sexta-feira, 5 de julho de 2013

COM PENSAMENTO NO NEWELL´S GALO VOLTA MUDADO AO BRASILEIRO

No momento de ira, adrenalina alta, Cuca disse após o jogo em Rosário que escalaria outro time contra o Criciúma, neste domingo, no Independência. Na teoria tá certo o técnico atleticano. Quer manter o foco apenas no jogo de volta e decisivo contra o Newell´s na próxima semana.
Mas como esquecer que no Brasileiro, por causa da simultaneidade com a Libertadores, o Atlético vai mal, colocado na zona de rebaixamento?
Tudo bem que essa é apenas a sexta rodada do Brasileiro e que há tempo suficiente pro time se recuperar e até brigar pelo título nacional. Porém, essa tarefa exigirá esforço hercúleo, trabalho dobrado do todo elenco.
De minha parte, não vejo o Galo fora da Libertadores , pois acredito na virada no Independência.  Entretanto, vejo com certa preocupação o descaso necessário com o Brasileiro e o preço que se pode pagar no futuro. (Foto Rodrigo Clemente - DA Press-EM)

REVER E ROSINEI

Não sei qual time Cuca reservou pro Criciúma; nada foi divulgado até o instante em que redijo esta Trincheira.  Penso que Rever e Rosinei serão aproveitados agora porque a suspensão deles só vale pra Libertadores. São peças que ajudariam bastante o Cuca na escalação da equipe que joga contra o Criciúma. Diria mesmo que vencer os barrigas verdes contaria bastante, no momento, na  volta do bom astral atleticano.
                                   Rever quer voltar ao time contra o Criciúma e voltará
NADA É IMPOSSÍVEL

Que a missão do Galo diante do Newell´s, no jogo de volta, é cruel, sabemos todos. . Até os paralelepípedos da Cidade do Galo.  Mas, não é missão impossível que exija a presença de Tom Cruise pra resolver os problemas. Claro, que entrar na partida com o placar adverso em 2 a 0 é  pesado, mesmo que na linguagem do futebol, placar de 2 a 0 é o mais fácil de ser virado.
 Sobre isso, disse, certa vez, o treinador desempregado Vanderlei Luxemburgo: "Gostaria de entrar em todos os jogos com meu time vencendo por 2 a 0".
Esperto esse Luxa! Atlético e Newell´s farão aquele jogo do cobertor curto em noite de frio. Se você quer tapar a cabeça, deixa os pés descobertos. E vice-versa. Como fazer então? Um olho no peixe e outro no gato ladrão. A gente viu que o time argentino marca bem e tem rápido contra-ataque.
 Sabe-se, também, que o Galo tem no esquema ofensivo a sua maior força. Terá que marcar com inteligência pra não ter a desagradável surpresa de levar gol e usar sua força ofensiva, pelos lados do gramado, pra furar o bloqueio argentino e marcar três gols. Que tarefa!

VIRADAS DA LIBERTADORES

Tomo conhecimento pelo Superesportes que a Copa Libertadores tem exemplo de que a missão do Galo é difícil, mas nada impossível. Eu até me lembrei agora de uma virada do Cruzeiro sobre o River Plate, na decisão de uma Supercopa, no Mineirão. Perdeu lá por 2 a 0 e ganhou aqui de 3 a 0. O time era dirigido por Enio de Andrade.  Na Libertadores, segundo o site, isso aconteceu apenas duas vezes.
Desde 2005, quando a Conmebol estabeleceu que o gol fora de casa tem peso especial de desempate- exceto na final - 15 partidas de ida terminaram em 2 a 0 e apenas em duas ocasiões os derrotados reverteram o quadro na partida de volta.
O Grêmio foi o primeiro time a reverter o placar. Em 2007 foi derrotado pelo Defensor, no Uruguai, por 2 a 0, nas quartas de final e avançou na competição com placar igual em Porto Alegre. Na decisão dos pênaltis, venceu por 4 a 2.
O único que atropelou o adversário no jogo de volta foi o Deportivo Cuenca (Equador), em 2009, na fase preliminar. Perdeu do Deportivo Anzoátegui (Venezuela), por 2 a 0 na ida, venceu, em casa, por 3 a 0. Vale ressaltar que o time equatoriano contou com a ajuda da altitude de 2.500 metros pra superar o adversário. 

