente é ótimo. Ele é uma peça que tem tudo para se encaixar perfeitamente no nosso time. É uma grande contratação”.
Também o considero excelente. Mas tem um pai que é uma fera.

quarta-feira, 21 de março de 2012

FUTEBOL DESTRINCHADO EM PERGUNTAS E RESPOSTAS

Não é o que sempre ressalvo: esta Trincheira serve a qualquer pessoa interessada em discutir assuntos diversos, além do futebol sua prioridade, e, notadamente, abrir espaço a novas inteligências dispostas a quebrar o pau com os velhos mandões? Assim sendo, uso dela pra divulgar a preocupação de Marina Celeste P. de Souza, 14 anos, estudante em Paracatu. É dona daqueles cadernos de perguntas e respostas próprios na minha adolescência em Caratinga e que imagino terem sobrevivido apenas nos espíritos interioranos. Aqui nesta desabalada Capital nem se ouve falar de tais critérios de aproximação social, aproveitando a facilidade da internet.
Por isso, porque nunca abandonei a criança do interior que embala meu espírito, ainda mais na terceira idade, prontifiquei-me a respondê-la. Vamos lá:
P - Você fez jornalismo por que gosta ou por que foi o caminho mais fácil para entrar na faculdade?
R – Porque gosto. Não fiz faculdade de jornalismo. Não existia no meu tempo. Estudei na escola da vida. Passei por jornais de minha cidade, ouvi pessoas que me ensinaram muito e no peito na raça vim tentar a sorte na Capital. Fiz Faculdade de Direito.
P – Meu pai me disse que você usava o slogan “De Peito Aberto” na Rádio Guarani e na TV Bandeirantes. Não usa mais? Deixou o rádio e só atua na TV Horizonte?
R – Este bordão foi importante numa época. Osvaldo Faria, coragem pra dizer a verdade, de um lado e Flávio Anselmo, de Peito Aberto, no outro. Briga boa que durou até meus tempos de Rádio Capital. Usei, também, alguns anos na Band. Depois o achei fora de moda.
P – Quem pode ser hoje de Peito Aberto ou ter Coragem pra dizer a verdade?
R – Ninguém. Os tempos mudaram, os donos de rádio e televisão ficaram mais submissos ao mercado patrocinador e os “papagaios” menos independentes. Com medo.
P – Como está o futebol mineiro? Dá para evitar os vexames do ano passado?
R – Trabalha-se pra isso. O Cruzeiro vive novos tempos com a diretoria do dr. Gilvan do Pinho Tavares, bem diferente do longo período dos irmãos Perrelas. O continuísmo de então prejudicou o clube que está semi-falido. O América é uma boa expectativa. Desde o ano passado vem num crescente. Se Givanildo tivesse entrado antes, não desceria. No Atlético, Alexandre Kalil botou a casa em ordem, as finanças em dia, renovou o time e agregou novos valores.
P – O que será suficiente para os títulos do Brasileiro ou da Copa do Brasil virem para Minas?
R – A Copa do Brasil no seu sistema mata-mata permite que a gente seja otimista. Qualquer dos três pode vencê-la. No Brasileiro, pontos corridos, a história será diferente. Para o título com os elencos atuais, bem mais fracos que os dos times paulistas e dos gaúchos, os torcedores não devem sonhar muito. Nem mesmo com as vagas da Libertadores. Nossos times brigarão na faixa intermediária.
P – Em quais posições nossos principais times estão mais carentes?
R – O Cruzeiro precisa de laterais, volantes – os atuais são fracos, exceto Leandro Guerreiro – e de um meia que dispute a posição e faça Roger jogar. No Atlético, a torcida pede outro goleiro, o que penso ser besteira, a não ser pra compor com Renan Ribeiro; um lateral esquerdo pra brigar com Richarlyson e mais um homem de área. De atacantes vai bem: Berola, André, Wesley, Guilherme, Mancini. No meio-campo, também, tá completo. O América tem sua base e sua meninada. Dá pra buscar a elite outra vez na Segundona.
P – Nossos treinadores são qualificados para ganhar títulos?
R – Aí você me apertou, garota. Penso que não. Pode-se colocar o melhor elenco nas mãos de Cuca e ele não chega lá. Não tem espírito vencedor, com Vanderlei, Mano, Ney Franco. Cuca é treinador com característica especial: tirar times do atoleiro. Vagner Mancini, por incrível que pareça, tem título mais importante. Foi campeão da Copa do Brasil com o Paulista. Ou seja, bom pra time pequeno. Não revela ninguém, gosta de trabalhar com pseudos medalhões. Os três, prefiro Givanildo de Oliveira, ganhador e melhor deles.
P – Qual é o melhor dirigente atual do futebol mineiro?
Disparado, dezenas de cabeças à frente, Alexandre Kalil. Bom, também, Marcos Salum, porém mal acompanhado com esta quantidade de presidentes na forma de administrar do América. Gilvan Tavares promete. No episódio de Montillo mostrou personalidade e enfrentou as pressões com sucesso. Quando se livrar do estilo ZZ Senador vai mais longe.
P – Quem você indicaria de Minas para a presidência da CBF: Kalil ou Perrela?
R – Nem um, nem outro. No caso de Kalil, sou seu amigo de longa data e não desejo esta mal pra ele. O presidente da CBF não pode torcer, ainda que tenha seu clube de coração. A CBF não tem torcedores, não gera paixão. Kalil é alma, é paixão. E afora toda as maluquices que faz pelo seu Atlético é capaz, é excelente administrador. Até hoje se pergunta como o Atlético saiu do nada, das dívidas, e passou a pagar em dia, a contratar atletas caros como Guilherme, e permite seu presidente afirmar que é o clube mais rico do País?
Que mágica é essa que Kalil fez?
P – Escale a sua Seleção Mineira?
R – Fábio, Marcos Rocha, Rever, Victorino, Richarlyson, Pierre, Filipe Soutto, Montillo e Bernard; André e WP9. Técnico: Moacir Júnior, do Tupi de Juiz de Fora.
P – E a Seleção Brasileira ideal para a Copa do Mundo?
R – Fábio, Dani Alves, Davi Luis, Thiago Silva e Marcelo; Cassimiro, Sandro, Ganso e Neymar; Fred e Hulk. Técnico: Nei Franco.
P – O senhor acha que Mano Meneses é o melhor treinador para a Seleção?
R - Respondi na pergunta anterior. O melhor é Nei Franco, disparado.
P – Quem ganhará o Campeonato Mineiro deste ano? Atlético ou Cruzeiro?
R – Você se esqueceu do América, menina.
P – Caso coubesse ao senhor a indicação de um ex-jogador para a CBF qual desses seria: Zico, Ronaldo Fenômeno, Romário, Bebeto ou Pelé?
R – Nenhum deles. Não existe indicação. Existem candidatos e a escolha é feita por um colegiado formado pelos presidentes de federações de futebol e pelos clubes que disputam as divisões A e B.
P – Cite cinco jogadores do futebol mineiro que atuariam em qualquer time do mundo?
R – Parada difícil diante da pobreza atual. Mas vamos lá: Fábio, Victorino, Rever, Bernard, Montillo e...não tenho outro.
P – Sinceramente, para qual time o senhor torce em Minas? Meu pai garante que é o Cruzeiro.
R – Seu pai viu o lobo uivar e não sabe onde. Nos meus 50 anos de jornalismo esportivo aprendi o seguinte: na casa que você habita todos estão sob suas asas.

terça-feira, 20 de março de 2012

CENAS DA CENSURA IMPOSTA PELA PM EM NOVA LIMA ENVERGONHARAM A CONSTITUIÇÃO DO POVO

Chupetei no Youtube as manifestações de torcedores sobre a atitude violenta da PM antes do jogo Villa Nova x Atlético impedindo a colocação de uma simples faixa de protesto e ameaçando o cinegrafista amador que filmava a conversa entre um oficial (que também tirou satisfações com o rapaz) e o chefe de uma torcida organizada.
Isso me dói. Me lembra a ditadura militar.

"SE NÃO TIRAR EU VOU RASGAR!" -- Esse é o retrato de uma censura que os brasileiros pensavam estar livres. Se a faixa não foi rasgada, a Constituição já foi há muito tempo.
NO 3:01 O TENENTE AMILTON FICOU PARECIDO COM O KIKO
KAKAKAKA QUEM ACHOU PARECIDO DA JOINHA KKKKK
sanchesdfarias 18 horas atrás 7

Toda forma de protesto é valida, sou cruzeirense mas nessa hora me sinto coagido
E com meus direitos violados, PMMG vergonha na cara pra vocês.
rodrigomanuchao 19 horas atrás 7

que baixaria... censurar uma faixa "vergonha na cara" é do nível de censura de letra da MPB na época da ditadura.
marceloufmg 1 minuto atrás

Falta de preparo e respeito ao cidadão. Direito de liberdade de expressar sendo agredido. Até quando vamos viver em um país que o direito de se expressar é agredido desta maneira. E olha que a PMMG é uma das melhores do nosso Brasil, imagina em outros estados.

