quarta-feira, 31 de outubro de 2012

GALO ENFRENTA TUDO E TODOS NO JOGO CONTRA URUBU HOJE Á NOITE NO INDEPENDA


Não levante suspeita apenas sobre a arbitragem de Sandro Meira Ricci hoje à noite no jogo Atlético x Flamengo, no Independência. Outras situações pressionam o Galo: uma possível vendetta que apenas a Imprensa enrustida em preto-e-branco vê; a necessidade de uma vitória pra se manter no páreo da briga pelo título e a cobrança da Massa, ansiosa, que cobrará desde o início a superioridade alvinegra.
Essa ideia de que Ronaldinho Gaúcho está mordido com o Fla, por causa de situações passadas e da derrota no primeiro turno, serve de apelo à presença da torcida. Até desnecessário, pois o estádio estará lotado.
Promove mais acerto de contas perigoso entre as torcidas. RG-49 mesmo não fala em vingança e só promete ir com fome total pra partida. Isso é bom!
O jogo vale pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro e que se inicia às nove e 50 no horário louco da TV Globo que o Congresso Nacional sonha em derrubar.
Vencer
o Flamengo representa manter o Fluminense a seis pontos de distância. Além disso, com mais três pontos, o Atlético garante vaga na Libertadores da próxima temporada.
No Atlético, Junior César é desfalque na lateral esquerda, que será ocupada por Richarlyson. O Flamengo tem dois desfalques de última hora: Léo Moura e Cáceres.
Ficha do jogo Atlético x Flamengo
Atlético: Victor, Marcos Rocha, Réver, Leonardo Silva e Richarlyson; Pierre, Leandro Donizete, Guilherme, Ronaldinho Gaúcho e Bernard; Jô.
Técnico: Cuca
Flamengo: Felipe, Wellington Silva, Renato Santos, González e Ramon; Amaral, Ibson, Renato e Cléber Santana; Liedson e Vágner Love.
Técnico: Dorival Júnior
33ª rodada do Campeonato Brasileiro
Local: Estádio Independência.
Horário: 21h50
Árbitro: Sandro Meira Ricci
Assistentes: Roberto Braatz e Alessandro Rocha de Matos

terça-feira, 30 de outubro de 2012

COELHO NÃO VOLTA MAIS Á ELITE ESTE ANO

Com a derrota por l a 0 para o ASA no Independência esta noite, o América perdeu muita coisa: a chance de retornar este ano à Primeira Divisão e o treinador Mauro Fernandes que pediu demissão após a partida. Já o Ipatinga que entusiasmou-se numa sequência invicta de 4 partidas, tomou uma goleada por 4 a zero do Goiás, no Serra Dourada. O ex-atleticano Renan Oliveira com dois gols e assistências importantes na partida. Numa delas, o centroavante Walter, ex-Cruzeiro, marcou seu décimo quinto gol na competição da Série B.

NO MUNDO ATUAL, NÃO SEJA CÉTICO TOTAL: PAPAI NOEL EXISTE.
E, por isso, Palmeiras joga todas as fichas na anulação do jogo com Inter

(De Diego Ribeiro – Globoesportes.com) Palmeiras sabe que as chances de conseguir a anulação do jogo contra o Internacional são quase nulas. Isso porque, apesar de relatos de testemunhas, o clube não tem provas concretas de que o gol de Barcos, no segundo tempo, foi anulado com interferência externa – da tecnologia e do delegado Gerson Baluta, que não pode influenciar na decisão dos árbitros 
Assim, o clube se apega a uma única possibilidade, bastante improvável: a confissão de um dos envolvidos, tal qual o caso do ex-árbitro Edilson Pereira de Carvalho, em 2005.
O caso Edilson foi o último que causou a anulação de partidas de Série A pela CBF – foram 11 no total, todas sob suspeita de terem sido “contaminadas” pelo árbitro, que participava de um esquema de manipulação de resultados.
O escândalo ficou conhecido como Máfia do Apito, estourou no meio do Campeonato Brasileiro e contou com a confissão de Edilson, que admitiu participar de um esquema com apostadores. Por isso, o STJD anulou todos os jogos apitados por ele até então.
O atual caso do Palmeiras é diferente, claro, e as esperanças diminuíram consideravelmente depois que a súmula do jogo contra o Inter foi divulgada.
frase “Nada houve de anormal”soou como uma afronta aos dirigentes alviverdes, que acusam a arbitragem de se esquivar dos problemas.
– Na atual situação, as provas testemunhais não são tão fortes para os tribunais. Por isso, seria necessário algo mais contundente, uma confissão. Mas, com essa súmula sem pé nem cabeça que foi publicada, ninguém vai assumir nada – reclamou o diretor jurídico Piraci Oliveira.
Por outro lado, as possibilidades de uma suposta confissão são maiores. Ela pode partir do árbitro Francisco Carlos Nascimento, do quarto árbitro Jean Pierre Gonçalves Lima, ou até do delegado do jogo, Gerson Baluta. Este último, aliás, também pode ser utilizado como prova para tentar a impugnação da partida. Isso porque o atacante Barcos relatou supostos insultos do delegado aos jogadores do Palmeiras.
– O delegado falou a alguém do clube que já estava feliz, mesmo se a CBF não o levasse mais a nenhum jogo. Obviamente disse isso porque estava prejudicando o Palmeiras – afirmou o Pirata.
A diretoria tomou conhecimento do relato do atacante, mas não tem provas concretas do suposto deboche de Gerson Baluta.
O presidente Arnaldo Tirone foi à sede da Federação Paulista de Futebol em busca de alento de Marco Polo Del Nero, presidente da entidade e vice regional da CBF. No entanto, a sensação dentro do Palmeiras é de que a reclamação é meramente formal. O jeito é tentar vencer os cinco jogos restantes para se livrar do rebaixamento. 
Querem saber de uma coisa: vou guardar minha boca pra comer a minha farinha. Sou do tipo daqueles macacos velhos que não mijam fora da cacimba.
Tá no meu twitter esta mensagem de Ubirajara Ferreira - @Bira.Ferreira:
@fganselmo @joseluizgontijo, vcs q são grandes jornalistas poderiam encabeçar uma campanha de moralização mesmo sem citar os prejudicados”
Não meto minha colher de pau-brasil na panela de barro de ninguém. A turma suspeita do STJD tem a barra das calças sujas demais nos lamaçais que ajudaram a espalhar neste Campeonato Brasileiro.
Caso queiram salvar o Palmeiras do descenso, que salvem e agüentem as consequências depois. Penso que o Ministério Público, contudo, que fique de plantão porque aquele “Egrégio Tribunal” tem costume de rasgar códigos e o Estatuto do Torcedor.

ABRINDO ESTE IMPARCIAL FORO DE DEBATES:

César Rodrigues – BH “Pois é, caro Flavio Anselmo, o que é podre não tem conserto.Em 2010 naquele jogo Cruzeiro x Corinthians,em que Sandro Meira Rich garfou o Cruzeiro na cara dura, não aconteceu nada. O Cruzeiro do técnico Cuca, perdeu o titulo.A história agora se repete com este episódio com o Riva”.
Doutor Romero de Castro – BH “Caro Flávio Anselmo, Sou, realmente, torcedor passional heim, do São Paulo e acho que o Brasil vive grande entressafra de volantes. Tipo jogador forte, veloz, capaz de explosão muscular, sabedor do bom posicionamento a frente da zaga...O bom volante, de duas uma: ou desarma, ou deixa o atacante em posição desfavorável pra chegar ao zagueiro. Consagra a zaga. Por que você acha que o São Paulo entrou no G4 e passou a não tomar gols?”
Pela natureza do nosso bom volante não faz falta na cabeça da área, é o cara que dá liga ao time, carrega o piano, geralmente é guerreiro e forte. O último bom volante do São Paulo foi o Pintado. A Seleção amarga a falta nesta posição. Dunga e Mauro Silva deixaram um vazio; o primeiro compensava na força mental e física o outro na técnica e vigor”.
“Anota aí, Wellington, campeão Sub 20 com Ney Franco, e o Paulinho do Corinthians, são a dupla necessária para equilibrar a Seleção”.
Carlos Brito – Salvador/BA – “Amigo Flávio, a mãe de toda porcaria é ela, a Globo, que tem poder de transformar ministros de justiça em  diretor de tramas de mini séries com datas para começar e terminar. Só existe um caminho rápido e certeiro para acertar o futebol deste pais, empunhando a arma mais temida, que é o controle remoto, moço.
“Mostrar para os donos das regras claras, criadas por eles para eles mesmos, que o atleticano não simboliza somente o povo mineiro, como também todas as torcidas roubadas deste Brasil, e agora resolve partir, como aríete, detonando este jogo roubado, de cartas marcadas sim, senhor!”.
Para os próximos jogos, o torcedor atleticano e de todo o "resto" (para eles somos o resto) do Brasil levar o controle remoto, ameaçando a dona do jogo, a plim.....plim.... 
Nada, nenhuma mudança será possível, sem cortar os "cabelos dela", a Globo.LIBERDADE, ou Globo! Obrigado pela oportunidade, querido Flávio”.
Vinicius Silveira de Souza – BH : “Comecei meu estágio na Rádio Inconfidência, onde trabalho junto com a coordenação de programação da estação AM 880”. 
“Confesso não ter conseguido segurar a emoção ao entrar no estúdio e começado a trabalhar em uma grande empresa, onde fui muito bem recebido pelos companheiros e meu aprendizado tem sido muito proveitoso com todos os locutores, técnicos e produção”. 
“Quero agradecer a você pelo apoio que sempre fui alvo, desde os encontros até as respostas a meus e-mails e comentários em seu blog. Tudo isso fez e faz grande diferença em minha vida.
“Pode ter certeza que você e nosso amigo e saudoso Carlos Valadares, serão sempre lembrados por mim em cada passo que seguir nesta minha carreira que só está começando. Um grande abraço deste jovem que aprendeu e aprende muito com você, fique com Deus!”
José Marcelo – BH – “Boa noite meu caro Flávio! Confesso que a história de Alex deixa uma interrogação no ar... Como podemos produzir e substituir craques? Simples assim... O Cruzeiro com sua grandeza deveria estar mais preocupado é em "garimpar" novos talentos na base ou, no mínimo, em outras séries de campeonatos que possuem vários garotos com o sonho de um lugar ao sol. Vejo que o Brasil se tornou um bom lugar para se aposentar no futebol. Com o estilo de formar truculentos bem preparados fisicamente tem sobrado espaço para os "velhinhos" talentosos.
Se alguém olhar para o Barcelona (um time desconhecido lá da Espanha) verá que eles não inventaram a roda, mas vale a pena entender mais a fórmula de sucesso deles”. 


