domingo, 24 de fevereiro de 2013

GALO TERÁ FORÇA MÁXIMA CONTRA ARSENAL EM SARANDI


As declarações do treinador Gustavo Alfaro, do Arsenal, considerando o Atlético um dos favoritos ao título da Libertadores este ano não me soaram falsas, nem dissimuladas ou hipócritas.  Tudo bem que ele, Alfaro, esteja na contramão do pensamento da mídia nacional que só admite favoritismo nas equipes brasileiras do eixo Rio/São Paulo.
Na prateleira de cima estão Fluminense e Corinthians; na intermediária, o Grêmio, pela fortuna que gastou em contratações; abaixo o Atlético, e, por fim, o Palmeiras.
Por isso, ele dividiu a razão no meio: "ficamos num grupo muito forte, com dois brasileiros(um deles paulista) que têm chances de ganhar a Copa".
Alfaro destaca a importância deste jogo em casa, no Estádio Viaducto, em Sarandi, como fundamental na busca do Arsenal por uma das vagas do Grupo 3 na briga contra Atlético, São Paulo e a altitude de La Paz, terra do The Strongest. Seu Arsenal terá que fazer a diferença em casa diante dos três adversários a começar na partida desta terça-feira.

Outro fator que conta e que no acompanhamento feito pelo treinador argentino, o Atlético tem um time pronto e o reforçou com a alteração tática provocada pela escalação de Diego Tardelli. O quarteto ofensivo de Cuca se movimenta bastante e exige marcação atenta, segundo ele. Ronaldinho Gaúcho será vigiado de perto, mas nem por isso deixará que seus defensores se descuidem de Bernard

Talvez esteja nesse ponto de raciocínio de Alfaro toda a lógica de Cuca na manutenção de uma equipe ofensiva. Quando se põe o treinador adversário a pensar numa forma de jogar que neutralize a força do outro lado já se percorre bom trecho da vitória. Por que? Porque o adversário deixa de pensar em suas próprias forças por recear as do outro lado.
Enquanto Cuca não tem nenhum problema pra pensar, nem com a responsabilidade de fazer uma vitória em casa, pois é visitante, Alfaro tem coisa demais pra pensar. Inclusive nos desfalques de Perez - zagueiro - e Zelaya - atacante. Ainda depende do zagueiro Braghieri e do meia Nico Aguirre pra escalar sua equipe.
Tá do jeito que o Galo gosta!

O jeitinho bem brasileiro dos bandidos resolverem a questão de latrocínio aqui no País será utilizado pelos advogados dos detidos em Oruro. Arrumaram um bode expiatório na torcida Gaviões da Fiel, menor de 17 anos, que já se encontra em solo tupiniquim,  pra se dizer responsável pelo rojão que furou o crânio do torcedor boliviano.
A confissão do rapaz será encaminhada à Polícia Federal Boliviana pra fazer parte do inquérito contra os 12 torcedores detidos numa Penitenciária de La Paz.
Se o barro colar na parede, os vândalos voltam já pro Brasil.
E aí os pais do garoto Kevin vão remoer sua saudade eterna como tantas outras famílias ainda remoem aqui no Brasil.

Dor fingida e de ocasião. A partida entre Bragantino e Corinthians foi precedida por um minuto de silêncio, com os jogadores dos dois times posicionados no círculo central. Até aí tudo bem, pois entendi a dor dos atletas. Na arquibancada, uma faixa com os dizeres “Kevin, fica em paz” era exibida na região onde estava a Gaviões da Fiel. Pura hipocrisia.

Pelé puxou as orelhas de Neymar com a autoridade que lhe compete como o maior jogador de todos os tempos no futebol mundial. E nunca botou piercing no nariz, brincos nas orelhas, nem pintou ou cortou seu cabelo de outro jeito. Sempre teve aquele topetinho, sua marca registrada.
São outros tempos, claro. Neymar é o resultado disso aí e vive dentro de sua época. Rapaz da moda.
Porém, o Rei do Futebol apenas o alertou que tal conduta o tem desviado do caminho do sucesso que deve percorrer, mas no gramado. Além das atitudes estranhas que chamam a atenção sobre sua pessoa, como querem os patrocinadores, Neymar tem praticado atos de hostilidades que perturbam suas atuações.
Pelé nunca foi anjo no gramado, foi várias vezes expulsos,  mas por outros motivos. Nunca por tentar desmoralizar os marcadores com dribles desnecessários.

O torcedor do América que vaiou o time após a vitória (1 a 0) sobre a Caldense, no Independência, cometeu grande desserviço. Se não consegue conviver com a nova realidade do time que não compareça ao estádio. Vista o seu velho e surrado pijama de listras e fique em casa, vendo pela tevê. Vaiar o time em formação e deixar de aplaudir a boa contratação de Claudinei, por exemplo, o melhor na partida de domingo.

Deu pra lamber os beiços de satisfação, como dizia meu avô Juvenal diante de uma feijoada completa. Quase 10 mil pessoas tomaram de assalto as limitadas dependências do novo estádio municipal de Ibirité, na Grande BH - mais duas mil ficaram de fora, em acesso - pra ver a meninada do Cruzeiro contra o Grêmio Morro Alto, de Vespaziano, campeão da Copa Itatiaia.
Quem esteve lá e no jogo-treino da manhã na Toca da Raposa, entre os titulares e o Progresso de Angola (4 a 0, Cruzeiro) gostou mais do jogo de Ibirité. Teve mais emoção e grandes atuações individuais como de Lucas Silva, Elber, Alisson e o goleador Vinicius Araújo, autor de três gols da goleada por 4 a 1.  Destaque, também, para o zagueiro Wallace.

A festa foi preparada pra receber David Beckham no Paris Saint-Germain. mas como sempre acontece nessas histórias dois intrujões brasileiros avacalharam tudo: Ronaldo Fenômeno e Lucas. Ronaldo entrou no gramado sob intenso aplauso pra receber no centro do campo, no estádio Parc des Princes, uma homenagem do PSG e deu o pontapé inicial.
Lucas foi o responsável pelo primeiro gol da vitória de 2 a 0 sobre o Olympique de Marselha, pela 26ª rodada do Campeonato Francês. Qualquer árbitro daria o gol pra Lucas que chutou a bola em direção à meta e ela resvalou num zagueiro e enganou o goleiro. Seria o primeiro gol do ex-sãopaulino, mas o soprador de apito consignou gol contra do zagueiro.

O Boa Esporte fez uma proposta, através do advogado do Bruno, pra que ele dispute o Campeonato Mineiro e o Brasileiro da Segunda Divisão. Trata-se de uma jogada de marketing com repercussão nacional, ou, talvez, de uma manobra jurídica que poderia ajudar na saída do ex-goleiro do Atlético, Corinthians e Flamengo da prisão.
Bruno tá preso preventivamente sob acusação de morte da ex-amante Eliza Samúdio, em 2010. Sequer foi julgado, porém seu advogado Tiago Leonoir entende que a proposta de um clube profissional poderia fundamentar bem seu pedido de habeas-corpus já negado várias vezes no STF (Supremo Tribunal Federal).
Seu julgamento e de sua ex-mulher, Dayane Rodrigues está marcado pro dia 4 de março. Ele deveria ter ido a júri popular em novembro, mas usou de diversas manobras jurídicas, conseguindo o desmembramento do julgamento. Bruno encontra-se recolhido no Complexo Penitenciário Nelson Hungria, em Contagem. Errei ao chamar a penitenciária de Complexo Esportivo - Imaginem! - na coluna anterior. Me desculpem.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.