segunda-feira, 5 de novembro de 2012

NADA PÕE DA CABEÇA DE CUCA A IDEIA DE JÁ JOGAR A TOALHA.



O discurso de alguns jogadores do Atlético após a derrota em Curitiba não esteve em sintonia com o de Cuca. Bernard, por exemplo, aceitou que o título já seja do Fluminense, porém foi contestado pelo seu comandante. Cuca retornou sozinho da capital paranaense, onde ficou com sua família, só repetindo: “não vejo que acabou. O jogador fala no calor do momento”.( foto Rodrigo Clemente/EM)
O puxão de orelha do chefe valeu. Na Cidade do Galo ninguém falou mais sobre o Flu campeão. Bem ensaiado, a maioria afirmava que o líder tem grande vantagem e chance de conquistar o título. Mas que o Atlético não irá desanimar e correrá atrás até do título até o fim.

Caso segure RG-49 por aqui, tarefa das mais difíceis pro Super Urso Bravo, o Atlético poderá aceitar duas propostas milionárias. A primeira pra disputar um amistoso na Europa, recebendo um milhão de euros. A segunda fazer a pré-temporada num país árabe. Nos dois casos, Ronaldinho Gaúcho é indispensável.

Não é que muitos torcedores do Cruzeiro não gostaram nada da exploração pela mídia mineira e nacional dos aplausos ao craque Neymar. Essa turma afirma que ninguém entendeu nada. Nem a imprensa, nem Neymar. A manifestação, com gritos do nome do Jóia e aplausos pra ele no final do jogo, foi uma forma irônica que os torcedores encontraram pra desancar Celso Roth, a diretoria e o elenco celestes. Ah, é?
Agora não adianta mais: a imprensa do mundo inteiro noticiou o fato como um espetáculo de Neymar, aplaudido até pelos torcedores adversários. Coisa, aliás, nada comum no futebol brasileiro. Ou seja, o tiro da China Azul saiu pela culatra.

Jorge Machado, empresário de Celso Roth, esteve na Toca da Raposa e informou o óbvio: Celso Roth não permanece depois de dezembro, mesmo que a diretoria queira que ele fique. Disse o seguinte: “Celso respeita o Cruzeiro, a torcida, é um baita clube, um dos maiores do País, mas não ficará com essa diretoria atual”.
Como a recíproca é verdadeira, Machado sabe que o namoro não deu certo. Roth não fala mais com Gilvan Tavares desde quando ele baixou a pua no trabalho horrível do treinador.

Outra coisa vergonhosa que se apurou graças às declarações de Jorge Machado. Este senhor é empresário também de William Magrão, que pertence ao Grêmio. O volante foi indicado ao time gaúcho pelo treinador. Veio prá numa ação entre amigos. Será o primeiro a ganhar bilhete de dispensa, em dezembro.
A Trincheira cansou de denunciar isso: empresário de técnico, de jogadores, traz o comandante e junto um punhado de cabeças de bagre. Não é assim que se faz futebol. Espero que Gilvan Tavares e Alexandre Mattos tenham aprendido essa lição.

Bela reportagem especial do jornal Hoje em Dia, de segunda-feira, nas páginas 4. 5 e 6 do caderno de Política. No título, Investigação do TCE – Tribunal de Contas do Estado. É de Humberto Santos e expõe as vísceras da politicagem cara da reforma do Estádio Independência.
Humberto cavucou fundo o submundo dos gastos superfaturados, das explicações esdrúxulas sobre o objetivo do Estadio quanto à realização do Mundial/14, enfim do malabarismo feito pra esconder a dinheirama gasta. O TCE tá no calcanhar dos responsáveis. Convém procurar no site do HD e ler atentamente a matéria. Reveladora,

Marcelo Oliveira (foto de Thiago Lontra/Globoesporte)) deixou o Vasco de mãos vazias. Pode? Assumiu o time em 12 de setembro no lugar de Cristovão Borges que preferiu sair após levar uma goleada de 4 a 0 do Bahia. Pacote dirigiu o Vasco em 10 partidas, com duas vitórias, dois empates e seis derrotas. Sujou seu currículo que estava brilhando após a passagem pelo Coritiba.
Pior ainda, o bom moço saiu de São Januário sem receber um salário sequer. É duro trabalhar nos clubes  do Rio de Janeiro

                

Por falar no Vasco, ao sair de campo vaiado pela torcida, após a vexatória derrota por 3 a 0 diante do Sport, em São Januário, o ex-Reizinho e ídolo cruzmaltino, Juninho Pernambucano, perdeu as estribeiras. Rebateu com aquele gesto característico, exibindo o dedo médio (foto de Márcio Mercante). A dúvida ficou: foi pra torcida do Sport, onde iniciou sua carreira, ou pra do Vasco que, dizem, o adora.


Adriano Imperador diz que não quer deixar a Gávea. Minutos depois, afirma que vai parar de jogar futebol e dedicar aos seus negócios (?). Nem termina o dia, o Imperador volta à trás. Nem sabe quais negócios tem. Diz que quer jogar fora do Rio de Janeiro e vai esperar propostas. A decisão de sua dispensa está na cabeça do dirigente Zinho.

Ah, não param de perguntar-me pelo zagueiro Alex Silva – irmão de Luisão – que o Cruzeiro buscou no Flamengo. Após vários meses em recuperação de terrível contusão no joelho direito, Alex treina de leve. Seu contrato termina em dezembro e há possibilidade que ele fique. Palavra de seu empresário Orlando Almeida. O Mengo já deu ok e depende só de Alexandre Mattos.

He,he,he, he! Aquela bobagem de punir o Atlético por causa das manifestações da Massa contra o favorecimento ao Fluminense, no Campeonato Brasileiro, caiu nágua. A Primeira Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva decidiu não punir o Galo.
Mas, vejam bem, porque o artilheiro do Brasileiro estava na mesma pauta por empurrar Júnior César.
Então, pra evitar qualquer estranheza alheia no julgamento, a Comissão decidiu absolver os dois. Garanto que na cabeça de todos os auditores não seria essa a decisão. E sim, pau no Galo e absolvição pro campeão brasileiro e artilheiro da competição.
Na quinta-feira, o Pleno do STJD julga os recursos do Atlético em favor de Ronaldinho Gaúcho, Réver e Cuca. Apesar de todos já terem cumprido as penas, Dr. Lásaro Cândido da Cunha, diretor do departamento jurídico do clube, tenta a absolvição pra limpar as fichas deles no Tribunal.

É um castigo enorme o que Roberto Dinamite faz com Ricardo Gomes ao convidá-lo pra reassumir o comando técnico do Vasco. Seu caso foi grave e ele se recupera, sem data de volta às atividades. Sofreu um AVC, Acidente Vascular Cerebral, durante um jogo contra o Flamengo no dia 28 de agosto de 2011. Liberado pelos médicos para voltar ao trabalho, o treinador diz que ainda não recuperou 100% dos movimentos do lado direito do corpo e sente leve dificuldade na fala. Pode trabalhar desta forma?

Cortado da Seleção Brasileira que enfrentará a Colômbia, no amistoso dos Estados Unidos, o atacante Hulk, (foto) atualmente no Zenit de Moscou, tomou outro golpe duro este final de semana: sua irmã mais nova desapareceu em Campina Grande, distante 122km da capital João Pessoa.
De acordo com a Polícia Militar,  Angélica Aparecida Vieira, de 22 anos, estava em frente a um restaurante da cidade, quando foi levada no momento em que ficou sozinha dentro de um carro, estacionado em frente ao estabelecimento. Caso de sequestro. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.