quinta-feira, 16 de maio de 2013

BOCA JUNIORS CONTINUA CARRASCO DOS BRASILEIROS NA LIBERTADORES

 

Interessante, o trio de arbitragem paraguaio, liderado pelo arrogante Carlos Amarilla, cometeu quatro erros gravíssimos contra o Corinthians, fundamentais no empate em 1 a 1 que manteve o Boca Juniors na Libertadores – primeiro jogo, em La Bombonera, 1 a 0 pra ele – e depois do jogo ninguém reclamou nada. Interessante, também, o time último campeão ser eliminado nas oitavas  de final, e a Fiel não abandonar o Pacaembu antes do apito final e, num imenso coro, prestar homenagem aos guerreiros liquidados no embate.

O Corinthians saiu da competição e já cai em outra decisão, domingo, contra o Santos, na Vila Belmiro, segunda partida das finais do Paulistão. Talvez por isso a Fiel gritasse tanto depois da eliminação: não deixar o time baixar o astral mais ainda.

Todos concordaram que o Boca esteve mais consciente, mais tranqüilo, no comando de Riquelme, autor do gol de abertura, com um chutão lá da intermediária, pela ponta. Antes, o Corinthians passou mal com a arbitragem: teve pênalti a seu favor 10m. O lateral Marin, que já estava amarelado, ao ser driblado por Emerson, meteu a mão na bola. Penal caracterizado, que Amarilla mal colocado não marcou. Era pra marcar e expulsar o autor.

Aos 24m, Romarinho entrou em condição legal, driblou o goleiro Orion e marcou. O primeiro assistente viu impedimento num lance claro demais. Então aos 26m, veio o gol de Riquelme.

No intervalo Tite colocou Pato no lugar de Romarinho e Denilson no de Alessandro. Denilson entrou bem. O Timão partiu pro sufoco. Conseguiu empatar aos cinco minutos com Paulinho, leão no jogo. Emerson cruzou da direita e Paulinho marcou de cabeça. Aos 15m, Emerson foi empurrado por trás, quando partia em direção à meta de Orion e Amarilla nada marcou. Aos 30m, Pato entrou na área, tirou do goleiro e chutou pra fora de perna esquerda. Atacante com seu prestígio jamais poderia perder gol como este.

Pouco depois, outro cruzamento de Emerson da direita, Paulinho briga com a zaga e marca de cabeça. O assistente 2 marcou impedimento errado. O trio prejudicou outra vez o Corinthians.

Uma coisa, porém, mais uma vez ficou comprovada: o Boca Juniors é a asa negra, o carrasco dos times brasileiros na Libertadores. Em 17 confrontos, com o desta quarta-feira, seguiu em frente em 14. Apenas em três oportunidades caiu diante de brasileiro. Riquelme saiu aos 23m, sem condições físicas, mas enquanto esteve no gramado ditou o ritmo do Boca

 

CONFRONTO ARGENTINO

 

O clássico entre o líder do campeonato argentino, News Old Boys, e o campeão atual, Velez Sarsfield, causou boa surpresa. O Velez havia derrotado o News na partida de ida por 1 a 0, no campo do adversário. Ótima vantagem. Só que o visitante, no jogo de volta, surpreendeu e venceu por 2 a 1, em Buenos Aires. O News abriu 2 a 0, com gols de Castro e Scocco no primeiro tempo. O Velez correu atrás do empate na fase final, mas apenas conseguiu o gol de honra com Ferreira. Classificado, o News Old Boys enfrenta o Boca Juniors pelas quartas-de-final. Outra pedreira.

 

É O QUE DIZEM...

 

Iraq Rodrigues – Lagoa Santa - É, Flávio, fiquei vendo Palmeiras e Tijuana... Há muito não via dois times - teoricamente grandes, de tradição, etc - maltratar tanto uma bola. Ninguém, de nenhum dos dois times, conseguia dar um único passe certo. Quando alguém conseguia "matar" uma bola, era jogando nos pés do adversário. Eu torcia pelo Palmeiras, pelo motivo que você e todos sabe m :: a viagem para jogar no México. De São Paulo até a tal cidade do Tijuana, são 17 hora de viagem. Mas, sabe de uma coisa ? Quem quer ser campeão não escolhe adversário. E mais, se a Libertadores seguisse com o Galo jogando contra Palmeiras e Corinthians, não faltariam os que subestimariam a conquista do Galo (se for ele o campeão, claro), dizendo que foi fácil, pois não enfrentou times de fora. Se bem que metemos cinco a duas vezes no argentino e ganhamos duas vezes do "mais forte de todos" , The Strongest.