NO VELHO CHAVÃO: ONDE HÁ FUMAÇA TEM FOGO, o América mantém a chama acesa sem que seja preciso revirar o borralho. Não se abateu totalmente depois do empate com o Joinville, semana passada, e acredita que Papai Noel existe e que milagres – afora seu ex-goleiro homônimo e, também, ex-treinador que tentou mudar o rumo da situação, sem nada conseguir – existem para quem muito trabalha. Hum, vai nessa! Que trate de vencer hoje à noite o ASA de Arapiraca no Independência pra chama de esperança na volta à elite não apagar de vez.
Para chegar ao grupo dos quatro primeiros colocados da Série B, o time de Mauro Fernandes  precisa tirar a diferença de 12 pontos, que o separa do Atlético-PR, que fecha o G-4. Faltam apenas cinco rodadas para o término da Série B. Com 15 pontos em disputa, as chances existem, mas os mineiros não dependem unicamente das próprias forças. Na foto, o semblante desiludido do técnico Mauro Fernandes.

AMÉRICA X ASA


América - Neneca; Patrick, Gabriel, Dirceu e Bryan; Dudu, Marquinhos Paraná, Leandro Ferreira e Rodriguinho; Ewerthon e Fábio Júnior. Técnico: Mauro Fernandes
Asa de Arapiraca-Gilson; Osmar, Fabiano e Edson Veneno; Chiquinho Baiano, Cal, Audálio, Lucas e Didira; Lúcio Maranhão e Alexsandro Técnico: Nedo Xavier
Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Assistentes: Adson Márcio Lopes Leal (BA) e Elicarlos Franco de Oliveira (BA)

ENTRE A TERRA E O CÉU POR DOIS INSTANTES



Foi, realmente, um final de semana diferente. Estive entre a terra e o céu, em busca de respostas aos paradoxos da vida. Em Caratinga, participei das comemorações dos 80 anos de Ziraldo, filho mais ilustre da cidade. Fui orador oficial das homenagens. A minha memória e meu coração preparavam-se pra criar uma Trincheira inesquecível sobre a data histórica.

À noite, torpedo da amiga Nina de Abreu trouxe o outro lado da vida: aos 43 anos, o jovem Paulo Afonso, sagaz jornalista esportivo, meu amigo e colega de bancada no Jogada de Classe da TV Horizonte, encerrava homérica batalha contra o câncer. Decidiu descansar de vez.

Saí do chão da terra onde nasci, na mesma rua do Ziraldo, a ex-Rua das Flores, e subi aos céus, pelo caminho aberto pelo amigo Paulinho Afonso.

Como pode me perguntei, o quintal da gente ficar em festa, cheios de luzes, papéis picados, desfile escolar, nos 80 anos merecidos do genial artista do mundo?

Enquanto a gente, também, chora a morte do jovem, também talentoso, de ótimo texto, jornalista porreta, promessa de cartunista, boas caricaturas e charges hilárias? Moço de comentários rápidos e mordazes?

Vivi em dois dias, a paradoxalidade da vida e da morte. Da vida efervescente do "jovem" de 80 anos, cheio de planos – uns secretos, revelados pelo irmão Zélio – de ser, ainda, prefeito de Caratinga, sua terra natal.

Da morte, que leva ao descanso, mas silenciou voz e texto impecáveis, inteligência louvável, e sonhos longos, interrompidos na doença amaldiçoada.

A partir daquele instante, eu me colocava no dilema: escrevia sobre a festa do conterrâneo mais ilustre, que o Brasil aplaude e as crianças amam. Que eu quero chamar de "Mestre", com o mesmo respeito que a cultura tupiniquim lhe rende, diariamente.

Eu, súdito e tiete, cultuo a diferença de 11 anos entre nós, filhos da mesma cidade, da mesma rua, e que, agora, até nos chamamos de "primos"?

Ou escreveria a Trincheira do futebol, como faço todo início da semana, talvez mais irritada que o normal por ser outro domingo sem futebol, considerado, por isso, enorme traição ao cronista esportivo Paulo Afonso?

Pode até que pela falta de futebol nesse domingo, Paulinho tenha decidido retaliar tal vazio, subiu mais cedo pro andar de cima num dos seus dias preferidos, o domingo. Mas sem futebol, é como qualquer outro dia!

Paulinho me chamava de "Mestre". Vejam só a ousadia do destino! Tirou-me a convivência importante do menino, 16 anos mais novo do que eu. Do qual eu recebia tratamento informal, carinhoso e indevido de "Mestre".

Indevido por estar na contramão. Sempre o tive como mestre nos socorros que seus conhecimentos prestavam à minha memória travada.

Egoisticamente pedi a São Judas que intercedesse junto ao Pai, e deixasse Paulo Afonso viver mais, mesmo cheio de dores, corpo reduzido, disforme. Que importava se a alma crescia. Além do que eu teria ainda, mais, muito mais, a aprender na sua inteligência e humildade.

Porém, exatamente no dia do meu santinho protetor, do aniversário da minha netinha primogênita, Vitória, e do meu "mestre" Ziraldo, Deus convocou Paulo Afonso pra viver entre as estrelas.

Então louvei os 80 do meu Mestre, na saudação de dois minutos, exigida pela organização, senão eu falaria duas horas.

Num domingo sem futebol como queria Ziraldo, a fim de que maior número possível de conterrâneos, amigos, familiares, não fosse impedido de assistir ao desfile das escolas de sua Caratinga e de cidades vizinhas.

Vi no chão da minha terra a multidão de 15 mil pessoas nos eventos bolados pela escritora caratinguense Marilene Godinho, pela irrequieta Analzira Ligeiro – tal qual sua mãe, saudosa Emi Batista – mais o jornalista Humberto Luiz, além de notável equipe de apoio.

Na segunda-feira, voltei pra Belo Horizonte a tempo de acompanhar o sepultamento do menino Paulo Afonso. Vários jornalistas e amigos o saudaram. Também o fiz. A cabeça embolada sem entender nada.

Não seria melhor comemorar naquele domingo sem futebol, dia 28 de outubro, os 43 anos de Paulinho Afonso? De sua vitória contra a doença e de uma arrancada pra fundar a genialidade no quintal que lhe conviesse? Como fez a genialidade do artista em plena forma aos 80 anos e do rapaz, pleno de esperanças e de sonhos no Brasil, aos 43?

Não é o que dizem: a cada dia renascem aqueles que a obra imortaliza?

 

O momento social da festa em Caratinga. No palanque, a Turma do Pererê – imortal criação de Ziraldo- revividas nas personagens vivas, como Pedro Tatu Vieira, Alan Viggiano, Galileu, Geraldinho (o coelho, irmão e caçula da Turma e da família Alves Pinto).

Os irmãos de Ziraldo: o internacional e premiado Zélio, autor da capa do meu livro "Caraúna" – Ziralzi, Santinha e Lelena, além de cunhados, primos e outros familiares. A jornalista Miriam Leitão e seu irmão Cláudio, diretor-proprietário do grupo Doctum e de importantes faculdades da organização.

Também, a minha eterna professora, Miriam Mangelli, e seu companheiro Gerson, e a promotora Marlene Fernandes, viúva do amigo desembargador Salatiel Fernandes, outro que subiu fora da hora; os escritores Antônio Almeida Castor, - irmão de Marlene - o Toninho Castor, e Maria do Carmo Arreguy, mãe dos meus ídolos Cássio e Cláudio, jornalistas linha de frente na crônica esportiva mineira.  É o que a minha curta memória conseguiu guardar.

 

Porém, outro momento, rápido e genial, foi quando Agnaldo Timóteo apareceu em pé num velho Aero Willys, fazendo à capela seu enorme sucesso: "Quando à minha terra eu voltar, quero encontrar as mesmas coisas que deixei. Quando o trem parar na estação, lá, lá, lá, lá,....". Emocionado, Ziraldo tentou esconder que chorava.

De lado, fiquei mais preocupado com o infatigável coração que suportou os dois dias de homenagens seguidas, as dezenas de pedidos de fotos dos pais colocando os filhos no colo do artista, onde minha neta Luana, cheia de autoridade e julgando-se dona do pedaço, abraçava Ziraldo e sorria pra qualquer máquina. 

Tenho mil desculpas a pedir ao Toninho Castor por não reconhecê-lo no primeiro momento, culpa desta memória ruim que me sobrou após a chegada das safenas e mamárias. E a dona Maria do Carmo Arreguy, por não ter adquirido seu livro, tudo por causa da confusão de gente e livros na casa da Cultura Ziraldo. Peguei todos os livros a ser autografados e me esqueci da matriarca dos Arreguy. Cássio prometeu que livraria minha barra. Espero. 



quinta-feira, 25 de outubro de 2012

KALIL ESPERNEOU CONTRA AUDITOR RUBRO-NEGRO E AGORA O GALO PAGA ALTO PREÇO NO STJD.

 

Quando o presidente Alexandre Kalil fez aquela zoeira contra o auditor do STJD, de cujo nome não me recordo mais e nem penso que valha a pena pesquisar, pois apenas o fato me interessa, eu o alertei. O Urso Bravo saiu da Toca, da hibernação e soltou a ira contra o moço que posou nas redes sociais com a camisa do Flamengo, botou texto execrando Ronaldinho Gaúcho, pra, posteriormente, julgar o atleta e o seu novo clube. Se Kalil marcasse sua estranheza com dura manifestação oficial escrita, sem se extravasar na imprensa, talvez fosse o melhor caminho.

