domingo, 29 de julho de 2012

DESSA VEZ APITO AMIGO ESTEVE DO LADO DE CÁ E AJUDA GALO EMPATAR NO RIO


Pela qualidade técnica baixa da partida, cheia de faltas e paralisações, chutões pra cima, tentativas de ligação direta, poucos lances de área, porém com o Atlético tendo maior posse de bola, a ajuda do bandeirinha Vicente Romano Neto assinalando impedimento de Fred, aos 43m do segundo tempo, praticamente tirou a vitória do Fluminense.

Por tratar-se de dois times que lutam pelos primeiros lugares do Brasileirão eu esperava mais de Atlético e Fluminense. Só não foi sonolento em razão da quantidade de passes errados, porque houve bastante empenho – e até com algum exagero – dos jogadores de ambos os lados. O árbitro paulista – um desconhecido – Rodrigo Braghetto bem que tentou impor-se. Sem sucesso. Distribuição cartões amarelos à vontade.

O jogo foi pra lá de estranho. O Atlético teve maior posse de bola e chegava mais à entrada da área tricolor. No entanto, Gum, Leandro Eusébio e Digão aferrolharam a entrada da área. O Flu usava a arma do Galo: vem cá que vou lá no contra-ataque. Tanto assim que foram de Victor as duas defesas mais difíceis do confronto: uma cabeçada de Wellington Nem, na sua cara, e uma defesa notável, de puro reflexo do goleiro atleticano, no primeiro tempo. No segundo, Fred escapou sozinho e chutou à esquerda de Victor que praticou outra grande defesa. Além do gol mal anulado.

Fora a disputa renhida e as atuações seguras dos zagueiros Gum, Leandro Eusébio e Digão do lado carioca; Léo Silva, Rever e Pierre, o jogo teve pouquíssima coisa. No apito final, a comissão técnica do Flu, sem Abel Braga, entrou em campo pra justiçar o bandeirinha Vicente Romano Neto. Mero jogo de cena, pois sabem que isso só seria possível nos meus tempos de Estádio Doutor Maninho, em Caratinga. Aliás, seria até bom que a CBF aplicasse corretivo no Flu tirando-lhe alguns mandos no Engenhão a fim de diminuir o número de jogos naquela praça e melhorar o estado do gramado. Horrível.

Com 32 pontos, depois do empate, em 13 partidas, o Galo volta ao Rio e talvez ao próprio Engenhão pra enfrentar o Flamengo no sábado dia 04 de agosto. O Mengo de Dorival Junior jogou nesta rodada no Morumbi e levou a goleada de 4 a 1 do São Paulo de Ney Franco. O Fluminense pega no próximo domingo, dia 05, uma parada indigesta em Curitiba, contra o Coxa de Marcelo Oliveira em franca ascensão. Enfiou 2 a 1 no Grêmio neste domingo e subiu na classificação geral agora com 15 pontos.



APITO CONFUSO (MEIO AMIGO, MEIO INIMIGO) TAMBÉM NA VITÓRIA DO CRUZEIRO





Foto André Guzanshe - EM/DA Press

Confesso que a embrulhada feita por Celso Roth durante a semana, com a escalação recheada de dúvidas, levou-me, também, a questionar a possibilidade de o Cruzeiro vencer o instável time de Felipão. No entanto, a escalação apresentada na hora da partida, no Independência, agradou-me. Não que eu quisesse Walyson. Só não aceitava dois centroavantes. Borges ficou mais à vontade no seu quadrado, com Walyson ocupando as beiradas do campo.

Tinga preencheu muito bem a posição de armador, bom reboteiro; a zaga de Victorino e Thiago Carvalho funcionou melhor que a titular. Outra volta importante foi de Ceará ocupando a lateral direita. Ele e Diego Renan fizeram ótima boa partida.

Montillo, esteve bem, só me pareceu cansado no final de tanto correr e criar jogadas. Porém foi mal substituído por Souza. Também a saída de Walyson para entrada de William Magrão não rendeu o esperado. WM prendeu demais a bola ao avançar, a perdia e armava perigosos contra-ataques para o Palmeiras.

