terça-feira, 31 de julho de 2012

SUL AMERICANA COMEÇA PRA TURMA BRASILEIRA


 

Além do jogo previsto para hoje à noite, entre Grêmio x Coritiba, no Olímpico de Porto Alegre, a Copa Sul Americana em sua fase brasileira terá mais três jogos nesta quarta-feira. Palmeiras x Botafogo; Bahia x São Paulo; Atlético-GO x Figueirense. O interessante é que, apesar de reservar uma vaga na Libertadores do ano que vem, um objetivo a mais nesta desfigurada e maltratada competição continental, os times tupiniquins insistem em não prestigiá-la e em valorizar mais o Brasileirão. O Botafogo já anunciou um time misto contra o Palmeiras na Arena Barueri. Quebrado do jeito que mostrou em Belo Horizonte, contra o Cruzeiro, com certeza, também o Palmeiras irá cheio de reservas.




PROVOCAÇÕES DESNECESSÁRIAS


                                                  Foto de Rodrigo Clemente/EM/DA Press
O que Alexandre Kalil faz atualmente em suas provocações ao Cruzeiro, como aquela que seu “objetivo é acabar com o arquirrival e fazer do América o segundo clube de Minas”, e esta agora na Câmara Municipal quando disse que “a inveja é uma merda”, é lançar na mídia meras frases de efeito, sem nenhum sentido.

Com certeza, não terão resposta do presidente Gilvan do Pinho Tavares. Kalil ataca recuperando o tempo perdido, porque com o ZZ Senador a briga subia o clima, e as respostas sempre vinham. Ou através de ZZ ou de Valdir Barbosa. Atualmente, até o Valdir anda contido. Gilvan, parece-me, não ser do tipo que debate ilações publicamente.

Penso ser uma grande besteira tal discussão que não acrescenta nada ao futebol e nem melhora ou piora a credibilidade da Câmara Municipal tão pródiga em fornecer cidadanias honorárias a qualquer um que se instale definitivamente, ou de passagem, pela esburacada Beagá.

Proveito mesmo a idéia do vice-presidente atleticano e autor da emenda que homenageou RG-49, Daniel Nepomuceno – bela cartada de marketing político – tirarão outros nobres edis da Casa.

Não sei se a lei eleitoral ou os estatutos da Egrégia (sic) Câmara permitem, mas, de repente, com base nessa emenda um deles resolva homenagear Walter Montillo, ídolo do Cruzeiro, argentino e belorizontino de coração conforme tem declarado sempre.

No entanto, a última declaração de Kalil é uma acusação séria: “Larguem a inveja. Isso não faz mal a ninguém. Isso não é pegar propina para construção”. A carapuça serviu em quem? Surgirá nas especulações ou Kalil apontará o dedo na direção do acusado.

segunda-feira, 30 de julho de 2012

GALO PERDE TRÊS FERAS PRA PEGAR FLAMENGO E NO CRUZEIRO ROTH TÁ PERTO DA MELHOR FORMAÇÃO


Os árbitros Fabrício Naves Correa, do jogo Cruzeiro e Palmeiras (2 a 1), e Rodrigo Bragetho, mais o seu assistente Vicente Romano Neto, de Fluminense 0 x Atlético 0, com certeza serão punidos com afastamento em algumas rodadas do Brasileirão. Afinal, pisaram nos calos de gente importante, tricolores cariocas e palestrinos da Paulicéia Desvairada.

Claro que uma coisa não justifica a outra: tento me lembrar aqui quando os times mineiros foram beneficiados, na mesma rodada, com erros de arbitragem? Não consigo.
 


Kalil ficou na dele: "o chororô é livre; já nos roubaram demais..."


Algumas vezes, a gente nem reconhece a falibilidade dos árbitros, nem perante todo este esquema tecnológico de agora. Eu não confessei que do lance cantei na hora “pênalti” em favor do Cruzeiro

Diante das reclamações dos atletas palmeirenses, que julguei equivocadas, só me convenci no repeteco, ao ver que a falta existiu, mas fora da área. Nenhum dos demais árbitros, na bandeira, ou atrás do gol, soprou pra Fabrício Naves Correa que a jogada ocorrera fora da área. Ou seja, erro da turma toda. É perdoável? Não. O árbitro estava longe do lance e pecou por não acompanhar mais de perto o contra-ataque do Cruzeiro.

No caso do segundo gol de Borges, o impedimento de Wallyson também só ficou claro pra todos os entendidos após a entrada em campo do famoso tira-teima. Na hora do lance, alguns pitaqueiros informaram que o calcanhar do fulano dava condições, outros diziam que a língua de Wallyson estava adiantada.

O tira-teima pegou Wallyson retornando do impedimento e pegando a sobra do chute de Tinga que resvalou na zaga. Isso não tira o impedimento. Portanto, irregular, também, este gol. Aquele gol do Palmeiras no final, marcado por Artur, salvo engano, sem contestação a sua anulação. Totalmente impedido.

Lá no Engenhão, impedimento difícil de ser marcado. O bandeirinha que anulou o lance, Vicente Romano Neto, arriscou e se deu mal. Até então acertara todos outros impedimentos. Errou nesse que nos deu, pra nós, sopradores de apitos eventuais, em casa, com o auxílio do tira-teima, também o direito de gritar que nem os analistas da máquina de fazer doidos: O ASSISTENTE ERROU AO DAR O IMPEDIMENTO. Eu gostaria de ver igual entusiasmo e certeza de cara limpa, lá no estádio, longe dos repetecos, dos tira-teimas e da parafernália tecnológica.

Fred (foto) estaria em posição legal, porque o calcanhar de Rever lhe dava condições e o assistente não viu isso. O tira-teima da Rede Globo viu. Santo Deus, quando eu voltar a apitar futebol quero um aliado desse ao meu lado o jogo todo. 

Espero que tais acontecimentos não tragam no futuro, além das punições aos árbitros, nenhuma outra consequência de favorecimento aos ofendidos deste domingo, como compensação. Que, aliás, no caso do Palmeiras, aconteceu na própria partida com a marcação do pênalti inexistente de Victorino em Barcos. Lance normal, nada a apitar, diria Arnaldo César Coelho

Os torcedores do Atlético reclamam pênalti em favor do seu time no toque de mão de alguém da zaga tricolor. O mesmo tipo de lance aconteceu com Danilinho no segundo tempo, por coincidência no mesmo local, e ninguém reclamou nada. Lance típico de bola na mão.

Mero palpite meu, que não mudará a história da partida, e nem colocará o Galo mais líder do que agora. Não sei por que da revolta de uns imbecis que não aceitam a minha opinião e partem pra agressão verbal. Não sou dono da verdade não; se vocês tiverem melhores argumentos e lances de tevê mais conclusivos, mudo a minha opinião.

Saí do contexto da coluna de hoje. Me perdi em análises desnecessárias visto que esses assuntos foram bem explorados pelas redes nacionais. O tema que pretendo explorar não tem nada a ver, em que pese, no caso do Atlético, os desfalques de Danilinho e Pierre para o jogo contra o Flamengo no próximo final de semana, no Engenhão, são resultados de cartões amarelos. Bem aplicados ou não. Também estará de fora o lateral Júnio César, por razões contratuais: pertence ao clube da Gávea e encontra-se emprestado ao Galo.
Cuca tem outros nomes pra reposição. O elenco do Galo foi montado para tais ocasiões, numa competição difícil e longa. As contusões e as suspensões são previstas.

Qual seria a opção de Cuca, nesses casos? Como transformou Felipe Soutto em bibelô de banco de reservas, raramente lança o garoto até com a partida definida, me parece lógico que optará por Serginho no caso de Pierre, recuando Leandro Donizete. Penso que Guilherme será o substituto de Danilinho, sem as mesmas características. Então pode acontecer: Soutto na vaga de Pierre, recuando Donizete e Serginho na de Danilinho pra manter o esquema tático do lado direito sem alteração. Especulações da Trincheira!

Falta o lado esquerdo, o de Júnio César. Não creio que Cuca queira inventar qualquer coisa. Deve apenas colocar Richarlyson por aquele setor, com cobertura do meio-campo, aí porque penso que a escalação de Felipe Soutto, canhoto, seria bem mais legal. 

TIME QUASE ENCONTRADO

Caso Celso Roth fosse treinador paciente feito Telê Santana e atento às divisões de base, ruminando e engolindo as prerrogativas dadas aos técnicos de contratar quem lhes interessa, sem tomar conhecimento se trarão resultados financeiros no futuro ao clube que lhe paga, estaria bem perto de chegar ao time ideal do Cruzeiro. Dividira a razão em partes, sem ser o dono absoluto da verdade. Por exemplo, levaria os meninos Lucas e Elber no banco. Quando os velhinhos cansassem como ocorreu contra o Palmeiras, lançaria mão deles de pulmões descansados.

No lugar de Walyson teria colocado Elber, descansado e com velocidade mil. Nada de William Magrão. No lugar de Tinga, pregado, o menino Lucas. Cansou o Borges? Aí não. É do Wellington Paulista. Dois fundo de campo com o mesmo estilo. Anselmo Ramon é pra outra ocasião. Pode até ser na troca com Walyson e guardar Elber para o lugar de Montillo se o argentino pregar. Aliás, ele nunca pregou. Sempre correu bastante até o fim.

Neste domingo, porém, após ótima atuação em quase toda a partida, Montillo botou a língua pra fora nos últimos 15m. Estaria ocorrendo algo?


Celso Roth (foto de Rodrigo Clemente/ EM/DA Press) encontrará ainda neste campeonato o time ideal do Cruzeiro? 