Kalil preferiu o caminho que conhece tão bem e que várias vezes já o indispôs com a CBF e com o STJD. Aí comprou uma briga que não o atinge pessoalmente, pois os auditores sabem que suspendê-lo de novo não é uma punição dolorida. Mas punir o Atlético é sim. A torcida – mesmo embasada no seu direito constitucional de manifestar-se livremente – seguiu os passos do seu líder presidente no jogo contra o Fluminense.

Interessante é que não jogou pedra na arbitragem, não cuspiu no pessoal da CBF. Apenas fez manifestação pacífica, como aquelas feitas contra os membros do Governo Federal, do Congresso Nacional e qualquer autoridade que mereça respeito – se é que existem mais de 10 autoridades deste padrão no País – e o Galo/time deve pagar outro preço indigesto na reta final do Campeonato.

Não duvidem que isso aconteça! Examinada a questão no STJD, será nessa instituição que o Atlético terá de se manobrar, com bom jogo de cintura, pra evitar perdas de mando de campo agora.E o Urso Bravo que abriu briga contra o STJD falando até em afastar o tal auditor, como ficaria?

O procurador-geral do STJD Paulo Schmitt formalizou denúncia contra o Atlético por causa das manifestações da torcida alvinegra no jogo contra o Fluminense, após receber vídeos, recortes e fotos da CBF. Sintomática tão posição da entidade, que, também, se sentiu atingida pela pacífica manifestação dos atleticanos. Segundo ele, "A gente vem denunciando sempre que provocados. Recebemos da própria CBF um conjunto de fotos sobre o evento. Foi oferecida a denúncia, assim como nos outros casos por infração ao artigo 191 do código. Ainda não há previsão de julgamento".
Confesso meu total desconhecimento sobre punição em casos semelhantes esse ano. Fui informado que se punido no máximo o Atlético sofrerá multa variável de R$ 100 a R$ 100 mil. A preocupação, então, é encher os cofres da entidade e não ajudar ao Fluminense (sic), afirmam os defensores da punição. Toda essa conversa fiada porque os torcedores alvinegros formaram mosaico com as letras CBF e as cores do clube carioca. Os atleticanos também levaram cartazes com montagem dos escudos da entidade e do Tricolor. Muitos usaram nariz de palhaço.
Melhor seria que Kalil, calmamente, viesse a público pedir aos torcedores que cessem as provocações. Prometem mais: a denúncia do procurador geral gerou outro tipo de manifestação no jogo contra o Flamengo, semana que vem, no Independência. Os torcedores prometem lotar a capacidade de 20 mil pessoas do estádio, formar um mosaico simbólico de R$ 100 mil e mostrar notas de R$ 5,00 à CBF via TV Globo.

CARATINGUENSE NÃO AFINA E NÃO TEM MEDO DE SOLA DE CHUTEIRA.

 

Pena que o lendário goleiro do São Paulo, Rogério Ceni, não saiba disso. Pena, também, que o crítico da TV Globo, ex-jogador, bom moço, Caio Ribeiro, preferiu mergulhar no corporativismo e criticar Ney Franco por não acatar sugestões do capitão do São Paulo.

Sabem o que aconteceu?

Corria o jogo entre São Paulo e LDU de Loja, do Equador, no Morumbi, na última quarta-feira, quando Rogério Ceni mandou um recado para o meu amigo e conterrâneo Ney Franco, através de um companheiro.

-Fala com o Ney pra botar o Cícero.

Quem decide não é Rogério Ceni, capitão e futuro cartola do São Paulo. Ney Franco não tomou nem conhecimento da sugestão em ritmo de ordem e gritou para o banco:

-Aquece aí o William José. E o mandou para o jogo.

Rogério Ceni não gostou de ser desobedecido, coisa pouco comum no Morumbi. Fez cara feia, gritou em direção do banco de reservas e foi repreendido, ainda no gramado, por Ney Franco, que como qualquer caratinguense que se preze não tem medo de careta.


Terminado o jogo, nas entrevistas coletivas, Ceni afirmou: "Para mim, não aconteceu absolutamente nada, foi coisa do jogo. No futebol, é normal gritar, tudo é longe. Não tem polêmica. Se tivesse qualquer problema, falaria aqui para vocês. Não tenho nada contra o Ney, é uma pessoa nota dez. Ele é o treinador e escolhe quem entra e quem sai. Eu apenas achei que o Cícero seria uma boa alternativa pela força que tem no jogo aéreo".

"Eu falava não com o Ney, mas com o auxiliar Éder (Bombinha). Minha relação com Ney Franco é ótima; ele é um cara do bem, coerente, de fácil convívio e super calmo. Mesmo que quisesse reclamar algo dele, não teria o que falar. Jogo de futebol não é novela, não somos atores, não tem ensaio. Quando se entra em campo, é para resolver, mas o que acontece no jogo fica no jogo".

Em princípio, houve um desmentido de Rogério de que se reunira após a partida com o diretor de futebol e o técnico Ney Franco pra botar os pingos nos "is". Só que essa informação chegou à Imprensa via o vice-presidente de futebol, João Paulo Jesus Lopes. Com este nome sobrenome, este moço não mentiria jamais. Então Rogério confirmou a reunião:

"Falamos sobre o incidente, que eu nem considero incidente, e sobre o jogo contra o Sport. Está tudo certo, existe uma hierarquia e tenho de respeitar. Dentro de campo, quem manda é o técnico. Fora dele, é o presidente e o diretor".

Ney Franco, como qualquer bom mineiro, no seu canto, fez um cigarrinho de palha, olhou em volta, chamou seu valete de fé Éder Bombinha e foi pra casa, conferir na sua internet a Trincheira especial deste filho do Sodico. Eta nós, né seu Franco?

 

CONGRESSO NACIONAL X TV GLOBO

 

Os deputados federais estão de olho nos holofotes que virão por aí nos próximos meses e anos, com a Copa da Confederação, Olimpíadas e o Mundial/14. Pipocam no Congresso Nacional um monte de projetos de leis vinculados ao esporte. Alguns deles atingem diretamente aos interesses das Organizações Globo, de seus parceiros e dos clubes de futebol. O deputado Jefferson Campos (PSD) não gosta dos horários das transmissões impostos pela Rede Globo e propõe que os jogos tenham início ás 19 horas, no horário de Brasília. Chii, nos horários das novelas!

Já o deputado José Mentor (PT/SP) propõe o fim das artes marciais mistas (MMA), que tem dado ótimos índices de audiência à Poderosa por meio do UFC. Quer que tal "esporte" seja banido das telas das televisões por causa da violência sanguinária. Quando muito aceitaria que fosse asilado nas tevês por assinatura, no terrível "pagar-pra-ver", e, ainda assim, depois da meia-noite. 

Pago pra ver estas leis aprovadas no Congresso Nacional tão submisso. Como, também, aposto que, mais dia, ou menos dia, os referidos parlamentares não estarão enfeitando a telinha global, protagonizado escândalos horrorosos que até agora estiveram por baixo do tapete. Se não existem, passarão a existir. Sabem aquele ditado que uso muito: "amigo não tem defeito; inimigo, a gente põe".

 

VERGONHA AZUL: CRUZEIRO APANHA DE NOVO DA PONTE PRETA

 

Depois de chegar à sua décima - quarta derrota no Brasileiro em Campinas, contra a Ponte Preta ( l a 0) – que o venceu, também, no turno em BH – O Cruzeiro, graças ao jogo dos números, não perdeu a nona posição na tabela de classificação. O Coritiba, no Rio de Janeiro, não conseguiu parar a máquina tricolor, que venceu com dificuldade por 2 a 1. Mas venceu! Gols de Thiago Neves e Nem. Santos e Náutico, na Vila Belmiro, deram de presente ao Cruzeiro o empate de 0 a 0 e não passaram o time azul.

Não espere que eu escreva alguma sobre a pelada vexatória de Campinas. Outra vergonha pra China Azul. O time, desmotivado, entregou o primeiro tempo pra Ponte. Melhorou qualquer coisa no segundo tempo. Os morcegos que voavam no Moisés Lucarelli, após a partida, voltaram a zumbir que Celso Roth não passará ileso até o final do ano. Difícil de acreditar com esta diretoria sem ousadia. 



ESTÁ ABERTO MAIOR FORO DE DISCUSSÕES ESPORTIVAS DAS GERAES: esta Trincheira recebe os pitacos dos seus amigos.


São pitacos mais diferenciados e em cada um deles a lição que não aprendemos no dia-a-dia. Abro com a seleta opinião de quem conhece de leis, o procurador de Justiça Jarbas Soares Júnior: "Caro Flavio Anselmo, como sabe, leio a sua coluna diariamente. Fico espantado com essas coisas que estão acontecendo no futebol. Tenho uma paixão incontrolável pelo Galo, e rezo a Deus para ela diminuir aos poucos, em razão do sofrimento que sinto desde 1977 por conta dessas, digamos, artimanhas do mundo da bola. Não consigo e ainda passei isso para os meus filhos".

"Pelas funções que ocupo, vou evitar maiores comentários sobre essas coisas estranhas que temos visto. Pontualmente sobre o tema retratado por você na sua coluna, quero lembrar os jogos do Galo contra o Grêmio e Flamengo, quando o R49 foi visivelmente ofendido por ambas as torcidas em seus domínios. Ate a mãe do R49, que esta doente, foi atingida. O Grêmio e o Flamengo foram ou deveriam ser punidos? Penso que não". "Isso é futebol, é paixão. Alguém pensou em alguma medida? Também não. Os casos que relatou eram até graves, pois ofendiam o ser humano e sua família... Pobres nos atleticano. Além de tudo que temos que suportar, agora não podemos nem reclamar de forma pacífica. Um dia o torcedor vai ter que se socorrer do bispo para reclamar, pois não pode nos estádios. Temos que ficar calados. 