 

SOM DE LATA VELHA

 

Eu acompanhava Corinthians e Boca Juniors pela Fox esportes, mas diante da narração exagerada e dos comentários mal colocados, preferi me arriscar na Globo por causa de Cleber Machado. A coisa continua preta por lá. O som ambiente dos estádios que a Globo insiste em colocar numa altura absurda, não permite ao telespectador entender nada que seu pessoal fala. No caso de Cleber, que fala alto e grita mais ainda, é possível entender qualquer coisa. Mas no de Arnaldo César Coelho e Casagrande – este de pronúncia enrolada – não se entende nada. Com Galvão Bueno é pior ainda: ele tem narrado jogos do Brasil engolindo as palavras, falando pra dentro. 

Eu me esqueci de que o Milton Leite e o Maurício Noriega, ótimos, estavam no Sportv. Narração sóbria e comentários inteligentes. Além do som ambiente normal, e que não agride.

 

COISA POUCA

 

Quem esperava várias mudanças no time do Cruzeiro pra decisão de domingo que tire o cavalinho da chuva. Marcelo Oliveira optou por alterar apenas a lateral esquerda, entrando com Egídio no lugar de Everton. Manteve Ceará na lateral direita, e Mike talvez no banco. Confirmou a presença de Paulão na vaga de Bruno Rodrigo, suspenso.

 

DEU NO SUPERESPORTES

 

O diretor executivo do Palmeiras, José Carlos Brunoro, concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira, após a eliminação do clubena Copa Libertadores da América. Um dos assuntos abordados foi a permanência do zagueiro Henrique, cobiçado pelo Cruzeiro.
O defensor chegou a ter acordo adiantado com a Raposa, antes da contratação de Dedé junto ao Vasco. Segundo Brunoro, a diretoria estrelada não chegou a efetuar proposta oficial por Henrique e a tendência é que o defensor fique no Palmeiras.
"Este interesse do Cruzeiro só foi especulativo, não chegou nada oficialmente. Não houve nenhuma proposta pelo Henrique. O Henrique é um ativo fundamental,  que completa vários requisitos dentro do elenco", disse Brunoro, que ainda ressaltou que o jogador não é inegociável.
"Mas, como qualquer jogador do Palmeiras, amanhã pode acontecer algo. Não acredito que aconteça com o Henrique. Nenhum jogador é inegociável, mas pretendemos ficar com ele por mais tempo

Esta declaração do Brunoro me parece coisa de vendedor pra não deixar o provável comprador não se esquecer que a mercadoria está lá, à espera.

 

RG-10 ALTO ASTRAL

 

Ficar fora da lista de Felipão na Copa das Confederações deixou Ronaldinho Gaúcho amolado, sem lhe tirar a motivação nas duas frentes de batalha: conquistar o título mineiro, que tá quase nas mãos, e atropelar o Tijuana, próximo adversário do Atlético na Libertadores. Segundo RG-10 seu objetivo seria jogar pelo escrete agora na Copa das Confederações. Não deu, o que se há de fazer?

Então o melhor é tomar esta ausência como combustível pra manter o nível de suas atuações lá em cima e voltar à Seleção. Quem sabe no Mundial do Brasil.

-"Ainda falta muito tempo para a Copa do Mundo e meu objetivo continua esse. Mais motivado do que nunca, em uma grande final, ter a chance de dar alegria para o torcedor", ressaltou o craque na coletiva.
Sobre o assunto que motivou sua ausência na lista de convocações, Ronaldinho afirmou que não houve nada quanto o horário da apresentação no hotel, em Belo Horizonte, pro amistoso do Brasil contra o Chile. "Não teve atraso nenhum. À hora marcada era a da janta e cheguei no horário normal, como sempre".
Quanto à reportagem do Portal Uol, na qual há a informação de que Cuca confidenciou a Felipão excessos do craque extra campo, Ronaldinho disse que não se incomodou.- "Na verdade, nem vi. Só falei com o Cuca, mas nunca tive dúvida nenhuma a respeito disso, que Cuca ia falar alguma coisa. Então, tudo tranquilo, normal".


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.