O Cruzeiro jogou tranquilo o tempo todo e chegou a 2 a 0 com a boa ajuda da arbitragem de Fabrício Neves Correa. O pênalti que Montillo sofreu aos 34m do primeiro tempo não existiu. O lance aconteceu fora da área. Borges cobrou com sucesso. Cruzeiro, 1 a 0. Houve antes uma bola na trave chutada por Ceará na cobrança de falta.

Pensei comigo no intervalo: alguém soprará pra este juiz que o pênalti foi mal marcado e ele dará a compensação. Ainda bem que a compensação aconteceu quando o Cruzeiro vencia por 2 a 0, outro gol de Borges, numa jogada criada por Montillo pela esquerda, aos 10m. Quiseram inventar um impedimento no lance. Suspeitaram que a língua de Walyson estivesse pra fora e que o juiz devia dar impedimento. Que besteira, gente! Gol legal. Cruzeiro, 2 a 0, de novo Borges.

Mas o pênalti em favor do Palmeiras, aos 24m, que Barcos transformou no gol do Verdão não existiu também. A tal compensação que, mesmo assim, não agradou aos paulistas. Quase os atletas paulistas bateram no árbitro após o jogo. No lance Victorino disputou a bola meio desajeitado com Maicon Leite e ambos caíram. Nada a marcar. Mas o soprador de apito deu pênalti.

A partir daí o Palmeiras foi todo ao ataque, cheio de homens de frente, enquanto as substituições do Cruzeiro, nem Anselmo Ramon no lugar de Borges, surtiram efeito. O maior susto veio a minuto do final,  na prorrogação; numa das muitas faltas imbecis que William Magrão cometeu, a bola voou pra área e Maicon Leite marcou de cabeça. Impedimento, segundo o assistente Roberto Braatz e confirmado por nós. Houve sim. Bom, valeu pela vitória, o Cruzeiro sobe pra quinto lugar, com 23 pontos,um apenas atrás do Grêmio, quarto colocado. Seu próximo jogo será  em casa de novo, contra a Ponte Preta.

 Brasil levou apenas um susto, nada mais do que isso, ao tomar o gol da Bielorrússia na abertura do marcador, em sua segunda partida na fase classificatória das Olimpíadas. Aliás, gol de brasileiro naturalizado, o catarinense Renan. Pouco depois, Alexandre Pato empatou; Neymar, de falta, fez 2 a 1 e Oscar encerrou a brincadeira, após receber magistral passe de calcanhar da Jóia santista. Ou seja, o Brasil com seis pontos está classificado e faz a última partida apenas pra saber se será o primeiro do grupo. Amanhã, vou escrever mais sobre o nosso futebol nas Olimpíadas.  

Estou bem preocupado com a semana do América. Participa da abertura da 14ª rodada da Série B nesta terça-feira, às sete e meia da noite, contra o Joinville, no Estádio Independência. Penso que o time se perder outra vez, como aconteceu em Varginha, diante do Boa Esporte( 2 a 1) despenca pra fora do G-4.O Goiás, quarto colocado, apenas um ponto atrás do Coelho, recebe o ABC no Serra Dourada. Qualquer tropeço americano ele pula na frente.

Vale lembrar que o Joinville está em sétimo lugar e numa fase de recuperação. Venceu o América-RN por 1 a 0 na última rodada, em Santa Catarina. o time potiguar, tem 23 pontos, e está na cola do Coelho. Joga em casa contra o Grêmio Barueri.

O goleiro Rodrigo  pegou até pênalti cobrado por Pedro Júnior do Vila Nova, e o Tupi conseguiu bom resultado em Goiânia, no Estádio Serra Dourada, sábado, ao empatar em 0 x 0 com  o Vila Nova local. Mesmo com o ponto conquistado, o Galo continua na lanterna do Grupo B da Série C, somando dois pontos, mas faz duas partidas seguidas em nos  próximos sábados, contra o Santo André, e o Brasilense.. “É o início de um recomeço”, definiu o técnico estreante Felipe Surian.


