segunda-feira, 1 de outubro de 2012

OS VENTOS DA SORTE NÃO SOPRAM MAIS NA DIREÇÃO DAS GERAES


Setembro é um mês bonito, no qual se iniciam os ventos da Primavera, período das flores. No entanto, não foi nada florido, ou bonito, para as bandas do futebol de Minas Gerais. O América apanhou feito cão vira-lata em casa; o Cruzeiro manteve-se numa sequência de seis jogos sem vitória e o Galo, quem diria, caiu da liderança. Pior: permitiu que o seu perseguidor mais próximo, o Fluminense, pulasse na frente e colocasse seis pontos de vantagem. Agora, o Atlético não depende mais apenas dele pra chegar ao título brasileiro. Precisa vencer e secar o tricolor carioca.
Cuca terá de refazer suas contas de projeção pra caminhada do Atlético. O time fez oito jogos, ou seja, 24 pontos, em setembro. A meta do treinador era de conquistar 12 pontos. Não alcançou. Com o empate de 1 a 1 com Portuguesa, no sábado, o time terminou o mês conquistando nove pontos.
O Galo somou pontos nas vitórias contra Palmeiras e São Paulo, em casa, e nos empates com o Bahia, Grêmio e Portuguesa. Nos jogos contra Corinthians, Náutico e Flamengo ele foi derrotado. Em outubro, são seis compromissos. O próximo jogo é no próximo sábado, no Estádio Independência, contra o Figueirense, às seis e meia da noite.
Cuca planeja somar 12 pontos em outubro, em 18 disputados. A conta terá de ser refeita agora. Com 53 pontos, o time alvinegro acompanhou desesperado a vitória do Fluminense no clássico com o Flamengo, por 1 a 0 gol de Fred. Tricolor chegou a 59 pontos e pôs a distância de seis pontos sobre o Galo. (foto de Alexandre Guzanshe/EM DA Press)
Aliás, no Fla x Flu, outro exemplo de como os ventos da primavera não escolheram Minas Gerais. O rubro-negro lutou desesperadamente a ponto de tornar o goleiro Diego Cavalieri, do Fluminense, o melhor jogador em campo.Aos 41m do segundo tempo, ele defendeu um pênalti e consagrou sua atuação. O Flamengo teve, também, um gol anulado de Love, por impedimento. A torcida flamenguista aplaudiu o time no final.

CRUZEIRO, O MAIOR AZARADO

A saída de um estrangeiro da relação do jogo contra o Internacional e a entrada de outros dois – o colombiano Diego Árias e o argentino Martinuccio – parece que encheram de brio o Cruzeiro no empate imerecido de 0 a 0, em Varginha. O jogo apitado por Paulo César de Oliveira, mestre em fazer lambanças contra o futebol mineiro, teve lances singulares. Nas fotos do EM/DA Press, Diego Arias e Martinuccio. 
Um exemplo está no pênalti marcado em favor do Cruzeiro logo no início da partida. Lance meio maroto, que nem as câmaras da tevê viram direito, exceto a boa vontade do comentarista de arbitragem Márcio Resende de Freitas. Borges bateu e converteu, mas PC mandou voltar alegando invasão geral. Tudo bem. Borges bateu de novo, por cima do gol. Então houve invasão gaúcha e PC fingiu que não viu.
Da mesma forma que a arbitragem, também, fingiu que não viu o toque de mão descarado e intencional do volante Lucas Lima, numa jogada de Everton pelo lado esquerdo no segundo tempo. Gostei da atuação do Cruzeiro que apesar do empate botou esperança no fechamento do mês de que em outubro – meu mês e de São Judas Tadeu – a sequência de maus resultados terminará. Em Varginha, só faltou a bola entrar.

