quinta-feira, 10 de maio de 2012

CRUZEIRO CORRE ATRÁS DO SUBSTITUTO DE MANCINI – preferido é o argentino que comanda LA U do Chile.

Não faltou luta, exceto em um que se julga melhor do que realmente é, no caso de Anselmo Ramon, e equilíbrio emocional em quem devia ter pela experiência de várias decisões, caso de Roger, expulso aos 35m do primeiro tempo. Porém, o que levou o Cruzeiro, realmente, à eliminação na Copa do Brasil foi o bom esquema tático do Atlético Paranaense. Mesmo sem Paulo Bayer, o time explorou bem os lançamentos pra Guerron, o pesadelo dos defensores celestes. Fez gol, deu assistência e mostrou tudo que não soube mostrar na sua época de Toca da Raposa.
Semestre perdido, o Cruzeiro sai agora atrás de alguém pra substituir Vagner Mancini, dispensado, como era de se esperar. O vice presidente José Maria Fialho viajou ao Chile pra definir com o técnico Jorge Sampaoli, da Universidade ( La U). Talvez até por indicação de Valter Montillo, que trabalhou com ele. Fialho desmentiu. Iria atrás de reforços, mas não acredito que a diretoria contrate alguém antes de um novo treinador. Outro nome cotado é o de Celso Roth, desempregado e, portanto, mais barato..
Os céticos entendem que o Cruzeiro necessite de reforços mais do que um novo treinador. Concordo em parte. Precisa de uma limpeza em regra; reformulação no elenco com a dispensa de cabeças-de-bagre avalizados por Vagner Mancini. Aí sim, com o aproveitamento de algumas pratas da casa, trazer dois laterais, um armador e um atacante velocista.
Ah, em tempo: Wallison entra na relação do Anselmo Ramon. Pensa que joga mais do que realmente joga. Pior: tem mostrado má vontade incrível. Passou da hora de sair, também.

Fim da Copa do Brasil para nós mineiros resta o último jogo da decisão do campeonato estadual. Atlético x América no qual ninguém acredita numa surpresa provocada pelo Coelho. Fico na minha: prefiro guardar minha boca pra comer minha farinha.
No entanto, não posso me esquecer do Independência, palco do jogo deste domingo e dos futuros jogos do Cruzeiro que acertou com a BWA. Em vez de minha opinião a respeito do que não conheço, transcrevo as mensagens que recebi de quem esteve lá:

Iraq Rodrigues BH – (meu correspondente autorizado direto de Lagoa Santa) - Eu fui ver Atlético e América, no Independência. Mas fique mesmo foi na dependência de alguma alma caridosa que me ajudasse a encontrar a entrada do portão 3. Foi quando vi um garota bem aparentando - bonita - com um jaleco escrito "Apoio ao torcedor" que me indicou onde estava a fila. Entrei sem maiores percalços. Como cheguei cedo, não tive dificuldades para localizar um lugar. Assentei-me e me dispus a esperar o jogo.Eis que, aproximando-se a hora pós-novela, entrou uma multidão de uma só vez e bagunçou o coreto todo. E assisti o jogo todo em pé, pois até as escadas estavam lotadas de torcedores em pé, coisa que atrapalha a visão.Pensei até que estava em um ponto cego, mas era o setor especial Pitangui. O policiamento nada fez para coibir o abuso de torcedores que teimavam em ficar nas escadas, forçando todos a ficarem de pé, sob pena de não assistirem ao jogo. Dificilmente volto.

De Eduardo Carvalho ( sobrinho de Flávio Carvalho) BH - Prezado Amigo e "TIO' Flávio Anselmo estive presente na inauguração do Estádio Independência e pude constatar "in loco" todos esses fatos que você narrou, além de muitos outros que me chamaram a atenção como o despreparo do pessoal de trabalho da BWM mais perdidos que cego no meio de tirotéio. Pensei que isso era em função de ser o primeiro jogo, mas depois do jogo do Atlético contra o América meu amigo LECO que é deficiênte chegou no trabalho no dia seguinte relatando os absurdos acontecidos com ele durante o jogo, e olha que é um DEFICIENTE, o banheiro para uso dele, pasme estava TRANCADO e o pessoal de serviço não sabia onde estava a chave, simplesmente ridículo e inaceitável, além de ele ter que assistir todo o jogo em PÉ com sua muleta, pois o desrespeito dos torcedores assistindo os jogos em pé. Fico me perguntando como uma pessoa que paga caro e têm um tratamento desse? E os monitores que são quase 150 funcionários pagos para evitar esse tipo de coisa o que estão fazendo lá? Só enchendo o borderô de despesas do jogo fato, e a PM que quando é solicitado dizem que não é problema seu. será que teremos que esperar uma TRAGÉDIA lá para que as Autoridades tomem as devidas medidas? Fica aqui meu relato.

De Reginaldo Souza – BH ( assíduo colaborador, porém com um assunto diferente) - Flávio Anselmo, você foi modesto no comentário sobre o Guilherme, tão questionado pela torcida do glorioso Galo Mineiro. Tem feito partidas de encher os olhos. É o tal camisa 10 que o Galo tanto procura. Ele foi de uma lucidez incrível, com lançamentos rápidos e precisos, boa visão de jogo. Contra o América fechou o meio e só para não dizer que foi perfeito, faltou chegar um pouco mais perto da área. Ao contrário, nosso Bernard não está jogando nada, principalmente no segundo tempo. Defendemos sempre os garotos da base, mas nessas horas de decisões, somem. Mancini entrou e fez melhor em pouco. É bom ressaltar também o bom futebol do miolo de zaga: Lima, Daniel Marques e o sempre bom, Réver. Ao contrário do que você disse, não foi o Coelho que jogou mal não, foi o meu Galo que soube encaixar a marcação e engoliu o "Mequinha" em boa parte do jogo de ontem. Como diz Adilson Batista, "vamos aguarrrdarrr" domingo o jogo decisivo, naquele bom e velho churrasco para as mamães queridas. Se me permite: Beijo Dona Preta (claro,minha mãe). Abraços para você, filho da Dona Geralda.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.