"Eu estava no Independência e vi tudo. Aliás, estou vendo tudo pela TV. Ou, descrentes, desistimos ou matamos esse sentimento que em 100 anos ninguém conseguiu sufocar e vamos ver algum filme ou ler um livro na hora do futebol. Talvez assim a revolta não nos faça sentir o sabor amargo do injusto. Meu Deus, que tristeza com tudo isso ! Abraço amigo. Jarbas Soares Junior ( Procurador de Justiça-MG )"

Resposta: esta mesma sensação de impotência e desânimo me invade de quando em vez, caro Jarbas. Mas toco a vida na esperança de que um dia a coisa mude. Se eu viver até lá. Abraço, também e grato pela opinião.

De João Batista – TV Horizonte – "Amigo Flávio, é revoltante tudo que vem ocorrendo no futebol Brasileiro sob a batuta desses malandros da CBF. Casa de Mãe Joana que só enxergam interesses dos mais próximos.  Uma vergonha nacional!.  Acho que está na hora de se fazer um movimento por todos os meios sociais, para se instalar de vez uma CPI da CBF e seu comando passar para o Estado Brasileiro. Pois o futebol brasileiro, deve ser tratado como entidade pública, não a PRIVADA que esses malandros que ali coabitam, jogam sua vaidades e seus dejetos e abjetos desejos de manipulação para beneficiar seus asseclas e periféricos".  

"Chega de tanta vergonha e impunidade. Chegou a hora de um basta definitivo em tudo isso, aproveitando que estamos para entrar em clima de Copa e cobrar isso das autoridades brasileiras".

Resposta: Pensa assim não, JB.  Já pensou um "filé" desses nas mãos de políticos? Olhaí o STJ tendo um trabalhão danado com o Mensalão.

De Reginaldo Souza - Bairro Copacabana - BH – MG : "Caro Amigo Flávio Anselmo, nesse caso, vou citar o Jornalista João Vitor Xavier: "nenhum estatuto, regra ou carta poderá sobrepor a Carta Magna do País que é a nossa Constituição Brasileira". Liberdade de expressão é o direito de manifestar livremente opiniões, ideias e pensamentos. É um conceito basilar nas democracias modernas nas quais a censura não tem respaldo moral. Art 5º, parágrafo IV, me corrija se estiver errado. Então diante disso, não tenho
mais nada a dizer de outros textos, estatutos, STJD etc... o que manda é a Constituição".

Resposta: O deputado João Vitor Xavier sabe das coisas, Meu Bom.

De Diego Araújo – Assessor de Comunicação da Associação Mineira de Cronistas Esportivos (AMCE): "AMCE busca solução para falta de água para a imprensa no Independência. No último fim de semana, na partida entre Atlético x Fluminense, válida pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro, no estádio Independência, a AMCE atendeu 479 profissionais de imprensa. Sob intenso calor, devido ao horário de verão, a AMCE disponibilizou água potável para todos os associados, inclusive àqueles que trabalhavam no campo e não podiam abandonar seus postos".

"A AMCE esclarece que vem tentando resolver, juntamente com a BWA (empresa responsável por administrar o Independência), o problema da falta de água para a imprensa. A AMCE, inclusive, através de seu presidente Carlos Cruz, apresentou como sugestão a compra e a instalação de um bebedouro na "zona mista". O mesmo poderia servir também para outras pessoas que trabalham no local.Em todos os questionamentos e solicitações, a BWA sempre responde que está resolvendo esses problemas".

Resposta: E não resolve né Diego. Não é por culpa da Nina Abreu – ela ainda está  trabalhando naquele ninho de cobras? – mas pela falta de interesse do Dr. Bruno, dono da empresa. Ah, se fosse em São Paulo!... 

De Iraq Rodrigues – Lagoa Santa – "Flávio, sobre a desculpa porca, resta questionar o que disse seu amigo: "O volante Dinho abriu a brecha antes de Thiago Neves chutar. Portanto, a bola ainda estava parada e não entrara em jogo. Desta forma, não existe falta alguma." Ora, empurrar um jogador não é falta ?"

Será que o Ministério Público vai denunciar o Fred por aquele soco na saída de bola do Flu após o gol de Leonardo Silva?  O Ronaldinho gaúcho foi denunciado pelo chute no jogador do Grêmio, lance em que o juiz estava em cima.

Bem, não sei por que tanta discussão.  A CBF deveria suspender o Jaílson (juiz) como fez com outros em lances polêmicos. Desde o início 2012 eu apostava que iríamos para a Libertadores. Após a contratação de Ronaldinho passei a crer na possibilidade do título. Com os pontos perdidos tolamente em casa (Bahia, Ponte Preta, etc) poderíamos estar na frente".

Resposta: Uma opinião alheia, ainda que não seja igual à nossa, não deve ser considerada como "porca", né Iraq?

 

UMA AULA SOBRE INSS

 

De Mário Borges do Amaral - Coordenador do Programa de Educação Previdenciária do INSS - Gerencia Executiva do INSS de Belo Horizonte recebo uma aula sobre benefícios  previdenciários. Este conhece, realmente, muito e sua opinião é definitiva: "De Prezado Flávio Anselmo. Sou leitor assíduo de suas colunas, motivo que me leva, com o devido respeito, a prestar-lhe alguns esclarecimentos a respeito do benefício previdenciário auxílio-reclusão".

"Há alguns requisitos para os dependentes do segurado recluso ter direito ao auxílio-reclusão conforme os artigos 116 ao 119 do Decreto 3.048, de 06.05.99 e artigos 331 ao 344 da Instrução Normativa 45, de 06.08.10. As condições para os dependentes ter direito ao auxílio-reclusão são as seguintes:

-será devido aos dependentes do segurado recolhido à prisão que não receber remuneração da empresa nem estiver em gozo de auxílio-doença, aposentadoria ou abono de permanência em serviço;

-seu último salário-de-contribuição seja inferior ou igual a R$ 915,05. Este valor é alterado anualmente a partir de 01 de janeiro;

-o segurado no momento do fato gerador, a reclusão, terá que ter qualidade de segurado. 

-O que significa ter qualidade de segurado - o segurado conserva todos os seus direitos perante a previdência social, independente de contribuições até 12 meses após a cessação das contribuições.

-Este prazo será prorrogado para até 24 meses, se o segurado já tiver pago mais de 120 contribuições mensais sem interrupção que acarrete a perda da qualidade de segurado.

Este prazo de 24 meses será acrescido de mais 12 meses para o segurado desempregado, desde que comprovada essa situação por registro no órgão próprio do Ministério do Trabalho e Emprego. 

Alguns exemplos a título de esclarecimentos:

Se o último salário-de-contribuição do segurado foi de R$ 916,00 reais, os dependentes não terão direito ao auxílio-reclusão.

Se entre a última contribuição do segurado e a reclusão tiver mais de 12 meses os dependentes não terão direito ao auxílio-reclusão.

Caso cinco dependentes (esposa e filhos menores de 21 anos) tenham direito ao auxílio-reclusão, cujo valor do benefício seja de R$ 800,00, cada dependente receberá R$ 160,00.  Espero ter colaborado com estes esclarecimentos. Me coloco a sua disposição para outros esclarecimentos que se fizerem necessários.

Resposta: Sua participação valorizou minha Trincheira que levantou o assunto sobre o pagamento de benefícios aos presidiários. Grato, amigo Mário."

Do professor Haydn Pimenta – BH "Caro Flávio, você me desculpe, pois devemos respeitar quem pensa diferentemente de nós! Sei da corrente política de sua preferência. Mas este e outros absurdos estão na conta deste esquerdismo caolho que temos em nosso país. Esta onda do politicamente correto, que comete absurdos de inverter a lógica do próprio enunciado, está na conta do PT em grande parte".

"Sob o lema da defesa dos indefesos e oprimidos, outra coisa não faz do que agredir o bom senso e a inteligência média do brasileiro. Há dois grandes culpados de toda esta inversão de valores que grassa sobre nossa pobre pátria – a briga burra e destrutiva de dois partidos que tinham tudo para, juntos, buscarem instaurar uma real social-democracia no Brasil, PT e PSDB! Preferiram digladiar e estão perdendo o "bonde" da história!"

Resposta: Minha linha de pensamento político não passa pelo PT e por nenhum partido nacional. Portanto, fique à vontade pra esculhambar quem quiser.

Heloisa Matos – São Paulo – "Flavio, existem os "direitos humanos" e os" direitos homônimos", ou seja, usar  critérios diferenciados para os salários de trabalhadores e aposentados e o salário de presidiário . Seria isto? 
Ainda bem que a  Sra. Presidente teve o bom senso de revogar a lei. Pensando nos direitos humanos , é  preciso considerar o efeito nefasto e multiplicador , quando o chefe da familia, por estar preso,  deixa de contribuir para o sustento dos filhos. Se o  Estado oferece uma ajuda "complementar"à familia, isto  justifica plenamente  o auxilio prisão. Neste caso, este auxilio precisa estar  fortemente vinculado complementação da  formação educacional e ao  trabalho efetivo do presidiário dentro do cárcere, evitando assim que sobre muito tempo para" planejamento e articulações criminosas". 

Resposta: O lançamento de meu livro "Tarzan Vive no Quintal do Vizinho" já aconteceu em Brasília. Estou de volta à Beagá. Abraço e grato pelo pitaco. 


FLAVIO ANSELMO
Email -   fanselmo@msn.com
Blog   -   www.flavioanselmo.com.br
Facebook - Flavio Anselmo 
Twitter - @fganselmo

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

STJD QUER APRONTAR MAIS UMA CONTRA O GALO



Vou pedir licença ao jornalista Rafael Santos, do site Gazeta News, que publicou excelente artigo no seu minifúndio e que me leva ao entusiasmo de republicá-lo na Trincheira:

 

"STJD é o 'Grande Irmão' do futebol brasileiro"

 

"O irreverente protesto da torcida do Atlético-MG no último jogo contra o Fluminense ainda deve dar muito que falar". Sobretudo no que depender do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

O procurador geral da entidade, Paulo Shimitt informou na última segunda-feira que já solicitou imagens de televisão da partida entre Galo e Flu vencida por 3 a 2 pelo clube mineiro, no estádio Independência".

