sábado, 20 de julho de 2013

QUEM DIRIA, LUAN PEDE MÚSICA NO FANTÁSTICO. APÓS LIQUIDAR SÃO PAULO






















Luan comemora com Vinicius Araujo, um dos seus gols. Pediu música no Fantástico. (Alê Cabral -Futura Press - Estadão)

Confesso que ali pelos 30m do segundo tempo, quando o Cruzeiro vencia por 1 a 0, gol de Luan aos 7m, num belo cruzamento de Maike da ponta-direita, mudanças anunciadas por Marcelo Pacote mereceram minhas críticas. Já havia trocado Ricardo Goulart por Lucca, que assessorava Egídio pelo lado esquerdo. Aquela altura, o São Paulo mudara sua maneira de jogar.
O São Paulo deixou de jogar só pela esquerda, onde Maike era verdadeiro paredão e anulavas todas as tentativas de Ganso e Osvaldo. Autuori entrou com Aloisio, esperto e escorregadio, no lugar do dorminhoco Luiz Fabiano e virou pro lado da inconstância de Egídio. A coisa apertou.
Aí a segunda bola passou a ser do São Paulo, sobrava perigo pra Dedé e Bruno Rodrigues, mais São Fábio, que seguraram a barra.  Eu esperava que Pacote fechasse esta avenida do lado de Egídio, que errando passes e sendo facilmente batido, complicava a vida dos azuis.
Pacote preferiu na segunda mexida colocar Martinúccio no lugar de Everton Ribeiro. Não gostei. Se estou na arquibancada gritaria "burro, burro". Mas burra mesmo foi a avaliação geral deste filho do Sodico. Luan que eu, também, havia pedido pra sair, passou a jogar pelo meio e pela direita. Martinuccio foi assistir Egídio e puxar os contra-ataques. E deu certo.
Aos 33m, o argentino saiu em disparada, meteu a bola pra Vinicius Araújo, no meio; este matou a defesa, com um corta-luz bem feito que deixou Luan na frente do Rogério Ceni. Toque de categoria. Cruzeiro 2 a 0.
Aos 36m, novo contra-ataque com Martinuccio e bola no Luan pela ponta direita. Novo toque de categoria e fechou a goleada-3 a 0.
Acho estranho que alguns críticos digam que o Cruzeiro não jogou bem. Jogou sim, e com inteligência. Atacou o São Paulo no início da partida e esperou depois que o adversário viesse assustado pra cima;.usaria o contra-ataque como usou no segundo tempo, nos três gols de Luan. As mexidas de Pacote foram bem inteligentes, e mostrou domínio do elenco. 
Fábio fez grandes defesas, como faz em qualquer jogo, porque é o mister dele. O Cruzeiro usa duas faixas de campo. Na sua intermediária, à espera do erro do adversário pra contra-atacar. Ou joga na intermediária do adversário com marcação sob pressão. Passa a ideia de estar dominado.
Fábio esteve duas saídas perfeitas nos pés de Aloísio. Dedé voltou a ser o Dedé, com uma falha apenas no segundo tempo, quando escorreu e permitiu a Aloísio entrar pela direita e cruzar pra Osvaldo livre. Fábio saiu do gol e fez uma defesa corajosa, levando um chute na cabeça. Maike voltou a dominar seu setor, apesar de tentar enfeitar em dois lances; levou puxões de orelhas. Martinuccio entrou bem no lugar de Everton Ribeiro, muito exigido e individualista. Mais Souza, Nilton, Bruno Rodrigues e claro Luan, pelos três gols.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.