domingo, 25 de março de 2012

DETALHES DECIDIRAM O JOGÃO DA ARENA: Raposa e Coelho fizeram um clássico inesquecível.

Era previsível que alguém do conglomerado de presidentes do América chiaria contra a excelente arbitragem do jovem apitador Cleison Pereira Veloso (ufa!, enfim alguém assoprou o apito num clássico com quase 100% de acerto). Na opinião do sensato Marcus Salum (até tu, Turco!) o gol do América naquele lance em que Gabriel empurrou Léo por trás, obrigando-o a marcar contra, foi legal e mal anulado. Céus! A televisão mostrou em diversos ângulos a falta cometida pelo becão americano.
Aí, aí. Como a gente conhece as peças, o Flávio Júnior veio visitar-me após a partida e comentou: “O principal argumento de Salum e de outros dirigentes será o de sempre – “se o lance fosse contra o Cruzeiro seria anulado?”
Querido Salum, esta velha superada retórica de coitadinho do América precisa dar lugar a alguma coisa mais sensata e grandiosa.
O que importa é que o jogo teve gosto de quero mais. No apito final do juiz, torcedores permaneceram debaixo da forte chuva que desabou em Sete Lagoas no meio do segundo tempo, curtindo as lembranças dos lances empolgantes dos dois lados.
No esquema de três atacantes, os azuis iniciaram o clássico impetuosos. Neneca trabalhou bastante em lances com Walyson, Anselmo Ramon e WP-9. A posse de bola era cruzeirense e o Coelho contra-atacava com acerto. Aos 14m, Luciano obrigou Fábio a sua primeira e grande defesa.
Aos 21m, o gol americano. Rodrigo cobrou uma falta, a bola passou pela barreira e sobrou pra Alessandro em condições perfeitas, dadas por Victorino. O uruguaio tentou evitar o chute, porém levou o drible e estatelou-se no gramado. Alessandro chutou cruzado, de pé esquerdo, entre as pernas de Fábio. Golaço: l a 0.
Aos 31m, Montillo apareceu numa tabela com WP-9 e mandou bala. Neneca de novo salvou o América. A chance dos americanos de aumentar o marcador veio aos 32m, num contra-ataque puxado por Luciano e Fábio Júnior chutou na zaga celeste.
Aos 40m, Walyson que recupera a velha forma, driblou Rodrigo na esquerda e Cruzeiro pra Anselmo Ramon. Repetiu o lance de Alessandro: deixou o beque do América no chão e empatou o jogo: l a 1.
Na fase final, o Cruzeiro voltou em cima do América. Neneca pegando tudo. Aí o Coelho equilibrou a partida e foi pra cima. O meio-campo celeste destoava no passe de Marcelo Oliveira e na falta de um meia de ligação ao lado de Montillo.
Foi nesse período que aconteceu o gol irregular de Gabriel, que empurrou Léo. Desequilibrado marcou gol contra, anulado corretamente pelo juiz Cleison Veloso Pereira.
Os treinadores começaram a fazer mudanças e Vagner Mancini deu-se melhor. Aos 26, colocou o garoto Élber no lugar de Anselmo Ramon. Walter já havia entrado um pouco antes no lugar de WP9. Elber acertou o setor. Mal entrou enfiou a bola com perfeição pra Walter marcar 2 a 1. Mancini resgatou os méritos que poderia ser dele desde o início do campeonato caso tivesse aceitado as sugestões de colocar Elber no elenco.
Este foi o mais importante detalhe do clássico e que deu a vitória aos azuis. Guerreiro foi bem na ajuda à zaga de Léo e Victorino. O primeiro melhor que o uruguaio. Mais raçudo e decisivo. Os laterais Marcos e Diego Renan crescem e ganham mais personalidade. Falta a definição do ataque. Deixar Walter, ainda que supostamente fora de forma, é um castigo. Joga muito mais que os outros.
No América, Givanildo demorou a mexer em Luciano. Colocou China, mas o momento era de Kaká, que só entrou quase no final, quando o Coelho pressionou e a Raposa suou em bicas pra manter o placar de 2 a 1. Fábio e Neneca os melhores deste grande jogo.
CUCA REMOÇA TIME e já pensa em escalar Eron, jovem revelação da base atleticana, como titular no jogo de domingo contra o Uberaba, último adversário antes do clássico contra o Cruzeiro. Segundo ele, o teste servirá pra que ele conheça melhor suas opções. Eron tem treinado bem e entusiasmado o técnico. A atuação de Triguinho diante do Democrata Pantera no sábado (Galo 3 a 0, gols de Berola -2- e Guilherme) não é contestada por Cuca.
Eduardo Maluf me falou pelo telefone que o Atlético não entrará em leilão pra contratar o armador chileno Matías Fernandez, que joga no Sporting de Lisboa. O Galo fez uma proposta boa, segundo ele, de R$ 11 milhões, porém as boas atuações do jogador atrapalharam os planos do Atlético. Apareceram outros vários interessados com propostas bem superiores, segundo dirigentes do Sporting. Desmentiu, também, o interesse na contratação do goleiro Neto, da Fiorentina.
                                   
                                         Vibração de Moacir Júnior com o gol de Ademilson
O TUPI DE MOACIR JUNIOR, em plena subida, permaneceu no G-4 depois de vencer o Guarani por 3 a l, em Juiz de Fora. Abriu o placar, aos três minutos, em finalização do experiente Ademilson. Com o domínio, o alvinegro criou mais situações e conseguiu ampliar a vantagem aos 19, com Michel Cury.
Na etapa final, o Guarani começou agressivo e conseguiu diminuir o placar com o lateral-esquerdo Magalhães, aos 10m. Mas a reação parou por aí e o Tupi fechou o placar com o dublê de craque e taxista Alan, aos 41m.
Na próxima quarta-feira, o Tupi enfrenta o América, às 10 da noite, na Arena do Jacaré. Já o Guarani tenta a reabilitação no Estadual contra a Caldense, no Farião.
A Caldense conseguiu se recuperar da goleada sofrida para o Cruzeiro e afundou ainda mais o América-TO na zona de rebaixamento do Campeonato Mineiro. Com gol de Luizinho, a Veterana bateu o Dragão por 1 a 0, neste domingo, em Poços de Caldas, pela oitava rodada, e se manteve firme na briga por uma vaga na semifinal do Estadual.
Com o resultado, a Caldense chega a sua terceira vitória na competição e fica na quinta posição, com 11 pontos. Agora, a Veterana está apenas a dois pontos do Tupi, último time do G4.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.