domingo, 20 de janeiro de 2013

PRESSÃO PRA VENDER E PRESSÃO PRA COMPRAR


Estou de volta das férias e agora pra valer. Acabou a boa vida e, afinal, alguém tem que trabalhar neste país.
Encontrei a coisa tão revolta como quando saí. Falei da pressão de parte da mídia interessada na venda de Montillo. Aquele negócio de empresário informa, São Paulo vem buscar, Santos tem proposta irrecusável, até a diretoria não aguentar mais. Foi-se embora o gringo.
 Além de sofrer com as dissimulações do atleta (me vende, não quero ficar aqui, nas reuniões, e adoro o clube, a torcida, e não quero sair; vou embora porque a diretoria quer me vender).
O argentino  chegou à Vila Belmiro com aquele discurso de humildade mostrado aqui. Estreou contra um tal de São Bernardo e jogou o futebol de Montillo mostrado após a chuva de propostas em 2012, rejeitada pelo Cruzeiro. 
O Montillo que os azuis trouxeram de La U chilena ficou lá atrás, só na saudade da torcida.
Agora, com certeza, a torcida buscará outro ídolo, além do goleiro Fábio que ficou na Toca.

Enquanto isso, a diretoria do Atlético passa pela pressão da compra denunciada pelo presidente Kalil. Diego Tardelli é anunciado como novo reforço todos os dias. Até por sua mãe. Os empresários de olho numa possível grana boa do negócio garantem o craque na Cidade do Galo esta semana.
Cara de poucos amigos, numa semana particularmente irritante pra ele, Kalil anuncia que a transação de Tardelli tá com apenas 50% executados. E o pior o restante envolve muito dinheiro que o Atlético não tem pra dispor. Aquela mídia que cultiva as informações plantadas pelos empresários começa a recuar à espera da mensagem pelo twitter do presidente Kalil.
Este seria o craque que a torcida quer buscar no Aeroporto, porque não agiu assim na chegada de RG-10.

A situação sobre a vinda de Tardelli segundo me consta está no seguinte pé: o seu clube nas Arábias, Al-Gharafa, o liberou pra discutir seu contrato com o Atlético por empréstimo até o final de 2014, ou seja, ano da Copa.
Contudo, não o fez de graça, pelos belos olhos "farol baixo" do atacante. O Galo terá que desembolsar algum. E aí a coisa pegou, por enquanto...!

Ah, me esqueci que a torcida celeste não largou do pé do presidente Gilvan insatisfeita com os nomes contratados. Quer um zagueiro internacional, famoso, pra buscar nos ombros em Confins.
O técnico Marcelo Oliveira se diz satisfeito com o que tem. Ainda não viu Léo (cruzes!) e nem Victorino (?) entregues à recuperação física. O torcedor, contudo, os conhece de sobra e não acredita que o Cruzeiro possa montar um time com os dois na zaga. Quanto a Victorino, tenho dúvida. Penso que o melhor é esperar o Mineiro.

Se querem saber minha opinião a respeito da contratação do veterano Araújo, digo já: besteira. Vem ocupar o lugar de algum jovem da base. O mesmo digo com relação a Morais, que não joga há seis meses. Somará o quê além dos mil problemas que trará ao grupo?
Marcelo Oliveira dá o mote do que será seu trabalho na Toca da Raposa: está impressionado com o faro de gol do garoto Vinícius Araújo.  Eu também.
O campeão Fluminense tropeçava diante do Nova Iguaçu  porque Abel Braga resolveu guardar os titulares pra Libertadores. Então, o mineiro Vagner, ex-América e Cruzeiro, saiu do banco pra botar ordem na casa. Não é coisa dele. Mas na ausência de seu amigo Fred marcou os dois gols da vitória tricolor por 2 a 0.
Levei tremendo susto acompanhando o vídeo da entrevista de Alexandre Kalil sobre o tal inquérito do Ministério Público. Disse que lá no Atlético nada cai no esquecimento e que "tenho documentos até à boca pra enfiar (parada, suspiro, susto meu)... na boca de quem me acusa de lavagem de dinheiro."
Sustos à parte, Kalil tem suas razões por virar urso bravo nessa s circunstâncias. Requentaram um fato de dois anos e o MP foi nele.
Vendettas costumeiras da Globo contra dirigentes que encaram suas decisões tenebrosas.
Lembram-se que Kalil há dois anos foi o último a assinar o contratação de transmissão do Brasileiro e fez campanha contra exigindo que a proposta da Record fosse examinada?.

Neymar voltou a ser o personagem principal de um jogo do Santos. Foi contra o citado acima São Bernardo, no qual Montillo estreou sem brilhar.
Afinal, é duro brilhar mais que a Joia santista. Neymar fez dois gols - um de pênalti que ele mesmo sofreu - e deu passe para o terceiro.
Também colocou Montillo na cara do gol adversário, mas o argentino estreante perdeu o gol por excesso de zelo.

O centroavante argentino Barcos que decidiu cumprir seu contrato com o Palmeiras mesmo na segunda divisão nacional em razão da Libertadores após a estreia horrível com empate sem gols diante do Bragantino botou a boca no trombone: "a diretoria também contratou apenas dois reforços".
Convém analisar melhor o resultado e puxar as orelhas de Barcos. Ele desperdiçou a cobrança do pênalti que daria a vitória apertada ao Palmeiras.

Romário ataca de novo. Na personalidade de seu filho, Romarinho, contratado pelo Brasiliense. Segundo matéria do Globoesporte.com "Com um 1,78m de altura, Romarinho não é o tipo de jogador que pode ser chamado de "baixinho". O gosto pelos treinos é outra característica que não o aproxima muito do pai" "Em campo, costuma jogar como segundo atacante, saindo mais da área. Fora dele, se considera caseiro e tranquilo".
" Nenhuma semelhança com Romário?"
"Não é bem assim. Basta conversar alguns minutos com o jovem reforço do Brasiliense para perceber que, além do nome, há uma marca registrada do tetracampeão fácil de reconhecer no filho de 19 anos: a língua afiada."
- Sempre tem alguns babacas falando m... Então, eu nem ligo. Eu só jogo meu futebol e procuro mostrar para quem gosta de mim que eu sou um bom jogador - respondeu Romarinho ao ser perguntado sobre como lidava com as críticas dos que dizem que sua qualidade em campo não chega nem perto da do pai.
                                       Romarinho Tem língua afiada que nem o pai famoso 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.