domingo, 23 de junho de 2013

NEYMAR VIRA PRINCÍPE NA CATALUNHA ANTES DE JOGAR PELO BARÇA


O ex-Joia santista encontrou seu artesão na Seleção. Seja através da força motivadora do dinossauro Luiz Felipe Scolari - e nesse mister ele bom pacas - ou pela desvinculação das responsabilidades de carregar o time do Santos, sozinho, nas costas. Neymar com certeza mereceu algumas sessões de descarrego do truculento técnico do Brasil até se sentir leve, livre e solto no escrete.
Ganhou a camisa 10 e o respeito decisivo dos brasileiros e dos estrangeiros.
Contra a Itália, foi Neymar de armadura nova. Levando cacetadas, mas as distribuindo, também. Como o Rei Pelé fazia; não apanhava impunemente.
O agressor que esperasse o troco mais à frente. A inexperiência de Neymar, frango novo neste terreiro, levou-o a cometer três faltas fortes seguidas, e numa delas tirou o lateral Abate de campo, trocado por Maggio. Levou cartão amarelo.

DISPOSIÇÃO CONTAMINA

A exagerada disposição de Neymar contaminou o resto do time. A Itália já não tinha Pirlo e De Rossis e perdeu mais dois no primeiro tempo, vítimas da agressividade brasileira. Nosso time começou a 120 por hora, assustou os italianos, porém após os 10m passou a distribuir pancadas.
David Luiz foi amarelado antes de Neymar. Ali por volta dos 20m, o Brasil tinha nove faltas contra apenas três dos italianos.
O beque brasileiro, também, levou o seu e saiu do jogo. Entrou Dante, que teoricamente, seria melhor na cobertura das costas de Marcelo por ser, também, canhoto. Foi bom, entretanto, na área, pra fazer o primeiro gol, num lance de impedimento, aos 45m. Tanto Fred que cabeceou antes pra Buffon rebater a bola, quanto Dante estavam impedidos. Brasil 1 a 0.

ESQUENTA O JOGO

Na fase final, o jogo foi esquentado. Balotelli de um lado e Neymar do outro. O italiano se desentendia com Luiz Gustavo e quase saíram no tapa. Neymar topava Maggio e não afinava. Saíam faíscas. Aos 2m, pelas costas de Marcelo, sem cobertura, Giacherini recebeu um magistral passe de calcanhar de Balotelli - penso que foi sem querer! - e empatou em 1 a 1, com chute cruzado.
Amigos, vou lhes contar o que já sabem, porque o Brasil todo viu. Aos 10m, Neymar leva falta de Maggio e ele mesmo cobra com uma categoria que o levou às manchetes dos principais jornais da Catalunha. No ângulo, sem defesa pra Buffon. Brasil 2 a 1.
Foram geniais, também, o passe longo de Marcelo e a matada no peito de Fred, completando de perna esquerda, no terceiro gol, aos 21m. Brasil, 3 a 1. Dois minutos, por avaliar a Itália entregue e pra não correr risco do segundo cartão amarelo e da consequente expulsão, Felipão tirou Neymar e colocou Bernard.
Avaliação errada. Os italianos estavam vivos e com a ajuda do árbitro marcaram o segundo gol. Tudo igual, né? Afinal, no nosso primeiro gol Fred e Dante estavam impedidos, lembram-se? O juiz deu pênalti de Luiz Gustavo em Balotelli e a defesa brasileira parou. Ele mandou seguir e Chiellini chutou pras redes. Brasil, 3 a 2.

JORNAIS DA CATALUNHA


FINAL DRAMÁTICO

Seria difícil a Itália tirar da gente a classificação. O empate, caso ela chegasse lá, era bom pra nós, também. Eles mandaram uma bola na nossa trave. Porém, foi o Brasil quem marcou. Hernandes tomou a bola pela esquerda, passou pra Bernard. O atleticano apenas rolou pra Marcelo soltar a bomba. De novo, o considerado melhor goleiro do mundo soltou nos pés de Fred. O goleador não vacilou: Brasil 4 a 2.
Eis aí, em resumo, a história de um grande clássico entre os maiores ganhadores de Copa do Mundo. O Brasil é penta e a Itália tetra.
Ah, o último recado da partida. Quando Arnaldo César Coelho falar que o árbitro é bom, não acreditem. Este que apitou Brasil 4 x 2 Itália é simpático, sorridente, mas apita que nem o pessoal do quadro de árbitros da FMF.

SURPRESA GERAL

A maior surpresa desta rodada que finalizou o Grupo A foi o público do Mineirão. Numa partida sem nenhuma atrativo e rodeada pela já inconveniente manifestação popular, mais de 52 mil pessoas foram ao Gigante da Pampulha ver o México bater o Japão por 2 a l, com gols de Chicharito Hernandes. Depois, enfrentaram a ira dos vândalos e o saco cheio da PM. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.