sexta-feira, 10 de agosto de 2012

SEXTA-FEIRA MAIS QUE AGITADA NO GALO

Após a vitória suada - e a recuperação da liderança - sobre o Coritiba por 1 a 0, gol de Rever, os jogadores do Atlético, liberados pelo técnico Cuca, resolveram tocar a vida como qualquer ser vivente. Saíram pra balada. Algumas pessoas condenam tais atitudes dos atletas em geral, visto que após tal desgaste numa partida duríssima como foi a de quinta-feira e com outra programa pra domingo contra o vice líder do campeonato, o Vasco da Gama, a moçada devia ir pra casa descansar. Pensaram diferente: foram desanuviar a cabeça, tirar o estresse das concentrações e outras coisas do espírito. 







André jogou alguns minutos contra o Coritiba e no dia seguinte foi negociado pra voltar à Vila Belmiro (Foto de Marcos Michelim - EM DA/ Press)


0 atacante André foi visto no Chalezinho que nem sei onde fica em companhia de uma linda loura. Por que não esposa, noiva ou namorada? Ninguém soube me informar. Este no local bom tempo a partir das duas e meia da manhã. Foi provocado por algumas "malas", mas manteve-se na sua e curtiu a noite. No dia seguinte ia treinar quando recebeu a informação de que fora negociado, por empréstimo, com o Santos. Segundo ele, não sabia nada sobre tal transação. BMG? Sei lá. Punição pela noitada? Não creio, talvez mera coincidência. 







Rever, nervoso, não quis falar na coletiva sobre a confusão em Sete Lagoas. Direito dele; assunto de sua vida pessoal.




Depois estourou a confusão na qual se envolveram Danilinho e Rever, numa festa no Parque de Exposição em Sete Lagoas. Não vi, não sei o motivo, e poderia seguir dois caminhos: a) como dizia dona Geralda quando eu era pego em flagrante delito nas noites de Caratinga:"se estivesse na Igreja rezando, nada disso aconteceria"
Na cabeça eu arquitetava uma resposta, mas cadê coragem de responder à matrona dos Anselmo? Teria dito: "vou passar a vida só na reza? Nada de pecado? Pra que padre então?"

Caso Danilinho e Rever tivessem tomado rumo de casa, após a partida, nada disso aconteceria. Pô, se foram à   bela Sete Lagoas,convidados pra festa ou pra ver algum show, estariam impedidos? Não. E não poderiam assistir o show ou participar da festa sem que algum pela-saco viesse encher-lhes os respectivos sacos? Claro que podiam; um direito constitucional deles. O grande pecado dos rapazes é que são figuras públicas, jogadores do Galo e, com certeza, foram provocados por torcedores adversários. os atleticanos, na alegria que estão com a volta à liderança, com o gol de Rever, dificilmente incomodariam ilustres visitantes. 

Hipocrisia que persegue atletas de futebol. Vamos ler a narrativa do repórter João Henrique do Vale, do Estado de Minas, publicado no Superesportes: 

O meia-atacante Danilo Verón Bairros, o Danilinho, e o zagueiro Réver Humberto Alves Araújo, ambos jogadores do Atlético, se envolveram em uma confusão na Exposete, festa realizada do Parque de Exposições de Sete Lagoas, na Região Central do Estado, na madrugada desta sexta-feira. De acordo com testemunhas, os atletas brigaram com torcedores no final do evento. Um cinegrafista amador flagrou parte da confusão. 

Os jogadores foram até a festa, após a vitória do Atlético por 1 a 0 contra o Coritiba, com gol marcado pelo próprio zagueiro Réver. Durante o evento, um torcedor teria pedido para tirar uma foto com o jogador e, a partir daí, iniciado a confusão.

Imagens registradas por um participante da festa e enviadas para a TV Alterosa mostram os dois jogadores sendo contidos por seguranças. Durante a confusão, o cinegrafista fala que o jogador chegou a agredir uma pessoa no chão. Ao final do treino desta sexta-feira, Réver foi escolhido para a coletiva de imprensa, mas preferiu não dar declarações sobre o caso. “Estou aqui para falar de futebol, e não estou aqui para expor minha vida pessoal”, afirmou.

A assessoria de imprensa da
festa afirmou que a confusão aconteceu fora do camarote e que nenhum dos jogadores foi convidado pelo evento, ou seja, pagaram normalmente o ingresso. “A festa já não estava acontecendo. O episódio ocorreu quando já estava quase de manhã, na saída do evento, quando todos os shows já haviam se encerrado. Nesse horário nós fazemos a reposição dos alimentos e a limpeza do local. Os seguranças já estavam fazendo a varredura para retirar as pessoas de dentro do evento para fechar o portão”, explica o assessor Júnior César.

3 comentários:

  1. Pessoas públicas tem que aprender a se portar como pessoa pública, caso contrário, seja mais um

    ResponderExcluir
  2. Esse assunto é complicado , pois o jogador precisa do seu corpo saudavel para exercer sua profissão, por outro lado são jovens e com dinheiro, seres humanos sujeito a erros como outros.O q me preocupa é o ar de falta de respeito quando jogam aqui, principalmente os q vem de fora q nos tratam como uma simples provincia, e por outro lado , preocupante também é o excesso de patrulhamento por parte da torcida e de parte da imprensa.O ideal seria um meio termo disso tudo ai, com os jogadores não se expondo demais e a torcida tendo mais paciencia.O jogador perdeu a medida da sua responsabilidade com a camisa q veste, por não ter mais vinculo , emocional , com o clube q lhe paga, sendo profissional.O torcedor será amador sempre, gracas a Deus, diga-se de passagem.Nilton Santos, dizia q quando perdia para o Flamengo, não ia nem na mercearia da esquina de sua rua.Hj, o jogador toma de 6 e sai como se nada tivesse acontecido, irritando o seu torcedor.Seria bom ligarem o desconfiometro, mas também serem patrulhados 24 horas por dia , ninguém aguenta.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo e Luiz Flávio. A mensagem deste último responder bem a mensagem anônima. Inclusive situa os bons tempos do futebol quase amador com os excessos do futebol estritamente profissional de agora. Coloca como exemplo um dos maiores craques que vi atuando não apenas no Botafogo, seu único clube, como tb na Seleção Brasileira, bicampeão mundial. Esteve em quatro copas e ganhou duas. Um gênio, sem dúvida. O texto de Luiz flávio é muito bom e merece estudo. Abs para ambos. Feliz dia dos pais.

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.