terça-feira, 31 de julho de 2012

PROVOCAÇÕES DESNECESSÁRIAS


                                                  Foto de Rodrigo Clemente/EM/DA Press
O que Alexandre Kalil faz atualmente em suas provocações ao Cruzeiro, como aquela que seu “objetivo é acabar com o arquirrival e fazer do América o segundo clube de Minas”, e esta agora na Câmara Municipal quando disse que “a inveja é uma merda”, é lançar na mídia meras frases de efeito, sem nenhum sentido.

Com certeza, não terão resposta do presidente Gilvan do Pinho Tavares. Kalil ataca recuperando o tempo perdido, porque com o ZZ Senador a briga subia o clima, e as respostas sempre vinham. Ou através de ZZ ou de Valdir Barbosa. Atualmente, até o Valdir anda contido. Gilvan, parece-me, não ser do tipo que debate ilações publicamente.

Penso ser uma grande besteira tal discussão que não acrescenta nada ao futebol e nem melhora ou piora a credibilidade da Câmara Municipal tão pródiga em fornecer cidadanias honorárias a qualquer um que se instale definitivamente, ou de passagem, pela esburacada Beagá.

Proveito mesmo a idéia do vice-presidente atleticano e autor da emenda que homenageou RG-49, Daniel Nepomuceno – bela cartada de marketing político – tirarão outros nobres edis da Casa.

Não sei se a lei eleitoral ou os estatutos da Egrégia (sic) Câmara permitem, mas, de repente, com base nessa emenda um deles resolva homenagear Walter Montillo, ídolo do Cruzeiro, argentino e belorizontino de coração conforme tem declarado sempre.

No entanto, a última declaração de Kalil é uma acusação séria: “Larguem a inveja. Isso não faz mal a ninguém. Isso não é pegar propina para construção”. A carapuça serviu em quem? Surgirá nas especulações ou Kalil apontará o dedo na direção do acusado.

5 comentários:

  1. Flávio, sempre o critiquei por aquilo q eu entendia como excesso e/ou parcialidade sua nas análises sempre muito deslumbrada para o atlético e ácida para oCruzeiro (sempre com respeito,claro), mas preciso elogiar suas palavras bem escolhidas. Vejo muitas qualidades no Kalil; ele sempre demonstrou muito amor e abnegação para com o atlético. Mas nunca esqueci suas palavras há uns dez anos qdo o ouvi na Itatiaia dizer q queria ver o Cruzeiro no buraco,destruído! Pensei,gente, futebol é isso? Tem q ter NECESSARIAMENTE esse ódio para valer e ser reputado como MACHO e apaixonado,diferenciado. Sou Cruzeirense apaixonado,mas sempre respeitei o atlético e os atleticanos; sempre reconheci seus valores.Minha mãe e meu irmão são atleticanos(este é mais apaixonado pelo galo do q eu pelo meu Cruzeiro).Aprendi a nunca tirar sarro dele logo após um insucesso do galo (só no dia seguinte) e vice-versa.Mas é notório no Kalil essa mágoa,ódio e preocupação excessiva com o Cruzeiro.Isso é transmitido para a torcida do galo, q carente como é de título e sofrida pelos anos e mais anos de desmando e alvo de chacotas (no passado)fica vulnerável e por qualquer motivo parte para a briga e confronto (claro q há cruzeirenses animais, tbém).Grande maioria da massa do galo tem fixação por sexualidade e implicam em chamar a torcida celeste de Marias,etc.Começou na década de setenta rotulando Raul de Vanderléia e por aí vai. Por castigo, arrumaram uma camisa rosa(q não vejo problema nenhum,mas para quem implicou sempre com isso...)e com integrante do elenco q eles não toleram (outra bobagem).
    Kalil, vc tem mais qualidade q defeito e tem honrado seu time. Não precisa baixar o nível.Vc não precisa disso. Muitas vezes vc passa a impressão de ser muito vaidoso e adorar polêmica,mídia, holofote e ser admirado, reputado como diferenciado. Vc já é, não tenho dúvida disso. Não quero a destruição ou insucesso seu ou do galo(apenas quero ganhar de vcs em alto nível).
    Respeitosamente,
    Amaury Alkimim-Montes Clraos

