segunda-feira, 22 de abril de 2013

BABADORES DAS GRAVATAS ALHEIAS

Não sou imbecil tanto quanto imaginam diversos leitores e desafetos, que apesar de tudo insistem na leitura. Meto o sorvete na testa na dose suficiente que me cabe nesse latifúndio de babadores de gravatas alheias - pra não escrever outra coisa, em sinal de respeito às milhares de senhoritas e senhoras, além de menores, que amam minha Trincheira.

Ouçam-me escarradores posudos das sujas avenidas e ruas deste País; atiradores de pedras em avião e furadores de olhos do Assum preto pra ele assim cantar melhor: não estou entre aqueles que acreditam na melhor das copas do mundo esta que realizaremos em 2014.

A começar pelos absurdos superfaturamentos que o inoperante e marqueteiro governo Dilma, no qual votei,  passa recibo.  Muito menos à submissão que se tolera da Fifa. Não existe aquela história de que defunto gordo balança o caixão quando encontra bobo magro que o carregue?

O Brasil não tirará qualquer proveito desta copa, nem como desculpa pra prender corruptos e cambistas, como o Gato Preto. Retorno turístico? É risível! Apontar os benefícios que tiveram Alemanha e França é mentir descaradamente. Esses países lucraram bastante, porque já tinham e tem - infraestrutura de movimento pronta: ótimas estradas, metrô, trens internacionais e nacionais, ótimos hotéis, etc.

O que lhe restou foi o orgulho da construção de novos estádios em substituição àqueles considerados arcaicos pra eles. Já ótimos pra nós, que os visitávamos.

Na Ásia foi a mesma coisa. A África do Sul teve resultado que o Brasil imitará. Ficou com bons estádios, sem bom futebol, pobreza geral aumentada e infraestrutura adiada. A movimentação que se faz agora neste País é  política por causa das eleições ano que vem. Apenas 25% das obras estão concluídas confessa o próprio governo de dona Dilma; nossas estradas de ferro - vocês viram no Fantástico, inacreditável, até ele, babador de ovos das autoridades tupiniquins -  como os trilhos saem do nada e terminam no nada. Bilhões desviados e serão precisos outros bilhões pra consertar.

Quem foi pra cadeia? Não se pode nem perguntar isso ao ex-herói nacional, Joaquim Barbosa, sob o risco de levar-se uns catiripapos do moço.

Que nossos mal educados torcedores, sem cultura pra frequentar os maravilhosos, elegantes estádios europeus, contentem-se com estádios simples, pouco práticos, porém caros pra chuchu.

Nem a cultura da Copa do Mundo que fizemos em 50 temos mais. O Maracanazzo permitiu apenas decepção, contido choro e desmaios das moçoilas na derrota por 2 a 1 contra os raçudos uruguaios. A nossa gente, de paletó, gravata e colarinho duro, bem comportada, foi pros bares e residências afogar as mágoas sem perigo do bafômetro.  

É O QUE DIZEM...

 

Radialista Wilson José, o repórter do furo, BH, no Facebook: "Fico ouvindo ou lendo que o Marcelo Oliveira gosta de trabalhar com jogadores formados no clube. Sim, mas só se for para ficar no grupo. O único que ele deu moral e manteve num time foi o Renan Oliveira no Atlético".
Resposta: Céus, WJ, essa vc tirou do fundo do baú

 

POLITICAGEM

                        &

                        BOTEQUIM

O presidente da Câmara Municipal de Ouro Preto, Léo Feijoada, viu o seu feijão azedar pelas forças da ditadura do PSDB mineiro. Os panos pretos que, junto com estudantes e chefes de repúblicas estudantis,havia dependurado nas sacadas, em sinal de luto pela presença do Garoto dos Neves e do professor Anast-azia foram trocados, na calada da noite, por bandeiras de Minas. Uau! O neto do doutor Tancredo ainda se prega um liberal!

 

TROCO DO KALIL 

 

Tudo que Alexandre Kalil fala ou faz repercute e gera especulações. O caso do SuperNosso gerou o seguinte: os seus donos, cujos nomes não preciso dizer, são atleticanos.

Na gestão do Doutor Ricardo Guimarães - "doutor porque é dono de banco , e Kalil, sendo engenheiro não tem o DR antes porque não tem banco particular, também - mas, dizia eu, que na época do RG, os irmãos sócios do supermercado teriam ajudado ao Galo contratar Rafael Marques, contra a opinião de Kalil, diretor de futebol.

Houve desavenças, falta de apoio nas eleições do Conselho do clube, rompimento, e agora Kalil teria dado o troco. É duvidar da minha inteligência e de Kalil brigar com dois conselheiros ricos e fortes por causa do minguado futebol de Rafael Marques. Por favor, militância adversária!

 

DE ONDE VEM ANSELMO

 

O mano Fábio Paceli Anselmo, titular da sucursal desta Trincheira em Brasília - assim com os homens de lá - manda colaboração pra explicar quem inspirou dona Cypriana colocar no primogênito dela , saudoso Sodico, o nome próprio Anselmo como sobrenome. Sodico era aniversariante do dia 21 de abril. E merecedor da Medalha da Inconfidência, sem nunca ser lembrado pra tanto.

Saibam tudo no meu blog. Acessem www.flavioanselmo.com.br

 

 

 

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.