quinta-feira, 2 de agosto de 2012

GRUPO DO CRUZEIRO NÃO APOIA REVOLTA DE WP-9 NA RESERVA



Wellington Paulista cometeu dois erros grosseiros esta semana: a) escreveu bobagem numa rede social; b) recusou a justificar-se à torcida através da imprensa. Escolhido pra coletiva, não atendeu o pedido. Seu filme queimou-se até junto aos companheiros da liderança interna do grupo. Normalmente brincalhão e sorridente, depois de deslizar-se na página no Facebook, WP-9 não se desculpou nem com os companheiros de elenco.-( Foto de Rodrigo Clemente - EM/DA Press)

Permanece em silêncio, macambúzio, soturno e afastado. Lembram-se do que ele postou em sua página no Facebook antes do jogo contra o Palmeiras? Escreveu o seguinte: “Um dos jogos mais importantes para mim no ano vou ficou no banco. O que será que eu fiz de errado, em? rrrrrrrrrrrrr... Haaaa, já sei, fiz muitos gols este ano”. 

Aparentemente não há nada de mais nessa revolta do atacante. Os mimados atletas de futebol sofrem crises de vaidade e auto-suficiência o tempo todo. Puro narcisismo, que os leva sempre à frente do imaginário espelho mágico pra perguntar se existe alguém mais bonito, inteligente e gostoso do que aquele que se mira no momento.

Todavia, WP-9 tem idade suficiente e muito tempo de futebol pra saber que declarações deste tipo, em defesa dos próprios interesses, são vistas no grupo como falta de ética. Ah, o beque uruguaio Victorino, também, reclamou e não houve tanta repercussão. Não é verdade: repercussão teve e muita.

A diferença é que Victorino usou a questão da seleção de seu país, caso continuasse na reserva, e não afirmou que merecia a titularidade. Apenas pediu pra ser negociado, porque não gostaria de continuar reserva. WP-9 podia ter feito a mesma coisa. Suas declarações ofenderam vários companheiros entre eles Borges, Anselmo Ramon e Walyson que lhe tomou a posição.

Prestem bem atenção nessa declaração de Leandro Guerreiro, um dos líderes do atual grupo do Cruzeiro: “Hoje, no futebol, não existe mais querer fazer biquinho, corpo mole ou panelinha para ganhar posição. Você tem de mostrar em campo. Isso que o Wellington vai fazer, eu e Victorino fizemos. Temos um grupo fechado que vai conseguir o objetivo de chegar à Libertadores”.

Tudo bem que WP-9 seja o goleador do Cruzeiro na temporada, com 19 gols em jogos oficiais. Contudo, a dupla que formava com Borges não deu certo e Celso Roth precisava mudar. Preferiu sacar WP-9 e colocar Walyson, manter Borges de centro-avante.

Também não concordei, a princípio. Com o andar da carruagem reconheci que a mudança do técnico dera certo; mais pelo novo esquema, nem tanto pela presença de Walyson. Podia ser outro velocista autêntico. Mas vamos esperar.

Já que estou com a mão na massa, parto pra criticar o treinador do Cruzeiro. Informou no princípio da semana que não mexeria no time e muito menos na zaga que o agradou bastante contra o Palmeiras. Mentira! São verdades de 24 horas, próprias do futebol.

No último coletivo da semana Celso Roth tirou Thiago Carvalho, o melhor zagueiro do elenco, do lado de Victorino e voltou com Léo. Este moço Léo tem jeito de menino criado pela avó materna que lhe deu vários banhos de leite condensado. Ele tem qualquer coisa que os treinadores não o rejeitam de jeito maneira.

O futebol mineiro tem primado pelas contratações de velhinhos quase ex-atletas e/ou atletas rodados por esse mundo afora, sem maior sucesso. Quando se trata de algum investimento melhor e com perspectiva de sucesso, os olheiros das Geraes fracassam. Não seria o caso de Liedson, cujo contrato terminou com o Corinthians e não houve renovação?

Pois é, seria, porém não é mais. O Flamengo correu atrás e contratou Liedson até o final do ano que vem. Fará dupla com Wagner Love. Liedson, 34 anos, fez seis jogos pelo Timão no Brasileiro e está dentro do limite que permite o atleta defender outro clube na mesma edição da competição. Ele chegou a ficar fora das partidas contra Botafogo e Náutico, nas últimas rodadas, para não estourar a cota. (Foto Marcos Ribolli - Globoesporte.com)
                                                                                                                      Por falar em centroavante, me pergunto: onde o Palmeiras foi descobrir este Hernan Barcos? Com certeza, o pessoal palmeirense prestou mais atenção do que os concorrentes naquele grandalhão atacante, talentoso dentro da área, com a camisa da LDU, do Equador, nas últimas edições de Copa Sul Americana.

Barcos tem história na competição. Marcou 10 gols em duas edições, a de 2010 e na de 2011. Contra o Botafogo, na abertura do torneio deste ano, fez dois gols maravilhosos. O atacante palmeirense ressaltou que gosta de disputar este modelo de competição – o mata-mata. Marcou seu 17º gol com a camisa palmeirense e a meta que lhe estabeleceu é de fazer 27 gols na temporada.

Não creio que Barcos deixe de atingir tal meta. Ele me mostrou como um bom centro-avante deve ser: guloso, indiferente às cotoveladas dos zagueiros, e, de quando em vez, fazer uma boa assistência pra ficar bem com os companheiros.

Vou repetir: os nossos olheiros são vesgos. Ou cegos, podem escolher. Boa Esporte negociou esta semana o volante Claudinei, de 23 anos, para um grupo de empresários. O jogador será repassado para um clube da Série A do Campeonato Brasileiro. O destino do atleta ainda não foi divulgado.

Claudinei chegou ao clube em junho de 2009 pra disputar a Série C pelo ex-Ituiutaba, agora Boa Esporte. Desde então, durante três anos, jogou 136 vezes e chamou a atenção de todo mundo que lida no futebol mineiro; exceto os olheiros. Este Claudinei disputou 24 jogos com o Boa e marcou um gol.

Esta Trincheira, sempre atenta às coisas das Geraes, mais que o professor Anast-azia, e, portanto, Sua Excia. devia trocar de lugar com este responsável  pela coluna virtual de maior sucesso na Internet, ao saber que o Cruzeiro estaria em negociações com o Boa Esporte pra contratar o zagueiro Thiago Carvalho, mandou recado: tragam Claudinei, também. Não fizeram isso e, certamente, vão buscá-lo mais caro depois.

Não sei como Givanildo de Oliveira vai se arrumar outra vez sem Leandro Ferreira (foto de Tarcisio Badaró - Globoesporte.com) e Rodriguinho naquele meio-campo do América; e quem colocar na frente nas vagas de Fábio Júnior e Alessandro, dupla que precisa ser desfeita com urgência, porque não tem jogado nada. Enfrentar o Asa em Arapiraca não será tarefa fácil. Se perder de novo, o Coelho pula pra fora do G-4. Cruzes!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.