12 comentários:

  1. O gol foi irregular na origem, uma vez que a falta que levou ao lance foi batida quando Pierre tomava cartão amarelo e ouvia um sermão do juiz (fato que tirou o jogador da linha de marcação pe bagunçou a defesa do galo).
    Segundo a Pagina 88 das diretrizes da CBF, http://www.cbf.com.br/media/58890/regras%20de%20futebol%202012-internet-ok.pdf:
    "Quando o árbitro tiver decidido aplicar um cartão (...) o jogo não deverá ser reiniciado ate que o cartão tenha sido aplicado."
    O erro do bandeira só evitou que o galo fosse prejudicado mais uma vez.

    ResponderExcluir
  2. Prezado Flávio Anselmo, permita-me publicar o comentário do Varela ao post do Juca Kfouri:

    Pagina 88 das diretrizes da CBF, http://www.cbf.com.br/media/58890/regras%20de%20futebol%202012-internet-ok.pdf:
    “Quando o árbitro tiver decidido aplicar um cartão (…) o jogo não deverá ser reiniciado ate que o cartão tenha sido aplicado.”
    Basta ver o lance do gol inteiro para observar que o juiz deixou o Flu bater enquanto dava cartão para o Pierre, tirando o jogador da defesa do atlético e prejudicando a marcação do time. O gol foi ilegal de qualquer maneira.

    ResponderExcluir
  3. AS IMAGENS NA TV SAO CLARAS, O WALYSON ESTAVA IMPEDIDO, ANTES DE COMENTAR VEJA PELO MENOS AS IMAGENS, NAO SEJA RESISTENTE A TECNOGIA, OU ESTA COMENTADO COMO TORCEDOR, SEJA PROFISSIONAL.

    ResponderExcluir
  4. Máfia Azul - CMA30 de julho de 2012 11:45

    KKKKKKKK as Cocotas são uns comédias mesmo! "Página 88 das diretrizes da CBF"?!?!?! HUAHUAHAUHAUHAUAHAUHAUAHAUHAUAHAUA Olha a outra pérola: "AS IMAGENS NA TV SAO CLARAS, O WALYSON ESTAVA IMPEDIDO, ANTES DE COMENTAR VEJA PELO MENOS AS IMAGENS, NAO SEJA RESISTENTE A TECNOGIA, OU ESTA COMENTADO COMO TORCEDOR, SEJA PROFISSIONAL." HUAHUAHUAHAUHAUA Tamo chegando flanelaiada!!! HUAHUAHUAHAUHAUA

    ResponderExcluir
  5. Máfia Azul - CMA30 de julho de 2012 11:49

    Ei Álisson - Janaúba e Varela,

    vocês se esqueceram também da nota de rodapé 18, página 56, abaixo do parágrafo 10º, inciso III, que diz: "Quando o roubo é a favor do nosso time, ele passa automaticamente a ser um acerto!"

    HUAHUAHUAHAUHAUAHUAHAUHAUA

    ResponderExcluir
  6. O fato é q os dias de moleza para o Atlético, que tem um time muito bom e equilibrado, chegou ao fim. Apesar de ter todas as chances de ser campeão, pois o time está equilibrado, ele não conseguiu ganhar do único adversário realmente forte e se não fosse o erro da arbitragem teria perdido. O outro adversário seria o Inter, mais estava desfalcado dos doismelhores (seleção) e teve Dalessandro expulso aos 30min.
    Amaury - Montes Claros

    ResponderExcluir
  7. Corrigindo:"os dias chegaram"
    Amaury

    ResponderExcluir
  8. Gol mal anulado? Vejam isso aqui e me digam se a jogada que iniciou o gol foi regular? No fim, o erro do bandeira compensou o erro do juiz, que por sinal era péssimo. Invertendo faltas, não dando cartões ao jogadores do Flu e o cartão que o Pierre recebeu nem falta foi.
    Link: http://img651.imageshack.us/img651/5910/golirregular.png

    ResponderExcluir
  9. Amaury, quando a pessoa começa a distorcer a realidade, só há uma solução: passe nas edições paulinas e compre o kit do torcedor azul: um terço e uma vela, além de uma camisa do adversário do galo. Torcida arco-iris é essa aí. Vai torcer pra 18 times diferentes na temporada.