AlOliveiraPc 8 horas atrás
É engraçado como são as coisas. Acho que policial militar deveria ser formado em Direito.
Aí talvez eles entendessem que temos o direito de filmar em local público, direito à liberdade de expressão, direito à manifestação pacífica e que quebra aprenderiam sobre o que é coação e abuso de autoridade, já que parece que os policiais do vídeo não conhecem nada da Constituição Federal.
Lamentável.
Deveríamos fazer um protesto com os mesmos dizeres para estes policiais.
mandinhavieiradiv 9 horas atrás 3

Só tem medo de filmagem que tem algo a esconder ou medo que seja mostrado o que realmente acontece em situações como essa!!! Não defendo ninguém mas a coação feita dos policiais com o rapaz que estava filmando é totalmente errada!! Quem não deve não teme!!
M1L1TAO 11 horas atrás 2

O tenente-coronel Amilton sabia tanto o que estava acontecendo que perguntou ao Flávio o que significava a faixa! Será que o mesmo não sabe ler ou tem dificuldade de interpretação?
mcanazart13 11 horas atrás

@faellima18 Não só abusaram da autoridade, como feriram a Constituição Brasileira. Não adianta vir colocar a culpa na torcida, ainda mais uma torcida que NUNCA teve o nome ligado a incidentes policiais.
mcanazart13 11 horas atrás

@lenanota1000 E o rapaz ficou filmando o que todos deveriam filmar pra que o Brasil conheça o significado do termo ABUSO DE AUTORIDADE.
faellima18 12 horas atrás

@lenanota1000 Nós queremos aparecer? Não ficou claro? Nós explicamos o tempo todo, mas como todo militar, a verdade dele estava pronta e ele respondia com gritos e frases como "EU MANDO AQUI" –
Sou filho de militar e meu pai fez questão que eu não entrasse, mesmo quando passei no concurso, pois ele já me alertava que a farda lacra o cérebro.
Se nesse jogo de xadrez do governo, somos entorpecidos pelo futebol, creio que sei quem são os peões do tabuleiro.
faellima18 12 horas atrás

@lenanota1000 amigo, respondendo seu comentário, não queremos aparecer hora nenhuma. O protesto não é ofensivo. Eu peço dignidade e vergonha na cara a todos os meus amigos e inimigos. Isso é respeito. Postar no YouTube é para pedir as autoridades competentes que não pensem que estamos na ditadura e que todos podem dizer o que pensam. Isso se chama liberdade de expressão. Repense nisso. A torcida está em paz. Só queremos o retorno dos jogadores, com dignidade e vergonha na cara.
RafaMarley13 12 horas atrás



domingo, 18 de março de 2012

CRUZEIRO FAZ MÃO CHEIA NA CALDENSE EM POÇOS DE CALDAS

Quem esteve na bela capital do Sul de Minas gostou do que viu: o Cruzeiro goleou a Caldense por 5 a 0, jogando bem ofensivo, com o 4-3-3 que Wagner Mancini tem usado. Na minha posição aqui no barraco do Santo Antão, comendo minhas goiabinhas, o rádio cheio de gritarias de uns chatos, mas boas informações de outros e excelentes comentários, não posso deixar de acreditar no Júnior Brasil. Até porque lê bem uma partida de futebol.
A Caldense jogou a maior parte com 10 por causa da expulsão do atacante Max. Azar dela. Bateu o tempo todo e com violência. Por isso fico na dúvida sobre a validade da goleada quanto ao acerto da equipe, se ela já chegou a um bom limiteFoi uma temeridade manter Montillo até o final do confronto com o pau comendo solto. Afinal, o Cruzeiro tem uma partida importante no próximo domingo contra o América na Arena do Jacaré. Então Mancini terá oportunidade de comprovar se o se esquema, realmente, funciona com três atacantes contra uma defesa forte.
Os celestes recuperaram a vice-liderança do Campeonato Mineiro em grande estilo, com os gols de Anselmo Ramon (2), Wellington Paulista (pênalti), Victorino e Wallyson. O beque uruguaio fez seu primeiro gol pelo Cruzeiro e WP-9 empatou com André, do Galo, na artilharia do Campeonato.

O Cruzeiro chegou a 18 pontos, ultrapassou o América, que também tem 18, superado no saldo de gols (15 a 9). O time de Montillo teve um começo de campeonato mineiro horroroso, derrotado em casa pelo Guarani. Sem ganhar a confiança total da torcida mostra evolução na competição e conseguiu sua sexta vitória seguida.

GALO APROVEITA O RECUO DO LEÃO E VIRA O JOGO NO ALÇAPÃO

Naquele estádio de pouco espaço, gramado ruim, bem que o Villa Nova poderia tirar a invencibilidade do Galo e acabar com sua campanha 100% no Campeonato Mineiro. Melhor, ainda, entrar no G-4, ocupado naquele instante pelo Tupi. Fez um bom primeiro tempo e até marcou com Eliandro, que sobrou livre na área, após chute forte de Alex Santos. Pelas condições do estádio, o jogo começou e terminou faltoso, comandado por um juiz pouco ligado nos acontecimentos, distribuindo cartões amarelos à vontade. Fraquíssimo o juiz Emerson de Almeida Ferreira. Deixou passar uma cotovelada feia de Escudero em Henik. Pra vermelho direto e atleticano já estava até amarelado.
No segundo tempo, outro erro crasso: pênalti em André, seguro na área por Paulo Roberto e o soprador não deu nada. Por isso o apreciador do futebol corre dos estádios. Falta de conforto, falta de condições pra bola rolar, futebol de baixa qualidade e arbitragem ruim.
O Leão urrou até os 22m quando Neto Berola entrou no lugar de Mancini que já havia assustado o bom goleiro Elisson em três faltas de bem longe. No intervalo, Cuca tirou Richarlyson e Escudero amarelados; fatalmente seriam expulsos. Entraram Triguinho e Wesley. Contribuiram bem na virada do Galo, não tanto quanto o recuo do Villa Nova que deixou apenas Eliandro na frente. Tiaguinho entrou no lugar de Francismar e não viu a bola. Será que vou me decepcionar de novo? Outro foguete molhado?
Numa jogada com Wesley, Berola entrou pela esquerda e empatou. Aos 38m, Rafael Marques pegou rebote da defesa do Leão e fez o gol da vitória: 2 a 1.
Convém destacar que pelo terceiro jogo seguido e a quarta vez no campeonato, o Galo assusta a torcida ao sair atrás no placar. Mostrou poder de recuperação, mas até quando?
O Guarani conseguiu sua segunda vitoria espetacular no campeonato. A primeira contra o Cruzeiro, na Arena. A outra neste domingo. Derrotou o Uberaba por 2 a 1, de virada, no Estádio Uberabão, e chegou aos dez pontos na classificação. Assumiu a quarta posição do Campeonato Mineiro. Essa foi a segunda vitória seguida do clube de Divinópolis. Na rodada anterior, o Tamanduá superou o Democrata-GV por 3 a 1. Na estreia do técnico Paulo Cezar Catanoce, o Uberaba chegou a sair na frente, com um gol de Araújo, aos 22 do segundo tempo. O Guarani reagiu com gols de Leo Medeiros, aos 24, e de Alex, aos 44.
No próximo sábado, às quatro horas, o Guarani joga em Juiz de Fora, contra  o Tupi, concorrente direto à vaga na semifinal.
Já o Uberaba só volta a jogar na segunda-feira, dia 26, contra o Nacional, em Nova Serrana. Com cinco pontos, o Zebu corre risco de rebaixamento ao Módulo II.