STJ MANTÉM CINE BRASIL EM PÉ

A melhor notícia do final de semana eu recebi do Procurador de Justiça, Dr. Jarbas Soares Júnior, e que transmito com o maior prazer àqueles que acompanharam a indignação geral contra a demolição do histórico Cine Brasil da minha querida Caratinga. Nada irá resgatar a história do cinema, porque a feiúra de sua carcaça, feito ossos em pé de um dinossauro, estará na Praça Getúlio Vargas a lembrar seu proprietário que ali um dia existiu boa parte do patrimônio cultural de nossa cidade.
Mas eis a mensagem que me encheu de alegria: “Prezado Flavio Anselmo, primeiramente, quero agradecer o envio diário de sua prestigiada coluna. Leio-a com muita atenção. Por isso, acompanhei o seu grito em defesa do patrimônio cultural de sua terra natal. Aliás, encontro-me sempre em Brasília com o ilustre caratinguense Vicente, que hoje é Deputado Federal pelo PT-SP”.
A propósito da questão da tentativa de demolição do cinema de sua cidade, encaminho-lhe a republicana decisão do Ministro Félix Fischer, Presidente do STJ, que me foi enviada pelo combativo colega Marcos Paulo de Souza Miranda, titular da Promotoria de Justiça Estadual de Defesa do Patrimônio Cultural, a qual criei quando fui Procurador-Geral de Justiça do nosso estado. Abraço e viva o Galo querido”.
Ministro Félix Fisher não suspende liminar conseguida pelo MPMG e que objetiva evitar a demolição do Cine Brasil, na cidade de Caratinga. Segundo o Ministro: "grave lesão à ordem pública, dar-se-ia na hipótese de se permitir a demolição de imóvel antes de caracterizada ou definida nas vias ordinárias a sua importância como patrimônio."
Este filho da combativa e saudosa dona Geralda não pode deixar de dividir sua alegria pelo sucesso da empreitada com os jovens que fizeram a vigília popular de onde nasceu a repulsa contra a ganância imobiliária em Caratinga. Através de minha filha Juliana, uma das participantes, e de seu marido Gustavo, bem como do futuro vereador Jorge Magalhães Mixidim, gostaria que todos os participantes do movimento sentissem homenageados em nome da cultura de Caratinga.

BOAS ESTREIAS

As estréias dos estrangeiros contra o Inter, no Melão, foram bem recebidas pela torcida e na Toca da Raposa. O colombiano Diego Arias e o argentino Martinuccio tiveram a aprovação, também, de Celso Roth, que prometeu aproveitá-los mais vezes no decorrer da competição.
Diego Arias começou a partida como titular ao lado de Marcelo Oliveira e Leandro Guerreiro na marcação do meio-campo. Jogou até os 12 minutos do segundo tempo, quando foi substituído por meia Souza, porque Roth quis usar mais as beiradas de campo.
Martinuccio saiu do banco de reservas aos 28’ do segundo tempo pra substituir Anselmo Ramon. E também mostrou qualidades já conhecidas e que se recuperou da lesão óssea na perna esquerda, que o manteve em tratamento por dois meses. Segundo Roth, o meia ainda não está em sua melhor forma, mas com o tempo pode se tornar um dos destaques da equipe.

SUPERSTIÇÃO DE CUCA

Eu brinco bastante com essa história de superstição, deuses do futebol, etc, etc, mas não acredito nisso. Cuca deixou entender que acredita. O Galo entrou em setembro liderando o Brasileiro, porém, seu aproveitamento foi de apenas 37,5% dos pontos, e caiu. O Fluminense, pra surpresa até do treinador Abel Braga, o ultrapassou na tabela. Cuca disse que previa um mês ruim. Com a chegada de outubro, entende que é hora de deixar para trás o momento ruim e reencontrar o caminho do título.

Disse ele:  “Sempre falei que esse mês de setembro era ruim. Falei no começo do mês e foi ruim. O mês de outubro é mês bom. Vai ser uma sequência boa pela frente. Temos o Figueirense em casa. Depois a gente sai com o Internacional. Voltamos para jogar contra o Sport. Pegamos depois o Santos na Vila e jogamos em casa com o Flu e o Fla. É hora da nossa arrancada”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.