domingo, 31 de março de 2013

JOGO LIMPO, CHEIO DE BELOS LANCES E A GOLEADA DO GALO: 4 a 1 -foi a melhor partida que vi nesse sofrível Campeonato Mineiro.


Atlético e Tupi fizeram uma partida muito boa de se ver no Independência. De poucas faltas, disciplinada, de lances individuais de pura arte proporcionados por Ronaldinho Gaúcho e Tardelli e com gols para todos os gostos. Inclusive outro de Rever, chutando de perna esquerda de fora da área. O quinto dele na competição. Um dos goleadores.
A nota triste foi a contusão de Bernard, que deixou o gramado no primeiro tempo substituído por Luan e com forte luxação no ombro esquerdo, que saiu do lugar. O médico Rodrigo Lasmar antecipou a seriedade da contusão que afastará o jovem craque dos gramados por três semanas.
Ou seja, contra o Arsenal de Sarandi, na quarta-feira, no Horto, pela Libertadores, Bernard fica de fora. Dos males o menor porque a contusão foi agora, com o Galo já classificado pra outra fase da Libertadores e com a goleada deste domingo também classificou-se no Campeonato Mineiro.

JOGO BOM, APITO AMIGO

A disciplina das duas equipes - o Galo é o time mais disciplinado da competição - fez o jogo correr sem problemas. O árbitro Cleisson Veloso e seus assistentes fizeram um monte de besteiras. No primeiro tempo, o juiz central apitou tudo contra o Tupi. Deu cartão amarelo pra Genalvo numa falta inexistente sobre RG-10.
Em outro lance, provocado por Luan, que havia substituído Bernard, aplicou outro cartão amarelo sem sentido e no jogador errado. Luan não sofreu falta na entrada da área; se atirou. Quem estava no lance era o Genalvo e seria o segundo cartão dele. O juiz deu pra Fabrício Carvalho que estava afastado.
RG-10 cortou o contra-ataque do Tupi com um carrinho por trás em Alonso e a arbitragem deu apenas a falta e nada de cartão amarelo. RG-10 safou-se pelo prestígio.
Finalmente, no lance mais complicado, Ryan driblou Richarlyson, foi no fundo e acabou seguro pela camisa pelo lateral do Galo. Como não se jogou e nem caiu, o juiz não deu a penalidade máxima.

APITO AMIGO MUDA DE LADO

No segundo tempo, imagino que alguém tenha alertado ao Cleisson Veloso que dois times estavam no gramado. Então passou a errar contra o Atlético. Ele e seu assistente Marcos Vinicius Gomes.
Foram, realmente, erros cavalares: anularam um gol do Galo, marcado por Jô em posição absolutamente normal. Cruzamento perfeito de RG-10 e o artilheiro mandou a bola pras redes, de cabeça. Não conseguiu comemorar. O bandeira deu impedimento inexistente.
Logo em seguida, Marcos Rocha descobre Tardelli livre na esquerda. Lançamento cruzado e o assistente, de novo, dá impedimento errado. Finalmente, aos 35m, bola alta na área do Tupi e Rever de costas pro gol é empurrado escandalosamente por Thales e o juiz não dá o pênalti.

NOS GOLS ARTE PURA

Se nada tivesse acontecido de interessante na partida, o simples fato de Ronaldinho Gaúcho e Diego Tardelli resolverem esbanjar os lances geniais, os toques sutis e os dribles desconcertantes de seus repertórios já seria o suficiente. Só mesmo revendo o vídeo do jogo pra poder acreditar.
O quarteto ofensivo, mesmo após a saída de Bernard, continuou endiabrado. Contra-ataques velozes, corta-luzes fantásticos e gols de grande qualidade. Rever abriu a contagem no primeiro tempo porque apareceu, de repente, na entrada da área. Jô fez o pivô, rolou pra ele e o chute de primeira no canto do goleiro Tadeu.


No segundo gol, RG-10 cobrou falta por cima da barreira, no ângulo esquerdo e a bola, após chocar-se na trave, subiu. O goleiro do Tupi, baixinho pra posição, demorou a sair e Jô ganhou dele. Cabeceou por cima dos zagueiros que estavam dentro do gol: Galo 2 a 0, placar do primeiro tempo.
Etapa final: RG-10 bateu falta que Josué sofreu. O estreante já estava na área quando recebeu o passe e
                                         (foto de Ramon Lisboa- DA Press/EM)

tocou pra Jô. O chute saiu forte e houve sobra pra Josué marcar seu primeiro gol no Atlético. Justo na estreia, por sinal excelente. Torcida nem se lembrou de Pierre. Gritou o nome de Josué. Galo, 3 a 0.
O quarto gol foi uma obra de arte: Tardelli pela direita lança Jô na entrada da área. Ele faz o corta-luz e tira a zaga do Tupi do esquadro. Por trás, vem RG-10 e manda tiro cruzado, sem defesa. Galo, 4 a 0.

CUCA POUPA DOIS

Aos 26m, Cuca resolveu poupar RG-10 e Tardelli, pra não correr riscos, afinal já havia perdido Bernard por  lesão.Colocou Guilherme e Alecsandro. O ritmo não caiu. O Galo manteve-se mandando na partida, criou várias oportunidades e então o goleiro Tadeu apareceu. Como apareceu, também, o atacante Rafael Assis, 19 anos, excelente. Foi ele que sofreu a falta de Rever e que Alonso, ex-Cruzeiro, cobrou à la RG-10, por baixo da barreira, sem defesa pra Victor. Final - Galo 4 x Tupi 1.

DEMAIS RESULTADOS

A rodada que começou na quarta-feira com o Coelho vencendo o América-TO por 3 a 1, no Independência, teve no sábado, além de Villa Nova 2 x 4 Cruzeiro; Araxá 0 x 3 Tombense, aumentando as chances de classificação do time de Tombos e de descenso do time do Triângulo Mineiro.
No domingo, Caldense e Boa empataram em l a l na bela Poços de Caldas, enquanto o Guarani, em franca recuperação, bateu o Nacional por 1 a 0, na Arena dos Calçados. Vocês estão cansados de saber, mas vou repetir: o Cruzeiro é líder com 22 pontos, um apenas na frente do Atlético. Ambos classificados. As demais vagas são disputadas pelo Villa Nova (15), Tombense (13), América (12) e Tupi (12);

Um comentário:

  1. Flávio só de ler já vi q não assistiu o replay do lance da falta no Luan ( na entrada da área)...no replay por trás mostra, explicitamente, um toque do joelho do marcador no pé do Luan, na passada como se diz......falta claríssima e pra cartão... inclusive o lance foi repassado na mesma hora pela Globo(ao vivo na transmissão)..onde o Bob Faria repara (e como não reparar em câmera lenta) e pronuncia o toque e a consequente falta...abçs..excelente blog..leio sempre..Nota 10.

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.