quarta-feira, 11 de abril de 2012

CUCA BARRA RENAN POR INSTABILIDADE – A realidade é outra: instável está o treinador que faz média com parte da torcida.


As justificativas de Cuca pra barrar Renan Ribeiro no jogo de hoje contra o Penarol, em Manaus, pela Copa do Brasil, não deve ser levada a sério. Por muito mais, Réver, Richarlyson, Danilinho, não tiveram uma saída da equipe tão traumática. Renan paga por um erro de toda defesa e do próprio treinador. Afinal, no comando dele, Cuca, o Galo ganhava de 2 a 0 e permitiu o empate. Culpar apenas Renan Ribeiro pelo resultado é uma baita sacanagem, própria de treinador forasteiro contra os meninos da base.
Giovanni, contratado ao Grêmio Barueri, no começo do ano, jogou 12 vezes pelo Galo só ano passado e levou 19 gols. Participou de duas vitórias, três empates e sete derrotas. Esteve no lugar de Renan Ribeiro nesse período por nove partidas seguidas, com Dorival Júnior. A chegada de Cuca terminou com seu reinado cambaleante.
Apesar de afirmar que “agora é a minha vez”, Geovanni sabe que a diretoria corre atrás de outro goleiro, mais experiente. O presidente Alexandre Kalil teria uma lista com vários nomes no bolso, contudo não se arrisca errar como aconteceu na vinda de Carini, Marcelo e Fábio Costa. Ou o Galo contrata pra valer ou as preocupações dos torcedores continuarão.
Vamos ver o que sucederá esta noite contra o Penarol. Se o Galo vencer com diferença de dois gols elimina a partida de volta.
TAMBÉM O CRUZEIRO de Vagner Mancini joga esta noite. Sua parada é mais indigesta que a do Galo. Enfrenta o Chapecoense, em Chapecó, Santa Catarina, onde nunca jogou contra qualquer time catarinense. Apenas em 95, o Cruzeiro esteve por lá, contra o Internacional de Porto Alegre, sendo derrotado por 2 a 0. Novidades, nenhuma. Mancini continua teimoso e promete manter o esquema de 4-3-3. Roger no banco, Walyson no ataque com WP9 e Anselmo Ramon.

O “santo” Danilinho, aquele que não foi nada covarde na entrada em cima de Montillo logo no início do clássico, classificou de desleal a jogada de Roger. A cotovela do meia cruzeirense foi, também, condenada pelo treinador Cuca, porém mais respeitosamente.
O procurador do TJD, após analisar a súmula do árbitro Renato Cardoso Conceição, que deu apenas cartão amarelo a Roger, deve indiciar o cruzeirense por jogo violento. No entanto, o lance de Danilinho passará em branco no interesse do procurador do TJD.

Por incrível que possa parecer o Coelho tem situação cômoda logo mais contra o Goiás no Serra Dourada. É verdade que empatou na partida de ida, na Arena do Jacaré, em 0 a 0. Na época eu afirmei: o resultado é ruim pro Goiás que não fez gol aqui. Em casa, os goianos têm de vencer; este é o único resultado que lhes interessa. Já o América, além do empate sem gols que levaria a decisão para os pênaltis, qualquer outro com gols lhe dará a classificação. Claro que a vitória, também. Givanildo promete mexer pouco no time que jogou sábado pelo Mineiro.

Apertado está o Tigre. Perdeu a primeira partida em casa e enfrenta agora o Grêmio, no Olímpico de Porto Alegre, com a necessidade de fazer um placar a partir de 2 a l e continuar na Copa do Brasil. Tem gente que acha que é mais fácil elefante voar. Sei lá, no futebol tudo pode acontecer. Até urubu voar de costas!

Um comentário:

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.