    ResponderExcluir
  10. Calma, Marcelo,
    em nenhum momento desqualifiquei o deixei de reconhecer o potencial do seu time. Talvez o Atlético HOJE seja realmente o melhor time do Brasil, o fato de eu ser cruzeirense não me impede de forma alguma em reconhecer isso. Só digo talvez pq o mundo da bola é muito complexo e cheio de surpresas. Quem sabem o Inter, com a volta do Damião (achoq o Oscar não volta)no segundo turno, o São Paulo mais incorpado e Fluminense ameacem o Atlético no segundo turno. O meu Cruzeiro, time em reformulação em plena competição mais exigente do país, está procurando um ponto de equilíbrio e formação ideal,mas paga por não ter utilizado o Mineiro para fazer isso, qdo.enfrentar o Atlético tem que jogar respeitando-o e procurar explorar os erros do mesmo, sob pena de ser goleado. ISSO É FATO e nós Cruzeirenses temos q cair na real.
    Qto.ao erro de arbitragem ele ocorreu tanto em favor do Atlético como do meu Cruzeiro. Quer saber,não quero oCruzeiro ganhando assim. Já sofrimuito sendo roubado e para mim esporte não é isso.Sem essa de gol aos 45 min, impedido e de mão.
    Respeitosamente,
    Amaury

    ResponderExcluir
  11. O juiz do jogo do Galo, foi de uma má vontade e generosidade aos distribuir cartões para os alvingros, q a anulação do gol do Fred foi até uma surpresa.Em vista do historico dos times mineiros, em relação a arbitragens, ainda acho q Cruzeiro e Atletico tem credito com essa patota da rua da Alfandega(sede da CBF).Quanto ao jogo do galo, esperava mais dos 2 times.Foi um jogo muito ruim.O q mais me espanta nesse brasileiro e´q os times considerados os melhores, não conseguem atuar de maneira q nos encha os olhos.O time do Flu, por exemplo, é um bom time, com grandes jogadores , mas não encanta,seu treinador Abel, zagueiro de cintura dura nos tempos de jogador,não consegue fazer esse time jogar, ou prefere q ele não jogue mesmo e isso serve para o Inter e para o vasco também.Já o Galo, poderia até ter saido com um resultado melhor, se tivesse acreditado mais, se Bernard estivesse num dia melhor, assim como seus companheiros de ataque.Quanto ao cruzeiro, apareceu o futebol de Montillo.Quando o celso Roth deixa o craque livre para jogar, sem atuar como secretario de lateral esquerdo, sem a obrigação de dar pontapés nos adversarios, o time joga algo parecido com futebol, mas ainda é muito pouco, diante de um adversario tradicional, q estava a meia boca(sem 9 jogadores) o time ainda conseguiu passar sufoco no final, devido as substituições equivocadas, mais uma vez do maior dono de oficina do país(Celso Roth), q disse ao fim do jogo, q a mecanica de jogo melhorou......Celso Roth não tem uma FERRARI nas mãos, mas não precisa tratar o time do Cuzeiro como se fosse um Fordinho 29...

    Abs
    Luiz Flavio

    ResponderExcluir
  12. Grande debate, em alto nível de Amaury e Marcelo. Realmente, o Amaury tem razão numa coisa. A opinião alheia não muda a história do jogo e pode ser emitida e respeitada. TB achei excelente a participação de Luiz Flavio, principalmente qd diz que "Celso Roth não tem uma Ferrari nas mãos, mas não precisa tratar o time do Cruzeiro como se fosse um Fordinho 29. Assisti tudo de perto. Parabéns a todos.

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.