quarta-feira, 17 de abril de 2013

AMIGO NEY FRANCO CORRE O RISCO DE SER DESEMPREGADO. FICAR ELE NÃO FICA, PORQUE É COMPETENTE E TEM BAGAGEM. Porém com seu São Paulo desesperado e o Galo 100% pela frente, fica difícil né conterrâneo?

O Galo pode causar-me volumosa tristeza esta noite no Morumbi ao abater o São Paulo e tirá-lo da Libertadores. Nem tanto pelo São Paulo, time do coração do meu neuro Romero de Castro Vieira, mas pelo profissional Ney Franco, moço de Vargem Alegre, que tem andado sumido, sem responder meus emails e atender o celular. Cuida dele aí, Eder Bombinha! Auxiliar é pra isso tipo de coisa. 
Eu poderia - e quem sabe faço isso, contudo como pé frio que sou, pioraria a coisa - torcer pela vitória do Ney Franco. Ele manteria o cargo e ficaria tranquilo pra trabalhar a outra fase. O Galo de Cuca não sofreria nem o arranhão. Afinal, está 100º, primeiro geral garantido e com ele as vantagens até a final da Libertadores, claro dependendo dos próximos resultados.

SÓ COMO NO MERCADO

Não almoço no Favorita por conta de Kalil, nem janto em qualquer restaurante de luxo de Beagá, também por conta de Gilvan; não é só pela falta de grana, mas de traquejo também. Sou macaqueiro aqui do Caratinga, onde estou no momento, e acostumado com lamber os beiços, pegar pedaços de frango com a mão e palitar os dentes que nem o caminhoneiro da história. 
Não conhece essa,não! É do estoque de Kleyton Borges. O caminhoneiro jantava num restaurante chique com o bichinha, sua esposa de papel passado. Então ele encostou os talheres, pegou o paliteiro e pôs-se a escavar os dentes. No ato, chupava-os também. Irritou o bichinha que reclamou
-Pô, que vício feio este seu, meu bem?
No que o parrudo caminheiro devolveu: 
" É, o meu é feio. Bonito é o seu, meu benzinho!"
Poisé, desviei do assunto. Queria mesmo dizer que as minhas informações oficiais não são plantadas; todavia vêm de fontes dignas. Esta história do Carioquinha dizer que antecipou o acerto de Dedé com o Cruzeiro é risível. Até os paralelepípedos de minha Santa Terrinha, antes do asfalto estúpido cobri-los  já sabiam.
Como afirmava o interminável Olavo Leite Kafunga Bastos, quando vereador, ao ver a enxurrada de pleitos sobre asfaltamento de ruas. "Quero que registrem meu pleito de que todas as ruas de Belo Horizonte sejam asfaltadas..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.