Gostei das atuações dos dois zagueiros – Victorino e Thiago Carvalho. É preciso que eles tenham ritmo de jogo, coisa difícil de acontecer, também, com o comando de Roth. Aliás, sobre essa ansiedade do técnico cruzeirense na busca imediata de uma equipe, o repórter Gustavo Andrade, do Superesportes, fez excelente levantamento. Peço vênia pra publicar parte dele:

“Entre desfalques e opções técnicas, a escalação do Cruzeiro alterou bastante nas duas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro. Em busca da formação ideal, o técnico Celso Roth utilizou 20 jogadores nas partidas contra Corinthians e Palmeiras.

Nos jogos com as equipes paulistas, a dupla de zaga mudou completamente. Diante do Corinthians, Leo atuou ao lado de Mateus. Os dois jogadores não puderam enfrentar o Palmeiras e, assim, Roth escalou Victorino e Thiago Carvalho na vitória sobre o time alviverde.

O meio-campo também sofreu duas mudanças nas formações que entraram em campo nas duas últimas rodadas. Sandro Silva foi titular pela primeira vez contra o Corinthians, mas recebeu o terceiro cartão amarelo naquele jogo. Ele deu lugar a Charles diante do Palmeiras. Já o volante Tinga, que havia sido reserva no Pacaembu, ganhou a vaga de Willian Magrão no duelo disputado no Independência.

No jogo em casa, Roth alterou também o ataque. Wallyson, que havia ficado ausente nos quatro jogos anteriores, recebeu nova chance. Dessa forma, o artilheiro da equipe na temporada, Wellington Paulista ficou entre os reservas.

Quando Roth decidiu acionar o banco de suplentes diante do Corinthians, Fabinho e Marcelo Oliveira foram a campo. Já contra o Palmeiras, Anselmo Ramon teve chance durante o segundo tempo.

Em meio à série de mudanças, oito jogadores enfrentaram tanto Palmeiras quanto Corinthians: Fábio, Ceará, Diego Renan, Leandro Guerreiro, Willian Magrão, Montillo, Souza e Borges”.

Não será desta forma que o nosso estimado gauchão encontrará o seu time ideal.

domingo, 29 de julho de 2012

DESSA VEZ APITO AMIGO ESTEVE DO LADO DE CÁ E AJUDA GALO EMPATAR NO RIO


Pela qualidade técnica baixa da partida, cheia de faltas e paralisações, chutões pra cima, tentativas de ligação direta, poucos lances de área, porém com o Atlético tendo maior posse de bola, a ajuda do bandeirinha Vicente Romano Neto assinalando impedimento de Fred, aos 43m do segundo tempo, praticamente tirou a vitória do Fluminense.

Por tratar-se de dois times que lutam pelos primeiros lugares do Brasileirão eu esperava mais de Atlético e Fluminense. Só não foi sonolento em razão da quantidade de passes errados, porque houve bastante empenho – e até com algum exagero – dos jogadores de ambos os lados. O árbitro paulista – um desconhecido – Rodrigo Braghetto bem que tentou impor-se. Sem sucesso. Distribuição cartões amarelos à vontade.

O jogo foi pra lá de estranho. O Atlético teve maior posse de bola e chegava mais à entrada da área tricolor. No entanto, Gum, Leandro Eusébio e Digão aferrolharam a entrada da área. O Flu usava a arma do Galo: vem cá que vou lá no contra-ataque. Tanto assim que foram de Victor as duas defesas mais difíceis do confronto: uma cabeçada de Wellington Nem, na sua cara, e uma defesa notável, de puro reflexo do goleiro atleticano, no primeiro tempo. No segundo, Fred escapou sozinho e chutou à esquerda de Victor que praticou outra grande defesa. Além do gol mal anulado.

Fora a disputa renhida e as atuações seguras dos zagueiros Gum, Leandro Eusébio e Digão do lado carioca; Léo Silva, Rever e Pierre, o jogo teve pouquíssima coisa. No apito final, a comissão técnica do Flu, sem Abel Braga, entrou em campo pra justiçar o bandeirinha Vicente Romano Neto. Mero jogo de cena, pois sabem que isso só seria possível nos meus tempos de Estádio Doutor Maninho, em Caratinga. Aliás, seria até bom que a CBF aplicasse corretivo no Flu tirando-lhe alguns mandos no Engenhão a fim de diminuir o número de jogos naquela praça e melhorar o estado do gramado. Horrível.

Com 32 pontos, depois do empate, em 13 partidas, o Galo volta ao Rio e talvez ao próprio Engenhão pra enfrentar o Flamengo no sábado dia 04 de agosto. O Mengo de Dorival Junior jogou nesta rodada no Morumbi e levou a goleada de 4 a 1 do São Paulo de Ney Franco. O Fluminense pega no próximo domingo, dia 05, uma parada indigesta em Curitiba, contra o Coxa de Marcelo Oliveira em franca ascensão. Enfiou 2 a 1 no Grêmio neste domingo e subiu na classificação geral agora com 15 pontos.



APITO CONFUSO (MEIO AMIGO, MEIO INIMIGO) TAMBÉM NA VITÓRIA DO CRUZEIRO





Foto André Guzanshe - EM/DA Press

Confesso que a embrulhada feita por Celso Roth durante a semana, com a escalação recheada de dúvidas, levou-me, também, a questionar a possibilidade de o Cruzeiro vencer o instável time de Felipão. No entanto, a escalação apresentada na hora da partida, no Independência, agradou-me. Não que eu quisesse Walyson. Só não aceitava dois centroavantes. Borges ficou mais à vontade no seu quadrado, com Walyson ocupando as beiradas do campo.

Tinga preencheu muito bem a posição de armador, bom reboteiro; a zaga de Victorino e Thiago Carvalho funcionou melhor que a titular. Outra volta importante foi de Ceará ocupando a lateral direita. Ele e Diego Renan fizeram ótima boa partida.

Montillo, esteve bem, só me pareceu cansado no final de tanto correr e criar jogadas. Porém foi mal substituído por Souza. Também a saída de Walyson para entrada de William Magrão não rendeu o esperado. WM prendeu demais a bola ao avançar, a perdia e armava perigosos contra-ataques para o Palmeiras.

O Cruzeiro jogou tranquilo o tempo todo e chegou a 2 a 0 com a boa ajuda da arbitragem de Fabrício Neves Correa. O pênalti que Montillo sofreu aos 34m do primeiro tempo não existiu. O lance aconteceu fora da área. Borges cobrou com sucesso. Cruzeiro, 1 a 0. Houve antes uma bola na trave chutada por Ceará na cobrança de falta.

Pensei comigo no intervalo: alguém soprará pra este juiz que o pênalti foi mal marcado e ele dará a compensação. Ainda bem que a compensação aconteceu quando o Cruzeiro vencia por 2 a 0, outro gol de Borges, numa jogada criada por Montillo pela esquerda, aos 10m. Quiseram inventar um impedimento no lance. Suspeitaram que a língua de Walyson estivesse pra fora e que o juiz devia dar impedimento. Que besteira, gente! Gol legal. Cruzeiro, 2 a 0, de novo Borges.

Mas o pênalti em favor do Palmeiras, aos 24m, que Barcos transformou no gol do Verdão não existiu também. A tal compensação que, mesmo assim, não agradou aos paulistas. Quase os atletas paulistas bateram no árbitro após o jogo. No lance Victorino disputou a bola meio desajeitado com Maicon Leite e ambos caíram. Nada a marcar. Mas o soprador de apito deu pênalti.

A partir daí o Palmeiras foi todo ao ataque, cheio de homens de frente, enquanto as substituições do Cruzeiro, nem Anselmo Ramon no lugar de Borges, surtiram efeito. O maior susto veio a minuto do final,  na prorrogação; numa das muitas faltas imbecis que William Magrão cometeu, a bola voou pra área e Maicon Leite marcou de cabeça. Impedimento, segundo o assistente Roberto Braatz e confirmado por nós. Houve sim. Bom, valeu pela vitória, o Cruzeiro sobe pra quinto lugar, com 23 pontos,um apenas atrás do Grêmio, quarto colocado. Seu próximo jogo será  em casa de novo, contra a Ponte Preta.

 Brasil levou apenas um susto, nada mais do que isso, ao tomar o gol da Bielorrússia na abertura do marcador, em sua segunda partida na fase classificatória das Olimpíadas. Aliás, gol de brasileiro naturalizado, o catarinense Renan. Pouco depois, Alexandre Pato empatou; Neymar, de falta, fez 2 a 1 e Oscar encerrou a brincadeira, após receber magistral passe de calcanhar da Jóia santista. Ou seja, o Brasil com seis pontos está classificado e faz a última partida apenas pra saber se será o primeiro do grupo. Amanhã, vou escrever mais sobre o nosso futebol nas Olimpíadas.  

Estou bem preocupado com a semana do América. Participa da abertura da 14ª rodada da Série B nesta terça-feira, às sete e meia da noite, contra o Joinville, no Estádio Independência. Penso que o time se perder outra vez, como aconteceu em Varginha, diante do Boa Esporte( 2 a 1) despenca pra fora do G-4.O Goiás, quarto colocado, apenas um ponto atrás do Coelho, recebe o ABC no Serra Dourada. Qualquer tropeço americano ele pula na frente.

Vale lembrar que o Joinville está em sétimo lugar e numa fase de recuperação. Venceu o América-RN por 1 a 0 na última rodada, em Santa Catarina. o time potiguar, tem 23 pontos, e está na cola do Coelho. Joga em casa contra o Grêmio Barueri.