"Shimitt está interessado no protesto da torcida do Galo antes da partida que contou com faixas, cartazes, narizes de palhaço e um mosaico com a sigla CBF ao contrário em um fundo com as cores do Fluminense.

"Vou analisar as imagens, ainda não analisei, mas pode haver julgamento, se as mensagens apresentadas tiverem cunho ofensivo a alguém ou alguma instituição, como prevê no código brasileiro e ai o time pode ser multado pelo Tribunal", disse o procurador geral"

"Como defendi aqui mesmo no blog, a manifestação do último domingo foi válida. Um protesto pacífico, de origem popular e de uma ironia fina que só os obtusos não são capazes de entender".

"Caso ocorra, a punição não será a primeira decisão controversa do STJD em relação ao Galo neste Brasileirão. Há poucos dias o principal jogador do Atlético-MG, Ronaldinho Gaúcho foi suspenso por uma partida e teve que ficar de fora de duelo fundamental contra o Inter de Porto Alegre".

"Posteriormente descobriu-se que o relator do caso, Jonas Lopes de Carvalho era torcedor declarado do Flamengo e tinha se mostrado irritado anteriormente com o craque quando ele defendia o rubro-negro carioca em redes sociais. O mesmo relator foi responsável pela suspensão de Loco Abreu do Figueira. Pelo 'crime hediondo' de levantar a camisa e beijar o escudo do Botafogo diante da torcida do Flamengo.

"Agora, o STJD deve passar por cima do relato do árbitro Jaílson Macedo Freitas que não fez nenhuma referência na súmula aos protestos feitos pela torcida do Galo contra a arbitragem do Brasileirão e CBF. O polêmico lance envolvendo o atacante Fred e o lateral-esquerdo Júnior César também não foi relatado pelo árbitro, no entanto, deve ser também analisado".

"O empenho da entidade em influir em decisões já tomadas pelos árbitros ou alheias ao campo como o protesto da massa atleticana contrasta com a omissão da entidade em relação ao Estatuto do Torcedor. E escrevo isso sabendo que a punição do Galo pode ser baseada no documento. Segundo o estatuto é proibido "portar ou ostentar cartazes, bandeiras, símbolos ou outros sinais com mensagens ofensivas, inclusive de caráter racista ou xenófobo".

"A punição prevista é multa que pode chegar a R$ 100 mil. E é de se espantar que o STJD se faça valer do documento com tanta frequência em casos de grande alcance midiático".

"Ora, qualquer um que conheça o Estatuto do Torcedor e frequente estádio de futebol pode constatar que ele não é cumprido por boa parte dos clubes de Série A. Por que a entidade não mostra tanto empenho em resguardar os direitos do torcedor e não pune agremiações que não respeitam as regras?"

Vale ressaltar que todas as punições que citei nesse texto foram tomadas com base em gravações de vídeo. Como no romance de George Orwell, o STJD pode ser encarado como o "Grande Irmão" do futebol brasileiro. Só que os membros da entidade não gozam da sagacidade do clássico personagem do livro 1984".

"São mais parecidos com integrantes de outro produto cultural. O "Big Brother", aquele programa global em que todos participantes fazem tudo por cinco minutos de fama".

 

AGORA É COMIGO:

 

Concordo com o colunista Rafael Santos e não tiro uma vírgula do que ele escreveu. O Atlético, após tornar-se uma pedra enorme no caminho dos cariocas na luta pelo título brasileiro, tornou-se igualmente alvo preferido dos auditores do STJD. Onde está a liberdade democrática neste País, onde a Imprensa disseca diariamente os tristes episódios do Mensalão, no acompanhamento do julgamento Supremo Tribunal Federal(STF) nossa corte maior?

Se o povo pode manifestar sua indignação em casos tão sérios e importantes, por que não manifestar-se, também, pacificamente, em casos menores, como o futebol, que nem sério é? Em que pese tirante a questão do item de importância, visto que o Mensalão mexe com a Nação toda, independentemente de credo, cor, convicção política, e estabelece sua direção correta, tal sujeira não atinge nem um terço do que os cartolas do futebol cometem nos bastidores.

O STJD no seu falso moralismo e cruzada de moralização do futebol brasileiro não tem o Batman e sua capa preta Joaquim Barbosa, herói nacional, que lhe dê suporte de moral. Em compensação está repleto de "Ricardo Lewandowski..."



FLAVIO ANSELMO
Email -   fanselmo@msn.com
Blog   -   www.flavioanselmo.com.br
Facebook - Flavio Anselmo 
Twitter - @fganselmo

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

GUERRA ENTRE FLU E GALO SE ACIRRA MAIS AINDA


 

(Brasília) O gol de Ronaldinho Gaúcho na cobrança de falta contra o Fluminense domingo, anulado pelo baiano Jaílson de Freitas, serviu pra levantar antigas dúvidas e acirrar a reta final de seis jogos. Os atleticanos continuam acusando a CBF de proteção ao time carioca, e agora têm apoio dos paulistas, porque o São Paulo sonha em virar o jogo nessas partidas finais.

Ronaldinho Gaúcho sai fora da polêmica estabelecida, mas Cuca – ex-treinador tricolor em 2009/2010 -mergulhou de cabeça, reclamando da anulação. Sua choradeira chegou ao Fred, que não mede palavras, através da imprensa e o atacante tricolor deu a sua opinião azeda, na hora: "Vamos falar de futebol. O Atlético-MG mereceu vencer hoje. Vamos parar de reclamar de arbitragem. O Cuca é meu parceiro mas está um fanfarrão do c...".

 

REVOLTA GERAL

 

Penso que a revolta dos atleticanos e de outros interessados tem base na falta de critério da arbitragem nacional. O gol marcado a favor do Fluminense, contra o Vasco, foi validado. O do Galo foi anulado. E os dois lances foram semelhantes.

No caso do gol do Fluminense, houve o empurrão do volante Dinho, tirou a defesa do Vasco do esquadro e o chute de Thiago Neves passou no buraco aberto. O árbitro Marcelo de Lima Henrique – outro que não merece confiança – validou o gol.

No do Atlético, digamos, RG-49 não tirou nenhuma vantagem da brecha aberta por Léo Silva. Seu chute fez a bola encobrir a barreira e entrar no ângulo da meta defendida pelo excelente Diego Cavalieri, a maior expressão da partida.

O árbitro Jaílson, no entanto, como é de conhecimento até dos paralelepípedos da ex-rua das Flores, em Caratinga, anulou a bela cobrança de Ronaldinho.

 

SUPOSIÇÃO ILÓGICA

 

A desculpa mais porca que li a respeito da validade do gol no Rio e a anulação do gol aqui foi a seguinte: " no lance contra o Vasco, foi uma jogada bem ensaiada. O volante Dinho abriu a brecha antes de Thiago Neves chutar. Portanto, a bola ainda estava parada e não entrara em jogo. Desta forma, não existe falta alguma. No jogo aqui, Léo Silva esperou o chute de RG-49 pra fazer a falta. Ou seja, a bola estava em jogo"

Existiria lógica caso fosse provado que no Rio aconteceu, realmente, o que foi dito por um colega daqui de Brasília, e que em Beagá, também, o lance estivesse inserido na história.

 

TRICOLORES NÃO ACEITAM ACUSAÇÕES

 

Nos diversos pitacos que recebi eu resolvi escolher o do meu conterrâneo e amigo Mário Sérgio Carraro, tricolor de nascença, que acompanha de perto o futebol e tem opiniões sensatas e lúcidas. Diz ele:

 

"Não há como negar que o Atlético mereceu ganhar o jogo.  Mas essa conversa de favorecimento ao Fluminense há como negar sim. Vamos aos fatos. Para começar com o jogo de domingo.

"Não estranha a diferença de faltas dadas contra e a favor do Atlético? Lances semelhantes eram falta pro Atlético e não eram pro Fluminense. Mas isso ninguém da imprensa quer ver né?

"Sobre as faltas nos jogos do Fluminense contra o Vasco e contra o Galo existe uma diferença. No jogo contra o Vasco o jogador do Vasco não está saltando e o Edinho vai ombro contra ombro, com os dois jogadores com os pés apoiados no gramado. Na falta de Leo Silva, ele vai com o ombro enquanto os jogadores do Fluminense estão saltando. Pra quem acompanha futebol é claro que os dois lances são diferentes.

(NA – Você não quer dizer que eu não acompanho futebol, né Mário Sérgio? Bem antes de você nascer. Outra coisa: essa história de que a imprensa não quer ver é opinião de torcedor doente)

 

AJUDA RECONHECIDA

 

Continua Mário Sérgio "Antes de falar dos jogos do Atlético, vamos aos dos Fluminense. Concordo que fomos beneficiados em alguns jogos, como contra o Bahia. Mas o Atlético também foi".

"Não foi falta no segundo gol contra a Ponte Preta? Ok. Assim como NÃO foi falta no lance que originou o pênalti a favor do Náutico tão chorado pelo Cuca e falado pela imprensa. Estranho esse olhar tão rigoroso da imprensa em um lance e tão displicente em outro não".

"Se é pra avaliar a origem das jogadas, que avaliem de TODAS. Por falar nisso, foi de uma falta invertida que o São Paulo fez o gol de empate contra o Fluminense no jogo do primeiro turno".

Mais jogos do Fluminense. Gol legal do Fred anulado no primeiro jogo contra o Atlético no RJ. Depois tivemos mão na bola ou bola na mão uma para cada time nesse jogo.

No jogo contra o Cruzeiro, Wellington Paulista domina com o braço para fazer o primeiro gol do Cruzeiro. Depois tivemos um pênalti não dado para cada lado. Jogo contra o Grêmio no RS tivemos um gol legal do Thiago Neves anulado por impedimento.

Tenho as imagens de todos esses lances que estou dizendo!