Rafael Marques comemora o seu gol da virada do Galo sobre o Leão ( Foto de Marcos Michelin/DA -EM)

sábado, 17 de março de 2012

AMERICA USA PÉ DE COELHO E VENCE BOA NA SORTE

Segundo o site Hoje em Dia, consultado por mim, pois não pude acompanhar o jogo nem por rádio, o que se viu na tarde deste sábado na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, um Coelho assustado e demasiadamente sortudo. Jogou com seu pé direito no coração e conseguiu vencer o Boa Esporte por l a 0, gol do predestinado – e bem colocado – Alessandro, artilheiro que a bola procura dentro da área. O gol de pura sorte de Alessandro foi o de menos. O Boa dominou o jogo e só não conseguiu vencer o paredão chamado Neneca. Como pegou o rapaz! O América contou com a mesma sorte que o acompanhou no meio da semana ao vencer o Boavista por 2 a 1, com gol feito aos 47m do segundo tempo, evitando a desclassificação na Copa do Brasil.
América e Boa Esporte fizeram um jogo muito duro e com grande atuação tática da equipe de Varginha, que no primeiro tempo soube anular as peças de armação do Coelho. Os dois times começaram nervosos, errando muito e sem levar muito perigo aos goleiros. O time de BH foi premiado pela incapacidade dos atacantes do Tricolor do Sul de Minas em finalizarem as diversas oportunidades e chegou à vitória.
Com o resultado, a equipe de Givanildo assume temporariamente a vice-liderança com 18 pontos e espera os resultados deste domingo para saber a colocação definitiva.
O Boa Esporte não contou com a ajuda da sorte e foi superado pelo Tupi, que assumiu sua vaga no G-4. O time de Varginha soma 8 pontos contra 9 do time de Juiz de Fora.
Na próxima rodada, o Coelho fará o clássico contra o Cruzeiro, no domingo, às seis da noite na Arena do Jacaré.
O Boa Esporte joga em Nova Lima contra o Villa Nova no Castor Cifuentes, na quarta-feira, dia 4 de abril.(Hoje em Dia)
O Tupi venceu o América-TO por 3 a 1 na tarde deste sábado, jogando no Estádio Nassri Mattar de Teófilo Otoni, e “estacionou” no G4 do Campeonato Mineiro – e com um jogo a menos, que será cumprido em casa, na quarta-feira às 20h30, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio. Seus gols foram marcados por Henrique - aos 18 minutos do primeiro tempo e aos 29 da segunda etapa – e Ademilson, aos 37 da fase final. Diego Faria, cobrando pênalti, diminuiu para o Dragão.
O artilheiro da partida fez questão de dividir o mérito com os colegas: “toda a jogada e o passe que recebi (no primeiro gol) foram bonitos, não só a conclusão”, disse Henrique. Já o segundo e o terceiro gols foram frutos de contra-ataques fulminantes dos Carijós. O ótimo resultado provou ainda a força do grupo do Tupi, já que o time teve quatro desfalques: o lateral-direito Flávio, o volante Jailton e os meio-campistas Leo Salino e Michel Cury-os três primeiros suspensos pelo terceiro cartão amarelo, e o último por contusão. (Da assessoria de imprensa)..

sexta-feira, 16 de março de 2012

CBF ENTRA SÓ COM A SELEÇÃO NO MUNDIAL/14 - Organização será apenas entre Governo e Fifa

                           
“O câncer que precisava ser eliminado no futebol brasileiro”, segundo o deputado Romário foi. Não deixou metástase! Seu substituto, o ex-governador paulista José Maria Marins, pego em flagrante delito surripiando pra si uma medalha de campeão da Copa São Paulo de Juniores – lance mostrado pela televisão para o mundo inteiro e que deixou o goleiro campeão sem sua premiação, não apareceu em nenhuma das fotos dos encontros de Joseph Blatter, presidente da Fifa, com a presidente Dilma e nem no churrasco com os deputados federais.

Ricardo Teixeira, antes da renúncia, já era uma carta fora do baralho. Brigou com Blatter por questões políticas de sucessão na entidade e com a presidente Dilma que nem o recebia mais em Palácio pra discutir coisas da Fifa. Marins, vice-presidente seu substituto, já entrou com o filme queimado. Sei lá quanto tempo dura, também.

Blatter veio no lugar do secretário geral da Fifa, Jerome Valcker, com passagem marcada para o Brasil, porém diante da polêmica que provocou ao afirmar que o Brasil precisava de um chute no traseiro – na verdade precisa mesmo de um bicudo, coisa que a gente diz, mas estrangeiro não – teve o nome vetado diplomaticamente pelo Ministro do Esporte, Aldo Rebelo. Muito melhor. Se vem o desgastado Valcker seria recebido pelo segundo escalação, pois nem Aldo se dispunha a cruzar bigodes com o dito.

A coisa foi resolvida lá em cima, com os devidos respeitos. Dilma anunciou que todos os acordos assinados na administração de Lula serão cumpridos, claro. E Blatter alisou e fez cafuné nos brasileiros, evitando quaisquer comentários a respeito de atraso nas obras. Por fim, mereceu ainda um churrasco gaúcho, nos conformes, com deputados federais come-quietos, que não perdem uma boca livre e soube que a lei geral da Copa liberará cerveja nos estádios. Sem tal medida, corria sério risco o evento, em razão de um patrocinador forte da Copa ser cervejaria.

Leiam este trecho da entrevista de Joseph Blatter, publicada no Globoesporte.com:

- Eu sou um homem muito feliz agora, como já falei depois da reunião com a presidente Dilma. Depois dessas reuniões da tarde com os líderes da Câmara, estou ainda mais feliz. Muito obrigado à Câmara por dar essas garantias, que já foram confirmadas, para o sucesso da Copa do Mundo. Com certeza, elas são fundamentais para termos uma Copa do Mundo extraordinária.

Bem que os deputados chegaram a retirar do texto da Lei Geral a autorização para venda de bebidas alcoólicas nos estádios durante o Mundial. No entanto, o governo decidiu em seguida incluir no projeto a liberação de cerveja, já que esse era um dos temas presentes nas garantias assinadas por Lula quando o Brasil foi eleito pela Fifa como sede da Copa. A lei deverá ser votada na próxima quarta pelo plenário da Copa. Depois, ainda terá que passar pelo Senado antes de ser sancionada por Dilma.

Espero que não apareçam bocas azedas e cabeças ocas da oposição liderada pelo aparício senador paranaense, Álvaro Dias, e decida bloquear a votação. Enquanto se espera, que tal a gente começar a discutir a sucessão de Ricardo Teixeira na CBF. Com este presidente sem força e fantoche é que não dá pra continuar.

quarta-feira, 14 de março de 2012

DA SÉRIE CHUPETADA NO GLOBOESPORTE.COM: III - ( O Rei está morto? – Viva o Rei)-“VIÚVAS” CHORAM E INIMIGOS REJUBILAM A RENÚNCIA DE TEIXEIRA

Que me desculpem os Marinhos e, claro, o doutor Roberto, homem bom, de coração de ouro, pelas chupetadas que este filho do Sodico tem dado no site Globoesporte.com, num momento tão importante do futebol tupiniquim, com a renúncia do cacique da CBF, Ricardo Terra Teixeira. Esta reportagem, nada tendenciosa (sic) daí minha admiração, apesar de vê-la como a ponta de certa viuvez global, não ficaria completa sem as opiniões colhidas de diversos nomes importantes nacionais sobre o acontecimento – infausto, ou não?

Bebeto, atacante da Seleção na Copa de 94 e membro do COL

"Fui pego de surpresa. No dia que recebi o convite do COL, ele (Ricardo Teixeira) me parecia bem contente, brincando comigo e com o Ronaldo, contando histórias. Mas, é um problema pessoal, só ele mesmo para explicar. Acho que não podemos esquecer o trabalho que ele fez na Seleção. Para mim, foi o homem forte que trouxe a Copa para o Brasil"

Parreira, treinador da Seleção Brasileira nas Copas de 94 e 2006

"Foi o homem que me levou para a CBF. Com ele fomos campeões do mundo, bancou minha permanência num momento difícil, de muita pressão. Acho que deixa um legado muito positivo, muitas vitórias. Claro que também vai ficar marcado por algumas coisas conturbadas, contra ele. Acabou prevalecendo o lado humano. Além de ser o presidente da CBF, é um homem de família. A pressão é desumana. Se tem um problema de saúde, tem que cuidar. Eu acabo entendendo, em face das pressões, que eram enormes, que ele tenha resolvido dar um fim nisso tudo e descansar, cuidar da sua vida pessoal"

Romário, atacante da Seleção Brasileira na Copa de 94

"Hoje podemos comemorar. Exterminamos um câncer do futebol brasileiro. Finalmente, Ricardo Teixeira renunciou à presidência da CBF. Espero que o novo presidente, João Maria Marin, o que furtou a medalha do jogador do Corinthians na Copa São Paulo de Juniores, não faça daquele ato uma constante na Confederação. Se não, teremos que exterminar a AIDS também."