O goleiro Rodrigo  pegou até pênalti cobrado por Pedro Júnior do Vila Nova, e o Tupi conseguiu bom resultado em Goiânia, no Estádio Serra Dourada, sábado, ao empatar em 0 x 0 com  o Vila Nova local. Mesmo com o ponto conquistado, o Galo continua na lanterna do Grupo B da Série C, somando dois pontos, mas faz duas partidas seguidas em nos  próximos sábados, contra o Santo André, e o Brasilense.. “É o início de um recomeço”, definiu o técnico estreante Felipe Surian.


sábado, 28 de julho de 2012

NO RIO, GALO PODE DISPARAR HOJE NA LIDERANÇA


Elogiado no site da Fifa "por seu futebol irresistível e o melhor início de campeonato na era dos pontos corridos, entre todos os participantes", o Atlético tem enorme chance de botar três pontos de novo na frente do segundo colocado - o Vasco, que empatou ontem em Porto Alegre com o Internacional ( 0 a 0) - e empurrar o Fluminense, adversário desta tarde, no Engenhão, pra mais longe de seus calcanhares. 
Este jogo, apesar de ser mais um no Brasileirão, com valor de pontos igual aos demais, mereceu tanta atenção na Cidade do Galo que a delegação foi para o Rio de Janeiro na sexta-feira de manhã. Não é moleza não, Cuca comandou um treino físico no próprio hotel onde a delegação se encontra, na manhã de sábado.

Abel Braga afirmou que o time do Atlético todo merece atenção, contudo não pode negar que RG-49 é diferenciado e terá atenção especial. 

O Galo é o primeiro, e o Fluminense, o terceiro colocado. Porém, mesmo com uma eventual vitória do time do Rio de Janeiro, o alvinegro não será ultrapassado pelo tricolor carioca.  Como o Vasco empatou, não existe risco da liderança sair de Minas Gerais. Cuca esconde a escalação de charminho, porque não deve ser diferente daquele que bateu o Santos, exceto, talvez, pela volta de Leandro Donizete no meio-campo. A TV Globo mostra este jogo em HD pra quem tem muito pra gastar e na tevê dos pobres, também. 

CRUZEIRO JÁ ENTRA CONTRA PALMEIRAS PERDIDO NA CABEÇA DE ROTH


Quem acertar o time que Celso Roth pretende escalar neste domingo no Independência contra o Palmeiras ganha um pirulito. O perdido treinador relacionou 20 atletas, entre eles o desafeto Victorino. Uma relação que dá pra montar um bom asilo de velhinhos. Como sempre, dentro da sua curta visão de futuro, não chamou nenhum menino da base. Inclusive Elber. Sua cabeça está cheia de dúvida, com esta lista de jogadores à meia-bomba, e os inteiros jovens fora dela.

Ceará sente dores na coxa direita; Rafael Donato, com uma fratura no nariz, e Mateus, ainda gripado. Caso Mateus e Rafael Donato não tenham condições Roth terá como opções Victorino e Thiago Carvalho. Leo, titular do setor, cumpre, assim como o volante Sandro Silva, que nem jogou direito e já levou três cartões. Se Ceará ficar de fora, Diego Renan começa na lateral direita e Marcelo Oliveira (arre!) na esquerda.

O meio-campo provável deve
contar com Leandro Guerreiro, Charles – livre de suspensão ( que azar!), Willian Magrão (ou Tinga) e Montillo. A outra dúvida da equipe tá na frente: Wallyson ( Senhor Bom Jesus!) treinou ao lado de Borges. Não desprezem, porém, Wellington Paulista. (Que tristeza, a dupla de novo).O time provável: Fábio; Ceará (Diego Renan), Mateus (Thiago Carvalho), Rafael Donato (Victorino) e Diego Renan (Marcelo Oliveira); Leandro Guerreiro, Charles, Willian Magrão (Tinga) e Montillo; Wellington Paulista (Wallyson) e Borges. E Celso Roth imagina que assim poderá derrotar Felipão, porque joga com apoio da China Azul. Que Deus o ouça!






( Alto comando reunido, discute a formação do Cruzeiro hoje: Tinga, Roth e Guerreiro - foto de Rodrigo Clmente/EM-DA Press)

CRUZEIRO E MINAS GERAIS PERDEM DOMINGOS COSTA

Por pouco Domingos Costa, ( abaixo, na foto de Jair Amaral/Em/DA Press) conselheiro dos mais estimados, não assumiu a presidência do Cruzeiro, em substituição a ZZ Senador. Um grupo de cruzeirenses admiradores da competência e seriedade do empresário, presidente do Grupo Massas Vilma, trabalharam sua candidatura e encontraram resistência no próprio Domingos. O Cruzeiro perdeu um enorme conselheiro no acidente aéreo perto do aeroporto de Juiz de Fora para onde Domingos, o diretor de Marketing, César Tavares e mais oito pessoas se dirigiam a fim e participar de uma conferência da Fiemg. O luto do Cruzeiro estende-se a todos os desportivas e admiradores de Domingos, entre os quais me incluo. Lamentável. 





quinta-feira, 26 de julho de 2012

GALO CHEGA A 7ª VITÓRIA COM PÚBLICO RECORDE NO NOVO INDEPENDÊNCIA



Vamos esquecer os erros do fraquíssimo árbitro Antônio Morais e até do laureado assistente Roberto Braatz, que tiraram, pelo menos, um gol do Atlético e fiquemos tão-somente no futebol rápido, convincente e de marcação coletiva que o time mostrou contra o Santos. O placar de 2 a 0 não foi a conseqüência de tudo isso. Poderia ser mais dilatado, não fossem os erros da arbitragem e a falta de pontaria dos atacantes.


(Marcos Rocha cada vez melhor: foto Michelin/DA-EM)

A partida foi de bom nível, valorizada pela equipe santista, cheia de desfalques importantes. Houve bolas na trave dos dois lados, defesas difíceis e destaques individuais como Danilinho, Marcos Rocha, Rever e Pierre pelo lado dos mineiros; Arouca e Henrique, dos paulistas.

Vejam como funcionou bem o coletivo do Galo. No primeiro gol, a mexida geral desnorteou a defesa do Santos. Pierre apareceu pela ponta-direita, atravessou a bola até Marcos Rocha na ponta-esquerda. Notaram? O cruzamento deste pareceu um passe de basquete, com as mãos; Danilinho, por dentro, quase na função e Jô, mandou a bomba de pé direito. Galo, l a 0.

Aos 14m do segundo tempo, Marcos Rocha cruzou para Bernard na pequena área e ele, em posição legal, fez o gol. Roberto Braatz marcou impedimento. Cruzes! Não teve como anular o segundo gol.

De novo Marcos Rocha: tomou a bola de Léo, cruzou na área. As torres gêmeas estavam lá esperando a cobrança de uma falta anterior. Léo Silva cabeceou, Aranha soltou e Rever marcou. Final, Galo 2 a 0, 31 pontos, mantido na liderança isolada e pronto pra pegar o Fluminense neste domingo no Engenhão.

O Independência bateu recorde de público no campeonato com 20 mil pagantes. O Atlético atingiu outra marca importante. É o time de melhor campanha na era dos pontos corridos ao chegar na 12ª rodada.

E pelo amor de Deus, amigo Bob Faria: a retórica de comentarista global precisa ir além de “encaixar, encaixado, encaixou”, verborréia de empombados treinadores e boleiros papagaios. Pior que o “consistente” do Paulo César Vasconcelos e que o “Será?” de Rogério Correa. Conselho de admirador e velho amigo da família.

Na hora do jogo de estréia do Brasil nas Olimpíadas de Londres eu andava pela Avenida Prudente de Morais a fim de resolver problemas de falta de dinheiro contumaz aos aposentados do Ipsemg e do INSS:  benefícios caem no dia certo, mas acaba sempre sobrando mês neles.
Pode-se ver que eu não tinha a menor preocupação com o resultado da partida. Perguntei ao José Pedro, simpático zelador de um prédio, fone no ouvido, acompanhando o Caixa na Itatiaia:
“Quanto tá essa coisa aí?”.
Entusiasmado, respondeu:
“Fácil, 2 a 0 pra nós”.
Na volta da CF e do BB, resolvi conferir:
“Mudou alguma coisa?”
Ainda alegre Zé Pedro respondeu:
“Tá sob controle. Eles marcaram um, mas a gente continua na frente agora com 3 a 1”.

Fiz-lhe sinal de positivo e me mandei pra casa. Lá nas grimpas da esquecida zona norte do Santo Antônio, onde o prefeito Lacerda não vai de jeito maneira, apesar de ser parte de um dos bairros elegantes da zona sul, e aqui moro dependurado nas encostas esburacadas da rua Abre Campo, nem me lembrei de ligar a TV na Record.
Fui direto ao velho e superado micro, que engasga e desliga mais do que toca pra frente. Na Internet, máquina de fazer doido, vi o placar final: 3 a 2. Céus!

Depois de pegar no tranco nos primeiros minutos a Seleção de Mano Meneses, que deveria ser de Ney Franco, arriou a bateria. Deu apenas pra passar com susto pelo poderoso Egito.  

A Bielorrússia, integrante do mesmo bloco brasileiro, estreou com 1 a 0 na Nova Zelândia e ocupa com o Brasil, líder pelo número de gols marcados, as duas primeiras posições do Grupo C. No domingo de manhã o escrete brasileiro, em Manchester, volta aos gramados pra pegar o time do leste europeu. Pelo que vi da primeira rodada, o futebol das Olimpíadas promete. Desde que o time de Mano não tenha novo apagão!

