quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

QUEM É CONTRA O FUTEBOL DESTE GALO?


Quiseram os deuses da bola redonda que aquele brucutu zagueiro argentino, Braghieri, não consolidasse seu ímpeto assassino. A perna direita de Ronaldinho Gaúcho hoje estaria gessada e, talvez, preparada pra melindrosa cirurgia. Qual seria o pecado de RG-10 pra receber tamanha violência? Nenhum.
Apenas fez a bola rolar docemente pelo bom gramado do pequeno estádio de Sarandi, deu passes milimétricos que redundaram em gols pra sua equipe e em momento algum esnobou o adversário.

Gaúcho ficou tão indignado com a falta de punição à violência - o brucutu não levou cartão vermelho e o juiz apenas marcou o pênalti existente - que transtornado cobrou o penal fora de suas características habituais. Soltou um torpedo que foi ao poste superior.
Seria uma punição contra a violência caso RG-10 tivesse mantido a cabeça no lugar naquele lance e cobrado com a maestria de sempre, estabelecendo uma goleada por 6 a 2 sobre os argentinos do Arsenal, em pleno estádio Júlio Grondona, em Alvejaneda, região metropolitana de Grande Buenos Aires.

O gol de pênalti cobrado por RG-10 não aconteceu, mas o futebol mostrado pelo time de Cuca foi além do esperado pela boa representação da Massa que invadiu a capital argentina. O placar de 5 a 2 não deixa dúvida quanto ao objetivo atleticano na Taça Libertadores das Américas.
A goleada histórica já faz parte de uma pesquisa a ser feita: algum time brasileiro chegou a fazer um placar tão forte sobre um time argentino no campo deles? Os pesquisadores caíram em campo.

Futebol agressivo, defensivo e compacto. Quem, ainda, duvida da qualidade deste time do Atlético?

O Galo viveu momentos diferentes  na partida. De cara, tomou tremendo susto com o Arsenal fazendo 1 a 0, gol do centroavante Furch, antes dos dois minutos. Se o coletivo desarvorou-se, entra o individual. RG-10 num passe magistral coloca Bernard na cara do gol pra empatar a partida, poucos minutos após.
Este empate não trouxe a tranquilidade esperada à equipe. A zaga aberta se oferecia aos contra-ataques argentinos; Cuca resolveu o problema fixando mais Pierre e adiantando os alas.
 Aos 27m, ainda forte na partida o Arsenal chegou a fazer outro gol com Furch, mas ele cometeu falta em Léo Silva e o árbitro uruguaio Martin Vasques anulou certo, sob protestos.
Pra sair da pressão, nada melhor do que um bom contra-ataque. Jô saiu da área, recebeu de RG-10, tocou de lado pra Donizete. No papel de meia, o volante chegou até perto da área e rolou pra dentro, onde chegava Diego Tardelli. Toque sutil e colocava o Galo em vantagem, além de marcar seu primeiro gol depois da volta. Galo, 2 a 1.

Marcos Rocha fechando mais por dentro ajudava na marcação de Aguirre. Júnior César abrindo pela esquerda, era um autêntico ponta. O terceiro gol surgiu num cruzamento dele, aos 35m, e gol de Jô. Galo 3 a 1. Aquela falta indefensável, chutada por Aguirre, aos 41m, no ângulo de Victor, botou lenha de novo no jogo. Primeiro tempo, Galo 3 a 2.
 O segundo tempo foi todo de Bernard.(foto) Aproveitou o passe de RG-10 e a bobeira da zaga por marcar 4 a 2 e fechou o placar pegando o rebote do goleiro: 5 a 2.Foi a primeira partida internacional de Bernard e ele estreia logo com três gols. Eta menino enfezado, sô!

Com o resultado, o Atlético-MG se isolou na liderança da chave, com seis pontos ganhos. O Arsenal, com duas derrotas, ainda não marcou nenhum e está na lanterna. Nesta quinta-feira, o São Paulo encara o The Strongest, da Bolívia, no Morumbi, em partida que fecha a rodada do Grupo 3. Se os bolivianos vencerem, também chegarão aos seis pontos. Qualquer outro resultado deixa o Galo sozinho em primeiro lugar.
Pela Libertadores, as duas equipes voltarão a campo apenas na próxima quinta-feira, dia 7 de março. O Arsenal pega o São Paulo, no Morumbi, às 19h15m (de Brasília), e o Atlético, às 21h30m, recebe o Strongest, no Independência. Pelo Campeonato Mineiro, no entanto, o Galo enfrenta o Guarani, neste domingo, às 16h, também no Independência.

Um comentário:

  1. Flávio, baixinho aqui prá ninguém ouvir:

    O bairro chama-se AVELLANEDA, mas pronuncia-se ABEJANEDA

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.