"Desejo boa sorte ao novo presidente e espero que a partir de hoje (acho muito difícil e quase impossível) a CBF dê uma nova cara para o nosso futebol. Estou muito feliz em saber que participei deste momento de vitória e de mudança para o futebol brasileiro. Não só acredito, mas também espero, que uma limpeza geral deve ser feita na CBF. Só então, definitivamente, poderemos ficar tranquilos de que a mudança acontecerá em todos os sentidos"

Ednaldo Rodrigues, presidente da Federação Baiana de Futebol

"Isso ainda vai render muito assunto. Ninguém sabe direito como aconteceu esse acordo entre Federação Paulista de Futebol (FPF), José Maria Marin e CBF. Vamos ouvir do Marin por que esse tempo todo eles disseram que o Teixeira não renunciaria. Eles tiveram a oportunidade de avisar a todos na Assembleia Geral Extraordinária, no último dia 29. Todos foram até o Rio de Janeiro para saber o que estava acontecendo. Agora, doze dias depois, o Marin convoca uma coletiva para ler a carta de renúncia do Ricardo Teixeira? É lógico que mentiram. Na Assembleia Geral disseram individualmente a cada um dos presidentes que o Ricardo Teixeira entraria de licença médica"

Peter Siemsen, presidente do Fluminense

"O ideal seria que ele não saísse. Mas, se a saúde o impediu de continuar na presidência da CBF, o importante é lembrar que em seu mandato a Seleção Brasileira conquistou duas Copas do Mundo e ainda o direito de sediar o Mundial de 2014"

Patrícia Amorim, presidente do Flamengo

"Estou chocada. Apesar de tudo que vinham falando, eu não esperava essa saída dele agora. É realmente surpreendente. Espero que respeitem o Estatuto, encaminhem o futuro da CBF da maneira mais democrática e não prejudiquem a organização do Campeonato Brasileiro. Vamos aguardar – disse Patricia, por meio da assessoria de imprensa do Flamengo"

Juvenal Juvêncio, presidente do São Paulo, em comunicado oficial

"O Dr. Marin é um advogado ilustre, com uma trajetória importante no futebol. Inclusive com experiência dentro do campo. Temos plena confiança de que ele vai trazer um novo momento para o futebol brasileiro. Desejamos a ele toda sorte e apoio neste momento"

Alexandre Kalil, presidente do Atlético-MG

"O futebol no Brasil, agora, tem uma grande oportunidade. É hora do destruidores do Clube dos 13 se sentarem para uma reunião. Eu briguei com o Ricardo Teixeira quando ele estava sentado na cadeira do poder. Agora, temos que deixá-lo ir embora em paz. Bater nele é coisa de oportunista"

Marcelo Guimarães Filho, presidente do Bahia

"Diante da renúncia de Ricardo Teixeira, defendo uma nova eleição. Seria o mais transparente para o processo de sucessão. Daria oportunidade pra se discutir novas idéias e conceitos pra CBF e para o futebol brasileiro. Nada contra o Marin, que poderia até vencer. Mas seguramente seria o mais sensato a se fazer diante dessa renúncia"

Paulo André, zagueiro do Corinthians

"Não adianta mudar a presidência e não alterar a mentalidade e o modelo de gestão aplicado pela CBF. Novas idéias são bem-vindas, espero que sejam boas. Eu me coloco à disposição para ajudar!"

José Rocha, deputado federal (PR-BA)

"Ricardo (Teixeira) acumulou muito desgaste à frente da CBF, principalmente nos últimos anos. Isso inviabilizou a permanência dele à frente da entidade. Ele se incompatibilizou com o presidente da Fifa, com o governo brasileiro, no Congresso Nacional. Ele perdeu as condições de continuar presidindo essa organização importante, principalmente nessa fase da preparação para a Copa"

Álvaro Dias, senador (PSDB-PR)

"Foram mais de 10 anos de impunidade e de cumplicidade de autoridades do Executivo, do Legislativo, do Judiciário e principalmente de dirigentes de federações"

Aldo Rebelo em comunicado oficial

"Diante do anúncio da nova liderança do Comitê Organizador Local (COL) para a Copa do Mundo de 2014, o Ministério do Esporte reafirma sua determinação de continuar cooperando com a entidade responsável pela organização do Mundial. Seguiremos trabalhando em harmonia para o êxito das tarefas comuns necessárias ao sucesso do evento"

Gilvan do Pinho Tavares – presidente do Cruzeiro

Zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz. (silêncio)

terça-feira, 13 de março de 2012

DA SÉRIE – CHUPETADA NO GLOBOESPORTE.COM - II (O REI ESTÁ MORTO? VIVA O REI)

CBF passa a ser lucrativa
Na segunda parte da reportagem que chupetei no site Globoesporte.com sobre a passagem e a renúncia de Ricardo Teixeira da presidência da CBF segue a parte que enriqueceu a entidade e o supremo mandatário. Leiam e analisem:
“Quando Teixeira assumiu, a CBF tinha apenas dois patrocinadores (incluindo o fornecedor de camisas). Nos seus dez primeiros anos de gestão, apesar de bons contratos, a entidade sofreu prejuízos. A partir de 2003, segundo os balanços da entidade, a CBF passou a dar lucro. E trabalhou no azul desde então, a não ser em 2006. No ano passado, o lucro da entidade foi de R$ 83 milhões. Atualmente, dez marcas são exibidas no site oficial da entidade: Nike, Itaú, Vivo, Guaraná Antarctica, Seara, Nestlé, Extra, Gillette, Volkswagen e TAM”.
“Um dos contratos que asseguraram a lucratividade da entidade foi fechado com o Kentaro Group, sediado em Londres mas ligado a um fundo árabe, que garantiu cerca de US$ 2 milhões (cerca de R$ 3,5 milhões) por amistoso. Por conta disso, a entidade recebeu críticas - já que foi forçada a enfrentar times de nível muito baixo e jogar muito mais fora do Brasil”.
“Para 2012, por exemplo, a Seleção tem mais cinco amistosos agendados: Dinamarca (26 de maio, na Alemanha), Estados Unidos (30 de maio, nos Estados Unidos), México (3 de junho, nos EUA), Argentina (9 de junho, nos EUA) e Suécia (15 de agosto, Suécia). A entidade tem contrato com o Kentaro Group até 2014. Além dos confrontos do time canarinho, algumas atividades realizadas pela Seleção Brasileira também são organizadas pela empresa, entre elas a preparação para a Copa de 2006, em Weggis, na Suíça”.
Caso ISL
De acordo com a rede britânica BBC, diversos dirigentes da Fifa receberam US$ 100 milhões em comissões da empresa de marketing ISL (extinta em 2001 por falência) para ter contratos de direitos de transmissão e anúncios publicitários nos anos 1990. Teixeira e Havelange estariam na lista dos cartolas beneficiados. A BBC diz que Teixeira recebeu US$ 9,5 milhões através da empresa Sanud, localizada no paraíso fiscal de Liechtenstein e que tinha ele e a ex-mulher Lúcia Havelange como sócios. A reportagem da BBC diz que Ricardo Teixeira e os outros envolvidos chegaram a um acordo com a justiça suíça, pondo um fim à questão. Ex-aliado e atualmente desafeto de Teixeira, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, prometeu em outubro do ano passado que tornaria público os arquivos do "caso ISL" até dezembro. Em janeiro, o dirigente suíço disse que não poderia ainda revelar os arquivos por conta de uma medida judicial.
Polêmicas com ídolos da Seleção
Nos 23 anos de poder de Teixeira, sua relação com imprensa e ídolos da Seleção sempre foi problemática. Logo no primeiro mandato, teve crise com jogadores da Copa de 90 que tamparam o símbolo da Pepsi na foto oficial da equipe. Depois, reclamou da atuação do time de Sebastião Lazaroni na Itália - eliminação para a Argentina nas oitavas de final.
Os quatro maiores artilheiros da história da Seleção também já tiveram problemas com Teixeira: Pelé, Ronaldo, Romário e Zico. Com o Rei do Futebol, o dirigente trocou acusações pela imprensa no início dos anos 1980, já que o ex-camisa 10 reclamou que sua empresa teria feito proposta melhor pelos direitos de transmissão do Brasileirão e acabou perdendo para a Traffic. Pelé ainda processou a CBF por uso indevido de imagem em um álbum de figurinhas da Copa de 1970. Os dois chegaram a fazer as pazes, mas o "Atleta do Século" ficou fora do processo de escolha do Brasil para 2014, não ganhou cargo no COL e foi acolhido pelo governo federal como "embaixador do Mundial".
Atual parceiro de Teixeira no conselho de administração do COL, Ronaldo também trocou farpas com o dirigente. Em 2009, o Fenômeno revelou que não tinha bom relacionamento com o presidente da CBF e que os dois pouco se falaram depois da campanha ruim na Copa de 2006:
- É muito fácil, na hora que ganha, estar do seu lado, levantar o troféu e ser campeão junto com os jogadores. Na hora que perde, é fácil também apontar alguém para Cristo e crucificar essa pessoa. Também não me importa, absolutamente para nada, ter um relacionamento com uma pessoa que demonstra ter duplo caráter - disse Ronaldo ao jornal "Folha de S. Paulo".
No fim do ano passado, o ex-camisa 9 aceitou fazer parte do comitê da Copa e afirmou que o problema com Teixeira já estava superado. Na última quinta, o Fenômeno chegou a dizer que "seria uma pena" se o dirigente realmente deixasse o comando da entidade.
Coordenador técnico da Seleção na Copa de 1998, Zico sentiu-se traído pelo dirigente por causa da desistência da candidatura do Brasil para sediar o Mundial de 2006, já que o Galinho era um dos principais envolvidos na campanha. Porém, em 2011 o ídolo do Flamengo participou do sorteio das eliminatórias de 2014 e mostrou reaproximação com o cartola.
Como deputado federal, Romário tem sido um dos maiores críticos de Teixeira no comando do COL e da CBF. Além de mágoa por garantir que tinha a promessa do dirigente de que estaria na Copa de 2002, o Baixinho tentou convocar o desafeto para depor na Câmara dos Deputados recentemente e mostrou-se a favor da renúncia. Em dezembro do ano passado, o ex-camisa 11 visitou Ronaldo e Teixeira na sede do COL e elogiou o trabalho do Fenômeno. (na coluna de amanhã, a repercussão da saída de Ricardo Teixeira. Viúvas e outros tantos...”

