segunda-feira, 19 de novembro de 2012

GALO AINDA BRIGA PELO VICE E ROTH ENFIM BOTA MENINADA EM CAMPO


Enquanto o Cruzeiro inventado por Celso Roth tinha atuação quase perfeita, anulando o ressacado Fluminense na festa das faixas e da entrega do caneco e botava água no chope tricolor, o lanterna Atlético-GO apagava a fervura do Galo, no Independência.
Para o Cruzeiro, a vitória por 2 a 0 teve sabor de filé mignon acebolado. O empate de 2 a 2 arrancado no finalzinho da partida, num gol de RG-49, teve gosto de sorvete de jurubeba, com cobertura de jiló nas bocas alvinegras.

Para os críticos do quase demitido Celso Roth, o time dele mostrou outras faces:  a manutenção dos amigos seus fiéis e velhos amigos; acertou na improvisação de Leandro Guerreiro, o melhor em campo; e livrou-se de sua birra com a garotada da base.
Elber até marcou o segundo gol na história profissional dele e, por sinal, gol de futuro craque. Deu velocidade e aplicou dribles alucinantes na defesa tricolor.
Elber precisa ser visto como uma realidade na Toca da Raposa.

Por fim, Roth lançou outro garoto: o armador Alisson no lugar de Montillo. Incrível! Pela primeira vez na era Celso Roth, o Cruzeiro teve quatro atletas revelados na base em campo: o goleiro Rafael, o volante Charles – este já bem experiente e andado – Alisson e Elber.
Montillo foi outro destaque na armação das jogadas de ataque e cobrou magistralmente o pênalti que Gum fez em Anselmo Ramon.
O menino/goleiro Rafael, 20 anos, começou nervoso; ele saiu mal da meta três vezes e deu sorte por não levar gol. Depois se firmou e fez boas defesas.
Os azuis subiram pra nono lugar com 49 pontos e aspiram uma vaguinha na Copa Sul Americana.

Recado pra voz marcante de Luiz Roberto. Seus passos na caminhada pra pegar Galvão Bueno, como narrador da prateleira superior, estão maiores. Você já está tão chato quanto o seu guru. No jogo Flu x Raposa existiam dois lados. Você só viu o mais colorido. Coisa chata, sô!

Por essa ninguém esperava: o porquinho magro, transvestido de Dragão, sujou a água do Galo. Empatar (e quase ser derrotado pela primeira vez no campeonato, no Horto), mesmo mandando quatro bolas na trave, com o Atlético-GO foi vexatório.
Pior, o Galo sempre esteve atrás do marcador. Os goianos abriram 2 a 0 com Raylan, numa falha de Victor, e com Patrick, em 20 minutos de jogo. Sorte que Rever marcou aos 25m. No entanto, o empate só veio com RG-49 aos 47m da fase final.

Se a vaga direta, apesar disso continua em aberto, por causa do placar entre Lusa x Grêmio (2 a 2) numa situação parecida com a do Horto..
A Lusa abriu 2 a 0 sobre o Grêmio e permitiu o empata final. A diferença entre Grêmio, segundo, e Galo, terceiro, continua de um ponto.
Faltam duas rodadas, e caso esta briga seja encarada como a de um título pro Atlético e pro Cuca danou-se.
Um não ganha nada em Brasileiro há 41 anos, o outro tem fama de pé frio desacorçoado!

Moral elevado. Ronaldinho desequilibrou contra os goianos, mandou bola na trave, mas não conseguiu levar seu time à vitória. A recompensa veio dos aplausos e da euforia da torcida alvinegra. Aí RG-49 confessou: “o carinho que a torcida do Atlético tem comigo é algo que não consigo explicar”. Não explique RG-49. Basta ficar aqui.  
Antes da partida, o craque recebeu o belo troféu, avaliado em 200 mil dólares, por vencer a eleição de “Craque da Década”, realizada pela revista inglesa World Soccer.
Afora o troféu valioso, RG-49 confirmou a proposta de U$ 3 milhões mensais do futebol chinês. Se vai aceitar, ou não, só no final do ano. É dinheiro pra bobo nenhum botar defeito e gritar: “Larga mão disso, RG-49. Não se ofusque na China. Fica RG-49

Maior fato esportivo do domingo foi a consagração do futsal tupiniquim como o maior do mundo. O Brasil levantou o hepta mundial neste domingo com os 3 a 2 apertados sobre a Espanha, que tinha até o favoritismo, segundo nossa sempre otimista imprensa especializada.
O jogo terminou empatado em 2 a 2, inclusive com gol do cracaço Falcão, de paralisia facial e tudo mais. Na prorrogação, Neto fez o gol da vitória. Pouco importa, se a Fifa não homologa o hepta do Brasil, mas tão-somente um penta.
Os cartolas alegam que a entidade só considera as conquistas de 1989 pra cá. E daí? As outras não aconteceram, também? Que os adversários então se assentem nos meiofios da vida, chupem seus picolés de boldo com jiló e vejam a nossa comemoração de hepta!