 

JOGOS DO GALO, TÃO PREJUDICADO

 

Continua Mário Sérgio: Jogo com o Náutico empatado em 1x1 e o Jô se jogou de fora da área e caiu dentro da área. Pênalti pro Galo ao invés de cartão amarelo e falta pro Náutico.

 

Jogo contra o Inter e o D'Alessandro é expulso aos 20 e poucos minutos do primeiro tempo por fazer uma falta na intermediária do Atlético e reclamar com o juiz.

Jogo contra o São Paulo e o jogador do São Paulo escorrega, acerta o jogador do Galo e é expulso aos vinte e poucos minutos do primeiro tempo.

Jogo contra o Sport em BH e dois pênaltis não marcados para os pernambucanos.




domingo, 21 de outubro de 2012

QUE JOGO! GALO MOSTROU QUE NO SEU TERREIRO LIDER NÃO MANDA

QUE JOGO!

GALO MOSTROU QUE NO SEU TERREIRO LÍDER NÃO MANDA

 

Flávio Anselmo – 21/10/12

 

 

Brasília - Já no primeiro tempo, o líder Fluminense tinha caixa pra levar muitos gols. Estou aqui na análise daquele gol de Ronaldinho Gaúcho, de falta, anulado pelo bom árbitro baiano Jaílson Macedo Freitas equivocado ao ver o empurra-empurra de Léo Silva no zagueiro Gum como faltoso. O Galo chegou ao final do primeiro tempo com 17 chutes a gol contra um do adversário. Seis escanteios a favor e nenhum contra.

Meu mano Fábio Paceli, na casa de quem estou hospedado aqui em Brasília, lembrou que no jogo Fluminense x Vasco, Thiago Neves cobrou uma falta e um tricolor na barreira – talvez Fred – empurrou os adversários, abriu o buraco por onde a bola passou pra ir às redes.

Ao contrário, o gol aqui valeu. Diego Cavalieri pegou até pensamento e evitou gols de Bernard e Jô. Quando a bola passava por ele ia de encontro à trave como aconteceu em jogadas de Bernard e Leandro Donizete.

Encerrado o primeiro tempo só os incrédulos ainda não acreditavam na vitória alvinegra. Mais desconfiados, ainda, ficaram quando Wellington Nem abriu a contagem na fase final. Afinal, o Tricolor estava acuado e não incomodava Victor.

Mas usou sua mortal arma: explorar o erro do adversário. Bernard perdeu a bola no ataque e o Flu chegou rápido na frente pra fazer 1 a 0. Injusto demais.

 

NA RAÇA, NA QUALIDADE E NA TÉCNICA

 

A notável atuação do time que persistia atrás do gol e na marcação ferrenha aos astros tricolores – Fred, Deco, Thiago Neves e W.Nem -

Anulava o líder. A força do Galo estava na diferença de nove pontos entre eles e caso o placar fosse definitivo, o Flu abriria 12 pontos e liquidaria a disputa.

Então, RG-49 saiu na direção do gol e a bola súdita e presa aos pés. O passe pra Jô saiu na medida da bomba cruzada, sem defesa pra Cavalieri: 1 a 1. Não bastava, o apetite do Galo era de uma vitória consagradora.

Sua atuação impecável só não teve brilho exclusivo porque o menino Bernard dava um passeio no lateral Bruno do Fluminense. Ele foi autor da bela jogada do segundo gol mineiro. Chamou pra dançar o lateral tricolor e fez o cruzamento na cabeça de Jô que deslocou Cavalieri e fez 2 a 1.

O incrédulo que chorou no gol do Flu, vibrou com o empate e subiu aos céus com a virada. Estava agora convicto de que nada o tiraria daquele estado sublime. Aí veio o empate do Fluminense com Fred e o nosso personagem caiu desfalecido na cadeira. O empate acontecia aos 42m. Pronto, a diferença não seria de 12 pontos, mas ficaria em 10.

Ronaldinho resolveu botar o Independência em festa, com a grande maioria de seus 21 mil espectadores cantando o hino do Galo. Fez o passe sob medida na cabeça de Léo Silva.

Foi uma testada certeira, no ângulo esquerdo de Cavalieri, sem defesa. Galo, 3 a 2. A diferença caiu para seis pontos. E o nosso incrédulo dançou ao ritmo do hino alvinegro. Pra não se esquecer, ou duvidar, jamais.

 

POR QUE ESPERAR MAIS, GILVAN?

 

Confesso que estive na corrente contrária à demissão do treinador Celso Roth por uma questão que entendo como lógica: demiti-lo no momento seria atrapalhar qualquer planejamento para o ano que vem. A não ser, claro, que o treinador escolhido pra substituí-lo fosse capaz de iniciar um trabalho agora, como aconteceu com Luxemburgo em 2002, quando chegou à Toca, sem planos para aquele ano. No ano seguinte, ganhou tudo.

A nova derrota sofrida pelo Cruzeiro, desta vez em Araraquara, diante do Palmeiras (2 a 0, gols de Barcos) teve a assinatura de Celso Roth. Sua insistência na escalação de três volantes de qualidade duvidosa, em detrimento de profissionais como Lucas Silva e Diego Árias que mostraram melhores condições e nem estavam no banco de reservas, é impertinente. Além de contrariar os princípios de boa ética no futebol, porque visivelmente relata a amizade do treinador com estes brucutus.

Outra coisa é persistir na escalação de Ceará, totalmente fora de forma, e sem condições de chegar inteiro ao fim de qualquer partida.

O Cruzeiro tocava bem o jogo contra o Palmeiras, inclusive com melhores oportunidades, desde o primeiro tempo, quando Roth decidiu botar um dos seus afilhados, Tinga, cabeludo de longas tranças, e de ideias curtas. Tirou Magrão, outro cabeça de bagre, no entanto que tem boa marcação. Tinga escancarou o setor e não ajudou em nada o ataque.

O Palmeiras de acuado foi à frente e marcou o primeiro gol, numa das muitas faltas que a defesa insiste em fazer na intermediária. Marcos Assunção, perito no assunto, lançou Barcos na pequena área e o argentino marcou de cabeça 1 a 0.

Então Roth cometeu a burrice definitiva: tirou os dois melhores jogadores do time, Souza e Martinuccio, pra colocar Borges e Elber. Abriu mais ainda a defesa e tomou o segundo gol. Em campo, continuaram intocáveis, Ceará e Marcelo Oliveira nada fazendo.  

E imaginar que o presidente Gilvan Tavares tenha dito durante a semana passada que o time melhorou e que Celso Roth continuava nos seus planos. Não faz isso com a torcida não, senhor Presidente!

 




FLAVIO ANSELMO
Email -   fanselmo@msn.com
Blog   -   www.flavioanselmo.com.br
Facebook - Flavio Anselmo 
Twitter - @fganselmo

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

TUDO COMO ANTES NA RODADA QUE CHAMARAM DECISIVA

 

( BRASILIA) Estou aqui de novo no Distrito Federal para autografar meu novo livro, "Tarzan vive no Quintal do Vizinho". Daqui acompanhei, ao lado do mano Fábio Paceli, os jogos importantes da quarta-feira. Fluminense e Grêmio empataram e cada qual subiu um ponto. Atlético x Santos empataram também, e ninguém saiu do lugar. A diferença entre líder e vice-líder continua em nove pontos. Domingo esta briga pra derrubar o Flu da liderança continua bem interessante, porque a chance será agora do Galo. Não é bem derrubar no momento, mas diminuir a diferença.

Caso o time de Cuca vença reduz a distância pra seis pontos; é muito, sem dúvida, mas nesse campeonato doido, onde o Figueirense ganha do Internacional (3 a 2) na Beira-Rio, tudo pode acontecer. Inclusive urubu voar de costas.

A rodada não ficou como antes exceto pro Cruzeiro que, com nova boa atuação do argentino Martinuccio, conseguiu vencer bem o mistão do Corinthians, por 2 a 0.

O que houve com Montillo estourando o músculo da perna esquerda é resultado da correria e responsabilidade que lhe são impostas no time. Com Martinuccio, dividirá mais tais  obrigações, coisa que a gente vinha avisando há tempos pra Celso Roth, que teimoso sempre ignorou tal fato.

Apesar da vitória e da subida para sétimo lugar, a torcida azul não deve ficar muito entusiasmada. O time e o treinador estão apenas cumprindo sua obrigação no Brasileiro de ficar dentro ou por perto do G-4.

 

CRUZEIRO DE VOLTA A BH

 

Dia três de novembro, o Cruzeiro retorna ao Independência após cumprir a pena de quatro jogos imposta pelo STJD. Antes do retorno a Belo Horizonte, o time comandado por Celso Roth terá dois compromissos fora de casa: Palmeiras, em Araraquara, e Ponte Preta, em Campinas.

Entendo o motivo de o presidente Gilvan de Pinho Tavares desmentir o interesse em contratar o treinador Jorge Sampaoli, que revelou uma proposta para comandar o Cruzeiro no ano que vem. Gilvan negou os valores ditos pelo técnico, admitiu apenas que a diretoria procurou o argentino antes de contratar Roth. Segundo Gilvan, as bases reveladas por Sampaoli o faria o treinador mais caro do mundo.

Duas meias verdades do presidente que pretende desta forma ser nada ético com relação a Celso Roth cujo contrato termina em dezembro. Qualquer coisa confirmada pela diretoria agora, quanto a vinda de Sampaoli daria munição a Roth e seus leais amigos do elenco pra balearem mais mortalmente ainda o time no Brasileiro.

Só devo afirmar por questão de lealdade aos torcedores que acreditam nesta Trincheira que Sampaoli foi contatado sim, recebeu a proposta excelente do Cruzeiro e só aguarda a resposta da Federação Chilena que o quer na Seleção. Só fica, no entanto, se a proposta cruzeirense for coberta.