segunda-feira, 12 de março de 2012

O REI ESTÁ MORTO? VIVA O REI - I


Conheci Ricardo Teixeira, via meu saudoso amigo Elmer Guilherme, então presidente da FMF, no seu escritório no Rio de Janeiro. Era candidato à presidência da CBF e com total possibilidade de êxito. Na realidade, o escritório nem era dele. Pertencia à Minas Investimentos, uma das empresas do Grupo João Havelange, entre elas a Cometa, na época a maior empresa de transporte coletivo do Pais.
Ricardo deu o golpe do baú e casou-se com a filha única de Havelange. Assumiu logo o controle da Minas Investimentos. Eleito, tomou o trono com uma arrogância de fazer inveja. A CBF, contudo, era um lixo, e isso ninguém pode negar. Com Ricardo Terra Teixeira ganhou contornos de empresa lucrativa. Ótimos contratos de publicidade foram feitos enchendo os cofres da entidade e o bolso do presidente. O Brasil era tricampeão mundial e tornou-se penta.
O campeonato brasileiro que tinha 108 clubes dividiu-se em Série A e B, não mais permitiu-se virada de mesa, nem proteção aos grandes. Palmeiras, Atlético Mineiro, Atlético Paranaense, Fluminense, Corinthians, Botafogo, Vasco, Grêmio e outros campeões visitaram à Segunda Divisão e tiveram que voltar pelos próprios méritos(sic).
Passamos a ter um calendário com diversas divisões: A, B, C e D, campeonatos brasileiros de base, e competições importantes como a Copa do Brasil foram revividas. A cada conquista, a cada novo mandato, a cada renovação de contrato com a Globo, na maioria das vezes sob pressão de reportagens de denúncias, Teixeira afundava na lama. Aqui e no exterior. Pretenso candidato à presidência da Fifa, viu seu sonho exaurir com a indicação de Joseph Blatter, pelo próprio sogro que rompera com ele em razão do rumoroso divórcio envolvendo sua filha e neto.
A turma de fofoca de plantão afirmava que o rompimento fora tão sério que Ricardo proibiu o filho de visitar o avô Havelange. O tempo é o melhor remédio contra as feridas, ainda mais no futebol. Havelange e Ricardo se aproximaram, a paz voltou à família e estaria aberto o caminho pra Fifa. Só que Blatter não abriu mão. Rompeu – e está rompido – com Ricardo e Havelange.
As Organizações Globo que sempre tiveram – de uma forma ou de outra – a simpatia do presidente Ricardo Teixeira, por meio do site Globoesporte.com fez uma completa reportagem de despedida do seu vassalo. Para conhecimento geral e análise daqueles que não ficavam na galera do gogó dando vivas ao doutor Ricardo segue a matéria na integra abaixo:
“Quando Ricardo Terra Teixeira assumiu a CBF não havia Google, ninguém postava no Facebook, não existia Twitter. Não havia Globo.com. A internet engatinhava. Os telefones celulares eram uma novidade em forma de tijolo eletrônico, que só existiam na Europa, nos Estados Unidos e no Japão. O Muro de Berlim ainda não havia caído. O presidente do Brasil se chamava José Sarney e tinha sido eleito de forma indireta”.
“No dia em que Teixeira foi eleito, 16 de janeiro de 1989, o Brasil mudou de moeda: trocou o cruzado pelo "cruzado novo" - na esteira de uma inflação galopante. O real só nasceria cinco anos depois. Nos 23 anos da era Teixeira, o Brasil teve seis eleições presidenciais diretas, um impeachment e seis presidentes diferentes”
“O Brasil de 1989 era tricampeão do mundo e tinha uma das piores organizações esportivas do planeta. O poder na CBF era disputado pelas federações e cada eleição trazia uma história de compra de votos diferente”.
“Apoiado pelo então presidente da Fifa, João Havelange, Teixeira derrotou Nabi Abi Chedid num pleito até tranquilo. Por duas décadas comandou o futebol brasileiro. Sua gestão foi marcada por títulos, pela evolução administrativa da entidade, pelo estabelecimento de um calendário racional no futebol brasileiro e por acusações e polêmicas”.
Seleção de volta aos títulos e mudanças no calendário
“O mineiro Teixeira saiu do mercado financeiro, deixando sua empresa - a Minas Investimentos. Aos 41 anos, começou sua gestão criando a Copa do Brasil - uma competição eliminatória que rapidamente caiu no gosto popular. Na Seleção, se escorou num velho conhecido: o então vice de futebol do Vasco, Eurico Miranda, seu colega de colégio, foi escalado como direto”.
“Com Eurico, Teixeira ganhou a Copa América de 1989, primeiro título do Brasil na competição desde 1949. Mas, no ano seguinte, o sucesso não se repetiu. Com uma Seleção confusa, marcada por desavença entre os jogadores, o Brasil fracassou na Copa de 1990”.
“Em campo, a era Teixeira foi um período vitorioso - com dois títulos mundiais (1994 e 2002), um vice (1998), quatro Copas América (1989, 1997, 2003 e 2007), duas Copas das Confederações (2005 e 2009) e seis títulos mundiais nas divisões de bases (três no sub-17, três no sub-20). Na chegada dos campeões de 1994, a Receita Federal atrasou o desembarque dos jogadores alegando que a delegação não queria passar pela fiscalização alfandegária. Teixeira foi acusado de importar ilegalmente material para um de seus restaurantes num processo que durou 17 anos - e no qual o dirigente foi absolvido”.
“A derrota na final da Copa de 1998 abriu o período mais tenso de Teixeira na CBF. O congresso instaurou duas investigações parlamentares sobre o futebol brasileiro: a CPI da CBF-Nike, na Câmara Federal; e a CPI do Futebol no Senado. A primeira não teve seu relatório final aprovado. A segunda, porém, aprovou seu relatório pedindo 27 indiciamentos de Teixeira - por 13 crimes diferentes (evasão de divisas e lavagem de dinheiro, entre outros). A Justiça o absolveu de todas as acusações”.
“Fora de campo, a pressão sobre a CBF desgastou o Campeonato Brasileiro - que se perdeu em confusões jurídicas. Entre 1996 e 2000, o regulamento foi rasgado duas vezes. Na primeira, o chefe da Comissão de Arbitragem da CBF, Ivens Mendes, foi acusado de corrupção - o que justificou a anulação do rebaixamento de alguns times. Na segunda, a confusão foi ainda maior - implodindo judicialmente o Campeonato Brasileiro e produzindo em 2000 a Copa João Havelange, um torneio com 116 times que só terminou em 2001”.
“O dirigente respondeu com sua mais preciosa arma: a Seleção. Apostou em Ronaldo, Rivaldo e Luiz Felipe Scolari para ganhar o Mundial de 2002 - no Japão e na Coreia do Sul. E deu certo. A vitória fez os campeões serem recebidos pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso no Palácio do Planalto (com direito a cambalhota de Vampeta na rampa) - e neutralizou a pressão popular sobre a CBF”.
“Com moral renovado, o dirigente retomou as rédeas do futebol brasileiro e resolveu apostar num novo modelo. A partir de 2003 apostou na implantação dos pontos corridos no Brasileirão - e num calendário que reduziu os estaduais para quatro meses -, deixando oito para o principal campeonato. Fora de campo, a valorização do produto Seleção foi mais explorado - com contratos vultuosos para a CBF. O campeonato por pontos corridos se consolidou e trouxe efeitos benéficos para os clubes”.
“Em 2006 convenceu as federações a estenderem seu futuro mandato até 2014 caso o Brasil conquistasse o direito de sediar a Copa de 2014. Com boas relações com o governo Lula e com a Fifa, aproveitou o rodízio entre continentes e planejou uma candidatura única para a Copa, que, em 2007 foi vitoriosa, depois de uma campanha liderada por ele”. (continua...)