Pra quem dá valor à competição – e os clubes brasileiros costumam brigar por uma vaga nela e depois a menosprezam escalando times mistos nos seus jogos – Danúbio do Uruguai e Olímpia do Paraguai abriram na última terça-feira a 11ª edição da Copa Sul-Americana. Este ano com número recorde de participantes: 47.
A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) abriu mais outras oito vagas : uma a mais para Bolívia, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai, Venezuela e Chile, que agora terão quatro times cada.
O Brasil continua sendo o país com mais clubes envolvidos: oito representantes, seguido pela Argentina, com seis. O Universidad de Chile, campeã de 2011,  entra direto nas oitavas de final.
Botafogo, Palmeiras, Grêmio, Coritiba, Bahia, São Paulo, Atlético-GO e Figueirense disputam o título inédito da competição, que pelo terceiro ano consecutivo dará ao ganhador uma vaga na Taça Libertadores da América no ano seguinte. Os times brasileiros entram na segunda fase e se enfrentam em modo eliminatório, em jogos de ida e volta.
Palmeiras e Botafogo fazem o primeiro desses confrontos no dia primeiro de agosto, na Arena Barueri. O país só conquistou o torneio apenas uma vez, em 2008, com o Internacional, campeão invicto. O maior vencedor é o Boca Juniors, em 2004 e 2005.



TEM JEITO NÃO! CRUZEIRO JOGA MAL E ROTH ERRA MAIS AINDA

Apesar da arbitragem horrível deste gaúcho Leandro Pedro Vuaden, protegido da Comissão de Arbitragem da CBF, o Cruzeiro não pode reclamar nada da derrota por 2 a 0 diante do Corinthians, no Pacaembu, porque   mostrou futebol ridículo, abaixo da mediocridade do jogo anterior, quando, mesmo assim, conseguiu vencer o Flamengo (1 a 0) no Independência. Ninguém jogou nada, não foi mostrado qualquer instinto vencedor e o time, mal escalado, com alterações mal feitas, entregou-se inteiramente ao campeão da Libertadores. Mais triste é ver o treinador tão perdido quanto a equipe e um craque como Montillo arriado e amarrado no meio da ruindade geral. 
O primeiro gol de pênalti, cobrado por Chicão,( foto de Léo Barrilari/Frame/Folhapress) na fase inicial não mereceu contestação. Erro bobo de  Sandro Silva, que quis sair jogando dentro da área e errou no drible. Jorge Henrique tomou a bola e Sandro deu-lhe por trás. O árbitro Leandro Pedro Vuaden teve seu primeiro equívoco: deveria expulsar pelo segundo cartão amarelo, que não aplicou no volante celeste 
Nos 2 a 0, Paulinho acertou um chute de fora da área e Fábio fez desastrado golpe de vista, aos 48m. Roth mexeu no time de novo, voltou com a zaga Léo e Mateus, horrível, apavorada, dando chutões. A alegação de Roth ao tirar Sandro Silva ainda no primeiro tempo foi a de que tinha medo dele ser expulso. Mas colocou Fabinho no seu lugar em vez de outro meio-campista. Deu-se mal: Fabinho não jogou nada e saiu no segundo tempo pra entrada de Souza. Outra besteira. Um de seus centroavantes é que deveria sair: não jogaram nada. 
Com a vitória do Grêmio sobre o Fluminense( 1 a 0) - o time carioca perdeu sua invencibilidade no Brasileirão - os azuis ficaram a quatro pontos dos gaúchos, último time do G-4. O Cruzeiro agora está em sexto lugar, mesmo assim porque o São Paulo, surpreendentemente, perdeu em Goiânia por 4 a 3 para o Atlético local. Na próxima rodada, domingo, o Cruzeiro recebe o Palmeiras no Horto. 




quarta-feira, 25 de julho de 2012

GALO COMPLETO PARTE PRA FRITAR PEIXE NO CALDEIRÃO DO HORTO


Sem problema pra escalar o time e contando, ainda, com a volta de André entre os reservas, como outra excelente alternativa de jogo, Cuca manda o Atlético pra cima do Santos nesta quinta-feira com um único objetivo: vencer. A chance é enorme até mesmo em razão dos vários desfalques no time de Murici Ramalho. No momento, não é por conta desses desfalques que o Galo deve ser considerado favorito no Independência.Os números de ambos confirmam tal favoritismo.

Cuca relacionou 19 jogadores. André ficará como opção de banco, visto que Jô é titular agora. Dos 19 listados, no entanto, um deles será cortado e ninguém aposta num nome.

Os titulares são aqueles da goleada sobre o Náutico por 5 a 1. Ronaldinho Gaúcho (foto) chegou a preocupar durante a semana, porém foi liberado. Esse é um dos motivos que mantêm o Atlético na liderança – repetição da equipe.

Outra boa notícia: o Independência pode pegar público recorde. Foram vendidos 13.567 ingressos segunda-feira e mais 2.350 na terça. Em nenhum jogo até agora, o Galo teve público pagante superior a 20 mil. O recorde é do jogo Atlético x Internacional, 19.181 pagantes. Somados os ingressos vendidos e mais a promoção Galo na Veia – 5.288 ingressos – seriam mais de 20 mil torcedores.
  


MENINAS ESTREIAM BEM NAS OLIMPIADAS E QUINTA É DIA DOS MENINOS


No mesmo palco, Milenium Stadium, em Cardiff onde as meninas estrearam muito bem nesta quarta-feira, goleando Camarões por 5 a 0, os meninos de Mano Meneses entram em campo nesta quinta à tarde pra pegar o Egito. A festa de estréia das meninas teve Marta e Cristiane como estrelas.

Marta marcou duas vezes e na última delas uma bela jogada de Cristiane, que deu meia-lua numa zagueira, driblou a goleira e rolou para o meio da área deixando Marta livre de frente com a meta. Cristiane, também, marcou em completou 11 gols com a camisa canarinho, tornando-se a maior artilheira da equipe em Jogos Olímpicos.Renata Costa (foto) e Francielle completaram a goleada brasileira.

O São Paulo botará no seu cofre a pequena fortuna de R$ 2,97 milhões relativa aos 3,7% da negociação com o Chelsea pela venda do atacante Oscar (foto). O craque já rendeu boa grana aos paulistas. Há pouco tempo, o SP recebeu R$ 15 milhões do Internacional pra encerrar a pendenga jurídica por Oscar.

O valor da negociação entre o Chelsea e o Internacional teria girado em torno de 25 milhões de euros. Na negociação com o Inter e o jogador, o São Paulo recebeu R$ 9,5 milhões, que era a multa estipulada em contrato com término em dezembro de 2013, e mais R$ 5,5 milhões relativos a uma indenização de perdas e danos.

Querem mais? Lucas não deve retornar ao Morumbi depois das Olimpíadas. O Manchester United está em cima dele e o Tricolor já recusou duas propostas em euros: a primeira de 33 milhões ( R$ 82,4 milhões) e a segunda de 38, ou seja, R$ 95 milhões. ,). 

terça-feira, 24 de julho de 2012

ROTH BOTOU VICTORINO NA LISTA DOS NEGOCIÁVEIS. Uruguaio não quis sair e garante recuperar a posição.


                                       Estão fritando Victorino na Toca? ( Foto de Euler Jr
                                       /EM-DA Press)

Se dependesse apenas de Celso Roth, o zagueiro Victorino afastado de seus planos no Cruzeiro teria saído antes do fechamento da janela. Acontece que o uruguaio não planeja deixar a Toca da Raposa, conforme tem revelado aos amigos mais chegados, como Walter Montillo.

A má vontade do treinador é evidente. Maurício Victorino não tinha contestação, mas caiu com todo time na fase de Vagner Mancini e não conseguiu se recuperar técnica e fisicamente. Afastado por Roth, supunha-se que seria apenas até à sua recuperação. A surpresa veio quando Victorino foi afastado até do banco de reservas.

Outros jogadores tiveram o mesmo tratamento por parte de Roth. Saíram por lesão e não voltam nem após a recuperação total. Acabam por pegar o boné e se mandarem. O atacante Fabinho e o lateral direito Marcos são os outros exemplos. Foram titulares, ganharam incentivos do técnico e, de repente, tornaram-se vilões.

O caso de Victorino é diferente. Grande parte da torcida ainda acredita no futebol do zagueiro e torcem o nariz pra decisão do treinador. Contratado por U$ 2 milhões Victorino não é mercadoria estragada que Roth pode dispor a qualquer momento. As oportunidades raras estão levantando dúvidas quanto ao procedimento do treinador.

Contra o Corinthians nesta quinta-feira, em São Paulo, Maurício Victorino nem entrou na delegação e ninguém se manifestou. Antes levantava suspeitas de que o zagueiro seria negociado. Se isso acontecer, Alexandre Mattos, hoje o principal conselheiro do imaturo presidente Gilvan Tavares, dará tremendo tiro no pé.

Penso que esse absurdo de dar poderes discriminatórios aos treinadores devia urgente sair pelo ralo. Fazem o que querem. Indicam os amigos, amigos dos empresários, e ao serem demitidos largam tudo isso pra trás. Ou então desprezam os valores criados no clube, a ponto de provocá-los a sair. Então, a meninada acontece lá fora e deixam novas suspeitas de algo estranho entre o céu e a terra além dos aviões da TAM.

Raciocinem comigo: se Victorino não quer sair; se está apenas numa fase ruim, própria de qualquer jogador; se é o melhor zagueiro que o Cruzeiro tem, porque então não lhe dar o devido respeito e merecimento? Existe algo errado aí.