Sampaoli informou que recebeu proposta de US$3,5 milhões por dois anos de contrato pra treinar o Cruzeiro a partir de 2013

 

EMPATE SERIA BOM, MAS SEM AS CONTUSÕES

 

Pela situação que passou a viver a partir do instante em que o argentino Miralles fez 1 a 0 para o Santos, com apenas 19 segundos de jogo, o Atlético ficou atordoado, nocauteado em pé. Tanto que permitiu logo em seguida, o endiabrado Neymar fizesse um antológico gol, daqueles pra ser mostrado pelo mundo afora; e olha que o Joia santista jogou no dia anterior pela Seleção de Mano, na Europa, pegou um voo em companhia do excelente goleiro Victor, e à noite ambos estavam em campo.

No entanto, o Galo sentiu o golpe apenas por alguns minutos. Recuperou-se e inflamou a partida com os gols de empate de Bernard e Jô. Partia pra vitória e aí vieram as contusões sérias de Rafael Marques, principalmente, e de Bernard.

Todos no gramado ficaram abalados e a partida que prometia ser quente, caiu em tremendo mormaço. O empate final por 2 a 2, diante do empate, também, entre Fluminense x Grêmio, pelo mesmo placar, acabou sendo bom.

 

STJD PODE INTERDITAR A VILA

 

O procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Paulo Schmidt, revelou nesta quinta-feira que poderá pedir a  interditação a Vila Belmiro após o episódio no qual a ambulância destacada para o jogo entre Santos e Atlético não conseguiu entrar no gramado do estádio para atender ao zagueiro Rafael Marques, do Galo.

Segundo o representante do STJD, o Peixe deve ser denunciado no artigo 211 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), por deixar de garantir estrutura necessária para a realização de uma partida de futebol, que prevê multa de R$ 100 a R$ 100 mil e interdição do estádio até a resolução do problema.

"Já solicitei as imagens (da TV) e irei analisar a súmula da partida, para avaliar uma possível interdição do estádio até que sejam satisfeitas as condições necessárias para atendimento médico aos atletas. É o momento de apurar todos os fatos", disse Schmidt, em entrevista à Rádio Estadão/ESPN.(Superesportes.com.br)

 

NOTA OFICIAL DO PEIXE

 

A diretoria santista, por sua vez, garantiu que obras serão realizadas no estádio para resolver o problema. Com isso, a cúpula alvinegra acredita que a Vila Belmiro deve ser liberada para o duelo com o Náutico, na próxima quinta, em casa.

"O Santos FC esclarece que realizou vistoria técnica ainda na madrugada desta quinta-feira (18), na Vila Belmiro, para avaliar os acontecimentos da partida entre Santos e Atlético. A comissão chefiada pelo vice-presidente Odílio Rodrigues já detectou que obras devem ser feitas para permitir o acesso de ambulâncias ao campo. Elas devem estar finalizadas antes da partida entre Santos x Náutico, no dia 25 de outubro, que é o próximo jogo marcado para o estádio"..




FLAVIO ANSELMO
Email -   fanselmo@msn.com
Blog   -   www.flavioanselmo.com.br
Facebook - Flavio Anselmo 
Twitter - @fganselmo

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

MINHA INDIGNAÇÃO NÃO TEM MAIS LIMITE, PRESIDENTA DILMA!




MINHA INDIGNAÇÃO NÃO TEM MAIS LIMITES, PRESIDENTA DILMA!

Flávio Anselmo – 17/10/12

 

Não me bastassem as arbitragens horríveis no Brasileiro, beneficiando uns em prejuízo flagrante de outros, recebo um email devastador. Tudo bem que a minha coluna seja sobre futebol. Porém, ao receber a mensagem que transcrevo abaixo o nível de minha indignação subiu ao máximo permitido num ser humano.

Que a Presidenta Dilma Rousseff, que com certeza sabedora de tudo isso, se envergonhe da situação imposta aos aposentados deste País. Como beneficiário do INSS, eleitor de dona Dilma, senti-me mortificado ao ler a informação, felizmente revogada pela portaria n° 333, de 1/08/2010. De qualquer forma, uma vergonha!

 

As Centrais Sindicais chiaram com o "aumento" do salário mínimo p/ R$
622,00, porém não estão discordando do aumento do "salário presidiário" para R$ 915,05! Será que os sindicalistas e os governantes do Brasil acreditam que um criminoso merece uma remuneração superior a de um trabalhador?

 

A REFERIDA PORTARIA JÁ FOI REVOGADA PELA DE Nº 333, DE 1º/06/2010 NA QUAL O VALOR DO SALÁRIO FAMÍLIA PRESIDIÁRIO PASSOU A SER DE R$ 915,05.
E TEM MAIS. . . NO CASO DE MORTE DO "POBRE PRESIDIÁRIO", A REFERIDA QUANTIA DO AUXÍLIO- RECLUSÃO PASSA A SER "PENSÃO POR MORTE".
O GRANDE LANCE É ROUBAR OU MATAR PARA SER PRESO E ASSIM SUSTENTAR
CONDIGNAMENTE A SUA PROLE. ISTO É INADMISSÍVEL! INCENTIVO À CRIMINALIDADE!

Você sabe o que é o AUXÍLIO RECLUSÃO?
Todo presidiário, com filhos, tem direito a uma bolsa que, a partir de
1/1/2012 é de R$.915,05, por filho, para sustentar a família, já que o
coitadinho não pode trabalhar para sustentar os filhos, por estar preso.
Mais que um salário mínimo que muita gente, por aí, rala pra conseguir e
manter uma família inteira.
Bandido, com 5 filhos, além de comandar o crime de dentro das prisões, comer
e beber nas costas de quem trabalha e/ou paga impostos, ainda tem direito a
receber auxílio reclusão de R$ 4.575,25 da Previdência Social.
Qual pai de família, com 5 filhos, recebe um salário suado igual ou mesmo um
aposentado que trabalhou e contribuiu a vida inteira e ainda tem que se
submeter ao fator previdenciário?
Mesmo que seja um auxílio temporário, prisão não é colônia de férias.
Isto é um incentivo à criminalidade.

Que políticos e que governo são esses?
Não acredita? Confira no site da Previdência Social.
Portaria nº 02, de 06/01/2012, do INSS (É UM ABSURDO!!!)

Pergunto-lhes:
1. Vale a pena estudar e ter uma profissão?
2. Trabalhar 30 dias para receber salário mínimo de R$ 622,00, fazer
malabarismo com orçamento pra manter a família?
3. Viver endividado com prestações da TV, do celular ou do carro que você
não pode ostentar, para não ser assaltado?
4. Viver recluso atrás das grades de sua casa?
5. Por acaso, os filhos do sujeito que foi morto pelo "coitadinho" que está
preso, recebem uma bolsa de R$ 915,05 para seu sustento?
6. Já viu algum defensor dos direitos humanos defendendo esta bolsa para os
filhos das vítimas?
Só para esclarecer, essas perguntas acima não são minhas, eu acredito que
vale a pena estudar SIM. Acredito que num país com Educação esses absurdos

não passariam no Congresso.

 

COM KAKÁ E RG-4 O TIME SERIA MAIS FORTE

 

A Trincheira aceita a análise de que Oscar, Paulinho, Ramires e Kaká mostrou entrosamento surpreendente em apenas dois jogos. Respeita a decisão de Mano Meneses em entender que Ronaldinho Gaúcho não tenha lugar neste time e está fora de seus planos para a Copa de 2014. Também me passa pela cabeça que o jogador alvinegro estará com 36 anos por ocasião do Mundial.

E daí? Nilton Santos foi campeão do mundo no Chile com 37 anos. Mano Meneses está equivocado nos seus conceitos sobre renovação da Seleção. Abriu meio caminho ao chamar Kaká, remanescente da Seleção anterior. Somaria mais experiência com RG-49, campeão do mundo em 2002. Nem que seja pra encantar mais o jovem elenco.

O treinador brasileiro está deslumbrado com a atuação diante da modesta seleção japonesa e pensa que as vaias no Morumbi, além dos pedidos por Felipão no Serra Dourada, surtiram efeito nos jogadores. Seus discursos e atitudes nas partidas seguintes demonstraram isso.Disse mais Mano Meneses:

- A Seleção cresce isso é visível. Tem a ver com os jogadores, com o que passamos recentemente, com o que vivemos no Brasil... Isso mexeu com a gente. Temos a capacidade de dar respostas nos momentos difíceis.

A seleção brasileira completou seis vitórias consecutivas, desde a derrota para o México na final das Olimpíadas de Londres. De lá para cá, o Brasil venceu a Suécia por 3 a 0, a África do Sul por 1 a 0, a China por 8 a 0, a Argentina por 2 a 1, o Iraque por 6 a 0 e agora o Japão por 4 a 0.

Faltam, também, mais dois nomes na lista de Mano: Fred, do Fluminense, um dos artilheiros do Brasileirão, e Luiz Fabiano, o outro goleador. Como fazer pra encaixá-los e quem tirar não é problema deste analista; é do técnico. Se houver vontade, Mano sabe perfeitamente como fazer, sem prejuízo às qualidades que o escrete tem mostrado. Gosto muito e Hulk, mas entre ele e Fred, sou mais o tricolor. Outro que me agrada é Leandro Damião, porém Luiz Fabiano é melhor. E por aí vai...


VIAGEM PRA BRASÍLIA

Estarei em Brasília nos próximos dias, dentro de uma programação organizada pelo mano Fábio Paceli, embaixador e correspondente da Trincheira no Distrito Federal. Dentro do programado farei uma noite de autógrafos do meu livro lançado recentemente "Tarzan vive no quintal do vizinho", uma obra infanto-juvenil, segmento novo para mim. Este é o meu oitavo livro, sendo o sétimo de 2004 até agora, ou seja, quase um livro por ano. O Sorriso de Juliana, minha primeira obra, é de 1979. Depois vieram, Profetas do Acontecido, Marias Chuteiras,Divinas Marias, Muitas Histórias pra Contar, O verdadeiro Sorriso de Juliana, Caraúna - primeiro romance - e agora Tarzan Vive no Quintal do Vizinho - primeiro livro pra crianças. O livro não será colocado em livrarias e se você gostaria de ter um ou mais exemplares é só entrar em contato comigo, num dos endereços virtuais abaixo. Ah, o preço de lançamento é R$ 15,00.

