domingo, 5 de maio de 2013

GALO SE GARANTE NA FINAL E ESPERA POR CRUZEIRO OU VILLA


Não gostei da atitude do técnico Cuca em liberar Ronaldinho Gaúcho, mais ninguém, pro jogo contra o Tombense. Se o craque tava de caspa, me desculpe. Mas liberar por liberar, por causa do jogo pela Libertadores, contra o São Paulo, é dar tratamento diferenciado pro Gaúcho.
Bernard e Tardelli foram pro jogo sem suas melhores condições físicas. Correram muito e foram importantes na goleada.
Sócio -Torcedor só entra nos programas do clube por causa dos principais jogadores. Ninguém entra pra ver Luan, Rick, Léo Silva, Marcos Roberto e Guilherme, meros figurantes. Aceita o Rever, porque tem lugar na Seleção e joga muito, Ficou de fora neste domingo, por causa do terceiro cartão, tudo bem!
Caso a escalação de RG-10 fosse anunciada como certa pra participar da partida e em campo tivesse atuação ativa na goleada de 5 a 1 sobre o Tombense, não tenho dúvida de  que o público no Independência não seria apenas de nove mil e poucas pessoas. Seria bem mais e a renda bem maior.

GOLEADA SEM DÓ

Penso que o Tombense não imaginava que o Atlético entrasse em campo com tamanho apetite. Já havia feito 2 a 0 no jogo de ida e, com certeza, levaria o segundo confronto em banho-maria, treino de luxo. Nada disso. Entrou esfomeado, com três atacantes - Bernard, Jô e Luan e três homens de meio, Pierre, Josué - jogou demais - e Tardelli na função, mais uma vez, de RG-10.
Tudo funcionou no primeiro tempo,.Sem Rever, a zaga teve Léo Silva, de volta, e Gilberto Silva. No entanto, o melhor em campo foi Marcos Rocha na sua função ofensiva, liberado por Josué. O placar do primeiro tempo já estabelecia o cheiro de goleada: 3 a 0.
Os gols foram marcados por Luan, aos 6m, em jogada de Marcos Rocha; Gilberto Silva, de cabeça, aos 12,de novo Marcos Rocha, agora pela esquerda;
Aos 26m, Bernard pediu pra sair por causa do ombro. Guilherme veio para o seu lugar debaixo de intensa vaia. Aos 43m, numa falta inexistente, Tardelli cobrou na cabeça de Léo Silva pra marcar 3 a 0.
No intervalo, Tardelli deu lugar a Rosinei. Começou o segundo tempo, e a torcida ainda vaiava Guilherme quando ele deu um passe genial pra Josué, livre na esquerda, marcar 4 a 0, aos 12. Então parte vaiou e a outra parte, bem maior aplaudiu.
Aos 23m, pra não perder o costume, Léo Silva fez pênalti em Alex. O artilheiro do Mineiro até agora, Júnior Negão, bateu e anotou seu oitavo gol. Um a mais que Borges, do Cruzeiro.
A resposta final de Guilherme, que levou o Independência todo a aplaudi-lo veio aos 29m,, no pênalti em favor do Atlético. Guilherme cobrou sob pressão, mas com incrível eficiência,. Goleiro num lado, bola no outro, Galo 5 a 1 e aplausos, muitos aplausos.

OS AZARES DE NEY

Contra o Atlético, no Morumbi, o São Paulo de Ney Franco jogava muito bem. Fez 1 a 0 e criou várias oportunidades. Mandava na partida até o becão da roça Lúcio aprontar aquela besteira toda. Com um a menos tomou a virada e entregou uma boa vantagem ao Galo pro segundo jogo.
No domingo, jogou melhor que o Corinthians, em busca da classificação para as finais do Paulistão. Os deuses do futebol ainda estavam contra ele: perdeu Osvaldo, lesionado - não deve jogar nem contra o Galo - e na decisão por pênalti seus dois astros perdem as cobranças, Ganso e Luiz Fabuloso Fabiano.
 Pra piorar, se Ganso perdeu, Pato marcou o último pênalti que levou o sortudo do Corinthians pra final. Será que esta falta de sorte o perseguirá na quarta-feira? Cuca agradeceria...
  
