quarta-feira, 1 de maio de 2013

QUEREM MUDAR O NOME DO MINEIRÃO. ÓTIMO!


A Assembleia Legislativa de Minas, em boa hora, pretende aprovar  a mudança do nome do Mineirão. O Estádio ganhou na época da ditadura o prosaico nome de "Gov.Magalhães Pinto", que o inaugurou. Sábio, o povo o apelidou de "Mineirão". O nome original ficou na boca apenas dos puxassacos.
A Assembleia pretende corrigir esse erro histórico e varrer, em definitivo, as lembranças tristes da quartelada de 64. Magalhães assumiu uma posição de líder civil da revolução. Céus!
Espero que o novo nome não tenha nada a ver com a tal Minas Arena.
Já fui ao meu terreiro de fé, enterrei sapo na região do estádio, fiz reza brava, pedi aos meus orixás, pra que a turma de lá não consiga sair das encrencas que se meteu até agora na administração do estádio. Leio no jornal "O Tempo" que é do grupo político do governador e do Garoto dos Neves. Diz o texto:
"A Polícia Civil está na cola da empresa Outplan, responsável pela venda de ingressos no amistoso Brasil x Chile. O evento teste foi marcado por uma série de problemas, entre eles, entradas vendidas em duplicata". Hehehe,
isso vale pra confirmar que meus santos são, realmente, fortes.
Não consigo entender até hoje porque nenhuma empresa de Minas, tão produtiva e avançada nos últimos anos de governança do PSDB do Dr. Aécio,  conforme propaganda oficial, conseguiu ter capacidade de vencer a licitação pra administrar o Mineirão.
Foi preciso vir de fora esta turma de trapalhões que não entende nada de nosso costume.
Nem de nosso tropeiro.

EXPERIÊNCIA PESA

Uma parte boa dos meus leitores e assinantes pediram a minha opinião sobre a opção de Cuca por Gilberto Silva em vez de Rafael Marques, substituindo Léo Silva ao lado de Rever. Léo está suspenso pelo cartão amarelo.Qualidade técnica por qualidade técnica, claro, o pentacampeão ganha de sobra.
A dúvida é a força física e a recuperação de Rafael Marques, que já compôs entre outras partidas a zaga do Galo, ora no lugar de Rever, ora no de Léo Silva.
Cuca opta pela saída de bola e pela experiência internacional de Gilberto Silva.No momento de aperto, com a necessidade de tocar a bola, Gilberto compõe-se bem com os demais, até porque foi excelente primeiro volante, posição que ocupou na Copa, com Felipão.
Na necessidade, a inversão de posição com Pierre funcionaria bem.
O importante, contudo, na partida desta quinta-feira, no Morumbi, é o que o Galo terá a volta de Jô no ataque e Ronaldinho Gaúcho no ataque, ao lado de Tardelli e Bernard. O time está forte e não acredito que tenha medo de encarar o São Paulo.
Que Cuca exija marcação na saída de bola do São Paulo e que o time faça ao menos um gol na casa do adversário. Isso vale bastante nessa fase de mata-mata.

SÃO PAULO É OSVALDO

Sem Luiz Fabiano, o São Paulo, no entanto, não estará desfalcado de outros goleadores. O cearense Osvaldo é um desses goleadores, apesar de não marcar há vários jogos. No entanto, sua outra virtude, a da assistência aos companheiros de ataque, ele não perde mesmo. Nesta quinta-feira, seu companheiro de ataque será Aloísio, que  tem merecido as melhores chances de Osvaldo.,
Luiz Fabiano terá que cumprir mais um jogo de suspensão, e portanto voltará a jogar na segunda partida entre Atlético e São Paulo, no Independência.
"Sei que é importante marcar também. Em decisões, é melhor ainda. Espero quebrar esse jejum na quinta-feira", comentou Osvaldo, que não tem preferência por um ou outro companheiro de frente.
"Taticamente, com Aloísio ou Luis Fabiano não muda. A forma de jogar vai ser a mesma. O Luis é mais de área, e o Aloísio sai mais. Mas os dois têm características parecidas", comparou.
  
É O QUE DIZEM...