Foram feitas sondagens, porém nenhuma proposta ao clube. As sondagens ao empresário e ao craque foram ignoradas. Victorino não quer sair. O Cruzeiro tem100% dos direitos econômicos e Victorino contrato até 2015.

Ainda bem que no Atlético, como no caso de Victorino – ainda - também não se fez nenhuma besteira pedida por todos os lados pra saída do jovem goleiro Renan Ribeiro. Alexandre Kalil resolveu o problema com profissionalismo e experiência.

Buscou Victor, no Internacional, um dos melhores goleiros do Brasil, também selecionável, e ficou com Renan Ribeiro. Cuca sentiu o clima amplamente favorável a RR no ar e não quis ir mais além. Deixou Renan Ribeiro como reserva de Victor. Sobrou pro Geovani.

Vejam bem, tudo se acomodou: RR foi convocado pra Seleção Brasileira nos Jogos Olímpicos e teve o ego massageado. Renan Ribeiro (foto de Alexandre Guzanshe-EM/DA Press) Estava feliz da vida na Cidade do Galo e viajou mais alegre ainda pra Londres. Entra na lista de inscrições no lugar de Rafael, do Santos, lesionado.

Rafael foi cortado ao sofrer uma lesão no cotovelo. Neto, da Fiorentina, assumiu a titularidade e Gabriel, ex-Cruzeiro, hoje no Milan, ficará na reserva. RR será o terceiro goleiro permitido pelo regulamento. Enquanto estiver lá, a partir do jogo contra o Santos, nesta quarta-feira, Geovani será o bancário dos goleiros.

A Conmebol informou qual foi a seleção da Taça Libertadores da América de 2012. O campeão Corinthians conta com quatro jogadores no time, além do técnico Tite. O santista Neymar é o outro brasileiro escolhido. Os corintianos são o goleiro Cássio, o zagueiro Leandro Castán, vendido ao Roma, da Itália, o volante Paulinho e o atacante Emerson Sheik.

Do Boca Juniors, vice campeão, apenas Clemente Rodriguez e Riquelme. O semifinalista La U entrou com três jogadores: José Rojas, Matías Rodrigues e Marcelo Díaz. A Seleção ficou assim: Cássio; Matías Rodriguez, Rojas, Leandro Castán e Clemente Rodriguez; Marcelo Díaz, Paulinho e Riquelme; Pabón  - do Atlético Nacional da Colômbia - Emerson Sheik e Neymar.

O Boa Esporte surpreendeu o América no Melão com a virada por 2 a 1, causando enorme estrago no time de Givanildo Oliveira porque fez cair a máscara de um dos favoritos na competição. O Coelho voltou ao mundo dos normais e só não saiu do G-4 com essa derrota em Varginha por causa da contribuição do seu xará de Natal, também derrotado.
Mas olha que o Goiás encostou e é o quarto colocado. Se Givanildo ainda não constatou que seu time caiu de produção após a entrada do veterano Gilberto, é preciso que alguém, então, lhe abra os olhos.


OUTRO AMIGO SUMIDO QUE SE VAI MAIS CEDO: JORGE VIEIRA


No twitter, o ex-companheiro de Sportv, repórter Rui Guilherme, anuncia sem maiores detalhes: morreu hoje no Rio o técnico Jorge Vieira.
Eu perdi o contato com Jorge há anos, logo após fechar meu escritório de advocacia. 
Jorge que conheci quando treinador do América Mineiro, por volta de 1970.
Estourou no futebol carioca como menino prodígio. Aos 20 anos, levaria o Olaria a disputar o Torneio Rio-São Paulo, reduto apenas dos grandes times das duas maiores cidades do País.
O clube da Rua Bariri, sob o comando do jovem treinador conseguiu a vaga no campo. As previsões sobre possível fracasso na maior competição nacional da época, falharam. O Olaria terminou em quarto lugar, e revelou jogadores importantes como Murilo, lateral; Haroldo, quarto zagueiro; Cané, ponta-direita, Rodarte, atacante, e outros que a memória não me ajuda mais.
Do Olaria pulou para o América do Rio e surpreendeu todo mundo. Os diabos rubros foram campeões cariocas em 1960, numa final sensacional contra o Fluminense de Zezé Moreira. Foi de virada e o último gol marcado por Jorge, lateral direito, pegando rebote do saudoso Carlos Castilho que não segurou a falta cobrada pelo ponta-esquerda Nilo. Vou ver se consigo lembrar alguns nomes deste: Ari ou Pompéia, Jorge, Djalma Dias, Wilson Santos, Amaro, João Carlos, Calazans, Nilo, Antoninho, e outros.
Dei uma chupetada no site do Milton Neves, na coluna Que Fim Levou? E achei a foto abaixo onde Jorge Vieira aparece entre alguns heróis de 1960.
Após passar pelo América Mineiro, Jorge Vieira correu o mundo. Foi treinador no México, na Arábia Saudita – um dos primeiros – voltou pra comandar o Palmeiras, Corinthians, Botafogo, Vasco, Fluminense e outros mais. Voltou a Minas Gerais, nesse período, contratado pelo Atlético, porém fracassou. Esteve de novo no América Mineiro sem o mesmo sucesso.
Minha primeira viagem para uma transmissão externa na Rádio Guarani foi justamente pra cobrir o amistoso do América em Vitória, contra a Desportiva Ferroviária. Luiz Chaves era o narrador e me lançou como o comentarista “iê,iê, iê”, que era o ritmo da mocidade naquela época. Nós tínhamos 23 anos.
As dificuldades eram muitas, principalmente por falta de estradas asfaltadas. Voltei com a delegação, numa longa viagem e fiquei amigo de Jorge. Nas demais passagens, já formado em Direito, tive meus serviços contratados por ele para receber os salários atrasados no Atlético e, depois, no América.
Jorge era de família rica e casou-se com mulher rica. Nos clubes, tinha a mania de bancar os salários em atraso, até que enchia o saco.
Estive com ele no Parque Antártica, convidado pra almoçar e conhecer o estádio. Depois, foi treinador da Ponte Preta, onde descobriu Oscar e o indicou ao Cruzeiro. Eu falava com ele num telefone e com Felício em outro do meu escritório. Brandi não acreditou no potencial de Oscar.
Outro sucesso de Jorge Vieira aconteceu no Botafogo de Ribeiro Preto, com Sócrates no time, e conseguiu o título do primeiro turno do Campeonato Paulista, e uma vaga na final. Houve festa em Ribeirão Preto.
Jorge foi trabalhar de novo no exterior. Aos poucos, eu perdi o contato com ele. Mas as lembranças boas ficaram. Homem educado, simples e que nunca deixou de atender com gentileza o pessoal da Imprensa. Falava bem, era graduado em Direito, e até recebeu o apelido de “Jorge Palavra”. Que Deus o tenha em bom lugar!

Pompéia, Djalma Dias, Wilson Santos, Ivan, Quarentinha e Nilo
E aqui estão, em março de 2006, seis dos 12 heróis do América Futebol Clube, o grande surpreendente campeão carioca de 1960. O Maracanã, vazio na foto, viu o time do técnico-menino Jorge Vieira derrotar o Fluminense de Castilho por 2 a 1, na decisão. Você está vendo no gramado do Maracanã, o volante Amaro, o atacante Antoninho, o ponta-esquerda Nilo, o técnico Jorge Vieira - no centro - (amigo do peito de Saddam Hussein - é sério, viu?), o lateral Jorge e o ponta-direita Calazans. Falta, dos heróis de 1960, o ex-botafoguense João Carlos, meio-campista. Dos titulares campeões cariocas daquele ano já morreram Ari, Pompéia, Djalma Dias, Wilson Santos, Ivan, Quarentinha e Nilo. E agora Jorge Vieira. ( site de Milton Neves – Que Fim Levou?)

BERNARD, NO MOMENTO, É O GRANDE JOGADOR DO FUTEBOL MINEIRO.

A própria torcida do Atlético, num estado de espírito há tempos não visto, se martiriza atrás de uma comparação inexistente: a do menino Bernard com o veterano e laureado Ronaldinho Gaúcho. Nem o jovem craque aceita isso, pois reconhece a importância de RG-49 como pilar de sua excelente fase, no papel de inspirador, orientador e parceiro.

De fora, qualquer um vê dessa forma, porque as atuações de Bernard no Brasileirão dividem-se em antes e depois do craque gaúcho. A ideia de comparação, se passar pela cabeça de Bernard, pode gerar inconveniente disputa de ego, nada interessante para o Atlético.

Creio que vários amigos e bons conselheiros tenham dito a Bernard (foto) que é impossível, no momento, no futebol brasileiro, encontrar qualquer outro craque em atividade com os lauréis de RG-49. Eleito o melhor jogador do mundo várias vezes, titular absoluto do Barcelona, do Milan, clubes nos quais ganhou diversos títulos, além do mais importante: campeão do mundo com a Seleção Brasileira em 2002, na Ásia.
Bernard, não se esqueçam, é uma grata promessa que precisa focar no currículo de RG-49 para conseguir as mesmas conquistas. Não cobrem dele, nem busquem comparações onde não é preciso. Bernard, atualmente, é o grande jogador do futebol mineiro. Suas atuações individuais o consagram em todos os cantos tupiniquins.

Ronaldinho Gaúcho, porém, ainda é a grande estrela  do time. Por onde passa é o centro de todas as atenções. Sem comparações, por favor.

Não gostei da informação e nem da atitude de Moacir Júnior que deixou o Tupi num momento mais difícil do time. Direis: ele corria o risco, também, de ser dispensado. Mas não foi. A diretoria pretendia mantê-lo até onde pudesse. Depois do início horroroso na Série C do Brasileirão – três derrotas em quatro jogos –, Moacyr entrou em acordo com o time saiu.

