domingo, 21 de abril de 2013

MISTÃO DEU CONTA DO RECADO CONTRA TUPI

Mistão do líder Cruzeiro não deu a menor chance ao desesperado Tupi, em Xis de Fora, e derrotou sem maiores dificuldades o Galinho local por 2 a 0, gols de Dagoberto, no primeiro tempo, aos 6m, e de Borges, na fase final. Borges anotou seu sétimo gol.
Junto com Júnior Negão, do Tombense,  Borges é um dos artilheiros do campeonato. A briga entre eles pode ficar aí, visto que Borges tomou o terceiro cartão amarelo e não atua na partida de ida, pelas semifinais.
Pra eu não passar em branco, em que pese a ótima atuação do time num todo e de Mike, Tinga, Dagoberto e, principalmente Egídio, não entendi bem a escalação de três volantes. E o pior, quando fez a primeira substituição Marcelo Gomes optou pela ordem decrescente de idade: tirou Lucas Silva, que vinha bem, e botou Elber.
Penso que este devia ser escalado desde o início. Contudo, na substituição por que logo Lucas Silva, de 19 anos e com poucas oportunidades? Por que Pacote não tirou Nilton, cansado, sem boa condição física e jogando apenas razoavelmente como tem feito nas últimas partidas?
Muito estranho, Pacote! Você ainda não me convenceu de que não esqueceu como trabalhar – e gostar - com gente nova no seu estágio em Curitiba.
O gol de Dagoberto foi excelente jogada pela direita: começou com Tinga, que lançou Maike e o cruzamento veio pra Dagoberto. Dominou, matou e estufou as redes de Jordan. Cruzeiro 1 a 0.
No segundo tempo, as melhores jogadas saíam ainda pelas laterais com assistência de Tinga. Então me pareceu com Maike, coisa normal por estar fora de ritmo de jogo, cansou-se. O jogo virou pro lado de Egídio que continuou como o melhor em campo.
Aos 11m, contra-ataque do jeito que a torcida gosta: a bola de ataque do Tupi explodiu em Lucas, sobrou pra Tinga que arrancou. Bola por fim no Egídio, que driblou o goleiro e não foi fominha. Apenas rolou pra Borges, de meta vazia, marcar seu sétimo gol.

Aos 19m, Pacote tirou Lucas e botou Elber, como sempre entrou bem. E depois trocou Borges e Diego Souza por Ananias e Anselmo Ramon. Foi um escambo de seis por meia dúzia. O Cruzeiro sofreu ligeira reação do Tupi, que reclamou de 200 pênaltis inexistentes e outras irregularidades fantasmas. Deu adeus ao campeonato, mas deixou boa impressão. (Foto- Fernando Príamo/ Tribuna de Minas)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.