domingo, 25 de novembro de 2012

DESFECHO RUIM PASSOU PERTO, MAS GALO AINDA BRIGA PELO VICE



O Galo esteve perto de entregar a rapadura do vice-campeonato e a vaga direta na Libertadores ao jogar quase o tempo todo com preguiça e dominado pelo Botafogo, no Engenhão. Só acordou após as substituições que Cuca fez, tirando os preguiçosos e colocando gente que queria ao menos correr.
Enquanto perdia por 2 a 1 no Rio, o Grêmio sapecava 3 a 0 no Figueirense, em Floripa. Com 67 pontos, os gaúchos subiam pra 70 e o Galo ficava com 66. Pronto, a vaga seria dos gremistas.
Pra piorar, o Galo teve Junior César expulso nesse período. Com 10 homens, Cuca botou Richarlyson no lugar de Escudero. Pouco depois, Rick empatava a partida. Então foi a vez do Fogão perder a cabeça e teve Lucas expulso.
Sopa no mel! O time de Cuca dominou a partida e Rever fez o gol da vitória aos 41m.
No primeiro tempo, Bernard, de falta, havia feito l a 0. A virada carioca veio com Antônio Carlos e Elkeson.

Interessante é que a reação atleticana começou quando o Figueira passou a impressão que reagiria lá no sul, também. Perdia por 3 a 0, chegou aos 3 a 2, porém parou aí. Elano, Zé Roberto, Souza e Leandro fizeram os gols gremistas e o artilheiro Aloísio marcou os dois dos barrigas verdes.

Agora que não vale mais nada, o Cruzeiro desandou a ganhar dentro e fora de casa. Até Tinga fez gol na vitória por 2 a 1 sobre o Coritiba. Leandro Guerreiro, que virou zagueiro, marcou o segundo gol. o Coxa diminuiu com Everton Ribeiro. Com esta vitória, o Cruzeiro garantiu sua vaga na Copa Sul Americana. Não é muito não! Mas sob o comando de Roth vale um título!

O Sport esteve ansioso demais e por isso não derrotou o campeão brasileiro na Ilha do Retiro. Pressionou o suficiente  até pra virar o marcador de a 1 a 0, o 20º gol de Fred. Conseguiu no máximo empatar, ainda no primeiro tempo, com Felipe Azevedo. No segundo tempo, aumentou o prestígio de Cavalieri e perdeu uns cinco gols.
Resultado, vai brigar com a Lusa, que venceu o Internacional por 2 a 0, em POA, e com o Bahia que empatou com o Náutico em 1 a 1, em Salvador. Com 46 pontos, o Náutico, próximo adversário do Sport, safou-se do descenso.
Lusa e Bahia têm 44 pontos, 10 vitórias. Os baianos enfrentam o Atlético-GO em Goiânia. Basta-lhes o empate. A Lusa pega a Ponte e também joga pelo empate.
O Sport terá de vencer o Náutico, nos Aflitos e torcer pela derrota de Bahia ou Lusa. Então chegaria aos mesmos 44 pontos e com uma vitória a mais.

O empate de 0 a 0 entre Ponte Preta e São Paulo só permitirá ao time do caratinguense Ney Franco disputar a pré Libertadores.

Atlético Paranaense e Vitória ficaram com as últimas vagas de acesso à elite do futebol brasileiro e o Goiás ganhou o título da Segundona, numa rodada emocionante - a última da competição.
Lamento apenas que a rodada tenha determinado, também, a queda da simpática agremiação de Campinas, o Guarani, campeão brasileiro de 1978, pra terceira divisão. Coincidências do destino: um verdão campeão brasileiro cai da primeira pra segunda e outro verdão, campeão também, desce pra terceira.
E um verdão é o legítimo campeão da Série B. O Goiás teve extraordinária recuperação com o mineiro Enderson Moreira, ex-técnico da base do Cruzeiro e que faz excelente trabalho em Goiânia.
 Conseguiu recuperar até o Walter, quem diria!

Serei curto e grosso neste golpe dado pelos cartolas da CBF e que determinou a demissão de Mano Meneses e toda sua comissão técnica logo após nova conquista da taça Clássico das Américas.
Foi baita sacanagem com profissionais sérios e competentes. Coisa bem própria desta cartolagem imoral que assumiu o futebol brasileiro.
Não direi que é um caso inédito porque existe o precedente de 1969 quando João Saldanha armou uma Seleção espetacular e venceu as eliminatórias com os pés nas costas.
No entanto, por ser comunista, foi derrubado do comando do escrete pelo governo dos generais. E encheram a Seleção de milicos e puxa-sacos da ditadura.
Porém, desconheço outro caso de treinador com 76% de aproveitamento em 20 jogos. O principal foco de descrença do presidente da CBF, José Maria Marins, não está na perda da medalha de ouro pro México, nas Olimpíadas de Londres como dizem alguns.
Mas sim no fato de Mano Meneses ser indicação do ex-Ricardo Teixeira.
Política porca e cheia de vaidade da cartolagem tupiniquim.

