domingo, 14 de outubro de 2012

O VELHO CONHECIDO NIELSON NOGUEIRA AJUDA FLU A VIRAR EM CIMA DA PONTE E MANTÉM GALO A NOVE PONTOS DO LÍDER


O domingo mostrava um final de tarde bem a gosto da nação atleticana: o Galo vencera o Sport, de virada, por 2 a 1, no peito e na raça, como a torcida gosta, e voltava à vice-liderança seis pontos atrás do líder Fluminense que jogaria mais tarde contra a Ponte Preta, em São Januário, enquanto o Grêmio enfrentaria o Botafogo, no Olímpico. A esperança era de que surpresas pudessem acontecer; e quase se transformaram em realidade.
Com um minuto de jogo, a Macaca fez l a 0 no Flu e manteve o resultado até o meio do segundo tempo. Então, aquele velho conhecido, soprador de apito, Nielson Nogueira, autor de lambanças inesquecíveis no clássico, resolveu dar uma forte e vergonhosa ajuda ao tricolor carioca.
Expulsou um atleta da Ponte. Por fim, mais descarado apitou pênalti num característico lance de bola na mão do zagueiro paulista, que Fred bateu e empatou. Por fim, aconteceu uma falta de Marcos Júnior, do Flu, sobre Renê Júnior, da Ponte, na entrada da área, pelo lado direito e ele inverteu. Deu o lance faltoso para os tricolores. Aos 42m, bola na área; Gum marca de cabeça a virada do líder: 2 a 1. Não adianta: os deuses do futebol aqui na Terra querem o Fluminense campeão este ano.

QUESTÕES DE APITO

Nessa xaropada toda da Trincheira chorona vem a pergunta: e aquele pênalti de Carlos César quando Atlético e Sport ainda empatavam em l a 1, já quase no final? O volante alvinegro estava de braços abertos e cortou o lance de ataque dos pernambucanos. O  árbitro considerou como lance normal, sem intenção. Quem nem o lance do Fluminense. Iguais, porém com duas interpretações. Houve maldade nos dois lances, apesar da chiadeira dos jogadores do Leão do Norte? Não, apenas a falta de critério que assola a arbitragem tupiniquim.
A Trincheira aproveita pra falar do apito no jogo Flamengo 1 x 1 Cruzeiro, também cheio de lances duvidosos e discutíveis. No gol do Flamengo, Vagner Love dominou nitidamente a bola no braço esquerdo e a ajeitou pra fazer o passe, de cabeça, ao companheiro Liedson. A arbitragem considerou legal, tanto o assistente atrás do gol como o bandeirinha. O Cruzeiro sairia no prejuízo até que teve a compensação. Liedson fez um segundo gol que foi anulado sob alegação de impedimento. Errado, não estava impedido não. Diria que ninguém saiu no prejuízo por causa dos erros.

LEONARDO SAI DO BANCO

Tudo esteve do lado do Atlético na partida do Independência. Não foi brilhante tecnicamente, porém mostrou disposição e vontade de vencer. Jô saiu machucado e a torcida lamentou porque o time perdia o homem de referência na frente. Cuca colocou Leonardo que se tornou o herói da partida com os dois gols da virada. Além disso, o Sport que vencia por 1 a 0, gol de Hugo, ficou com 10, porque o próprio Hugo foi expulso.Com Jô machucado, Cuca foi obrigado a substituir o atacante. O reserva foi chamado e, logo no primeiro toque, fez um. Nos acréscimos, marcou outro.
O Atlético já disputou, entre o Independência e a Arena do Jacaré, 23 jogos, com 18 vitórias e cinco empates. O Sport, desesperado com a Z-4, lutou bastante e após o apito final, seus jogadores cercaram o árbitro Flávio Rodrigues Guerra (SP), que não teria marcado dois pênaltis a favor do Leão. No primeiro, um empurrão de Leandro Donizete no atacante pernambucano, dentro da área. No segundo, o último da partida, o braço de Carlos César.
Cuca valorizou o resultado. “Como disseram, foi com a cara do Atlético. Foi na raça, na vontade... Às vezes, tão bom quanto ganhar na técnica, é ganhar assim. Lógico que a gente gostaria de ter feito um jogo melhor, mais tranquilo. Mas não fomos bem, principalmente no primeiro tempo, sem aquele ímpeto dos jogos em casa. Demos espaço para o Sport, que fez 1 a 0. Tivemos chances na cara, onde não chutamos nem cruzamentos. Isso pesa emocionalmente, o jogador perde a confiança e vem uma cobrança da arquibancada, que é justa. O time ficou nervoso”. Esta, também, foi minha opinião sobre o jogo.