Há enorme diferença em ser dispensado e largar o navio no naufrágio. Os capitães serão sempre os últimos. Fico com a sensação que falta ao moço Moacyr, em quem eu tanto acredito, a coragem dos heróis. A não ser que tenha recebido proposta financeira bem melhor.


Pega pra capar hoje à noite, no Melão, em Varginha: Boa Esporte x América. O Brasil todo poderá assistir, basta a cidade estar fora de MG. Aqui em BH, a 250 km de Varginha, com certeza, vamos ver o vídeo de uma pelada qualquer. Givanildo Oliveira( foto abaixo)quer o time jogando mais que na última partida contra o Guarani de Campinas, no Independência. Apesar de outros vários jogos da Série B no horário. E nós bobos, ainda, compramos esta porcaria de Sportv.

Por falar em treinador desempregado, salve o Papai Joel! De novo está no mercado da bola, dispensado pelo Flamengo e animado a trabalhar em qualquer outro clube. Joel Santana deve receber de multa pela rescisão antecipada do seu contrato algo em torno de R$ 2 milhões. Na boca do cofre, ou na Justiça Trabalhista, onde o Flamengo tem trânsito obrigatório em todas as pendengas com empregados.

Segundo falam no Rio de Janeiro, a presidente rubro-negra Patrícia Amorim dispensou Joel Santana, após conversar e garantir Dorival Júnior no comando flamenguista. Serei curto e grosso: entre um e outro, prefiro Papai Joel. Mais autêntico.

Pois é, o pão do Adilson Batista não tem caído com a manteiga pra cima. A imprensa catarinense envelopou o seu nome e distribuiu nas redes sociais como o mais provável novo treinador do Figueirense. Deu não. A ficha que caiu foi a do indefectível Hélio dos Anjos, outro dia mesmo dispensado do Atlético Goianiense, lanterna do Brasileirão.  

Rafael, goleiro do Santos, e titular da Seleção Olímpica, tem uma lesão séria e pode até ser cortado. Está numa clínica particular em St. Albans, acompanhado pelo doutor Runco. Neto, hoje na Fiorentina, e ex-goleiro do Atlético Paranaense é seu reserva.

Porém, se Rafael for cortado, Mano chamará Gabriel, ex-Cruzeiro, jogando no Milan. E pensar que este menino saiu da Toca por causa da incompetência de Dimas Fonseca. Santo Pai! A Seleção Brasileira estreia nos Jogos de Londres nesta quinta-feira, às  três e 45 da tarde, contra o Egito, em Cardiff, no País de Gales.  

De goleiro pra goleiro. O Fábio praticou no mesmo lance duas defesas milagrosas, evitando o gol do Flamengo. No entanto, o Fantástico chamou a atenção “para o incrível gol perdido” pelo time carioca, citando meramente o goleiro cruzeirense igual a um gato. Quem apresentou o quadro foi aquele irmão mais novo do Mão-Santa, bom jogador do basquete brasileiro.

Ah, outra coisa! Ninguém lá viu que o atacante Hernane na confusão, ajeitou a bola com o braço antes do chute que Marcelo desviou pra escanteio. Uma vez Flamengo, sempre Flamengo...
                                             Montillo não comemora um gol há tempos
Torcedores celestes, mais esclarecidos, e, realmente, preocupados com as atuações da equipe, me questionam a respeito de Walter Montillo. Dirijo a questão ao responsável por tudo isso, o técnico Celso Roth, com a seguinte pergunta: esse é o próximo craque do time que seu esquema pretende enterrar?  Já enterrou o Victorino, que nem no banco entra mais e tá próximo de sacrificar Montillo com esse esquema tático maluco.

Ou liberta Montillo das amarras do esquema torturador, ou bota alguém ali que saiba jogar e armar jogadas pra ajudar ao argentino. Com três volantes que marcam mal e apóiam pior ainda, Montillo é Cristo na cruz. Sem falar na ruindade de Marcelo Oliveira ou Everton na lateral esquerda.

Contra o Corinthians, nesta quinta-feira, é de se esperar que Roth crie mais juízo e coloque, pelo menos, Sandro Silva ao lado de Guerreiro e Diego Renan na lateral esquerda. E na zaga comece a pressionar Victorino pra entrar em forma física.

Obina, sempre Obina. Dor de cotovelo de Alexandre Kalil! Contra o Náutico fez chover, como artilheiro, autor de consciente chute no canto esquerdo do goleiro e como garçom direto e indiretamente. No segundo gol, cruzou da direita e Mazinho marcou. No terceiro, mirou e acertou a trave. No rebote, Márcio Araújo fechou a goleada palmeirense em 3 a 0. O futebol chinês não fechou os olhos do grande Obina.

Não posso afirmar que a mídia mineira dá tratamento menos espetaculoso às contratações. Como o caso de Seedorf pelo Botafogo. A Globo não falou em outra coisa durante a semana: Seedorf estreia contra o Grêmio. Aos 38 anos, o craque holandês, muito simpático, casado com uma carioca, correu o tempo que podia. Não fez nada além do que outro qualquer faria. A diferença é que é o Seedorf. Este foi! Agora precisa mostrar muito que terá força pra continuar sendo. Há dúvidas!!!


segunda-feira, 23 de julho de 2012

SOS PARA UM GRANDE ARTISTA E AMIGO

João Alberto Bueno de Abreu é um bom companheiro de tempos memoráveis em Caratinga. Bem mais novo do que eu. Enfrentamos a ira de muitos conservadores, em serenatas inesquecíveis nas tardes de sábado, no barzinho do EC Caratinga. Após, estendíamos pela cidade afora, levando ele seu violão impecável, em cujas cordas somente um artista de igual quilate seria capaz de tirar uma harmonia tão doce. Certa, ao chegar em Caratinga, João me ligou porque queria mostrar-me o que havia tirado de seu violão. Compramos as latinhas indispensáveis e procuramos um canto sem sapos. Achamos o interior do Jardim que na nossa terra chamamos de Jardim Grande, belo cenário rodeado de palmeiras imperiais. João solou o Hino Nacional Brasileiro de uma forma que jamais eu ouvira. Seresta com o Hino Nacional? Nada disso. Apenas outra obra daquele artista anônimo.
João Alberto Bueno de Abreu, o João da Viola, personagem do meu primeiro livro, "O Sorriso de Juliana", agora pede socorro aos amigos e aos amigos de seus amigos. Precisa da doação urgente de sangue O+ porque passará por melindrosa cirurgia de câncer em fase avançada. Precisa eliminar o mal e sobreviver pra que sua alegria, sua arte, seu violão não se apaguem. Procurem o Hemominas, ali atrás do Parque Municipal, e faça sua doação em nome de João Alberto Bueno de Abreu.
Alguém poderia fazer esta mensagem chegar aos notáveis José Lino Souza Barros, Eduardo Costa e Milton Naves? È outra ajuda que necessito, por falta de instrumentos certos pra conectá-los. Deus lhes dará em dobro tudo que vocês fizeram por este artista e amigo.

domingo, 22 de julho de 2012

FOI NO SUFOCO, MAS CRUZEIRO PASSOU PELO FLAMENGO


O Cruzeiro entrou no gramado do Independência sob a pressão de duas derrotas em casa, para o São Paulo (3 a 2) e Grêmio (3 a 1), desconfiado com a reação do torcedor que encheu a arena do Horto. Não fez boa partida, porém jogou com vontade e determinação suficientes para vencer o Flamengo e subir para o quinto lugar, com 20 pontos, a apenas um atrás do Grêmio.

Ceará melhorou acentuadamente o lado direito do Cruzeiro criando várias situações de gol, como a dos l5m, em fez o cruzamento, Borges e Wellington Paulista mergulharam e nao acharam a bola. Tomou um troco de Vagner Love, com Fábio bem colocado pra defender.

Tendo melhores oportunidades que o Flamengo, os azuis marcaram aos 44m do primeiro tempo, numa jogada de Ceará, pela direita; o cruzamento na medida pra Borges acertar a cabeçada e marcar seu primeiro gol no Cruzeiro: 1 a 0.

No segundo tempo,
o time desequilibrou como gosta de afirmar Celso Roth. O Flamengo quase marcou aos 12m, com Ibson, mas Fábio evitou com bela defesa a corner. Aos 33m, o lance mais incrível em favor do time carioca arriscando tudo no apagão do Cruzeiro.

Verdadeiro pandemônio na área celeste. Léo Moura escapou sozinho pelo lado direito e passou a Vagner Love. A torcida do Cruzeiro fechou os olhos, gol certo. Fábio salvou. A bola foi na trave e voltou pro atacante Hernani, que tentou uma, duas vezes e a bola sempre batia em alguém. Até que Marcelo Oliveira, na linha, botou pra escanteio.
Então a torcida passou a rezar para Herber Roberto Lopes terminar logo a partida. E ele atendeu: 1 a 0, resultado magrinho, mas fez o Cruzeiro subiu dois degraus.
Borges fez o gol, machucou-se e pode desfalcar o Cruzeiro quarta-feira contra o Corinthians, em SP (foto Marcos Michelin-EM/DA Press)













sábado, 21 de julho de 2012

BERNARD BRILHA E ATLETICO GOLEIA NO RECIFE


 O Atlético chegou a preocupar os torcedores pela maneira como começou jogo contra o Sport, na Ilha do Retiro. O passe não saía certo, Ronaldinho Gaúcho não se esforçava pra sair da marcação do volante Tobi – só molhou a camisa nesse período por causa da chuva forte. Entretanto, o adversário agredia pouco e só tentava a ligação direta o que facilitava o trabalho das torres gêmeas, Léo Silva e Réver.