domingo, 11 de março de 2012

GALO PARTE ATRÁS DO PRIMEIRO TÍTULO NA COPA BR

O sabor da conquista da Copa do Brasil ainda não passou pela boca dos atleticanos. Sem perder a esperança no time em formação, e líder do Campeonato Mineiro, a massa alvinegra se prepara pra outra jornada em busca deste troféu que colocaria o time antecipadamente na Taça Libertadores das Américas. O adversário da estréia, Cene do Mato Grosso do Sul, até então comandado por Velloso, ex- goleiro atleticano, vai mal no estadual deles.
Neste sábado, enquanto o Galo goleava (4 a 2) o Nacional de Nova Serrana, na Arena do Jacaré, o Cene perdia (l a 0) para o inexpressivo SERC, em casa.
O Cene está de treinador novo, Eder Taques. Confesso que desconheço o instrumento tocado por esse moço antes.
O Galo derrotou o Nacional, porém teve que cavucar o gramado da Arena atrás da vitória. Ficou em desvantagem duas vezes: 1 a 0, 2 a 1. Então reagiu e acabou de vez com a festa do time do Senador.
Manteve a liderança, com 100% de aproveitamento.
No início, Marcos Rocha destacou-se: fez pênalti que o Nacional transformou em l a 0 com Alex Maranhão. Os 12m, dois após levar esse gol, Marcos Rocha soltou torpedo de fora da área e empatou: l a l. Menino bom de bola este lateral do Galo.
Na etapa final, Cuca corrigiu a besteira que fizera na escalação: tirou Carlos César e colocou Mancini. Só que o momento era do Nacional. Voltou a marcar aos 11m, num contra-ataque com Eder: 2 a 1.
Como aconteceu nos jogos contra o Cruzeiro e América o Nacional não conseguiu segurar a vantagem. Permitiu a reação do Galo, principalmente após a entrada de Neto Berola no lugar de Filipe Soutto. Aos 14m, Guilherme recebeu de Berola e achou André livre na área. O novo artilheiro do campeonato empatou: 2 a 2.
Então só deu Atlético: numa dessas, a bola melou pra Guilherme na cara do goleiro Ranieri: 3 a 2. Não demorou e André, agora com 7 gols, fechou o placar final: 4 a 2, em jogada de Neto Berola.

LIÇÃO PARA MANCINI: DEIXAR ELBER FORA DO BANCO É BURRICE.

O time que Wagner Mancini colocou em campo contra o Villa Nova na Arena do Jacaré só não levou um sapeca iaiá, graças à presença, de novo, do goleiro Fábio e da falta de pontaria dos atacantes do Leão. Antes do 15m, o Villa já tinha botado Fábio pra trabalhar: Eliandro ganhou de Léo na corrida, e chutou em cima do goleiro celeste.
No segundo, Gilson presenteou Eliandro, que driblou Victorino e Fábio. Do fundo passou para Alex Santos, artilheiro da equipe, chutar longe do gol vazio.
A fatalidade acabou escalando melhor o Cruzeiro. O time que jogava num 4-3-3 fétido. Apenas Guerreiro marcava no meio. Everton, no lugar de Roger, só pensava em armar. Aí Anselmo Ramon machucou-se e Mancini colocou seu “protegido” Rudnei.
Tempo pra um comentário: além de Rudnei, no banco estavam Árias e Amaral, além do menino Élber. Vai gostar de volante assim no Paulista de Jundiaí.
A opção do treinador foi fechar o meio e colocou um dos guarda-roupas.
O Cruzeiro só levou perigo ao gol do jovem goleiro Elisson – por sinal jogador de sua base – aos 14m num chutaço de Everton. O único dele. Elisson fez uma defesa espetacular.
A entrada de Rudnei tornou o meio menos vulnerável e liberou Montillo. Aos 38m, o argentino em jogada genial colocou Walter na cara do gol. O atacante matou no peito e com um toque de classe marcou seu primeiro gol no Cruzeiro: l a 0.
No segundo tempo, o Leão voltou com Thiaguinho, outra revelação azul expulsa da Toca. Foi dos pés dele que nasceu a segunda melhor chance do Villa na partida. O atacante driblou dois jogadores do Cruzeiro na linha de fundo, tocou para Henrique, que passou para Eliandro.
O próprio Thiaguinho se posicionou dentro da área para receber de volta, mas acabou errando o chute, de frente para o goleiro Fábio.
Aos 29, Élber entrou no lugar de Gilson, apagadíssimo, e incendiou o jogo. Rápido, escorregadio, puxou os contra-ataques do Cruzeiro e ocupou todos os espaços que antes ninguém ocupava. Teve inclusive sua chance de marcar: ele lançou Montillo na linha de fundo. O argentino cruzou para a área e o goleiro Elisson salvou duas vezes, uma com o próprio Élber e outra com Wallyson.
Aos 31 minutos, Wallyson recebeu de Elber pelo lado esquerdo e fez um belo lançamento pra Montillo na área. O craque driblou Anderson Tôto e chutou de perna esquerda, um golaço: 2 a 0.
Quatro minutos depois, Walter que não foi tão bem como no jogo contra o Rio Branco, no Acre, marcou um gol de mão e foi expulso pelo árbitro, por acúmulo de cartões amarelos.
Com a expulsão de Walter, Mancini fez a última bobagem da partida. Tirou Walyson e colocou Amaral. Na frente apenas Montillo. O Villa Nova foi pra cima e a torcida pediu pelo amor de Deus por juiz apitar o final.
Tem jeito não. Se não aprendeu até hoje, Vagner Mancini não aprende mais. É treinador de time pequeno apegado a volantes brucutus.
Cruzeiro enfrenta a Caldense, domingo que vem, às seis horas da noite, em Poços de Caldas. Já o Leão do Bonfim recebe o Galo em Nova Lima, no mesmo dia, às quatro da tarde. A vice liderança foi recuperada, porém a confiança no time ainda não apesar da sexta vitória seguida.

COELHO RECEBE BOAVISTA PRA MUDAR SUA TRISTE HISTÓRIA NA COPA BR. Nesta quarta-feira, o Coelho pega o Boavista-RJ, no jogo de volta, na Arena do Jacaré, às 8 e meia da noite pra seguir na Copa do Brasil com uma vitória. Se possível mudar uma escrita negativa que o acompanha no torneio há nove competições.
Saiu da disputa na primeira fase do torneio. No jogo de ida, houve empate de 0 a 0 em São Januário. O América trouxe uma ilusória vantagem.
Se houver novo empate aqui, com gols, o Boavista fica com a vaga. Outro empate sem gols, o mata-mata será decidido nos pênaltis. A vitória classifica qualquer um deles.
No Mineiro o Coelho conseguiu excelente vitória em Teófilo Otoni, de virada e segurou o terceiro lugar. O veterano Fábio Junior e o menino Kaio foram fundamentais, marcando os gols da virada americana. O Dragão saiu na frente com gol de Diego Faria na cobrança de pênalti no primeiro tempo.
No próximo domingo, o América encara o Boa Esporte e o Dragão recebe o Tupi.

