sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

TARDELLI PODE ESTREAR CONTRA SÃO PAULO. E DIEGO SOUZA, QUANDO?

De fora das entranhas do encaminhamento e dos acertos entre clubes contratantes,  atletas, e clubes de origem, não temos como responder as indagações dos milhares de torcedores que imaginam que a turma da imprensa tá por dentro de tudo. 

De quase tudo, respondo. Só no que se refere às migalhas do assunto. Do interessante mesmo, que a torcida adoraria saber, a imprensa, também, não sabe nada. Na maioria das vezes chuta suas informações rotuladas de sigilosas.

Por exemplo. Por que o Diego Tardelli já teve seu nome publicado no BID da CBF e, portanto, tem condições de jogar pelo Atlético, se mal chegou a Beagá?

Ou já estava contratado, realmente, com toda documentação assinada, desde o anúncio de sua volta pelo Superesportes , com o presidente Kalil fazendo fazer c. doce pra tuitar sobre a cereja de seu bolo.

Ou a turma administrativa do Galo é bem mais competente do que a do outro lado da lagoa.

Há quanto tempo Diego Souza treina na Toca da Raposa anunciado como principal reforço e substituto de Montillo?

No entanto, sua papelada parece que vem de navio. Ou então existe algo estranho entre as relações azuis e árabes, azedas como as entre estes e os israelenses.

 

Afora o desfecho da papelada, já superado, Tardelli dependerá do treinador Cuca e, pelo visto nos dois últimos jogos, a camisa titular será sua já contra o São Paulo. Jô marcou seu primeiro gol no campeonato em Tombos, mas tem apenas guardado o lugar pro ídolo da torcida.

Já que jogava pelo Al-Gharafa, imagino que Tardelli esteja com ritmo de jogo. Craque não precisa de adaptação a esquemas tão sofríveis e restritos como são os de Cuca.

 

Cada vez mais fecha-se o espaço pra turma da base na Toca da Raposa. Meu entusiasmo de primeiro momento com a possível atração de Marcelo Oliveira em revelar talentos do próprio clube diminui.

No jogo-treino com um time de Sete Lagoas, nesta quinta-feira, Marcelo regozijou-se com as atuações de Luan e Borges. Pra mim, o suficiente pra prever que Vinícius Araújo e Alisson têm seus dias contados entre os relacionados normalmente até agora.

Foi o primeiro treino com bola de Luan junto dos novos companheiros; está emprestado pelo Palmeiras até dezembro em troca de Charles e Marcelo Oliveira, volantes. Marcou, também, a volta de Borges, após recuperar-se de uma lesão séria no tornozelo direito.

 

Silvacer Pacheco, ou Capitão Silvacer, diligente agente da Polícia Rodoviária Federal, e excelente narrador esportivo que jogou no meu time na época da Transamérica FM, me manda a mensagem de desalento pelo que viveu no Mineirão durante o clássico:

"Ê Meu comandante não pude resistir e ficar fora da discussão: rapaz, trabalhar no Mineirão virou um martírio também  para a imprensa (rádio e jornal). Aquelas antigas cabines superiores para muitos cronistas " pequeninas"  seriam hj um tremendo luxo para o cronista".
"Falando do rádio que é minha área,  os donos do Gigante da Pampulha enfiaram os narradores, comentaristas, numa gigantesca  bancada de (1) hum metro.. mais ou menos. Dependendo do tamanho os dois não cabem no espaço, sério.O calor humano aumentou consideravelmente... estamos no meio da torcida como em alguns estádios do interior, lado a lado.

"Todas as bancadas agarradinhas. umas nas outras... só um "vidro" separa uma emissora da outra. Vc escolhe: sua aparelhagem na bancada ou suas anotações Espaço prum copo dágua? Já era!!! Tá bravo seu Flávio".
"No intervalo pra tomar uma água ou ir ao banheiro é uma verdadeira louuuuuucura....Isso sem falar da parte técnica né....que domingo deixou muito cronista sem saber o que aconteceria... Num sou contra se modernizar mas.....ô saudade daquele Mineirão......viu!! 
Tem outra né...A coisa tá indo na contramão rapaz: Vejo campanhas de popularização do teatro, dança... enfim a cultura ficando popular....e o glorioso futebol brasileiro se elitizando....
Eu heimmmm. ..".
Resposta: Foi um dos motivos que me levaram a encostar as chuteiras. Vivi tais situações em quatro Copas do Mundo e visualizei que em breve esta m. estaria por aqui a mando da Fifa. Tratei de pedir meu boné. Futebol comigo hoje só na tevê aberta. em casa, mordiscando um bom tira-gosto, regado a vinho italiano. Afinal, ninguém é de ferro. São 60 anos nessas labuta!

 

 

Bem interessante esta reportagem publicada pela Globoesporte.com, assinada pelo repórter santista Lincoln Chaves - xará de meu sobrinho Lincoln Anselmo Chaves;

 - Um show do cantor Zeca Pagodinho em São Paulo, durante ensaio da escola de samba Vai-Vai, marcou o encontro entre o presidente do Santos, Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, e o atacante Adriano, sem clube desde o término do contrato com o Flamengo, no fim do ano passado.

-Na ocasião, um assessor do atacante revelou ao mandatário do Peixe o "sonho" do centroavante de defender o time da Vila Belmiro. A história foi revelada pelo próprio Luis Álvaro.

E de acordo com ele, a possibilidade de Adriano defender o Santos até foi discutida com o técnico Muricy Ramalho. Apesar disso, pelo menos no momento, o Imperador está vetado na Vila Belmiro.

 "Encontrei com Adriano por acaso. Estava com a cara muito boa, muito simpático. Nós nos cumprimentamos, e um de seus assessores me confessou que ele tinha o sonho de jogar no Santos. Nada inédito, nada muito criativo".

"Até eu, que não sou atleta, tenho essa vontade (risos). Mas há uma distância entre vontade e jogar. Já conversei com o Muricy, e o Santos não conta com a possibilidade do Adriano, pelo menos a curto prazo - afirmou o dirigente.

O sonho de Adriano defender o Santos aparece no momento que o Peixe busca um novo camisa 9 para o elenco, a pedido de Muricy. Apesar do bom momento de Miralles, artilheiro do time no Campeonato Paulista, ao lado de Neymar, com cinco gols, o treinador tem apenas um centroavante de ofício: André, que vive má fase.

Na última semana, contudo, quando questionado durante entrevista coletiva se Adriano seria uma opção para o setor, Muricy, que trabalhou com o atacante em 2008, no São Paulo, descartou o ex-comandado.

- Precisamos de um jogador para agora. O Adriano tem de se recuperar, demora muito tempo. Não é viável - resumiu.

A última atuação de Adriano foi em 4 de março, quando defendia o Corinthians. Submetido a uma cirurgia no tendão de Aquiles do pé esquerdo, ele foi se recuperar no Flamengo, mas ultrapassou o limite de faltas estipulado no contrato de risco que assinou com o Rubro-Negro e foi dispensado.

 Desde então, o Imperador despertou interesse do Guarani, que ainda estuda como contratar o jogador.

 

 




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.