terça-feira, 17 de abril de 2012

PARA CRUZEIRO BASTA EMPATE SEM GOLS NESTA QUARTA, mas Mancini escala time ofensivo contra o Chapecoense na Arena do Jacaré.

Não há como Vagner Mancini fugir do esquema mais ofensivo contra o Chapecoense nesta quarta?
Claro que há. No papel, é bonito falar em três atacantes. Contudo, tal esquema tem colocado o Cruzeiro em cada encrenca brava.
Tanto que Mancini precisa do intervalo do jogo pra dar bronca na rapaziada e mexer no time, escancarado no meio-campo, aberto aos contra-ataques inimigos.
Seus problemas são vários: não terá Léo, Diogo Renan, e, possivelmente, Roger. Na defesa, a vaga de Léo fica com Thiago Carvalho, 23 anos, ex-Boa Esporte. Será sua terceira partida ao lado de Victorino. Na lateral da esquerda, Everton. Na direita, como desmoralizou Marcos, Mancini deverá improvisar Amaral. Inclusive domingo contra o América. Haja coração, China Azul.
No ataque, caso perdure sua teimosia, o técnico usará Walyson, Wellington Paulista e Anselmo Ramon. No meio, Montillo volta ao lado de Guerreiro e Marcelo.
A Chapecoense jogou barro na parede; espera colar. O técnico Itamar Schulle (?) falou em poupar alguns atletas após vencer o Criciúma (3 a l) e classificar-se pra semifinais do Campeonato Catarinense.
Me engana que eu gosto! A Chapecoense jogará contra o Avaí no próximo domingo, em Floripa. Daí poupar os melhores, pois entende que as chances de seu time em avançar para as oitavas de final da Copa do Brasil são bem menores que as de ganhar o caneco barriga verde. Daí, se colar... Colou.
A FMF ANUNCIA, até porque tem uma linda e competente Assessora de Imprensa, Nina Abreu, mas que arma a tabela é a poderosa Rede Globo, dona do campeonato mineiro. Por isso, anunciou que as duas primeiras partidas da semifinal serão disputadas no próximo domingo, em horários a seu gosto.
Ou seja: o Galo, primeiro colocado na fase de classificação, enfrenta o Tupi, quarto colocado, às 4 da tarde no Estádio Mário Heleno, em Juiz de Fora. Às seis e meia, caso o Sportv queira nos presentear com tal partida, sem o tal “pagar-pra-ver”, na Arena do Jacaré, acontece o clássico América e Cruzeiro. Mando do Coelho.
PAU NA MOLEIRA – O clássico Atletico x Cruzeiro não pára de render até hoje, principalmente por causa da reunião do TJD. Aí, como foro democrático de discussão a Trincheira abriu-se pra receber críticas bravas contra ela e outros.
Diz MARCELO DE ANDRADE- BH, participando no meu blog: “Clássico em vencedor dentro e fora de campo”.
“ Há uma tentativa de alguns da imprensa, além de você – vide Jaeci em sua coluna hoje, Emanuel Carneiro na Itatiaia, Afonso Alberto ontem – de igualarem os atos do Danilinho e do Roger. A do Danilinho foi entrada forte de jogo. A do Roger foi desleal. Na do Danilinho, o agredido teve a chance de se defender, como assim o fez Montillo ao pular assim que o Danilinho o toca – isso ficou claro na imagem”.
“A entrada do Roger foi covarde. Não deu chance do agredido se defender, além de quase causar uma catástrofe e o Danilinho perder o movimento de um ou mais membros ao ser atingir na medula”.
“Se for julgar no tribunal uma entrada igual à do Danilinho no Montillo, teríamos que ter de 2 a 3 julgamentos por jogo. Quase todo jogo há entradas daquele jeito. Um exemplo? Montillo também teria de ser levado ao tribunal por causa daquela entrada forte de jogo no Richarlyson. Veremos como o Tribunal vai agir. Estamos atentos e observando a cor do Tribunal, ou se ele não tem cor. E podem brigar à vontade, porque o título já tem dono: O Galo. Quem viver, verá”
COMO BRIGA DE GALOS está proibida na Constituição Federal, Tupi e Atlético optaram pelo jogo de compadre.
SÓ NÃO ENTENDI a explosão de ira do Cuca ao ser perguntado por um repórter se viu aquele confronto compadrescamente disputado.
“Quem diz isso não sabe nada de futebol: como vou sair em cima do Tupi se ele quer jogar lá atrás? Se saio, levo o contra-ataque”.
Cuca comemorou o objetivo conquistado, num jogo considerado por ele, como atípico. Porque não explicou. Apenas disse que “Nos propusemos a ser o primeiro e, ao longo das 11 partidas, vencemos nove e empatamos duas. Temos a vantagem que o primeiro tem, isso se formos até a final. De certa forma, foi bom”.
“Tivemos uma viagem a Manaus desgastante, um jogo desgastante, enfrentamos um calor forte e vencemos. Viajamos para cá, não fizemos um bom jogo, mas conseguimos parte do objetivo, que era não perder. Queríamos vencer, mas não conseguimos e saímos com o empate, que nos dá a primeira colocação”.
“A gente valorizou a posse de bola. Se isso não contenta a todo mundo, problema de quem não está contente”.
É, mas o pessoal que pagou ingresso e foi ao estádio saiu de lá cuspindo marimbondos, como diria o saudoso Fernando de Campos Sasso. E tome vaia no Cuca e adjacências.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.