terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

GOVERNADOR JOGA PRA TORCIDA E MULTA MINAS ARENA



Não se trata de desmentir e nem desacreditar a reportagem do excelente repórter Ivan Drummond publicada no Superesportes. Pelo contrário, acredito totalmente nela porque é produto de um profissional sério e competente; e de uma entrevista coletiva que o governador Antônio Anast-azia concedeu na cidade administrativa. (foto de Ramon Lisboa-EM/DA Press)
Como não fui convidado pra tal coletiva e nunca seria, ou, também, nunca compareceria, prefiro tomar emprestada a inteligência de Ivan Drummond e reproduzir seu texto. Só não acredito na multa. Penso que o governador, como se diz no futebol, "jogou pra torcida" simulando a multa. Diz o texto:
"O governo de Minas Gerais multou a concessionária Minas Arena em R$ 1 milhão pelos diversos problemas de gestão ocorridos na partida inaugural do Mineirão, no último domingo, entre Cruzeiro e Atlético, pelo Campeonato Mineiro. O anúncio foi feito pelo governador do estado, Antonio Anastasia, e o secretário extraordinário da Copa em Minas, Tiago Lacerda, após reunião na tarde desta segunda-feira com o diretor-presidente da operadora do estádio, Ricardo Barra, no Cidade Administrativa.
A multa, prevista em contrato, deveu-se à falta de água nos banheiros, à não abertura dos bares, o que, por consequência, deixou o público sem água e comida, e ainda ao atraso na abertura dos portões do estacionamento, o que gerou grande congestionamento nas avenidas que dão acesso ao Mineirão.

Anastasia solicitou que
a Minas Arena tome, imediatamente, as medidas cabíveis para que, nos próximos jogos e eventos, o estádio tenha uma operação confortável, segura e de qualidade.
"Lamentavelmente tivemos sérios equívocos, erros, defeitos, sob o ponto de vista da operação do estádio. Chamamos a Minas Arena, que é o consórcio gestor do Mineirão, para saber das medidas que devem ser tomadas imediatamente para corrigir os equívocos ocorridos. O governo, portanto, cumprindo o que determina o contrato de parceria e de concessão, vai fazer fiscalização de modo muito firme, muito enfático, para dar essa garantia a todos os torcedores mineiros”.

Segundo Ricardo Barra
, os bares não abriram no jogo inaugural por problema no abastecimento e também por falta de pessoal. Em relação à falta de água nos banheiros, a Minas Arena ainda investiga a causa.
Para o próximo jogo no estádio, marcado para quarta-feira, às 22h, entre Cruzeiro e América de Teófilo Otoni, a Minas Arena se comprometeu a abrir os portões do estacionamento e do estádio mais cedo. No clássico, o Mineirão foi aberto às 14h, a três horas do início da partida.
Segundo Ricardo Barra, será criado um canal para o torcedor fazer reclamações e sugestões sobre o funcionamento do Mineirão.
Problemas na operação da venda de ingressos, como lentidão, duplicidade de bilhetes e falta de entradas para sócios do Cruzeiro, não foram levados em conta para aplicação da multa. A Minas Arena prometeu resolver todas as pendências para os próximos jogos.
Já em relação à drenagem do gramado do Mineirão, que não suportou a chuva de sábado, o governo entende que não há problema. O alagamento quase total do estádio teria sido resultado do volume de água acima da média.

Para aplicar a penalidade
ao consórcio Minas Arena, a Secopa terá que abrir um processo administrativo, cujo prazo para conclusão é de até 30 dias. A multa será paga ao governo de Minas.
"Conseguimos identificar algumas falhas que são normais, questão de acesso, estacionamento. São falhas passíveis de serem corrigidas. Mas tivemos falhas graves, em relação aos bares, falta de água. Por conta disto, vamos aplicar uma multa no valor de R$ 1 milhão. A Minas Arena está empenhada para corrigir as falhas e a Secopa estará vigilante", afirmou o secretário Tiago Lacerda

Neymar, Neymar, Neymar, não existe outro assunto na Seleçao que tá em Londres pra enfrentar a Inglaterra, nesta quarta-feira, em partida amistosa. Será Neymar contra o resto, na véspera da Joia santista completar 21 anos.
Ao outro ídolo famoso que se apresentou no hotel londrino sobrou algum espaço. Informaram que Ronaldinho Gaúcho também foi bastante assediado pelos caçadores de autógrafos. Escolado por Ronaldo Fenômeno que cuida de sua imagem, Neymar fez tremenda media com Luiz Felipe Scolari, chamando-o de "paizão" em todas as entrevistas. O rapaz bom de bola e de papo aprendeu rápido.

