quinta-feira, 8 de março de 2012

SEMANA DE WALYSON, NEYMAR E MESSI: VIVA O FUTEBOL/ARTE

Walyson, Neymar e Lionel Messi, cada qual no seu limite técnico, com dosagens diferentes de arte, todavia possuidores dela, em maior ou menor escala fez a alegria do admirado do futebol limpo. Coreografias à parte, as de Neymar fizeram nossos olhos brilharem mais. Walyson encheu de esperança e prazer a nação azul sequiosa da sua volta em plena forma, após a recuperação da dolorosa lesão.
Neymar puxou o Peixe pra uma vitória sensacional sobre o Internacional com três gols e dois deles no estilo da Jóia santista. Drible em cima drible, zagueiros em fila, o diabinho no corpo e o toque letal. Este menino da Vila tem azeite no corpo!
Lionel Messi ratificou tudo que dizem dele: um jeitão caipira, sem adereços no cabelo, no nariz ou nas orelhas. Sem tatuagem, nenhum esplendor pessoal. Exceto quando veste o uniforme do Barcelona e tornar-se um super herói. Marcou cinco vezes e, ainda assim, foi destaque coletivo dos catalões.
Messi não se desgarra dos companheiros pra nada, nem pra ser o salvador da mocinha, nem o ídolo dos admiradores espalhados pelo mundo afora. É porque é. Assim quiseram os deuses do futebol. Não tem comemoração diferente, não esnoba os adversários, serve os companheiros em melhor posição.
Seu único defeito é ser fominha: não gosta de ser substituído e nem ficar fora dos jogos do Barça. Fenômeno.

WALYSON REENCONTRA O GOL E O MELHOR ESTILO

Bom, direis: o Cruzeiro empurrou bêbado ladeira abaixo ao golear o Rio Branco, no Acre, por 6 a 0. E não mostrou nada de interessante, além de Walyson. Pelo contrário, teve momento em que o fraco time local botou Fábio pra trabalhar como de costume. Tudo! Aceito. O primeiro tempo foi ruim, salvando-se pelos gols Walyson e Anselmo Ramon e pelas assistências de Walter. Na fase final – incrível – engrenou-se com a entrada de Rúdnei numa mexida escabrosa de Mancini. Pra colocar o grandalhão em campo, mexeu em três posições. Tirou Marcos, puxou Diego Renan pra direita e mandou Werton, que entrara no lugar do desanimado Roger pra lateral. Então o Cruzeiro voltou a ganhar o meio, com marcação forte e fez a goleada com mais dois gols de Walyson, outro de Rúdnei e um de Léo.
Pessimistas de plantão: ainda que fosse contra o Fluminense da Rua do Sal de Caratinga, o fato de Walyson correr como correu. Dividir bolas. Tentar uma bela jogada de calcanhar, salva o espetáculo. Outra coisa: serviu pra gente conhecer o lado sem fome de um artilheiro: Walter fez 4 assistências geniais.
Vamos ver agora contra o Leão do Bonfim, neste domingo, na Arena do Jacaré. É pau puro, minha gente.

COELHO EMPATA E TEM JOGO DE VOLTA.

E não é que o Coelho podia ter eliminado o jogo de volta em São Januário. Quem esperava o Boavista – vencedor de Fluminense e Flamengo, no Carioca – mais forte, viu-o sortudo e com um goleiro – Thiago – pegando até pensamento. Verdade que o calor atrapalhou bastante o andamento do jogo e a visão dos atacantes americanos. O que os rapazes de Givanildo Oliveira abusaram do direito de perder gols foi incrível. Não pode ser assim em Teófilo Otoni, contra seu xará local, se pensam em brigar pelo título mineiro.