Vem aí a Copa das Confederações, no Brasil, e o novo técnico terá pouco tempo pra preparar sua equipe.
Muricy Ramalho, ou Ney Franco, meus preferidos; ou Felipão – retrocesso – ou Tite - treinador de time - o novo escolhido ele não dá pra acertar apenas com sua maior ou menor capacidade.
Outra vez o futebol é apenado pelos cartolas que tem, enquanto eles próprios continuam numa boa. Céus!!


Esta informação publicada numa coluna do Estado de Minas é uma clara manifestação de interesses estranhos nos negócios de um clube, no caso o Cruzeiro. Força-se a barra de uma negociação que só interessa ao banqueiro Ricardo Guimarães e ao Senador ZZ Perrela. É danosa ao time. E não me parece verdadeira.
Teria apenas o intuito de amainar a reação da torcida e conter qualquer possível revolta contra o Presidente Gilvan Tavares.
E o mais claro de tudo, deixa no ar a sensação de que o Cruzeiro precisa vender Montillo pra quitar dívidas e trazer de volta o investidor BMG. Pode ser verdade, mas o que o jornal ou o jornalista têm com isso, além da divulgação do fato?
Insistir no ferrinho de dentista traz outras intenções no meio.

Vamos à nota:
“O argentino Montillo, ídolo da torcida azul, pode se despedir do Cruzeiro no clássico com o Atlético. O presidente Gilvan de Pinho Tavares garante ter três propostas de clubes brasileiros, em torno de 10 milhões de euros (cerca de R$ 25 milhões).
“O clube celeste é dono de 60% dos direitos do craque e o BMG dos outros 40%. O dirigente segurou o jogador, em proposta semelhante no fim do ano passado, por entender que ele seria necessário para o time não cair no Brasileiro”.
“Objetivo cumprido é hora de agradar ao parceiro, que não gostou de a negociação não ter sido feita” (sic)
“Conforme antecipei aqui, (sic) Gilvan e o presidente do banco, Ricardo Guimarães, fumaram o cachimbo da paz e chegou a hora de o Cruzeiro retribuir o apoio da instituição (sic). Além disso, o dinheiro poderá ser usado na contratação de reforços e na quitação dos salários.(sic)”.

Uai, o Cruzeiro tem salários atrasados? E o presidente e seu diretor Alexandre Mattos vivem dizendo que tá tudo em dia. Quais são os mentirosos nessa história?

Além da besteira de segurar Celso Roth até o final do Brasileiro, por conta da multa contratual, a diretoria do Cruzeiro monta em outra bobagem escorregadia e perigosa: trazer o treinador uruguaio Jorge Fossati, atualmente no Cerro Portenho.
As manifestações de parte da torcida, apoiada pela mídia recalcitrante fizeram medo no nada ousado Gilvan do Pinho Tavares. Preferiu buscar o nome fora.
O negócio com Jorge Sampaoli furou porque ele preferiu a Seleção Chilena.
Este outro Jorge, também, é treinador de esquema de empresário. Pra onde vai leva um monte de amigos. Aquela famosa ação entre amigos. Salve-nos São Jorge!

Opinar sobre Diego Souza é difícil! A gente nunca sabe o espírito que o jogador traz pro clube aonde chega. Como será sua convivência com o treinador. De repente, ele vem só pela metade, como sucedeu no Galo.
Jogou algumas partidas boas e morcegou nas demais. Foi negociado com o Vasco e lá deu nele vontade de ser Diego Souza outra vez: jogou uma barbaridade, por certo período.
Os salários atrasados de São Januário o empurraram pra fora do clube. Foi ganhar dinheiro e enganar no futebol árabe. Enganou tanto que o príncipe mandou reter seu passaporte. O Itamaraty teve que ajudar o Cruzeiro na transação.
Se chegar à Toca, metade do Diego, ex-Palmeiras, o melhor do Brasileiro naquele ano e metade Diego do Vasco, os azuis fizeram grande contratação.
Caso contrário, dinheiro jogado no lixo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.