E por causa desse ligeiro domínio, o Leão do Norte abriu a contagem em jogada iniciada pelo ex-atleticano Cicinho. Do fundo, cruzou rasteiro e forte. Gilberto carreou a bola pras redes de Victor.

Despertou o líder. Pouco depois, jogada de Bernard, passe pra RG-49 e o fuzê na área. A bola sobra pra Danilinho que empata. Então casa ficou em ordem e enganou o técnico Wagner Mancini.

No segundo tempo, decidiu encarar o Galo. Tirou o volante Marquinhos Paraná e botou o atacante Gilsinho. Se já no primeiro tempo, cada pouco ataque atleticano era terror pra defesa do Sport, no novo esquema tornou-se um filé. Cicinho morreu de tanto correr atrás de Bernard; entrou Moacir no seu lugar e danou-se também.

Despertado com a vontade e o talento de Bernard, o resto do time se incendiou. Contra-ataque rápido e Ronaldinho recebe livre com apenas Edcarlos pela frente. Aplicou o drible e chutou no canto esquerdo de Magrão. Pronto, virada definida: 2 a 1. Agora, o caminho estava aberto pra goleada.

Ela começou com uma jogada de RG-49 lá na direita, virou pra Bernard cá na esquerda. Veio Moacir na marcação, Bernard fingiu que chutaria de direita e driblou pra esquerda. Foi no fundo e botou a bola na cabeça de Jô. Galo 3 a 1, Sport entregue totalmente.

Faltava o gol dele, o melhor em campo, grande destaque do jogo: o menino Bernard. E tinha que ser do tamanho do talento dele. Outro fuzê na área do Sport, o goleiro Magrão saiu socando e a bola sobrou pra Bernard fora da  área. Um toque espetacular, um lençol sobre o goleiro pernambucano e fim da goleada: Galo 4 a 1, liderança isolada mantida.

Em São Januário, graças ao talento de Juninho na cobrança de bolas paradas e escanteios, o Vasco derrotou o Santos por 2 a 0. Chegou a ficar na liderança por alguns minutos quando o Galo perdia em Recife. Terminou em segundo. O Galo com 28 pontos e o Vasco com 26. Os gols foram de Douglas e Alecsandro, atual artilheiro do Brasileiro, com 7 gols. Em ambos os gols, os lances nasceram da cobrança de escanteio por Juninho Pernambucano.

O Vasco volta a campo na próxima quarta-feira, quando faz clássico carioca contra o Botafogo no Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão, no Rio de Janeiro, às 8 e meia da noite. Já o Santos, na quinta-feira, visita o Atlético á 9 da noite no Estádio Independência, em Belo Horizonte.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

COELHO PERDE PONTOS EM CASA DE NOVO



Segundo o acompanhamento lance-a-lance do Superesportes, o Guarani esteve mais perto da vitória que o América no jogo desta sexta-feira no Independência. Pra começar, aos 4m de jogo, o juiz apitou pênalti contra o Coelho. Schwenck cobrou fraco e Neneca agarrou. Bom sinal de que a noite seria do goleirão americano? Errado. Aos 13m, Neneca bateu mal o tiro de meta pra Gabriel que recuou a bola mal para o goleiro. Schwenck intrometeu-se no lance e tocou por baixo de Neneca. Guarani, 1 a 0.
O América conseguiu empatar aos 24m, numa jogada de Alessandro que foi derrubado na área por Bruno Recife. Outro pênalti. Fábio Júnior cobrou com categoria e marcou 1 a 1.
A partida se arrastou até o intervalo, com maior domínio de bola do time de Campinas. No segundo tempo, logo aos três minutos, Danilo Sacramento acertou o travessão americano. Grande susto!
Não menor no entanto do que o provocado por Neneca,  aos seis minutos, que saiu jogando mal e Schwenck tomou a bola de novo, mas chutou pra fora. Aos 27m, o América suspirou folgado: o Guarani teve Bruno Recife expulso. Porém, trancou-se na defesa e suportou a pressão desordenada do América. O tempo se esquentou e o técnico Vadão do Guarani foi expulso.
O América assumiu a vice-liderança provisoriamente, empatados em pontos ganhos com o Criciúma, 26 cada, no entanto o líder, ainda, vai jogar contra o Paraná. O Vitória caiu pra terceiro lugar com 25 e também tem um jogo a menos contra Atlético Paranaense, em Curitiba.
Nos demais resultados, Guaratinguetá e Boa fizeram o único jogo sem gols da noite no estádio Dario Rodrigues Leite. Com o resultado, a Guará continua na 18ª colocação na tabela com nove pontos e o time mineiro chega ao quinto jogo sem vitória, ocupando a 12ª posição, com 14 pontos.
O Ipatinga voltou a ser derrotado. Perdeu por 2 a 1 para o América, em Natal. Na próxima rodada, o Boa enfrenta o América/Coelho, na terça-feira, às 9 da noite, no estádio Melão, em Varginha.

BASTA DE CHORO PELA NOVO BOLO DE RIQUELME

Não é a primeira vez e acredito que seja a última vez que o Cruzeiro sonha com Roman Riquelme (foto) sem dúvida um cracaço de bola e que, apesar de os 36 anos, caberia como luva no time velho de Celso Roth. A torcida acompanhou as informações desencontradas sobre o assunto até o fechamento da janela. Aconteceu   às seis horas da noite de hoje, sem solução. Portanto, Riquelme brincou com o Cruzeiro pela segunda vez. O Boca Júniors informou no início da semana que não rescindiria mais o contrato do craque.Assunto encerrado, página virada, Riquelme definitivamente carta fora do baralho. Vida que segue.

QUEM ERRA DEVE PEDIR PERDÃO

São inúmeras as mensagens. Uma enxurrada de críticas, correções, xingamentos e lembranças da minha fase gagá, por causa das trocas de nomes, datas, descrições de lances, ete, etc, etc. Como não existe caridade nessa guerra desnecessária, visto ser o futebol TÃO-SOMENTE um maravilhoso e enorme parque de lazer e diversões. Lamento tudo isso e peço perdão. Os jovens não sabem que os idosos têm problemas de memória, e, no meu caso, após uma cirurgia brava de coração, infecção hospitalar, diabetes, cometo erros às pencas. Não posso pagar um revisor, como tenho para meus livros. Conto, entretanto, com a boa vontade dos amigos e parentes que me corrigem após publicadas as colunas, e dos revisores dos jornais que  cuidam mais da parte gramatical do que das informações. Os desafetos se aproveitam e deitam-me o porrete. Tem problema não, minha parte continua, como há 50 anos quando tinha a idade de todos eles. Um dia, quem sabe, terão os mesmos problemas. Espero que contem com a caridade alheia pra entender a situação. Isso não é um pedido de trégua. Quero que vcs se explodam. Dou uma satisfação aos meus leitores inteligentes, educados. São bem mais do que essa meia dúzia de imbecis. Portanto, a esses leitores conscientes, meu pedido de perdão. Reparem o erro e valorizem o comentário e a informação.

A décima rodada derrubou três treinadores; Paulo Roberto Falcão, no Bahia; Dorival Júnior, no Internacional e Argel, no Figueirense. Ou seja, esses times terão de começar tudo de novo, trocar pneus do avião em pleno voo. O Bahia se arrumou com Caio Júnior, mais experiente e andado que Falcão; o Colorado buscou solução caseira com o diretor de futebol, o ex-craque Fernandão, tendo o ex-goleiro Clemer como auxiliar. Foram dois ídolos da torcida, nem tanto quanto Falcão que andou, também, por lá, não deu certo e foi demitido. Qual a solução do Figueirense pro lugar de Argel, ainda não sei.