PANTERA PERDE OUTRA E ESTÁ PERTO DO FIM - O Guarani, em Divinópolis, fez bela virada em cima da Pantera por 3 a l com dois gols de Marinho e um de Chico Marcelo. Thiago Bocão anotou o gol do Democrata. Uberaba e Caldense empataram em 0 a 0 na bela Poços de Caldas, enquanto o Tupi goleou o Boa Esporte por 3 a 0, em Juiz de Fora, mas não o tirou do G-4.

quinta-feira, 8 de março de 2012

SEMANA DE WALYSON, NEYMAR E MESSI: VIVA O FUTEBOL/ARTE

Walyson, Neymar e Lionel Messi, cada qual no seu limite técnico, com dosagens diferentes de arte, todavia possuidores dela, em maior ou menor escala fez a alegria do admirado do futebol limpo. Coreografias à parte, as de Neymar fizeram nossos olhos brilharem mais. Walyson encheu de esperança e prazer a nação azul sequiosa da sua volta em plena forma, após a recuperação da dolorosa lesão.
Neymar puxou o Peixe pra uma vitória sensacional sobre o Internacional com três gols e dois deles no estilo da Jóia santista. Drible em cima drible, zagueiros em fila, o diabinho no corpo e o toque letal. Este menino da Vila tem azeite no corpo!
Lionel Messi ratificou tudo que dizem dele: um jeitão caipira, sem adereços no cabelo, no nariz ou nas orelhas. Sem tatuagem, nenhum esplendor pessoal. Exceto quando veste o uniforme do Barcelona e tornar-se um super herói. Marcou cinco vezes e, ainda assim, foi destaque coletivo dos catalões.
Messi não se desgarra dos companheiros pra nada, nem pra ser o salvador da mocinha, nem o ídolo dos admiradores espalhados pelo mundo afora. É porque é. Assim quiseram os deuses do futebol. Não tem comemoração diferente, não esnoba os adversários, serve os companheiros em melhor posição.
Seu único defeito é ser fominha: não gosta de ser substituído e nem ficar fora dos jogos do Barça. Fenômeno.

WALYSON REENCONTRA O GOL E O MELHOR ESTILO

Bom, direis: o Cruzeiro empurrou bêbado ladeira abaixo ao golear o Rio Branco, no Acre, por 6 a 0. E não mostrou nada de interessante, além de Walyson. Pelo contrário, teve momento em que o fraco time local botou Fábio pra trabalhar como de costume. Tudo! Aceito. O primeiro tempo foi ruim, salvando-se pelos gols Walyson e Anselmo Ramon e pelas assistências de Walter. Na fase final – incrível – engrenou-se com a entrada de Rúdnei numa mexida escabrosa de Mancini. Pra colocar o grandalhão em campo, mexeu em três posições. Tirou Marcos, puxou Diego Renan pra direita e mandou Werton, que entrara no lugar do desanimado Roger pra lateral. Então o Cruzeiro voltou a ganhar o meio, com marcação forte e fez a goleada com mais dois gols de Walyson, outro de Rúdnei e um de Léo.
Pessimistas de plantão: ainda que fosse contra o Fluminense da Rua do Sal de Caratinga, o fato de Walyson correr como correu. Dividir bolas. Tentar uma bela jogada de calcanhar, salva o espetáculo. Outra coisa: serviu pra gente conhecer o lado sem fome de um artilheiro: Walter fez 4 assistências geniais.
Vamos ver agora contra o Leão do Bonfim, neste domingo, na Arena do Jacaré. É pau puro, minha gente.

COELHO EMPATA E TEM JOGO DE VOLTA.

E não é que o Coelho podia ter eliminado o jogo de volta em São Januário. Quem esperava o Boavista – vencedor de Fluminense e Flamengo, no Carioca – mais forte, viu-o sortudo e com um goleiro – Thiago – pegando até pensamento. Verdade que o calor atrapalhou bastante o andamento do jogo e a visão dos atacantes americanos. O que os rapazes de Givanildo Oliveira abusaram do direito de perder gols foi incrível. Não pode ser assim em Teófilo Otoni, contra seu xará local, se pensam em brigar pelo título mineiro.

MAS TIGRE ASSEGURA VAGA NA FASE DOIS DA COPA DO BRASIL,

Ninguém fazia muita fé no Tigre na estreia pela Copa do Brasil. Jogava fora de casa, contra o desconhecido Real Noroeste, em Águia Branca, no Espírito Santo. Este é um time novo, com estádio recém construído e cheio de vitamina. O Ipatinga no Mineiro do Módulo B vai mal. Não teve medo: enfiou 2 a 0 nos locais e foi o primeiro time mineiro a eliminar o jogo de volta. Agora pega o vencedor de River Plate-SE e Grêmio. No jogo de ida os gremistas venceram apertados por 3 a 2 em Aracaju

CUCA PASSA A CHAVE NO PORTÃO: NINGUÉM ENTRA INGUEM FALA

A imprensa viu tudo depois. Na hora do treino ficou de fora. Cuca tentou inventar Felipe Souto na lateral esquerda no lugar de Richarlyson, mas desistiu; Souto foi mesmo para o meio, no lugar de Pierre (terceiro cartão). Mancini saiu pra entrar Carlos César. No coletivo o time de Renan Ribeiro; Marcos Rocha, Rafael Marques, Réver e Richarlyson; Leandro Donizete, Fillipe Soutto, Carlos César e Escudero; André e Guilherme levou 3 a 0 dos reservas.
Então Cuca exigiu silêncio de todos até a hora de enfrentar o Nacional em Nova Serrana. Algumas coisas que imaginou durante a semana podem ser desfeitas. O misterioso treinador do Galo pensa que assim chegará 100% ao título mineiro.

FLU REPETE CRUZEIRO E PAISSANDU EM LA BOMBONERA

Apenas três times conseguiram vencer o Boca Juniors em La Bombonera numa partida por competição sul-americana: Cruzeiro, Paissandu e Fluminense. Os argentinos não perdiam há 36 jogos em casa, mas tiveram que tolerar os 3 mil torcedores tricolores que foram a Buenos Aires acompanhar a partida. Na garra, sob forte pressão como sempre acontece no estádio boquense.
Os cariocas comemoraram a vitória como se fosse a conquista do título da Taça Libertadores. A vitória por 2 a 1 – gols de Fred e Deco, enquanto Somoza fez para os donos da casa – colocou o Flu na liderança do Grupo 4 com 6 pontos.
Maravilha! O bicho tá com cara de não é mais tão feio quanto se pensa.

TIMÃO SUPEROU TENSÃO E VENCEU PARAGUAIOS NO PACAEMBU

O Corinthians fez uma final antecipada da Taça Libertadores (?), segundo os coleguinhas da Paulicéia Desvairada. Céus! Este Corinthians ainda leva muita gente à loucura.Bem, segundo eles, não pela importância do jogo ou pela qualidade do adversário, mas, sim, pelo nervosismo. Em sua estreia em casa o Timão precisou passar por cima da tensão - do próprio time e dos 29 mil alvinegros presentes nas arquibancadas -, para vencer o Nacional-PAR por 2 a 0, no Pacaembu, pelo Grupo 6.
Foram 90 minutos de pouca paciência, dentro ou fora de campo. O Corinthians exagerou na vontade, cometeu erros e teve dificuldades para vencer um rival de baixo nível técnico. A situação só mudou quando Danilo colocou sua frieza em prática para abrir o placar no fim do primeiro tempo, abrindo espaço para Jorge Henrique completar o suado triunfo na etapa final.
O resultado tranquiliza o Corinthians na briga pela classificação no Grupo 6. O Timão tem agora quatro pontos, apenas dois abaixo do Cruz Azul-MEX, líder e próximo adversário, quarta-feira, na Cidade do México. Pelo Campeonato Paulista, o clube volta a atuar neste sábado, diante do Guarani, às 18h30m, no Pacaembu.

SHOW DE NEYMAR NA VITÓRIA SOBRE O INTER NA VILA FAMOSA

Foi mais uma noite daquelas, de show protagonizado por um Neymar espetacular. Ele
tinha pedido para o amigo Leandro Damião "ir devagar", nesta quarta-feira, no confronto entre Santos e Internacional pela Libertadores. Mas foi o atacante santista quem não pisou no freio. E atropelou.
Esperava-se um duelo e tanto entre os dois artilheiros. Ambos balançaram a rede, porém, o que se viu na Vila Belmiro foi um baile do craque do Peixe, que garantiu a vitória por 3 a 1 sobre o Colorado.
Neymar estava cheio de "ousadia e alegria", como gosta de dizer. O técnico Dorival Júnior já avisa alertado que seria impossível frear o atacante do Peixe desse jeito, e tinha razão. O zagueiro Rodrigo Moledo foi quem mais sofreu com as diabruras de Neymar, que, não raras vezes, só foi parado com falta. Só Muriel conseguiu brecá-lo em algumas poucas oportunidades.

quarta-feira, 7 de março de 2012

OUTRA AULA DO BARÇA E DE MESSI, MAS NINGUÉM APRENDE NADA.

