domingo, 10 de junho de 2012

CRUZEIRO VENCE DE NOVO E SOBE PRA QUINTO LUGAR


                           Fabinho entrou como titular em Varginha. (Foto de Paulo Filgueira/DA Press/EM)
Foi a sua última apresentação fora da Capital. O Cruzeiro volta pra casa com a segunda vitória seguida e oito pontos na classificação. Melhorou o clima na Toca da Raposa que vinha morno com os dois empates iniciais.
Foi, também, a primeira vez que encontrou pela frente seu ex-treinador Wagner Mancini, agora no Sport. A vitória por l a 0, no Estádio Melão, em Varginha, será registrada apenas como dever de casa feito sob prudência.
Montillo atuou na armação. Fabinho na ponta e Everton na lateral esquerda, ou seja, a equipe da virada diante do Botafogo.
0s goleiros Fábio de um lado e Magrão, do outro, destacaram-se bastante no segundo tempo. Na  fase inicial não fizeram uma defesa sequer, período em que o jogo deu sono na lentidão das equipes.
O único gol do confronto só saiu aos 24m do segundo tempo, quando Everton trombou com Bruno Aguiar, na área, e o árbitro Raphael Claus viu como falta do defensor. Pênalti e cartão amarelo. Convém conferir nos programas de televisão pra não se ficar na dúvida. Wellington Paulista, cobrador oficial, bateu com classe: Cruzeiro l a 0.
Ah, devo destacar que alguns minutos antes, Celso Roth decidiu tirar Tinga e colocar Anselmo Ramon, de novo. Então na sequência os azuis marcaram o gol da vitória.
No próximo sábado, os celestes voltam ao Estádio Independência e recebem o Figueirense.

Errei o comentário publicado no meu site sobre os prejuízos do Atlético no jogo contra o Palmeiras em São Paulo.
Quase salvei a pele do juiz Márcio Chagas da Silva por descuido: foi ele o responsável pela anulação do que seria o segundo gol de Jô, lançamento de RG-49.
Quem anulou este lance com a bola já nas redes foi o soprador de apito. O bandeirinha Carlos Henrique anulou o gol de Rafael Marques, anotando impedimento.
Na verdade, o Galo foi espoliado no Pacaembu. Devia trazer de lá o placar de 3 a 0, pelo menos.

Penso que a torcida devia dar uma folga ao goleiro Geovani. Foi preciso nos momentos certos e teve sorte nos momentos errados. Duas bolas de Marcos Assunção acertaram o travessão.

Alexandre Kalil não foi a São Paulo. Preferiu Beagá e acompanhar a grande atuação do time pela televisão. Com certeza, o Urso Bravo gostou – não só da vitória, claro – das suas duas apostas.
Ronaldinho Gaúcho deu espírito de grandeza à equipe. Seus dribles, chapéus e lançamentos lhe deram a posição de maestro, bastante aplaudido e comemorado.
Jô fez também a sua parte: botou bolas nas redes adversárias de novo. Pena que apenas uma valeu. A outra foi surrupiada.

Preparem-se brasileiros para festejar a Copa das Confederações ano que vem. Além de nós, hospedeiros, e Uruguai, campeão da Copa América, outra seleção garantiu sua vaga.
A poderosa seleção do Taiti, classificada no grupo da Oceania. É bem provável que a Fifa nos mande de presente a colorida equipe taitiana.

O time do Vasco, com aproveitamento de 100%, líder do Brasileirão, na vitória em cima do Bahia, no Estádio do Pituaçu, mostrou duas pinturas clássicas: o primeiro gol de autoria de Juninho Pernambucano, na cobrança de falta à entrada da área.
Bola chutada por ele passou dois centímetros acima das cabeças na barreira, no momento em que elas pulavam. E entrou no ângulo esquerdo do goleiro Marcelo Lomba. Como arremesso de três pontos de Michael Jordan,  em que a bola entra na cesta e as redes nem se mexem. De xuaá!

Náutico e Botafogo fizeram o Estádio dos Aflitos ficar aflito por quase duas horas. Emoção pura! O Timbu abriu 2 a 0 com Araújo e Lúcio no primeiro tempo. O Botafogo reagiu, empatou e passou a jogar contra 10,  O Náutico teve um jogador expulso.
Vai ter virada, cantava o narrador e o comentarista do Sportv, como sempre, à frente da lógica e da imparcialidade.

Teve o quê. O destino conspirou contra. O Fogão teve o bom lateral esquerdo Márcio Azevedo expulso. O menino Vitor Júnior – lembram-se dele, quase matou o Cruzeiro no Engenhão? – foi escalado pra jogar na posição. Fez uma lambança geral.
Aos 38m, foi atrasar a bola para o goleiro Milton, de pé direito que só usa pra pisar na embreagem, e tocou fraco. Derley, do Timbu, entrou no meio, driblou o goleiro botafoguense e fez o resultado final: 3 a 2. Segunda derrota dos cariocas e pelo mesmo placar.

Enquanto a Eurocopa tira as atenções gerais, com jogos de ótima qualidade como Espanha l x 1 Itália; Croácia 3 x l Irlanda e promete muito mais neste início de semana, o futebol Brasileiro reserva a decisão da Copa do Brasil. Tem cara de dar o hepta ao Grêmio.
A semifinal começa nesta quarta-feira com Grêmio e Palmeiras, no Olímpico. Pelo que se viu do Palmeiras contra o Galo pode-se imaginar como será na noite fria gaúcha.
O São Paulo é outro grande candidato ao título e pega o Coritiba na quinta-feira. Uma final entre o time de Emerson Leão e o de Vanderlei Luxemburgo não está longe da previsão.

A Editora Nelpa me comunica que receberei esta semana a “boneca” de meu livro infanto-juvenil, “Tarzan mora no quintal do vizinho” pra revisão final. Calculo que será lançado em julho. Ótimo!

Não custa nada estabelecer a verdade pra tranqüilizar o torcedor. Não que, necessariamente, ele se preocupe com tal coisa. Quer mesmo seu time ganhando ainda que os salários estejam em atraso.
Contudo,  é horroroso ler no twitter e nos sites, ouvir nas emissoras de rádio, que o Cruzeiro não paga salários há dois meses. Por isso, Montillo está cabisbaixo e de poucas palavras.
Esse tipo de informação a gente tinha se acostumado a não ver, ou ouvir, mais. No Galo, principal fonte das más notícias financeiras, acabou com isso. Anda absolutamente em dia.
Dizem que no América o negócio tem funcionado também. Pode até atrasar alguns dias, mas meses como antes, não. O Cruzeiro era exemplo no Brasil e todo mundo queria jogar aqui. Acabou.
Segundo os bocas azedas boa parte dos disponíveis no mercado ao serem consultados sobre transferência pra Toca da Raposa II agradecem.  A grana não anda no dia combinado.
Caso seja mentira convém o presidente Gilvan Tavares, ou o diretor Alexandre Matos, convocar a imprensa e mandar recado pra banda podre. O Cruzeiro está em dia e de bem com a vida. Ponto.
Se o clube tiver que vender alguém pra aliviar a folha que venda. Se precisar dispensar mais, que dispense e aprenda a conviver com uma fonte inesgotável de esperança. A turma da base. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.