terça-feira, 16 de abril de 2013

KALIL PELA MILÉSIMA VEZ NA ESPN

Pela milésima vez, contra 200 da TV Alterosa no programa do Carioquinha, e zero nas demais televisões de Beagá, o presidente do Galo, Alexandre Kalil, foi jogar seu charme e sua inteligência nos "rapeizes" da emissora paulista que não dá um tostão pro Brasileiro. Aqueles de sempre estavam lá e Kalil puxou a audiência 0 deles pra cima. O que de melhor disse, peguei num dos sites. Leiam e se deliciem.


O presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, não acredita que os clubes brasileiros saíram no lucro com o fim do Clube dos 13, em 2011.
Segundo ele, o racha que levou ao fim da entidade com o pedido de desfiliação das equipes para negociarem sozinhas os direitos de transmissão de suas partidas não teve o ex-corintiano Andrés Sanchez como grande decepção.
Em entrevista ao programa Bola da Vez, que irá ao ar na ESPN Brasil, nesta terça-feira, às 20h (de Brasília), o mandatário do Galo revelou que a atuação de Andrés ao lado da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e da Rede Globo no imbróglio teve como fator motivador a promessa de construção do futuro estádio alvinegro, o Itaquerão.
Ele narrou o diálogo que manteve com o ex-dirigente do Corinthians na época e pôs a culpa na derrocada do C13 na conta de Flamengo, Fluminense, Botafogo e Vasco.
"Eu acho que o futebol carioca foi o grande vilão e vou explicar. Porque o ex-presidente do Corinthians (Andrés Sanchez) desde o início falou que ia sair e detonar (o Clube dos 13). O Andrés Sanchez tinha um estádio prometido para detonar a mesa. Ele ia ganhar um estádio. Estou falando aqui porque ele falou comigo e não pediu segredo. Falei com ele e perguntei: 'Que sacanagem é essa'. Porque ele é tudo, menos bobo. 'Kalil, estou ganhando um estádio'. Virei as costas e saí andando. Porque eu também se me dessem um estádio detonava a mesa. Então, ele foi o mais sincero que teve", afirma.
"O errado é quem senta na reunião para defender os clubes e depois faz o que fez. O Andrés teve um erro de tudo isso. Foi disputar a eleição. Ele não podia ter disputado e trabalhado na eleição. Ele não pode disputar eleição, detonar e depois perdeu. Está errado. Ele era o cabo eleitoral do Ricardo Teixeira e do Kleber Leite. E a gente com o doutor Fabio Koff. Não discuto quem é melhor. Esse foi o grande erro do Andrés e acho que vai pagar isso na frente", completou.
O Atlético-MG foi o último time a resistir ao assédio da Globo e abandonar o Clube dos 13. Atualmente, o Galo fatura R$ 60 milhões anuais com o contrato de TV.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.