COELHO JOGA PELA LIDERANÇA CONTRA O BUGRED DE CAMPINAS

Vou chupetar as matérias da Gazeta News e do Superesportes pra informar aos leitores o que acontece nesta sexta feira com os times mineiros da Série B. Amanhã comento os resultados dos jogos. Falar sobre possibilidades é só pra vidente:
Depois da vitória sobre o Guaratinguetá, por 2 a 1, na última terça-feira, o América volta a jogar no Independência nesta sexta-feira, às nove da noite, contra do Guarani, pela 12ª rodada da Série B do Brasileiro. Na terceira colocação do campeonato, o time segue em sua busca implacável pela liderança. Se Criciúma e Vitória tropeçarem, o Coelho pode retomar a ponta com um triunfo contra a equipe paulista.
O técnico do América, Givanildo Oliveira, não terá desfalques, mas o desgaste de alguns jogadores serve de alerta. O volante Dudu e o meia Gilberto reclamaram de dores na coxa durante a semana, mas estão relacionados para enfrentar o Guarani. A expectativa é que eles entrem em campo, mas Thiaguinho é opção para substituir algum dos jogadores caso ocorra algum problema.
Já o Guarani tem a missão de se recuperar fora de casa depois da derrota em São Paulo para o Goiás. O técnico Vadão elogiou o desempenho de sua equipe diante do time esmeraldino, porém, exige uma vitória contra o América.
O Guaratinguetá recebe o Boa Esporte nesta sexta-feira, às nove da noite, no estádio Dario Leite, na cidade do interior paulista. As duas equipes amargam as últimas colocações da competição, mas a situação do Guará é mais complicada, já que a equipe se encontra na zona de rebaixamento da competição.
A Garça entra em campo após um tropeço na rodada do meio de semana para o América-MG, por 2 a 1, jogando em Belo Horizonte, o sétimo da equipe na segunda divisão nacional. Com oito pontos conquistados após 11 partidas, a Garça ocupa a 18ª colocação na tabela, com dois pontos a menos do que o primeiro time fora da zona de rebaixamento.
A sequência de resultados
ruins do Boa Esporte, duas derrotas e um empate em casa, nas três últimas rodadas começa a preocupar a comissão técnica. O empate contra o CRB na última terça-feira, foi considerado péssimo por todos dentro do Boa Esporte, tanto que logo após o jogo contra os alagoanos os atletas foram proibidos de dar entrevistas.
Com 13 pontos
, o Boa Esporte ocupa a 13ª posição, e a briga da equipe mineira passa a ser para fugir da temida zona de rebaixamento. O primeiro time fora do Z4 e o ASA-AL que tem 10 pontos, mesma pontuação do ABC-RN, que já está lista dos quatro últimos colocados do Brasileiro. Para o técnico Sidney Moraes, o jogo desta sexta-feira contra o Guará é importante para evitar que o adversário se aproxime do Boa Esporte.
A estreia do técnico Flávio Lopes no comando do Ipatinga não poderia ter sido pior. O time mineiro foi goleado pelo Joinville por 6 a 0, complicando ainda mais a situação do Tigre, que segue na lanterna da Série B do Brasileiro com apenas quatro pontos conquistados em 11 jogos. Para apagar a impressão ruim, o Tigre quer acabar com a série de resultados ruins contra o América-RN, que briga pelas primeiras colocações e tenta se manter no G-4 da competição.
Sem vencer há três rodadas, o América-RN perdeu a condição de brigar pela liderança e já está seis pontos distante do Criciúma. Após as derrotas diante de CRB e Paraná e o empate contra o Ceará, a equipe potiguar busca se manter no G-4, já que ganhou a sombra de quatro equipes durante o período de jejum.

GUILHERME GANHA LUGAR DE JÔ ONDE NÃO GOSTA DE JOGAR


  
Não haverá mais dúvida na cabeça dos repórteres da cobertura diária do Atlético sobre quem Cuca escalará de centroavante sábado à noite contra o Sport, no Recife. Cuca resolveu anunciar que Guilherme( foto) será daqui pra frente titular absoluto e ocupará a posição do centroavante Jô.

Não é a posição que agrada Guilherme. Ele se sente melhor, conforme já confessou várias vezes, na função de meia-atacante, ou segundo atacante, ou ponta-de-lança como os parceiros dos centroavantes eram chamados no meu tempo velho de guerra.

A posição de ponta-de-lança revelou gente famosa como Dida, Pelé, Tostão, Maradona, Amarildo e outras feras na época. Portanto, posição de craque. A história de Guilherme terá outro caminho no Galo, e mais difícil. Centroavante enfiado, no meio dos brucutus da zaga, levando porrada de todos os lados e tendo que sair do chão mais do que consegue pra marcar gols de cabeças. Céus, Cuca!

Vai sobrar alguém e eu aposto todas as minhas fichas no Carlos César. O Atlético contratou Michel, lateral direito do Almeria da Espanha, que tá em Beagá passando por exames médicos. Emprestado ao Galo, Michel fará contrato até 31/7/13.(foto)

De quem se trata? Eu confesso, meu Bom, que apesar de ter defendido a Seleção Brasileira nos Jogos Pan Americanos do Rio, em 2007, não tenho a menor lembrança do moço de 22 anos. Sei que passou pelas bases do Botafogo e do Flamengo e saiu pra Espanha em 2008. Se jogar mais que Marcos Rocha será bem vindo. Caso contrário que fique apenas com a vaga de Carlos César, foguete molhado.

Mudanças à vista outra vez. Como Celso Roth pretende armar um time que fique conhecido pela torcida com esse troca-troca constante, não sei não. Na lateral direita, Ceará continua. Saiu apenas por cansaço na quarta-feira. Contra o Flamengo domingo, no Estádio Independência, está escalado.

O mesmo não se pode falar de Rafael Donato e de Léo. Donato mereceu elogios relativos de Roth. “Foi razoável, a atuação de Rafael Donato” – disse Roth. O técnico considera Donato, 23 anos, ainda verde pra titularidade definitiva no Cruzeiro. Quanto a Léo, problemas de lesão.

Já o medalhão Borges não teve nem críticas relativas. Pegou logo um puxão de orelha:
Borges estreou na derrota para o Grêmio, foi mal e seguiu titular. Na vitória (2 a 0) sobre a Lusa deixou Roth insatisfeito por perder várias chances. Não me lembro de tantas assim. Uma ou duas talvez.

                                           (Borges levou bronca pelos gols perdidos e Martinuccio, em recuperação                            alegra o ambiente da turma dos chinelinhos)

 Gostei mais do menino Lucas Silva do que os demais volantes de Celso Roth contra a Lusa. O setor continua aberto, sem fazer cobertura nas laterais. Então que seja o momento de estreia do guarda-roupa Sandro Silva, apresentado na quinta-feira, oficialmente na Toca da Raposa.

Até porque a principal dor de cabeça de Roth será a ausência de Diego Renan, crescendo de produção, principalmente pela direita. Aqui joga Ceará, claro. E na esquerda, onde esteve Diego Renan, na maior parte do jogo em SP. No seu gol, que selou a vitória azul, ele já estava na lateral direita.

O uruguaio Martinuccio ( foto acima)em tratamento na Toca da Raposa antes de ser contratado em definitivo ganha dia-a-dia mais empatia junto ao grupo celeste. É alegre, brincalhão, colocador de apelidos, do jeito que a turma gosta. Só falta, realmente, mostrar futebol e aprender a cantar samba. 

Reforço apresentado na Toca da Raposa, contratação na Cidade do Galo, e apresentação, também, de reforços no CT do América. Após perder Diego Meneghel para o futebol chinês, o Coelho estava atrás de outro velocista. 

Chegou a Rodrigo Pimpão, do Vasco, mas emprestado à Ponte Preta. Seu contrato vai até o final da Série B. A apresentação de Pimpão foi comandada pelo gerente de futebol Jair Albano Félix,( foto assessoria) filho de Jair Bala, um dos maiores jogadores na história do América.

Riquelme tolerou a bronca pública de seu ídolo Diego Maradona, que o chamou de “traidor” por romper o contrato com o Boca Juniors, faltando dois anos; só não suportou assistir ao passeio do Corinthians sobre o Flamengo, no Engenhão.

Justo o Flamengo que esperava para aquele domingo uma resposta sobre sua contratação por dois anos. Acompanhou o jogo pela televisão no seu apartamento.

Tão logo se encerrou o confronto, pegou o telefone e ligou para Zinho, gerente de futebol do Flamengo. Foi uma decepção tão grande quanto à goleada (3 a 0) sofrida diante do Corinthians. Zinho esperava  “sim” do craque argentino e recebeu sonoro “não”. Segundo o rubro-negro, a negativa de Riquelme foi por causa do futebol apresentado pelo Flamengo. Como se dissesse: “nesta fria não me pegam mesmo”.

Lógico que Riquelme, craque refinado em fim de carreira, milongueiro de primeira fila, vaidoso como é, jamais aceitaria fazer contrato de dois anos com o Flamengo pra comandar, de dentro do gramado, uma equipe tão feia e desacertada. Nem em troca de muchas platas.

O árbitro Ricardo Marques Ribeiro, que não apita em Minas no campeonato estadual, vetado pelos clubes grandes, terminou o jogo Coritiba l x Palmeiras l – na estreia de Obina – em exatos 49m, dentro dos 4 minutos de recuperação de tempo. Só não apanhou dos coxas porque foi cercado imediatamente pelo policiamento. O problema é que o Coritiba atacava com chances boas de desempatar.

Não é que houve erro grosseiro e mal intencionado do árbitro mineiro. Falltou maldade. O Coxa tocava a bola no meio-campo até que resolveu imprimir maior velocidade. Antes disso, alguns segundos do final previsto, Ricardo, se mais experiente, apitaria o final do jogo.
O fechamento da 10ª rodada teve mais uma vitória do invicto Fluminense, por 4 a 0, no Rio, sobre o EC Bahia, sob o comando do goleador Fred,(foto) autor de dois gols de pênaltis, foi o herói do jogo e bateu o recorde histórico dos goleadores tricolores. Thiago Neves e Wallace fizeram os outros gols.
Em outra partida, o Atlético Goianiense conseguiu sua primeira vitória e de virada. Marcou 3 a 2 no Figueirense, no Serra Dourada, porém continua enfiado dentro de uma forte crise administrativa. A coisa tá feia pra ele.

quinta-feira, 19 de julho de 2012

ARRIBA GALO CARIJÓ


Faço tremenda força para o Tupi ocupar uma vaga na Segunda Divisão brasileira, em vez deste malfadado e abandonado Ipatinga, de campanha vergonhosa. O Tupi, campeão da Série D ano passado, faz feio este ano na Série C. Não venceu ninguém. Mas a luta não para por causa disso.Sábado, pega o Caxias do Rio Grande em Juiz de Fora. Nova pedreira. A torcida tem que ir lá prestigiar o Galo Carijó.
Os ingressos antecipados para a partida , pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro da Série C, já estão à venda, nos três pontos tradicionais: Campo do Tupi (em Santa Terezinha), na sede social do Clube (Rua Calil Ahouagi, 332, Centro) e no Calçadão da Rua Halfeld. Os bilhetes custam R$ 15 (inteira) e R$ 7,50 (meia – para estudantes com a devida carteirinha, maiores de 60 anos e menores de até 12 anos)A partida será no sábado  às quatro da tarde no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio.