quinta-feira, 20 de setembro de 2012

ROTH VOLTA VICTORINO SEM MELHORAR CLIMA COM OS ESTRANGEIROS



Mesmo que confirme a escalação do uruguaio Victorino, o técnico Celso Roth não ganhará a simpatia dos estrangeiros do elenco azul. Fisguei no ar comentário de um torcedor, durante caminhada diária em volta da Barragem Santa Lúcia. Ele ia à minha frente e dizia aos companheiros estar bem enfronhado no assunto, por ser próximo a conselheiros importantes do Cruzeiro sobre a situação de Montillo e Victorino, e via de consequência de Diego Arias e Martinuccio. Este último, de contratado assinado apenas agora, foi apenas citado por ligações com a turma de língua espanhola. Árias tem todos os motivos pra nem olhar na cara de Roth, ou de qualquer técnico do Cruzeiro. Não ganhou uma oportunidade sequer pra justificar sua contratação exaltada pelo presidente Gilvan do Pinho Tavares.( Victorino na foto de Euler Jr-Em/DA Press)
Segundo o caminhante da Barragem, Walter Montillo teve um atrito no restaurante do clube ao sentar-se com o pessoal da enfermaria pra almoçar, após fazer tratamento. Roth teria chegado carrancudo e dito ao craque argentino que ele estava faltando-lhe com o respeito e não cuidava de sua recuperação. A conversa teria corrido para o lado de falso tratamento, apenas com gelo, sem outros cuidados. Montillo não gostou. 

Montillo com Marcelo Oliveira e Tinga: sempre de cara fechada na Toca ( Tarcisio Badaró - Globoesporte.com)

Também demonstra em campo que tem problemas com o treinador. Tem jogado mal. A indisposição de Victorino com Roth é mais antiga. Foi sacado do time na 15ª rodada porque estava mal. Andou de chinelinho uns tempos, pediu pra ser negociado, conversou com a diretoria e não apareceu nenhum pretendente. Nem no banco tem ficado. Agora por falta de outro, ou de confiança em Donato, o treinador deve lançar mão a contragosto do beque da seleção uruguaia contra o São Paulo, neste domingo, no Morumbi. Então o torcedor e este analista ficam à vontade na pergunta: como derrotar adversário forte feito o São Paulo, lá dentro do Morumbi, com uma equipe cuja base não tolera o comandante? 

BERNARD TIETA RG-49

Se os jogadores mais jovens do elenco tietam e respeitam RG-49, o professor Cuca também não perde a chance de ouvi-lo e amealhar a sua experiência internacional. Ronaldinho Gaúcho é a cabeça pensante do Galo dentro de campo (foto de Leonardo Simonini - Globoesporte.com) 
Em toda entrevista, quando lhe perguntam sobre a importância de Ronaldinho Gaúcho para o time do Atlético, atualmente, o jovem Bernard, recém chegado da Seleção Brasileira, deslumbrado com o ambiente de algumas feras, confessa que, particularmente, tieta RG-49 a todo instante. Também pudera! Tive experiência mais ou menos parecida, com Pelé, Beckenbauer, Bobby Moore, Fontaine – artilheiro da Copa de 58 com 13 gols – Raymond Kopa e outros. Na Copa da Argentina, este menino de Caratinga, então com 35 anos, fazia sua primeira cobertura de um mundial. Na fila do bandejão no centro de imprensa, estavam ordeiramente quase todos essas lendas vivas, exceto Pelé. Fiquei boquiaberto e sem fala.
Aos 20 anos, Bernard não contava jogar com seu ídolo a não ser nos sonhos sobre a Seleção. Ronaldinho Gaúcho no Atlético, porém, tornou o sonho do menino, que, aos 11 anos, acompanhava o craque no Barcelona. Tietagem à parte, essa dupla de ídolos da torcida alvinegra tem pesada missão neste domingo. Vencer o Grêmio no Independência, à noite, e não sair do calcanhar do Fluminense. Além do que o time de Vanderlei Luxemburgo é outro forte concorrente, em terceiro lugar com 48 pontos.

QUARTO GRINGO NA TOCA

O argentino Martinuccio passou nos últimos exames e assinou contrato com o Cruzeiro. Pra quê? A lei permite que seja utilizado visto que o clube já tem o também argentino Montillo, o uruguaio Victorino, e o colombiano Diego Árias? Pode ser que no final da temporada, totalmente recuperado da fratura por estresse, Martinuccio torne-se uma realidade e Victorino ou Diego Árias saiam. Martinuccio de apenas 24 anos,  já passou pelo Nueva Chicago e River Plate, da Argentina; Peñarol do Uruguai; Fluminense e Villareal da Espanha, antes de aportar na Toca da Raposa. Chegou baleado, com uma contusão séria, e tratou-se com a equipe médica do Cruzeiro. Dizem que tá recuperado, tanto que assinou contrato. Esperemos!

BAIXINHO CHUTA NA TRAVE

Crítico feroz de Mano Meneses, o deputado federal Romário fugiu da área específica do futebol e mergulhou nos porões fechados da ditadura militar, que a presidenta Dilma frequentou como presa política torturada. Em 1970, a Ditadura pressionou a CBF, presidida por um militar, que afastasse o comunista João Saldanha da Seleção. Arrumaram uma desculpa. O presidente Médici queria Dada Maravilha na Seleção. Saldanha respondeu às pressões: “Ele não escala minha seleção e eu não escalo seu Ministério”. Ganhou o apelido de João Sem Medo e caiu. Entrou Zagallo e Dario foi convocado. Se o deputado Romário, tão perfeito como atacante nos bons tempos, tivesse consultado o Google teria encontrado o seguinte sobre Médici:
Governo Médici (1969-1974) - Sonho de consumo de qualquer nazi-fascista, o governo de Emílio Garrastazu Médici leva o Brasil aos anos de chumbo. A luta armada passa a ser cada vez mais forte no governo do ex-chefe do SNI. Para contê-la, o Destacamento de Operações e Informações ao Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-Codi) amplia para todo o país as torturas contra aqueles que fossem, inclusive, suspeitos de lutar contra os princípios democráticos.
Com tal exemplo, a presidenta Dilma não atenderá ao apelo de Romário pra forçar a CBF demitir Mano Meneses e colocar Murici no lugar dele. O Baixinho, no entanto, insiste no twitter: - Presidenta Dilma, pelo amor de Deus, tome uma decisão junto com o Ministério do Esporte – escreveu Romário.

OUTRO PONTAPÉ NA BUNDA

Que coisa esse tal de Jérôme Valcke, secretário geral da Fifa! Não perde a chance de ser antipático com o futebol brasileiro. Desta vez, a vítima do despropósito desse senhor foi o ex-jogador Cafu, capitão da Seleção Brasileira em 2002 em visita à sede da entidade em Zurique. Cafu teve oportunidade de rever o troféu que levantou no pentacampeonato e será o transportador da  valiosa taça até o Brasil. Na hora das fotos oficiais, Valcke disse a Cafu: “Não vai perder a taça, hein, como já aconteceu da vez passada”. A brincadeira fora de hora lembrava a Taça Jules Rimet roubada e derretida na antiga sede da CBF no Rio, em 1983. De triste memória para nós... A taça nunca mais apareceu e nem os ladrões foram presos.
Ninguém se esqueceu, certo meu Bom, das declarações de Jérôme Valcke à imprensa internacional, num congresso em Londres, de que “o Brasil merecia um pontapé no traseiro pelos atrasos nas obras da Copa de 14”. Doeu tanto no Ministro Aldo Rebelo quanto na presidenta Dilma, mas as obras andaram mais depressa!

CÁLCULOS CERTOS

Os meus cálculos como pitaqueiro juramentado a respeito do valor de mercado do meia Paulo Henrique Ganso estão absolutamente certos. São Paulo e Santos fecharam a transação e Ganso deve ser apresentado na próxima semana. Porém no ar ficou-me a sensação: o Santos passou a perna no time de Ney Franco! A Pluri i Consultoria, especialista em análise de mercado de jogadores e clubes de futebol, reduziu a avaliação do meia em 30%. De € 22 milhões (R$ 58 milhões) para € 15,4 milhões (R$ 40,7 milhões). Segundo a empresa, essa reavaliação já havia sido concluída após o término das Olimpíadas de Londres, quando Ganso foi reserva da Seleção. (foto Ricardo Saibum Divulgação-Santos)
Negócio fechado: o Peixe receberá R$ 23,9 milhões referentes aos 45% dos direitos econômicos a que tem direito da multa rescisória para clubes nacionais. Os outros 55% pertencem à DIS, braço esportivo do Grupo DIS. Se a negociação fosse fechada com base na análise da Pluri (€ 15,4 milhões, ou R$ 40,7 milhões), os 45% do Santos seriam R$ 18,31 milhões. A multa rescisória para clubes estrangeiros é de € 50 milhões (R$ 132 milhões). Apesar de muitas sondagens de fora, nenhum clube chegou a fazer proposta oficial por Ganso.
Esse é o segundo corte que a Pluri faz na avaliação de Ganso (o anterior foi após o mundial de clubes 2011), e a justificativa segue praticamente a mesma: "frequentes problemas de contusão e de relacionamento extra campo, com consequente queda de rendimento, e agravada por uma evidente perda de espaço na Seleção Brasileira." A análise é assinada por Fernando Ferreira, economista, especialista em gestão e marketing do esporte e pesquisa de mercado. (Globoesporte.com)

NOVO XERIFE DO COELHO

O zagueiro Dirceu, de 24 anos, que pertence ao Coritiba, emprestado ao Nova Iguaçu, do Rio de Janeiro chega ao América com a moral toda. Pode inclusive estrear contra o Barueri, na próxima terça, no Independência se assim quiser Mauro Fernandes. E deve querer, pois o comandante alviverde já falou sobre ele: será o novo xerife da zaga do América. “Precisamos de um xerifão atrás. O Dirceu chega para cumprir essa função na hora da necessidade. É um jogador que esperamos que possa estar em forma para nos ajudar”.  Não me lembro do distinto, apesar de Mauro informar que Dirceu esteve na zaga titular do Coritiba por bom tempo com Marcelo Oliveira. No entanto caiu em desgraça e pediu pra sair.

3 comentários:

  1. RG faz no galo o mesmo que fazia no Flamengo.


    Sai do treino na hora que quer. Faz um gol de vez em quando e todos transformam em golaço.


    Ele foi decisivo no jogo Flamengo x Santos. Só.


    A diferença é que aqui o marketing é mais pesado. Cidadão honorário, placa para gol mediano, etc.

    ResponderExcluir
  2. E acertou quem nunca acreditou que o chefe da mesa do Jogada de Classe fosse cruzeirense.


    A matéria:

    O perigo que o Atlético corre...

    publicada hoje não deixa dúvidas de que ele é um atleticano fiel.


    O garoto propaganda da Loja do Galo é atleticano sem sombra de dúvida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E agora tem comentarista moderador de bancada que vive a dizer que é cruzeirense de coração.

      As atitudes dele não demonstram isso:

      - Vários atleticanos se passam por cruzeirenses nos comentários lidos mas ele nunca abordou isso. Abordou a situação oposta.

      - Ele disse que o Cruzeiro nunca mais ganharia do atlético com um placar igual a 6x1. Será que um cruzeirense esquece tão fácil uma goleada de 5x0 num passado recente?

      - No programa após os 6x1 ele se mostrou bem interessado na tese (furada) de venda do jogo.

      - Está exercitando uma moderação digna de atleticano apaixonado no seu blog.

      A imprensa esportiva menospreza a inteligência dos telespectadores.

      Excluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.