    ResponderExcluir
  2. Flávio, Kalil não precisa apontar o dedo. As investigações da polícia ( ou seria do ministério público?) e os jornais já apontaram o dedo pra ele. Kalil estava se referindo a Alberto Rodrigues, mas acaba respingando também em Reinaldo. Aqui o link pra notícia: http://www.em.com.br/app/noticia/politica/2011/12/02/interna_politica,265234/vereadores-sao-afastados-da-camara-de-bh-mas-salarios-sao-mantidos.shtml

    ResponderExcluir
  3. Esse Kalil não é patriarca da moralidade pra falar de ninguém, só pra lembrar o BMG é aquele banco que lavou dinheiro pro Marcos Valério né? Ha tá , e esse marco valerio é aquele da turma do mensalão né, ha sei, então podemos dizer que o dinheiro das contratações do galo veio do BMG ou seja do MENSALÃO.

    ResponderExcluir
  4. Não, anônimo. O banco do mensalão era o Rural. Mas se vc quer criticar o BMG e torce para o ipiranga barro preto, saiba que o BMG patrocina seu time também. Caso contrário, vcs estariam em situações bem piores do que estão. E já que vc tocou no assunto, quem é mesmo que teve recentemente a residência invadida por policiais por causa de acusações de desvio de verba em merendas escolares de crianças carentes em Montes Claros, totalizando a soma de 60 milhões de reais desviados? Isso não é muito mais sério e grave que um título politiqueiro, sem dúvida, dado a Ronaldinho? As pessoas e a imprensa, principalmente a esportiva, não deveriam muito mais desviar seu foco para este último assunto? Por que Flávio Ansilomo se esquivou quando este último assunto apareceu e apedrejou o Daniel Nepomuceno?

    ResponderExcluir
  5. O BMG, um dos bancos envolvidos no escândalo do mensalão, fez doações eleitorais no valor de R$ 13,3 milhões a 102 candidatos em 19 Estados. Nas informações disponibilizadas pela Justiça Eleitoral, não constam doações a diretórios partidários.

    No pleito de 2006, um ano e quatro meses após o escândalo ter sido descoberto, o BMG doou R$ 2,4 milhões a 39 candidatos. Corrigido o valor pelo IPCA e comparado com as doações em 2010, o montante cresceu 491%.

    Acompanhe a Folha Poder no Twitter
    Comente reportagens em nossa página no Facebook

    As doações do BMG em 2010 foram tanto para os opositores PSDB, DEM e PPS quanto para os situacionistas PT, PMDB e PC do B. Foram beneficiados candidatos de 15 partidos, mas nenhum candidato a presidente.

    O maior montante foi para o governador reeleito Sérgio Cabral (PMDB-RJ), que levou R$ 600 mil. O governador eleito Beto Richa (PSDB-PR) obteve R$ 500 mil. Antonio Anastasia (PSDB), reeleito em MG, recebeu R$ 504 mil.

    A lista inclui ainda Tarso Genro (PT), governador eleito do RS, André Puccinelli (PMDB), governador reeleito de MS, e Eduardo Campos (PSB), governador reeleito de PE, cada um com R$ 300 mil.

    Há também candidatos a deputados e ao Senado, como Aécio Neves (PSDB-MG), com R$ 400 mil, Fernando Pimentel (PT-MG), com R$ 500 mil, Itamar Franco (PPS-MG), com R$ 200 mil, e Demóstenes Torres (DEM-GO), com R$ 130 mil.

    BANCO RURAL

    Outro banco citado no mensalão, o Rural --que em 2006 não fez doação, de acordo com TSE--, doou neste ano R$ 1,33 milhão para oito candidatos. André Puccinelli e Sinval Barbosa, reeleito governador do MT, receberam cada um R$ 500 mil.

    BMG e Rural foram responsabilizadas pelo financiamento do esquema do mensalão e por isso respondem a processos administrativos por "conduzir operações de crédito em desacordo com os princípios de seletividade, garantia e liquidez".

    Para o Banco Central, isso caracteriza "infração grave na condução dos interesses da instituição". As instituições negam irregularidades.

    OUTRO LADO

    O Banco Rural confirmou o valor doado e disse que as doações "respeitaram estritamente as regras impostas pelo TSE". O BMG informou que "todas as suas doações são regularmente contabilizadas e obedecem estritamente ao que determina a legislação eleitoral".

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/825762-banco-do-mensalao-doou-r-133-milhoes-a-candidatos.shtml

    Muito desinformado!!!

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.