domingo, 7 de outubro de 2012

ROTH, MEU BOM, AJUDA AÍ!
COMO SEMPRE ELE NÃO SE SENTE CULPADO POR NOVA DERROTA

O que faltou ao Cruzeiro pra quebrar a sequência de seis jogos sem vitória foi Celso Roth ficar quieto no túnel. Caladinho, sem mexer no time, exceto em caso de lesão, como aconteceu com seu protegido, o chinelinho Ceará. Pois, quando decidiu meter o bedelho no jogo, fez errado. Foi no momento de sufoco do Grêmio que já havia empatado a partida, com Marcelo Moreno, que entrara no intervalo, esquentado, levando à loucura a perdida defesa azul. Roth então decidiu arrumar as coisas e mexeu errado.
Já tinha sido obrigado a tirar seu amigo meia-bomba Ceará, sem condições físicas, conforme previsto, e colocar Diego Renan logo aos 11m da fase final. Depois, tirou Diego Arias, um dos melhores do time, e o centroavante Borges. Abriu a guarda e chamou o Grêmio mais pra cima dele.
Colocou o desastrado  Mateus e o veterano Souza. Se Árias cansou-se e Borges era um poste na frente, sem velocidade, porque não colocar o menino Lucas Silva e o argentino Martinuccio pra recuperar o espaço no meio-campo e a segunda bola que eram gremistas?
A jogada do gol da vitória do Grêmio  nasceu exatamente em cima de Mateus, com Moreno, que passou por ele com extrema facilidade. Fábio, o grande nome do jogo, com defesas incríveis, ainda tentou tirar e rebateu para o meio. Marquinhos, livre de marcação, matou o jogo. O Cruzeiro completou sete jogos sem vencer. Caiu pra décimo lugar, está a nove pontos da zona do rebaixamento e a 14 do RG-4. Sofrimento continua. Nesta quarta-feira, o Cruzeiro recebe a manhosa Lusa em Varginha. Que os deuses ajudem!!

NÃO DÁ PRA ESQUECER

A atual temporada ficará registrada na história do Cruzeiro como uma das piores do time. Não lembro de nada parecido ou pior. O Cruzeiro não ganhou nada, talvez apenas um pouco de experiência para o seu novo presidente Gilvan do Pinho Tavares, sem ele souber absorver as lições aprendidas. O torcedor que não tem de aprender lição alguma, vive o drama  sozinho e esperançoso.
Está no Superesportes: “O Cruzeiro passou longe de disputar títulos, foi eliminado no Campeonato Mineiro e na Copa do Brasil prematuramente, por times da Segunda Divisão, e agora amarga uma sequência de sete jogos sem vencer no Campeonato Brasileiro. A Libertadores já está fora do alcance e a torcida reza para não passar pelo mesmo sufoco do ano passado, quando a queda brusca no segundo turno fez o time brigar contra o rebaixamento até a última rodada”.
“A atual sequência de sete jogos sem vencer já é uma das piores da história do clube. A pior delas ocorreu justamente no ano passado, quando o time acumulou 11 partidas de jejum, com sete derrotas e quatro empates”.
“A segunda pior sequência do Cruzeiro ocorreu em 1922, ano seguinte à fundação do clube. O então Palestra Itália passou os nove primeiros jogos da temporada sem vencer. Os adversários foram Morro Velho (duas vezes), Villa Nova (duas vezes), Atlético, Sete de Setembro, América, Luzitano e Yale.
Em 1921, o Palestra terminou a temporada com uma derrota para o América, em outubro, e um empate com o Yale, em 6 de novembro. Se for considerada a temporada anterior, portanto, são 11 jogos de jejum, com dois amistosos na lista”.
“A terceira pior sequência em uma mesma temporada foi em 1982. Essa época do clube ficou estigmatizada como os tempos de Tobi e Bendelack, desconhecidos reforços contratados pela diretoria depois do pífio início de Brasileirão. A situação não melhorou com os novatos no time e o Cruzeiro amargou nove partidas sem vencer, com quatro derrotas e cinco empates.
Em outras três ocasiões, o Cruzeiro ficou oito jogos seguidos sem triunfar: em 1994, 2005 e 2006. Em 98, o clube ficou 8 partidas sem vencer pelo Brasileiro, mas, no meio da sequência, houve uma vitória sobre o São Paulo, pela Copa Mercosul, por 5 a 1”.

