sábado, 21 de julho de 2012

BERNARD BRILHA E ATLETICO GOLEIA NO RECIFE


 O Atlético chegou a preocupar os torcedores pela maneira como começou jogo contra o Sport, na Ilha do Retiro. O passe não saía certo, Ronaldinho Gaúcho não se esforçava pra sair da marcação do volante Tobi – só molhou a camisa nesse período por causa da chuva forte. Entretanto, o adversário agredia pouco e só tentava a ligação direta o que facilitava o trabalho das torres gêmeas, Léo Silva e Réver.

E por causa desse ligeiro domínio, o Leão do Norte abriu a contagem em jogada iniciada pelo ex-atleticano Cicinho. Do fundo, cruzou rasteiro e forte. Gilberto carreou a bola pras redes de Victor.

Despertou o líder. Pouco depois, jogada de Bernard, passe pra RG-49 e o fuzê na área. A bola sobra pra Danilinho que empata. Então casa ficou em ordem e enganou o técnico Wagner Mancini.

No segundo tempo, decidiu encarar o Galo. Tirou o volante Marquinhos Paraná e botou o atacante Gilsinho. Se já no primeiro tempo, cada pouco ataque atleticano era terror pra defesa do Sport, no novo esquema tornou-se um filé. Cicinho morreu de tanto correr atrás de Bernard; entrou Moacir no seu lugar e danou-se também.

Despertado com a vontade e o talento de Bernard, o resto do time se incendiou. Contra-ataque rápido e Ronaldinho recebe livre com apenas Edcarlos pela frente. Aplicou o drible e chutou no canto esquerdo de Magrão. Pronto, virada definida: 2 a 1. Agora, o caminho estava aberto pra goleada.

Ela começou com uma jogada de RG-49 lá na direita, virou pra Bernard cá na esquerda. Veio Moacir na marcação, Bernard fingiu que chutaria de direita e driblou pra esquerda. Foi no fundo e botou a bola na cabeça de Jô. Galo 3 a 1, Sport entregue totalmente.

Faltava o gol dele, o melhor em campo, grande destaque do jogo: o menino Bernard. E tinha que ser do tamanho do talento dele. Outro fuzê na área do Sport, o goleiro Magrão saiu socando e a bola sobrou pra Bernard fora da  área. Um toque espetacular, um lençol sobre o goleiro pernambucano e fim da goleada: Galo 4 a 1, liderança isolada mantida.

Em São Januário, graças ao talento de Juninho na cobrança de bolas paradas e escanteios, o Vasco derrotou o Santos por 2 a 0. Chegou a ficar na liderança por alguns minutos quando o Galo perdia em Recife. Terminou em segundo. O Galo com 28 pontos e o Vasco com 26. Os gols foram de Douglas e Alecsandro, atual artilheiro do Brasileiro, com 7 gols. Em ambos os gols, os lances nasceram da cobrança de escanteio por Juninho Pernambucano.

O Vasco volta a campo na próxima quarta-feira, quando faz clássico carioca contra o Botafogo no Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão, no Rio de Janeiro, às 8 e meia da noite. Já o Santos, na quinta-feira, visita o Atlético á 9 da noite no Estádio Independência, em Belo Horizonte.

3 comentários:

  1. UAU, que máquina de chocolate é essa? Galo endoidou de vez, o fuzuê foi total e o Sport dançou ...tranquilamente o Galo vai bicando pontos...espetáculo...

    ResponderExcluir
  2. Seus pitacos são ótimos...quando vc os antecipa, e erra, gosto mais ainda! Aposto que nem pensava que o Galo ganharia, ainda mais de 4!!!

    ResponderExcluir
  3. Hehehehe: dois anônimos interessantes. REalmente o Galo se tornou uma máquina de aplicar chocolates nos adversários. É, como não tenho bola de cristal na maioria das vezes meus pitacos dão errados. Nunca imaginaria o Galo enfiando 4 no sport em Recife. VC, profeta do acontecido, acreditava?

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.