FOGÃO LEVA O CARIOCA

O Botafogo de Clemence Seedorf ganhou dois canecos num mesmo jogo com a vitória sobre o Fluminense por 1 a 0: campeão da Taça Rio e do Campeonato Carioca/2013. O craque holandês, eleito o melhor jogador da competição, perdeu pênalti mas não perdeu a elegância e o humor. "Nunca vivi momento igual. O time ganhou dois troféus numa partida e eu ganhei um só pra mim. Bom demais o futebol brasileiro".

PACOTE QUER RESERVAS CONTRA LEÃO

Ao contrário de Cuca, o técnico do Cruzeiro, Marcelo Pacote Oliveira, pretende poupar não apenas um preferido seu, mas vários titulares no jogo de volta contra o Villa Nova. É correr risco? Tomara que não, pois se perder a classificação numa reviravolta milagrosa do Leão a torcida haverá de comer-lhe o fígado.
Não é jogando que uma equipe pega ritmo e conjunto? O Cruzeiro já tem isso tudo?  Segundo o próprio treinador ainda não apesar dos 14 jogos invictos. Colocar uma equipe reserva, ainda que de boa qualidade e ainda que o Cruzeiro possa perder até por 4 a 0, é provocar o Leão. Cutucá-lo com vara curta.
Leandro Guerreiro está certo - até porque teve uma experiência mais ou menos parecida - quando diz que quem coloca a camisa do Cruzeiro no corpo não pode brincar.

É O QUE DIZEM...

Wanderley Lima (wanderley.uemg@gmail.com)- BH - "Faço das suas, as minhas observações. Lamentável. Que tínhamos memória curta eu já sabia, que tinham destruído o que restou... um absurdo. E sem a indignação de quem já nos representou. Ainda mais lamentável".
Resposta: Poisé, Pantera, já não se fazem panteras nem leões como antigamente. A Minas Arena derrubou e destruiu o mural com a memória da imprensa esportiva que havia no saguão principal do Mineirão e ficou por isso mesmo.

João Batista Carvalho -  TV Horizonte (jj.filho@zipmail.com.br) - "Quanto a nomes de políticos em estádio, poucos ficam na memória, graças Deus, a não ser o Melão em Varginha, (rsrsr)  Castelão em Fortaleza, que é derivado do Governador Plácido Castelo, entre outros no Nordeste e interiores desse brasilzão de meu Deus! 
O Magalhães Pinto e o Mário Filho só ficaram na memória do torcedor como Mineirão e Maracanã, não é?  Tomara que no Mineirão, com esta administração forasteira horrorosa, não coloque nome de um político paulista?"
Resposta:  Não duvide, caro João, num compadrio político pra eleições presidenciais vale tudo. Até sugiro um nome de paulista pra Minas Arena. Que tal Mulafão, ou Malufada?
Paulo Hamacek (paulohamacek@yahoo.com.br) "Caro comentarista , o outrora  (termo para ser usado em coisas ultrapassadas ) América , abriu o caixa para as festas juninas .  Vai comprar bombas para todos os gostos , já estão a caminho duas . Como pode tantos dirigentes (??) , ano a ano , levar o clube para ser tão desacreditado pelas suas poucas testemunhas ?  É duro , como diria as noivas de antigamente".
" Ver Grêmio  e Santos jogarem , é conferir a capacidade do Luxa e Muricy em desarmarem um time de futebol .  Os ditos Professores , estão há quase 2 anos ou mais em seus clubes e não se vê nada em campo.  Não existe  uma jogada  trabalhada , conjunto , ultrapassagem , nada .  O que se vê , é jogador fazendo falta em atacante que está de costa para seu gol , arremessar lateral , paralelo a linha lateral , em jogada que não redunda em nada , errar passes de 5 ou 6 metros , fingir que vai saltar de cabeça e dar uma bundada no adversário, etc e tal . 
Pior de tudo isso , é ligar a tevê e ver uns e outros enchendo a bola dos caras . Tá pior do que a política para a violência e impunidade" . 
Resposta: Desça o cacete, caro Paulo, estou contigo e não abro. Indignação já! 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.