 NEY DEMITIDO

No final da tarde, a diretoria do São Paulo decidiu dispensar Ney Franco. Azar dos bambis! O nome cotado agora é o de Murici Ramalho. A outra alternativa é Paulo Autuori, empregado no Flamengo. 
Os dois técnicos abaixo. (Montagem do Departamento de Arte-Globoesportes.com)


CARNE DE SEGUNDA E DURA

Enfrentar este time de Lusa em qualquer lugar é como comer churrasco de carne de segunda e dura. Não me preocupo com a possível ausência de Dedé e Diego Souza. Preocupo-me com quem Marcelo de Oliveira vai escalar no lugar deles.  Ou usará a coerência pra escalar os melhores, ou o peso da amizade pra escalar mal.
Pelo que eu soube, no treino de quarta-feira, escalou os amigos. Botou Léo no lugar de Dedé e Tinga no de Diego Souza.  Seu discurso de valorizar a prata da casa é puro papo furado.
Tipo do jogo bom pra escalar Lucas Silva, ou por que não Elber já que não terá Dagoberto. Existe um cheiro de mistério no ar e a gente irá descobrir as pretensões de Pacote bem antes do jogo deste sábado. Será verdadeira a escalação de Vinicius Araújo no lugar de Anselmo Ramon?

COPA NA ARGENTINA E URUGUAI

Júlio Grondona, presidente da Associação do Futebol Argentino (AFA) desde 1979 - e o que nós, brasileiros, temos com isso? - é uma das figuras mais influentes no mundo do futebol. E temido nos subterrâneos internacionais. Em entrevista ao jornal Clarín, informou que o local da Copa de 2030, sem sorteio da Fifa, será a América do Sul, e que já tem um acordo com Joseph Blatter garantindo Argentina e Uruguai como sedes.
Segundo ele,a Fifa quer festejar o centenário do torneio na Argentina e no Uruguai. Isso eu posso confirmar, já está garantido”. Grondona é, ainda,  titular da Comissão de Finanças da Fifa e  homem de confiança do presidente Joseph Blatter.

COPA DA POLÍTICA 

A primeira Copa do Mundo da história foi realizada no Uruguai, em 1930, e que venceu a competição. A Argentina, por sua vez, sediou o torneio em uma única oportunidade, em 1978. Foi minha primeira Copa e fiquei horrorizado com o que vi. Deram o título pra Argentina,  com manobras políticas dos militares no poder.
A Argentina conquistou seu primeiro troféu naquela célebre goleada sobre o vendido Peru. também sob regime militar. Céus! Além disso, teve o centroavante Mario Kempes como artilheiro, com seis gols. 

DINHEIRO QUE ROLA

Depois da edição de 1978, o Mundial não foi mais realizado na América do Sul. Nem tinha como. Quase todos os países estavam sob duríssimos regimes militares. O Brasil quebrará a sequência em 2014, espera-se. A desconfiança existe porque outros interessados cheios de dinheiro estão na cola da Fifa, após os problemas da Copa das Confederações.
A Espanha reclamou dos hotéis, principalmente os que não deixaram os jogadores da Fúria transformarem o local num bordel. Enfurecidos, os atletas atiram pelas janelas vários utensílios dos apartamentos. Reclamou dos gramados e da insegurança no País. Tudo porque vieram como grandes favoritos na competição e levaram aquela traulitada brasileira no final.
Nos últimos anos, a Fifa mudou o sistema de rodízio de continentes, organizando o torneio na América (Estados Unidos, em 1994), Europa (França, em 1998, e Alemanha, em 2006), Ásia (Coreia do Sul e Japão, em 2002) e África (África do Sul, em 2010). Em 2018, acontecerá na Rússia, enquanto o Qatar será sede em 2022.
Não aceito mesmo o Qatar como sede de Copa do Mundo a não ser pelo fato de ter dinheiro/petróleo pra dar de pau. Talvez essa tenha sido a principal "motivação" que levou os conselheiros da Fifa a aceitarem sua indicação. Fato que o mundo inteiro comenta; e que tirou Ricardo Teixeira e João Havelange da Fifa.
Futebol no Qatar não tem público. É brincadeira dos príncipes endinheirados.

QUEM AVISA AMIGO É

Este filho de dona Geralda avisou ao seu amigo Ney Franco pra ficar de olho no gato e outro no peixe, porque Murici Ramalho estava na praça, desempregado; e que o presidente do SP não tem personalidade suficiente pra aguentar pressão da torcida. Não digo o mesmo de Gilvan Tavares, do Cruzeiro, que já mostrou peito suficiente pra enfrentar as ondas contras. Mas aviso Marcelo Oliveira: com Vanderlei Luxemburgo e Ney Franco, desempregados na praça, no seu caso eu tomaria minhas precauções.









(Foto Denilton Dias - Vipcomm)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.