quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

MORTE DE TORCEDOR BOLIVIANO PODE TIRAR CORINTHIANS DA COPA


Tudo bem que esteja no regulamento da competição e que no mundo inteiro o clube seja responsável pelos atos dos seus torcedores. Porém, punir o Corinthians com a eliminação na Copa Libertadores é punir, principalmente, jogadores e Comissão Técnica que não têm nenhuma responsabilidade e nem participaram do ato criminoso em Oruro, na Bolívia, que culminou com a morte de um torcedor de apenas 14 anos.
Fatalidade que nada! O ato de esconder rojões entre as bandeiras e entrar com eles no estádio é criminoso, ainda que na Bolívia o uso deles não seja proibido. É como dirigir embriagado: o motorista sabe que corre sérios riscos de cometer fatal ato criminoso, no entanto pega o volante e sai desembestado pelas ruas ou estradas. Se matar alguém, perante a lei, não teve intenção.
No caso de Oruro, o torcedor criminoso ao acender aquela porcaria, mirá-la ou não em direção à torcida adversária, sabia que poderia provocar algo mais sério. No entanto, cometeu atirou e matou. Tem que levar cadeia. Bom que se alerte aos futuros criminosos que atos como esse, cometidos lá fora, são julgados pelas leis do país visitado.
E lá não tem essa história de jeitinho brasileiro, filhinho de papai, etc. Foi um crime de um visitante contra alguém de casa. Imaginem como o pau come nessa altura nas costas dos 12 torcedores detidos como suspeitos.

De acordo com nova regulamentação da Conmebol, o Corinthians pode ser até excluído do torneio caso seja comprovado o envolvimento de seus torcedores na confusão no estádio Jesús Bermudez. O que está mais que comprovado. De acordo com a polícia local, o sinalizador que matou o garoto teria partido da área destinada aos corintianos.
Na entrevista coletiva o técnico Tite, tremendo vaselina, falou menos de um minuto. Disse apenas que trocaria o seu título de bi mundial pela vida do garoto. Declaração além de óbvia destemperada, porque comprova o quanto vale uma vida humana atualmente neste nosso País.
Na concepção de Tite até subiu de preço: um título do futebol pela vida de alguém.
Após a porta arrombada, a polícia boliviana botou a tramela, ou taramela como queiram. Apreendeu os rojões encontrados entre as bandeiras. Sabem qual torcida estava lá: a Gaviões da Fiel.

Kevin Douglas,(foto) o jovem atingido pelo sinalizador, era apaixonado pelo San José.  Residente em Cochabamba, Kevin Douglas Beltran Espada mostrava, em sua página no Facebook, que adorava futebol.
Já  existe historicamente uma prévia indisposição contra o Brasil na Bolívia. Depois de carregarem o corpo do jovem morto, a torcida hostilizou os brasileiros com os gritos de "assassinos, assassinos". Os ocupantes do banco de reservas do Corinthians tiveram que se esconder nos vestiários, protegidos pela polícia local.

No campo de jogo, o futebol surpreendeu outra vez: o Fluminense, campeão brasileiro, e favorito na partida, em razão de sua vitória na estreia diante do Caracas (1 a 0), como visitante, e da derrota do Grêmio, em Porto Alegre, pro Huachipato, tomou um passeio do time gaúcho no Engenhão e a derrota por 3 a 0, com direito a gol impedido - o segundo - e tudo mais.


A maior surpresa, no entanto, também no Grupo 8, foi a vitória do Caracas por 3 a l, em cima do Huachipato, na casa do adversário.  Tal resultado, junto com o do Rio de Janeiro, embolou todo grupo. Todos os times estão com três pontos.
Resultado, também, inesperado: o Nacional fez 3 a 2 no Toluca, lá no México. O Toluca surpreendeu o Boca Juniors, na Bombonera, na primeira rodada, com uma virada de 2 a 1.  No Grupo 4 o Penarol tem 100% de aproveitamento com a vitória por 1 a 0 sobre o Emelec. O Velez Sarsfield goleou, na Argentina, o Deportes Iquique por 3 a 0.
O mexicano Tijuana, que disputa pela primeira vez a Libertadores, ganhou do Milionários, em Bogotá, por 1 a 0. Neste grupo está o fatídico jogo empatado (1 a 1) entre San José e Corinthians. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.