ROTH JOGA CULPA NO JUIZ

Senhor Bom Jesus do Galho! Eu não sabia que o Cruzeiro havia mudado de treinador sem avisar a imprensa. O culpado pelas besteiras na escalação e nas mudanças no time durante o jogo contra o Grêmio pelo que me consta é o Celso Roth. E tais mudanças causaram tremendo mal ao time a ponto de levá-lo à derrota de virada. No entanto, o treinador sustenta que o culpado foi o árbitro baiano Jaílson Macedo de Freitas.
Vimos jogo diferente! Certamente por ordem do seu treinador, a defesa do Cruzeiro é considerada a mais faltosa do Brasileirão. Bate muito e desnecessariamente. Não são faltas violentas, mas repetitivas e em setores perigosos. Contra o Grêmio foi assim. Léo, Thiago Carvalho, Everton, Guerreiro e Diego Renan não disputaram um lance sequer sem falta. O colombiano Diego Árias, que eu me lembre, fez apenas uma. O resto recuperou a bola sem falta. 
Como culpar a arbitragem se o Cruzeiro completou seu sétimo jogo sem vitória no comando de Celso Roth? Em todos os árbitros ajudaram o adversário? Posso atestar, no entanto, que, em todas, por ser turrão, Roth cometeu erros crassos. Sua dissimulação chega ao ponto de afirmar que o Cruzeiro perdeu um “jogo um jogo que estava absolutamente controlado, o Grêmio com enormes dificuldades. Eu credito a derrota ao Jaílson (árbitro), pelo que ele fez no segundo tempo”. (foto de Gustavo Granata/Agip-Folhapress)
Sobre a besteira de insistir em escalar Ceará fora de forma e de condições ideais, o treinador também lamentou e, ainda, agrediu o rapaz que entrou (Diego Renan):
O Ceará, além de grande jogador, exerce liderança. A situação nos deixou sem opção. Além de tudo, ele é bom na bola aérea e o Grêmio jogava com três atacantes de área. Então isso dificultou bastante, por isso fizemos duas linhas de quatro. O Ceará, infelizmente, desde o jogo contra o Coritiba, não consegue ter uma sequência, quando vem para o jogo, tem este tipo de problema. Hoje ele caiu em cima do pé do Leandro e sentiu de novo o tornozelo”.
A teimosia de Roth e a petulância de se julgar onisciente não aceitam a verdade única: a escalação de Ceará será sempre temerária e as contusões que sofre no gramado são frutos da sua total falta de condição física. Ele só aguenta 40m e olha lá. Por isso, o técnico continuará na sua ladainha: a imprensa não para de querer derrubá-lo. Mas que ele, também, dá motivos, isso dá.

RG-49 DÁ TIRO DE ARRANCADA

O que Ronaldinho Gaúcho fez contra o combalido Figueirense é covardia, contudo repõe as coisas nos devidos lugares. Quem mandou que os barrigas verdes viessem aqui feito bêbados, equilibrando-se em corda bamba, prestes a tomar o tiro de misericórdia do rebaixamento? RG-49 anunciara que este seria o jogo da redenção, do tiro de arrancada pra recuperação no Brasileiro e que ele faria de tudo pra recolocar o time nos trilhos. E fez!
(Foto de Cuca e RG-49: Rodrigo Clemente/Esp.EM/DA Press)
Conforme destacara em suas entrevistas esse era o momento ideal que todo atleta gosta pois a competição chegou ao momento da sobrevida. Ou vai ou racha. Exige muito esforço e que cada um dê o melhor de si. Ronaldinho Gaúcho só não fez chover no Independência e o Figueirense pagou o pato. Fosse qual fosse o adversário e seria empurrado ladeira abaixo, que nem bêbado, que nem o pobre do Figueira.
O Galo não encontrou nenhuma dificuldade em marcar 6 a 0 graças à atuação impecável de RG-49: marcou quatro gols e deu assistência nos outros dois, de Rever e Bernard. O Atlético esteve perto de diminuir sua distância com o líder Fluminense que empatava com o Botafogo em 0 a 0.
No entanto, de novo, apareceu o carrasco: Fred marcou o gol da vitória do Flu e reassumiu a liderança dos artilheiros junto com Bruno Mineiro, da Lusa, com 14 gols . Na classificação geral, o Fluminense lidera com 62; em segundo, o Galo com 56: em terceiro, o Grêmio que venceu o Cruzeiro (2 a 1) tem 53; o quarto, Vasco com 40. O São Paulo derrotou o Palmeiras( 3 a 0) e encostou no G-4 com 46 pontos.

SEM TRÊS NO SUL

O Galo enfrentará um grande teste nesta sua nova arrancada em busca do título brasileiro. Jogar contra o instável Internacional, em Porto Alegre, não é nada fácil. Mais ainda porque o time de Cuca terá três desfalques certos: o goleiro Victor, que forçou o terceiro cartão contra o Figueira, já que estará na Seleção e os lesionados Pierre e Leandro Donizete. Cuca, no entanto, satisfeito com o rendimento da equipe diante dos catarinenses, repetirá o time e acredita que RG-49, outra vez, fará a diferença.
Cuca admitiu que a atuação do meia é determinante para o desempenho de toda a equipe.
Cita como exemplos os jogos em que o Galo não foi bem – Náutico, Flamengo e Portuguesa – e ressalva que neles, também, RG-49 esteve longe do esperado.
“Ele é um jogador diferenciado. Todos sabem que ele é um jogador de uma qualidade técnica diferenciada. Isso engrandeceu muito a todos nós e tem contribuído para nossa campanha na briga pelo título”. E Ronaldinho fez tudo aquilo no jogo após receber a notícia do falecimento de seu padrasto de quem era amigo. Tanto que no primeiro gol, chegou a chorar na homenagem que fez ao amigo morto. ]

COELHO TOMA VIRADA EM JOGAÇO

Um jogaço! Os dois times procuraram o gol do princípio ao fim daí o placar final de 5 a 4, graças à categoria e frieza do veterano Paulo Bayer que marcou aos 48m, dando a vitória ao Atlético Furacão. O América de Mauro Fernandes foi um leão e esteve à sempre à frente do marcador. Seu único descuido foi nos minutos finais quando levou a primeira virada pra 4 a 3, mas conseguiu empatar com Fábio Júnior. Jogava bem e os locais tiveram um jogador expulso. Isso parece que deu mais força ao Atlético pra buscar à vitória e encostar no G-4. Com 10 homens, botou o América na defesa e acabou conseguindo seu intento. No próximo sábado, o Coelho recebe o Goiás líder.

  




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.