quarta-feira, 12 de junho de 2013

ALEGRIA MINEIRA NO MOMENTO É O COELHÃO

Futebol é momento. Ir além do que se vê é exercício de futurologia que nunca dá certo. Então, terminada a previsão baixa o espírito de profeta do acontecido: "Eu disse que isso iria acontecer". Coisa bem própria de nosso meio. Aliás, o meu segundo livro é sobre essa mania: Profetas do Acontecido, de edição esgotada. As previsões sobre a vida do América na Segunda Divisão eram as piores possíveis. Portanto, ninguém, nem torcedor, nem cartola, afora Marcos Salum, tem o direito de dizer hoje que previa o sucesso americano. Quatro vitórias seguidas! Esta última, por 2 a 1, sobre o Avaí em Floripa foi bem legal; não é fácil ganhar no campo deles. E o Coelho ganhou de virada. O resultado colocou o América no G-4 da Segundona.

A secação, porém, já começou. O América, segundo as línguas malditas, é assim mesmo. Ano passado fez brilhante início do Brasileiro e depois despencou que nem mamão maduro. Pobre América. Se vai mal, pau nele. Se vai bem, pau nele também.

 

GALO QUEIMA MINHA LÍNGUA

 

Cheguei a dizer na TV Horizonte, durante o programa Jogada de Classe, que estava até disposto a apostar na vitória do Atlético diante do Santos, na Vila Belmiro. Dava ainda um gol de vantagem. Só não sabia que Cuca iria dar uma de professor Pardal e inventar Michel na lateral direita e Marcos Rocha no meio campo. Tinha mil outras opções, inclusive colocar Josué ou Rosinei e adiantar RG-10. O Galo foi uma caricatura. Não jogou nada. RG-10 não jogou nada e Marcos Rocha foi até expulso.

Cuca viu a besteira que fez e ao término do primeiro tempo colocou Josué no lugar de Pierre, lesionado. No intervalo, entrou com Neto Berola (Deus me livre! Este cara é o fim da picada!) e voltou com MRocha pra lateral. Nada resolveu. Aliás, o Peixe, também, usou um time bem fraco. A partida em si foi enorme pelada. O gol da vitória marcado por Cícero, logo aos 4m, foi uma falha gritado de Victor. Aquele mesmo que salvou o Galo contra o Tijuana, nas quartas-de-final da Libertadores. Tem, portanto, crédito.

 

É O QUE DIZEM...

 

Ronaldo Abretz – BH " Olá Flávio, acredito que Martinucci e Henrique são fundamentais para o segundo semestre azul. O meio campo está totalmente vulnerável. Esses dois são titulares do time até contundidos como estão. Presidente Gilvan precisa tirar o escorpião do bolso, ainda mais com o provável título da Libertadores pelos alvinegros a cobrança irá aumentar pra cima da diretoria celeste".

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.