Nem penso em reviver nesta quarta-feira as cenas inesquecíveis daquele jogo da Copa do Mundo de 70 que o Brasil venceu por 1 a 0, gol de Jairzinho. No entanto, enfrentamos os ingleses em outras ocasiões e sempre a rivalidade prevaleceu tornando os jogos interessantes. Não será diferente dessa vez, no novo Wembley. Aliás, tenho outra grande lembrança de uma notável partida entre Brasil x Inglaterra. Em 1959, no Maracanã com 80 mil pessoas, acredito.
Quando o autofalante anunciou a presença de Julinho Botelho na ponta-direita, e Garrincha no banco, o estádio foi tomado por estrondosa vaia. Na entrada do time, tome vaia, também. Logo de início, na saída do Brasil, Didi lançou Julinho que debaixo de vaia saiu driblando.
Um, dois, três, fez fila de ingleses e mandou uma bomba na trave. As vaias diminuíram.
Poucos minutos depois, Julinho saiu fazendo fila de novo e marcou 1 a 0. Não houve vaia e muitos aplausos.
No segundo tempo, ele driblou um monte de gente e entregou a bola pra Henrique Frade marcar 2 a 0. O Maracanã explodiu e Julinho saiu de campo sob intensa ovação. Naquele tarde de domingo, o Rio de Janeiro soube que o Brasil tinha os dois maiores ponteiros direitos do mundo. 
Talvez agora a Seleção tenha até um projeto de Júlio Botelho pela ponta-direita: o garoto Lucas. Isso se Felipão abrir mão de seu conservadorismo e decidir botar nosso escrete pra cima deles. Até porque os ingleses  só têm campeonato nacional forte por conta das grandes contratações de estrangeiros. A seleção deles não é lá essas coisas.

Nesta quarta-feira, a Poderosa dedicará, de novo, seu horário nobre noturno a jogos do Campeonato Mineiro. Logo após aquela coisa tenebrosa chamada BBB, sei lá que número. O espaço, outra vez, será do Cruzeiro que joga no Mineirão contra o América de TO. Imagino que desta vez, a tal de Minas Arena não cometerá tantos pecados mortais como no clássico.
Prevejo apenas pequenas derrapadas. Seus executivos não sabem lidar com o produto que ganharam de presente do governo das Geraes e não aprenderão de um dia pra outro.  Os pecados serão menores; o jogo é de uma torcida só. Pode superar a expectativa de público.
Além, dos gatos escaldados, corajosos, que resolverão voltar ao estádio, apesar de o sofrimento que tiveram no clássico, existe aquela camada que desprezou o clássico, sabendo das confusões prováveis. Deixou pra conhecer o novo Mineirão em outro data.
Tomara que as torcidas insistam, até que uma das coisas aconteça: ou que a Minas Arena aprenda a lidar com a administração do estádio ou que a torcida desista de comparecer.

O Galo buscará a recuperação no interior, lá na distante Tombos, na divisa com o estado do Rio de Janeiro. O Tombense disputa pela primeira vez o Campeonato Mineiro e fez investimento grande - tratando-se de uma equipe do interior, de uma cidade com pouco mais de 10 mil habitantes. O jogo começa às 7 e meia da noite. Sem tevê aberta.
O clube local quase teve que jogar longe de seu torcedor por falta de estádio. Mas conseguiu reformá-lo dentro do prazo estabelecido pela FMF e o adaptou com a capacidade pra seis mil torcedores. Boa oportunidade de Cuca acertar seu time, ainda que não tenha Ronaldinho Gaúcho, na Seleção de Felipão, em Londres.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.