FLAVIO ANSELMO
Email -   fanselmo@msn.com
Blog   -   www.flavioanselmo.com.br
Facebook - Flavio Anselmo 
Twitter - @fganselmo

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

ALEX OUVE PROPOSTA DO CRUZEIRO, ACEITA E NO INÍCIO DA NOITE DIZ QUE NÃO VEM MAIS.



                                             ( Foto de Paulo Figueiras/EM-DA Press)
Não sou nem a favor, nem contra o sonho alentado pela Nação Azul de ver Alex outra vez com a camisa do Cruzeiro. Eu o respeito como grande craque que é e penso que sua contratação seria extremamente produtiva. Como a China Azul queria: pra contrapor à contratação de Ronaldinho Gaúcho pelo arquirrival. Duas coisas, contudo, separavam a meu ver este sonho. Alex só poderia jogar em 2013 e RG-49 nem sabe, ainda, se permanecerá na Cidade do Galo.
Eu levanto, também, outros motivos pra não me sentir frustrado com a negativa do Talento Azul em vir jogar por dois anos no Cruzeiro.
Vejamos o ABC de Alex: :
a) Alex é um jogador caro e considerado velho. Rico e sem maiores objetivos na vida. Já foi campeão de tudo, exceto mundial com a Seleção Brasileira. E não será mais.
b) Nunca passou pela cabeça enorme de Alex encerrar sua carreira no Cruzeiro. A China Azul confundiu tudo: Alex ama tanto o Cruzeiro, como o Coritiba, o Palmeiras e o Grêmio de Vanderlei Luxemburgo.
c) Quando jogou por aqui da segunda vez tornou-se ídolo pelos títulos que ajudou o clube a ganhar. Da primeira vez foi enxotado, dispensado por preguiça e incapacidade técnica. A torcida esqueceu-se disso.
d) Os jovens cruzeirenses, encafifados nas redações dos jornais, tevês e emissoras de rádio, sem maiores lembranças fizeram Alex maior que outros ídolos, alguns recentes, como Ronaldinho, Dirceu Lopes, Tostão, Joãozinho, Palhinha e etc. A maioria cruzeirense, realmente.
e) Pensar que o tal “amor pelo Cruzeiro” traria Alex pra Toca foi ledo engano da China Azul que acabou pressionando e motivando o presidente Gilvan Tavares. Alex é profissional, apesar de em final de carreira.
f) Tal decisão, no entanto, não o transforma em vilão, ou mercenário. Ele jamais disse que retornaria ao Cruzeiro. A falsa ilusão foi criada pela própria torcida que o esculhamba agora.
g)A proposta do Cruzeiro, segundo Alexandre Matos, foi de agrado de Alex, após discordar da primeira proposta cruzeirense e apresentar a sua. No entanto, não sabemos o que lhe foi oferecido pelos demais interessados.
h) Pelo que sei o destino do craque não dependeu de sua família, mas sim da grana. Nem Coritiba, mal no Brasileiro; nem Palmeiras, a caminho da Segundona. Alex será gremista, perto de disputar a Libertadores.
i) Cruzeiro, Coritiba e Palmeiras vão disputar o quê? Na análise de Alex, eles não jogarão nenhum torneio que o coloque na vitrine internacional.  Encerrar a carreira, porém sem perder a Majestade que alguns insistem em conceder-lhe.
j) Por favor, podem querer Alex aqui, considerá-lo um craque inesquecível egrande nome na história do Cruzeiro? Jamais o coloquem como um ídolo imortal. Só quem não viu Dirceu Lopes, Joãozinho, Tostão e Ronaldinho jogarem com aquela camisa azul pensa dessa forma. Respeitem os ídolos que o Cruzeiro gerou!

NADA DE SAUDOSISMO

Não me prendi ao saudosismo pra deixar de carpir a negativa de Alex. Até porque não sou “viúva” dele ou de qualquer outro ídolo do passado. Eu me importo com o clube na atualidade. Os azuis de agora estão amarelos, amedrontados com qualquer adversário. Alex nada viria resolver no momento. A vida da torcida gira em torno de Martinuccio e Montillo. É preciso que se dê força a estes dois craques e que se engula a empáfia do técnico Celso Roth até o final do ano pra que o Cruzeiro termine o campeonato brasileiro sem título, sem libertadores, na Copa Sul América – se der – mas com dignidade.
Espero que o torcedor comum faça o mesmo. Tudo que podia ser feito, a diretoria de Gilvan Tavares fez pra trazer Alex, inclusive cobrindo a própria proposta do jogador. Sabia, no entanto, que é difícil cobrir a do Grêmio, que tem Vanderlei Luxemburgo no comando – amigo de Alex – disputará a Libertadores, com certeza, e tem um elenco dos melhores do país. Tolo é alguém julgar que isso não pesou na decisão de Alex, que a Trincheira antecipa, pois ele aceitará a proposta gremista. Bobo, também, se não aceitar.

TEMPO DE PENSAR

Até se surpreender com a réplica do Cruzeiro aceitando a sua proposta, Alex teve tempo pra arquitetar uma saída honrosa e manter bem com a China Azul. Até porque parte da imprensa mineira aceitou com tranquilidade sua decisão e a nomeou como sendo de alguém cujo caráter é inatacável; por ser Alex uma pessoa boa, tranquila, ciente de suas obrigações e vontades. Papo furadíssimo. O fato de ele aceitar outra proposta e decidir em avisar aos dirigentes cruzeirenses, após ter informado mais cedo que aceitaria o proposto, não o torna mal, nem bom, nem respeitoso, nem de caráter sem jaça. Apenas um profissional que pretende faturar mais dinheiro e prestígio no fim da carreira. Um ser humano como outro qualquer. O Cruzeiro não morrerá por isso, como não morreu com a saída dos ídolos passados que já citei.

PÁGINA VIRADA

Viro a página da história e boto uma pedra em cima. Acabou pra mim a história de retorno de Alex à Toca da Raposa. Que ele seja feliz onde estiver e que o Cruzeiro passe por cima dele, quando o encontrar pela frente, numa das batalhas da vida futebolística, feito trator. Esse é meu interesse maior.
Coisa boba, também, essa declaração de Alexandre Matos de que se trata de um assunto delicado por tudo que Alex representa. O Cruzeiro não mediu esforços pra repatriá-lo e se Alex mijou fora do pinico que se diga sem problema.
É só acompanhar a história toda, contada por Alexandre Matos, diretor de futebol cruzeirense.
Desde quando a diretoria atual assumiu, era um desejo do Gilvan o retorno do Alex. Foi uma das primeiras ações aqui foi essa. Fiz contato em 22 de março, tentei a possibilidade de ele vir no meio do ano. Ele posicionou que naquele momento que não romperia contrato”.
“Fizemos mais contatos. Em 25 de maio foi a última vez que o Cruzeiro tentou repatriá-lo no meio do ano. Naquele momento, ele não fazia rescisão por respeito a todos os anos no Fenerbahçe. Em 14 de agosto eu recebi um contato do Alex dizendo que estava repensando a possível vinda dele em janeiro. Como o Cruzeiro havia saído na frente, ele queria escutar a proposta”.
“Em 21 de setembro, o Cruzeiro fez uma proposta que foi recusada pelo Alex no dia seguinte. Ele fez a contraproposta e o Cruzeiro aceitou no dia 2 de outubro. O Cruzeiro fez proposta dentro dos valores que achava interessante naquele momento. Ele deixou claro que queria conversar com a família. Ele passou os valores que gostaria ao Cruzeiro e fizemos força para conseguirmos chegar”.
Nesta segunda-feira, eu estaria em Curitiba, já estava marcado. Então, por volta das 21h30, ele disse que conversou com a família e disse que não viria pra BH, e, consequentemente, para o Cruzeiro. Não é nada financeiro. Ele foi enfático e disse que já está com a cabeça em outra situação, é o desejo dele neste momento”.
Pronto, decisão tomada. Quem chorou, chorou; quem não chorou, não chore mais e pode extravasar sua raiva pelos poros, no twitter, no Facebook, ou não faça que nem eu. Vá comer suas goiabinhas, torcer pelo time ruim de Celso Roth com a esperança de que ele melhore até o final do ano. Martinuccio, Montillo, Lucas Silva, Elber, Mayke, Fábio, e outros garotos que serão descobertos, sem Celso Roth, botarão a casa em ordem em 2013. Até lá, o presidente Gilvan do Pinho Tavares terá ganhado mais experiência e repetirá a administração genial de outro saudoso promotor de Justiça, doutor Benito Masci.

NEM TREINADOR CRÊ MAIS NA VOLTA DO AMERICA



Depois da derrota pela quarta vez seguida e de novo em casa, até o técnico Mauro Fernandes jogou a toalha e não acredita mais na volta do América à divisão de elite. Visivelmente abatido, Fernandes admitiu que as chances de voltar à elite do futebol nacional são praticamente zero. Mauro Fernandes lamentou os erros repetidos contra o Atlético Paranaense e o Goiás, quando o Coelho saiu na frente e levou a virada nos acréscimos.



Mauro Fernandes (foto de Alexandre Guzanshe/EM-DA Press) -já não acredita que o seu América tenha chances de entrar, de novo, no G-4 da classificação.





De novo, o time saiu na frente e tomou a virada. Conversamos no intervalo, voltamos e, logo com três minutos, sofremos o empate. Não responsabilizo só a defesa, não. No segundo gol, estávamos com a bola no ataque, perdemos a jogada e ficou todo mundo olhando. É isso que nos deixa triste. Tudo que fizemos durante a semana em trinta segundos vai por água abaixo”. 
Na décima posição, com 40 pontos, o Coelho só pensa em encerrar o jejum de vitórias na Série B, diante do Guaratinguetá, nesta terça-feira, às dez da noite, em São Paulo, pela 30ª rodada.