MAS TIGRE ASSEGURA VAGA NA FASE DOIS DA COPA DO BRASIL,

Ninguém fazia muita fé no Tigre na estreia pela Copa do Brasil. Jogava fora de casa, contra o desconhecido Real Noroeste, em Águia Branca, no Espírito Santo. Este é um time novo, com estádio recém construído e cheio de vitamina. O Ipatinga no Mineiro do Módulo B vai mal. Não teve medo: enfiou 2 a 0 nos locais e foi o primeiro time mineiro a eliminar o jogo de volta. Agora pega o vencedor de River Plate-SE e Grêmio. No jogo de ida os gremistas venceram apertados por 3 a 2 em Aracaju

CUCA PASSA A CHAVE NO PORTÃO: NINGUÉM ENTRA INGUEM FALA

A imprensa viu tudo depois. Na hora do treino ficou de fora. Cuca tentou inventar Felipe Souto na lateral esquerda no lugar de Richarlyson, mas desistiu; Souto foi mesmo para o meio, no lugar de Pierre (terceiro cartão). Mancini saiu pra entrar Carlos César. No coletivo o time de Renan Ribeiro; Marcos Rocha, Rafael Marques, Réver e Richarlyson; Leandro Donizete, Fillipe Soutto, Carlos César e Escudero; André e Guilherme levou 3 a 0 dos reservas.
Então Cuca exigiu silêncio de todos até a hora de enfrentar o Nacional em Nova Serrana. Algumas coisas que imaginou durante a semana podem ser desfeitas. O misterioso treinador do Galo pensa que assim chegará 100% ao título mineiro.

FLU REPETE CRUZEIRO E PAISSANDU EM LA BOMBONERA

Apenas três times conseguiram vencer o Boca Juniors em La Bombonera numa partida por competição sul-americana: Cruzeiro, Paissandu e Fluminense. Os argentinos não perdiam há 36 jogos em casa, mas tiveram que tolerar os 3 mil torcedores tricolores que foram a Buenos Aires acompanhar a partida. Na garra, sob forte pressão como sempre acontece no estádio boquense.
Os cariocas comemoraram a vitória como se fosse a conquista do título da Taça Libertadores. A vitória por 2 a 1 – gols de Fred e Deco, enquanto Somoza fez para os donos da casa – colocou o Flu na liderança do Grupo 4 com 6 pontos.
Maravilha! O bicho tá com cara de não é mais tão feio quanto se pensa.

TIMÃO SUPEROU TENSÃO E VENCEU PARAGUAIOS NO PACAEMBU

O Corinthians fez uma final antecipada da Taça Libertadores (?), segundo os coleguinhas da Paulicéia Desvairada. Céus! Este Corinthians ainda leva muita gente à loucura.Bem, segundo eles, não pela importância do jogo ou pela qualidade do adversário, mas, sim, pelo nervosismo. Em sua estreia em casa o Timão precisou passar por cima da tensão - do próprio time e dos 29 mil alvinegros presentes nas arquibancadas -, para vencer o Nacional-PAR por 2 a 0, no Pacaembu, pelo Grupo 6.
Foram 90 minutos de pouca paciência, dentro ou fora de campo. O Corinthians exagerou na vontade, cometeu erros e teve dificuldades para vencer um rival de baixo nível técnico. A situação só mudou quando Danilo colocou sua frieza em prática para abrir o placar no fim do primeiro tempo, abrindo espaço para Jorge Henrique completar o suado triunfo na etapa final.
O resultado tranquiliza o Corinthians na briga pela classificação no Grupo 6. O Timão tem agora quatro pontos, apenas dois abaixo do Cruz Azul-MEX, líder e próximo adversário, quarta-feira, na Cidade do México. Pelo Campeonato Paulista, o clube volta a atuar neste sábado, diante do Guarani, às 18h30m, no Pacaembu.

SHOW DE NEYMAR NA VITÓRIA SOBRE O INTER NA VILA FAMOSA

Foi mais uma noite daquelas, de show protagonizado por um Neymar espetacular. Ele
tinha pedido para o amigo Leandro Damião "ir devagar", nesta quarta-feira, no confronto entre Santos e Internacional pela Libertadores. Mas foi o atacante santista quem não pisou no freio. E atropelou.
Esperava-se um duelo e tanto entre os dois artilheiros. Ambos balançaram a rede, porém, o que se viu na Vila Belmiro foi um baile do craque do Peixe, que garantiu a vitória por 3 a 1 sobre o Colorado.
Neymar estava cheio de "ousadia e alegria", como gosta de dizer. O técnico Dorival Júnior já avisa alertado que seria impossível frear o atacante do Peixe desse jeito, e tinha razão. O zagueiro Rodrigo Moledo foi quem mais sofreu com as diabruras de Neymar, que, não raras vezes, só foi parado com falta. Só Muriel conseguiu brecá-lo em algumas poucas oportunidades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.