Confesso que já não sei mais com o que me empolgar nos jogos do Barcelona e nas atuações de Lionel Messi. O jogo coletivo, o toque de bola constante, suave e harmonioso, a ausência de violência, a sutileza dos passes com ótimo aproveitamento, a entrega individual em favor do coletivo – até mesmo do maior craque do mundo, Lionel
Messi. A goleada (7 a 1) sobre o Bayern Leverkusen foi mera repetição de filmes passados, só que desta vez o personagem central, o mocinho, extrapolou: marcou cinco gols, sem repetir nenhum lance.
Deu lençol no goleiro (fraco) alemão, Leno, com a perna esquerda, com a direita, de biquinho. Pegou rebote do arqueiro como qualquer matador; fez gol de fora da área, e de toque sutil. Enfim chegou aos 12 gols marcados na Liga dos Campeões da Europa e colocou o Barcelona nas quartas-de-final.
Me impressiona como ninguém aprende a lição pública do Barça do jovem treinador Pep Guardiola, apesar de repetida quase semanalmente. Não vou nem falar em aprender os toques sutis e a maestria de Messi porque aquilo é coisa de gênio, produto único no mundo atualmente. Todavia, armar uma equipe nos moldes táticos do Barcelona, ainda que o rendimento fique longe, muito longe, do original, é possível. Creio que apenas a vaidade pessoal dos técnicos tupiniquins impede tal aproximação com a modernidade.
Outra coisa: Guardiola respeita a vontade de Lionel Messi que é fominha de bola. Seu time goleia e ele não pede substituição e nem aceita que o técnico, para poupá-lo, o tire durante a partida. Exemplo de profissionalismo.
Mais ainda, agora para os técnicos que gostam da chamada ação entre amigos e detestam trabalhar e ensinar gente da base. Guardiola não perde a chance de renovar om time com a meninada do Barcelona B. Contra o Bayer, ao sentir o jogo decidido colocou Tello (autor de um dos gols), 20 anos, e Muniesa, de 19. Ah, se um dia qualquer treinador com o espírito de Pep Guardiola baixasse nas Geraes. Um sonho que, parece, eu não mereço mais viver.

CÉUS! O CRUZEIRO ESTREIA NA COPA DO BRASIL SEM MONTILLO E COM DE RÚDNEI

Apesar de os dias festivos – dia 5 aniversário da irmã única Dodora, 82; 6 o de Flavio Júnior que se torna quarentão – a manchete de um dos impávidos jornais desta Capital do doutor Lacerda me trouxe preocupante sombra. O Cruzeiro arranca em busca do penta da Copa do Brasil com o “talento” de Rúdnei no meio-campo, enquanto Walter Montillo fica na Toca cuidando de incômodo no púbis.
Sem dúvida os médicos celestes têm razão em preservar Montillo. Até porque o agravamento de uma lesão no púbis exige bastante tempo pra cura total. E enfrentar 3.900 km de vôo pra jogar contra o Rio Branco, no Acre, com o devido respeito, é uma aventura desnecessária.
A perspectiva é que o time, desfalcado de Montillo e WP-9, ainda assim faça a diferença de dois gols pra eliminar o jogo de volta.
Mera perspectiva. Na prática, a coisa costuma falhar. O glorioso Mancini, que poderia usar o menino Élber, esquecido entre os ignorados pelo treinador, seria o nome certo pra substituir Montillo. Lá na frente, tanto faz Walter ou Wallyson: nenhum dos dois mostrou nada até agora.
Vamos acompanhar tudo, ao vivo, presente da Mãe Globo.

ANTES NA TEVÊ FECHADA, IMAGINO, quem tem Sportv pode ver Boavista e América, às quatro da tarde, no calorão do Rio. Coitado do Coelho. Joga na Arena do Jacaré, o clássico de domingo passado, debaixo do solão pra atender a tevê; no Rio enfrenta outros 40 graus e no sábado pega seu xará na quente Teófilo Otoni, também às quatro da tarde. Haja filtro solar pra moçada!
O Coelho por duas vezes eliminou o jogo de volta. Em 96, venceu o Nacional, em Manaus, por 3 a l e em 2004 tirou o Serra-ES, por 4 a l. Contudo, não convém menosprezar o Boavista. Tem sido um osso atravessado na garganta dos grandes no Campeonato Carioca.
E tem Somália, aquele grandalhão ex-América, artilheiro nato.

terça-feira, 6 de março de 2012

CRUZEIRO APOIA AMERICA POR JUIZ DE FORA NOS CLASSICOS

                                     Presidente do Cruzeiro, Gilvan Tavares, tambem quer juiz de fora nos clássicos
                          
A EXPULSÃO DE LEANDRO FERREIRA no clássico ainda rende. O membro do conselho administrativo do América, simpático Francisco Santiago, esbravejou como bom promotor público numa peça acusatória e defenestrou o soprador de apito Igor Júnio Benevenuto da vida do seu time.
Ganhou forte aliado no início da semana. O presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, criticou a atuação e a intolerância do jovem árbitro no lance entre Leandro Ferreira e Richarlysson. Revelou, também, que gostaria de ver árbitros de fora no apito dos clássicos do Campeonato Mineiro.
Alexandre Kalil, na dele, não fez qualquer comentário e elogiou, com certa reserva, a atuação de Igor.
E cá estava este filho do Sodico matutando sobre o episódio, roendo uns beijus molhados na sacada do barraco no alto do Santo Antão, quando o presepeiro entregador de revista gritou lá de baixo: “Pede juiz de fora, doutor Flávio!”
Peço nada, não recomendo nada, eles que se entendam. Não assinaram, por “mal lhes pregunte”, uma ata na reunião do Divisional estabelecendo que não trariam juiz de fora? Assinaram. Eles assinaram e terão de cumprir.
LEIAMOS O QUE afirmou José Eugênio, gente boa, presidente da Comissão de Arbitragem da FMF, sobre a atuação de Igor Benevenuto: “O único senão, se é que posso dizer assim, no jogo foi a expulsão do atleta do América, número cinco. Na minha opinião, seria o cartão amarelo. Mas o Igor, no campo, a interpretação foi dele. No calor do jogo, interpretou que seria vermelho”.
O presidente da comissão de arbitragem, todavia, entende que “Ele foi rigoroso aplicando o cartão vermelho, mas entendo a situação dele, que, dentro do campo, a interpretação foi para cartão vermelho. O árbitro tem fração de segundos para decidir.”
Benevenuto não será afastado, mas passará por uma reciclagem com José Eugênio sobre o assunto. “Esta semana vamos fazer com ele um trabalho de interpretação. Estamos trabalhando em cima dessas situações de falta para cartão amarelo e cartão vermelho.”
E o soprador Ricardo Marques Ribeiro, que marcou pênalti inexistente contra o América-TO, anulou um gol legítimo de Montillo, e deixou de apitar outro pênalti sobre Anselmo Ramon será afastado ou passará por reciclagem sobre o tema: “Como aprender a apitar uma partida de futebol”?
ENQUANTO EU NÃO SOUBER QUE O GOVERNO BRASILEIRO PERDOOU JERÔME VALCKE vejo o episódio como desserviço ao maior evento mundial do futebol. O cartola da Fifa afirmou mesmo que gostaria dar um chute na bunda da gente. Na minha não.
Como aprendi a falar inglês e francês em São Domingos do Ubaporanga, traduzi ao pé da letra as duas falas do senhor Valcke. Na primeira, numa coletiva na Inglaterra, disse: “se donner un coup de pied aux fesses" que, eu traduzi por “vamos dar para eles (brasileiros) um copo de fezes”.
Depois ele falou que traduziram mal do inglês para o francês. O que ele quis afirmar que era que pretendia dar um chutinho à toa no traseiro do Ministro do Esportes, Aldo Rabelo. Este devolveu na hora: “Bundinha que mamãe beijou, vagabundo nenhum bota a mão ou o pé”.
Pura diplomacia, bem ao gosto da ex-guerrilheira Dilma que não leva desaforo pra casa.
E a Copa do Mundo? Se Aldo Rabelo aceitar a desculpa, em bom português, estará mantida. Caso contrário, a Fifa transferirá a disputa pra outro país sul-americano. Possivelmente a Bolívia.
O diabo é que esses caras não se entendem entre eles e nem entre seus pares. Não é que a Assessoria do Ministro mandou o ofício xingando Jerome Valcke, com endereço de Lausanne, onde está a sede do Comitê Olímpico Internacional, COI, que não tem qualquer ligação com a Fifa. Esta está situada em Zurich. Pode?