Iraque Rodrigues - Lagoa Santa - Realmente foi um pena acabar com Dep. de Marketing do clube. Todos sabem que a propaganda é a alma do negócio. Eu me lembro quando mais jovem, na década de 1960, o Cruzeiro conseguiu fazer  um timaço, sob a presidência de Felício Brandi, e o marketing era seu foco principal.Por que isso? Lembro-me que o Cruzeiro distribuía cadernos e lápis e réguas com o escudo do  Cruzeiro nas escola de BH.
As crianças, em sua grande maioria atleticanas, escreviam Galo nos cadernos e nas réguas. Raspavam o escudo do Cruzeiro dos lápis,.mas, no final das contas, com o sucesso do Cruzeiro nos campos de futebol, com a revelação de valores com Tostão, Dirceu Lopes, Natal e outros, o marketing acabou dando certo, e milhares de torcedores mirins foram criados.  
E eles cresceram, amando as cores do alvi-anil, tornaram-se torcedores adultos, torcedores que passaram a frequentar  os estádios, e a incentivar seus filhos a torcerem pelas cores azul e branco. Graças a isso, a formação de uma torcida que, fácil e rapidamente ultrapassou a  do América, foi formada. Mas o marketing continuou, através das boas campanhas do time e a contínua investida nas escolas para fazer a cabeça das crianças.
E aí, o Cruzeiro cresceu, cresceu como poucos podiam supor, naquela época, uma vez que o predomínio da Massa atleticana era absurdamente acachapante...
Talvez, hoje, o Kalil, se pensasse um pouco além da paixão, reestruturasse do Departamento de Marketing do Galo, que, diga-se de passagem, tinha um ótimo staff. Mas, parece, estava escrito que  o Cruzeiro tinha de crescer, pois ao América só restava o  ostracismo e, sem um rival, o Galo também tenderia a se encolher, como aconteceu com o outrora  glorioso  América, deca-campeão mineiro.
 Do mesmo modo que aconteceu ao Villa Nova de  Nova Lima, que se apequenou tanto que quase desapareceu.
Para minha felicidade ( e do Kalil), a fidelidade da torcida alvinegra é imbatível, e bastou apresentar um time um pouco melhor, já na década de 70, para que a torcida se mantivesse e anda aumentasse sua fé, paixão e presença. Mas acho que o cronista tem razão, o Marketing é indispensável, principalmente nos dias de hoje, com a eclosão da mídia em todos os aspectos e em todos os universos.
Kalil, o marketing é preciso. No mais, Gerais.

EMOÇÕES FARTAS

Não faltaram emoções na terça-feira de futebol, a começar pelo susto que o Real Madrid aplicou no Borússia Dortmund e que levou o Estádio Santiago Bernarbeu à loucura. Como havia perdido o jogo de ida por 4 a 1, na Alemanha, os merengues precisavam de fazer 3 a 0 no jogo se quisessem disputar a final da Liga dos Campeões da Europa. O jogo se arrastou em 0 a 0 até os 36m do segundo tempo, com o Real desperdiçando inúmeras oportunidades.
Então conseguiu fazer 1 a 0 com Benzena e acordou sua imensa torcida. Aos gritos, empurrou o time que voltou a marcar aos 43m, com Sérgio Ramos. Daí até aos 50m, pois o árbitro acresceu mais cinco em razão do cai-caí dos alemães foi dinamite puro. No final, contudo, o Borússia ficou pra final.
Na Libertadores, não faltou emoção, mas faltou futebol no jogo Tijuana e Palmeiras, lá no México, naquele gramado sintético, terrivelmente ruim. Na base do bumba meu boi e das defesas do seu goleiro Bruno, o Palmeiras segurou o empate de 0 a 0 que entende ser bom. A Trincheira pensa que bom só empate fora de casa com gols. O Tijuana manteve várias alternativas de classificação em São Paulo.

ALÕ D.MIGUELINA

Não bastasse a simpatia e o bom humor de Ronaldinho, que me parece só não gostou da insistência do mala que ganha dinheiro como seu cover, dona Miguelina, mãe do craque, marcou bem a festa de lançamento dos produtos com a marca de RG-10. Talvez inspirado na Mamãe, Ronaldinho fez diversas declarações de gratidão ao Galo e à torcida. Tantas que seu irmão/empresário Roberto Assis deixou vazar que o contrato de Ronaldinho com o Atlético, que termina em dezembro, poderá ser renovado.

JÁ VAI TARDE

Com o devido respeito, porque o moço parece ser gente boa. Mas, Araújo veio fazer o quê, realmente, no Atlético? Segundo Eduardo Maluf sua ida pro Goiás está praticamente definida. Boa viagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.