AZUIS MELHORARAM

Taí, este jogo contra o Flamengo, no Rio, dava perfeitamente para o Cruzeiro trazer mais três pontos. Trouxe um. Não foi de todo ruim, desde que se analise que o objetivo do time não passa nem mais pela Libertadores, sonho quase impossível. Também, penso ser difícil a luta pelo rebaixamento. Convém pensar na Copa Sul Americana. Não me agradou o time num todo porque Roth escalou canhotos em excesso, no meio-campo. Wilson Magrão, Marcelo Oliveira, Everton, um pouco atrás Mateus e mais á frente Martinuccio.
Quando resolveu mudar fez outra besteira: tirou Wilson Magrão e deixou Guerreiro e Marcelo já amarelados. Estes dois fugiram o tempo todo de um confronto mais duro com os flamenguistas. Ai o meio ficou aberto. Gostei da entrada de Elber, porque Martinuccio cansou-se. Diego Renan entrou no lugar de Everton, com cãibras. Até que enfim, Ceará jogou uma partida inteira. Na hora do sufoco do Flamengo, nos minutos finais, poderia ter evitado tudo com a entrada de Árias no lugar de Marcelo.
Montillo esteve bem com Martinuccio ao seu lado, até se cansar. Anselmo Ramon teve altos e baixos: perde gols impossíveis. O melhor em campo foi Everton, autor do gol de empate. Morreu de tanto correr. Mas com aquela zaga doida de Léo e Mateus, o torcedor morre do coração. Os caras fazem faltas uma atrás da outra na entrada da área. E o São Fábio, na velha forma, que se vire lá na meta pra fazer seus milagres!!!

NA SUL-AMERICANA

Matematicamente o Cruzeiro está numa encruzilhada: pode chegar ao G-4 do Bem ou ao Z-4 do Mal. De acordo com o site Chance de Gol, especializado em verdades mentirosas a respeito dos objetivos no Brasileiro, a chance do Cruzeiro ser rebaixado é de 0,2% e de classificar para a Libertadores é menor ainda: 0,02%. Os celestes estão a 13 pontos acima da zona do rebaixamento e a 12 abaixo do G-4.
É provável que o Cruzeiro se classifique para a Copa Sul-Americana. Porém, a CBF mudou os critérios para participação no torneio em 2013. Isso porque a Copa do Brasil terá 86 clubes no ano que vem, incluindo participantes da Libertadores, e será disputada por um período extenso.
As oitavas de final coincidirão com o início da Copa Sul-Americana, portanto as equipes que estiveram ainda disputando a Copa do Brasil não participarão do torneio internacional. Dessa forma, estarão classificados à Sul-Americana os oito mais bem colocados do Brasileirão de 2012 que não estiverem nas oitavas de final da Copa do Brasil. Os participantes da Libertadores entram na Copa do Brasil diretamente nas oitavas de final.
Se as oito vagas brasileiras na Sul-Americana não forem preenchidas por clubes que fiquem no máximo até a 16ª colocação no Brasileirão, os quatro primeiros da Série B têm direito às vagas. Se eles também estiverem nas oitavas da Copa do Brasil, os rebaixados da Série A 2012 passam a ser os representantes no torneio internacional. (Globoesporte.com)

Eta América! Mais uma derrota em casa. Tomou uma virada do Goiás (2 a 1) e sofreu sua quarta derrota seguida na Série B Quem te viu e quem te vê, Coelho não acredita que aquele time da liderança da competição no início e que encheu a pequena, porém fiel, torcida de esperança na volta à Série A, seja o mesmo. A equipe não venceu a um mês.
No dia 14 de setembro, o time de Mauro Fernandes venceu o Avaí, por 1 a 0, no Independência, e se recuperou da goleada sofrida para o São Caetano. Desde então, teve derrotas para Bragantino, Grêmio Barueri, Atlético-PR e, por fim, Goiás,. Resultados que deixaram o América na décima posição, com 40 pontos ganhos. Bem distante do acesso à elite nacional. Faltam oito rodada para o fim da Série B, e o Coelho está 12 pontos do G-4.Tem jeito não, nem com milagre.
Pra não dizer que esta é a pior fase, a primeira delas foi mais negativa ainda: o América ficou cinco jogos sem vencer. Após empatar com o Guarani, no Horto, foi derrotado foi derrotado pelo Boa, Joinville, Asa e Vitória. A sequência só foi quebrada contra o ABC, em Natal, na vitória por 2 a 0. Nesta terça-feira, o América enfrenta o Guaratinguetá, em São Paulo.  

GOL SALVADOR

Um gol do jovem Bruno Mendes, salvou o Botafogo de ser derrotado pelo Grêmio no Olímpico. Os cariocas perdiam por l a 0 até aos 46m do segundo tempo, por causa de um gol de falta de Léo Gago, quando o garoto botafoguense decidiu partir pro gol adversário em lance individual. Com sucesso. Bom para o Botafogo, ruim para o Grêmio e ótimo para o Galo. O time gaúcho com a vitória assumiria o segundo lugar, com 59 pontos e uma vitória a mais que o Atlético. No empate, permaneceu em terceiro, com 58, O Galo manteve a vice-liderança com 59 pontos, nove atrás do Fluminense que subiu pra 68. O Vasco saiu do G-4 e entregou sua vaga ao São Paulo, de Nei Franco, que atingiu 52 pontos. E o primeiro paulista a entrar no seleto grupo.




3 comentários:

  1. Flávio Anselmo já matei uma de suas netas seu velho retardado.

    ResponderExcluir
  2. Agora só falta você seu chupa rola.

    ResponderExcluir
  3. Flávio Anselmo desgracado do capeta vou te assassinar na sua casa.

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.