Só quem acredita em Papai Noel imaginava que o Palmeiras, contumaz freqüentador da Segundona, escaparia do rebaixamento. Enfiado num mar de lama de incompetência que permitiu o conservador e superado Felipão morar e mandar no clube por dois anos.
Somou até agora apenas 34 pontos e aproveitamento de 31,5%, tava na cara que mais dia, menos dia, o Verdão iria bora em definitivo.
A combinação de resultados na rodada desligou seus aparelhos antecipadamente. Como fora feito antes com Figueirense e Atlético Dragão. Empatou com o Flamengo (1 a 1) em Volta Redonda e tomou o empate (2 a 2) entre Lusa e Grêmio, no Canindé.
Desceu na hora que tinha de descer tarde demais.

A Série B, ou a simpática Segundona, vai pra 38ª rodada – a última da competição – com dois times (Goiás e Criciúma) de volta à elite. Goiás líder com 75 pontos e Criciúma, vice, com 73.
Estes brigam agora pelo título. Os goianos pegam na última rodada o Joinville, que não tem mais sonho algum; e o Criciúma joga o clássico contra o Avaí, outro sem aspiração, na Ilha de Floripa, bela, mas incendiada por marginais no momento.
A disputa das outras duas vagas está entre Atlético-PR, 70 pontos, 21 vitórias; Vitória, 70 pontos e 21 vitórias, e São Caetano, primeiro fora do G-4, com 68 pontos e 19 vitórias.

Agora vejam os problemas da rodada derradeira, sabendo-se que o Furacão e o Vitória jogam por empate em seu último confronto. Os paranaenses têm o clássico contra o Paraná. Pela rivalidade, claro, corre risco. Se perder, pode dançar.
Os baianos recebem, em casa, o despreocupado Ceará, não mais valente quanto era no princípio da competição. A campanha do Vitória teve cheiro de classificação antecipada, recordes, no andamento do primeiro turno. Despencou no segundo.
Em pior situação encontra-se o São Caetano. Precisa vencer o desesperado Guarani, em Campinas. O Bugre é o primeiro fora do Z-4 do Mal. Caso perca e o Guaratinguetá, em seu campo, vença o lanterna Barueri, o campeão brasileiro de 78 cai pra terceira divisão.

Não me meto a estatístico ou matemático, visto que cálculos e projeções confundem-me desde criança. Portanto, vamos nos assentar na porta da vendinha, mandar descer uma Brahma gelada, uns tiras gostos, cigarrinho de palha, e jogar conversa fora sobre tal assunto.
Pude ver após esta última rodada, faltando duas pro fim do Brasileiro, que um monte de times corre risco – alguns mais, outros menos – de entrar no ralo do rebaixamento por causa da arrancada do Sport do Recife. Penso eu, tá meu Bom!
Na prática, o maior deles é o próprio Leão da Ilha, visto que tem vencido sem sair do lugar. É o primeiro do buraco negro com 40 pontos, após derrotar o Botafogo (2 a 0) no Recife, neste domingo.
Agora pegará nos últimos confrontos o Fluminense, na Ilha, e o Náutico, sem a vantagem do mando do Timbu por se tratar de clássico. Confronto direto.
O Leão pode chegar a 46 pontos e 12 vitórias e ainda assim depender de outros jogos.
A turma da corda no pescoço, além do Sport: Lusa que tem 41 pontos – o primeiro time fora da Z/4 – e pode chegar a 47 e 11 vitórias. Pegará o Internacional (fora) e a Ponte – confronto direto – no Canindé.
A salvação do pessoal de 45 pontos – número antes fixado como limite de se escapar do descenso – é que um pode engolir outro no confronto direto.

O Bahia de todos os santos tem 43 com a vitória por 1 a 0 sobre a Ponte nesta rodada. Tem Náutico – outro confronto – em casa e o Atlético-GO, (perigoso depois do rebaixamento) fora. . Chegaria a 49 com 12 vitórias.
Imagino nas minhas contas que, também, a periguete: Coritiba (45), derrotado pelo Vasco (2 a 1) no Couto Pereira, nesta rodada, e próximo adversário do Cruzeiro aqui. Depois encerra contra o Figueirense, já rebaixado.
O Náutico, vencido pelo São Paulo (2 a 1) tem 45 pontos e corre perigoso, realmente. Será adversário de Bahia (Salvador) e Sport (em casa); Ponte Preta, 46 pontos, que perdeu do Bahia (1 a 0) e joga contra São Paulo, em casa, e Portuguesa, fora. Ou seja, novo confronto direto. 
Talvez, por isso, na cabeça boa dos matemáticos, esse pessoal de 45 e 46 pontos estaria salvo. Como não sou do ramo, escrevo muito e só bobagens matemáticas, penso diferente. Salvos nada! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.