quarta-feira, 21 de agosto de 2013

ALEX MÁGICO: TALENTO E CORAGEM


 O blogueiro e jornalista Cosme Rímoli, cujo perfil publico abaixo, ganhou nota 10 com a entrevista feita com o Mágico Alex na sua coluna. Alex abriu o verbo. Independente, falou o que lhe deu vontade. Mostrou que, além de talento, seu diferencial é a coragem. Leiam:
Perfil do repórter:  Ganhou o prêmio Aceesp por seis vezes, como melhor repórter esportivo entre jornais e revistas de São Paulo. Trabalhou 22 anos no Jornal da Tarde. Começou com o blog no UOL, em 2009. Em sete meses, teve mais de 11 milhões de acessos.
Cobriu as últimas Cinco Copas do Mundo, seis Eliminatórias para a Copa, quatro Copas América, dezenas de finais de Libertadores, Brasileiros e Campeonatos Paulistas. Mundial de Clubes no Japão 2011. O Pan-Americano do México. Três etapas do UFC. Olimpíadas de Londres 2012. Copa das Confederações em 2013. Foi a 29 países cobrir eventos esportivos.
A fala de Alex, destaque atual do Coritiba:

"Quem cuida do futebol brasileiro é a Globo. A gente sabe que a Globo trabalha na dependência da novela. (...)Pô, a gente joga bola dez da noite. Eu, que vou jogar, vejo uma situação ruim, preciso ficar no hotel o dia inteiro esperando um jogo dez horas da noite. Isso é ruim. Mas estou dentro de um hotel confortável, tranquilão, vou jogar 90 minutos, tomar banho e vou embora para casa".
" E o torcedor? O cara sai de casa ou do trabalho, precisa ir para o estádio dez horas da noite, assistir ao jogo, voltar para casa e ainda precisa acordar sete horas da manhã no outro dia. Poxa, isso é desumano. Por isso os estádios estão vazios. A CBF é apenas uma sala de reunião."
"Você vê os clubes discutindo cotas de televisão. O acordo (com a Globo) não é legal, mas mesmo assim, assinam. O futebol brasileiro necessita de um movimento dos clubes. O torcedor precisa voltar a acreditar na seriedade do futebol. Ele precisa perder o sentimento que tem algo escondido debaixo do tapete."
"Os clubes precisam se unir. Nós temos mecenas no Brasil. As resoluções precisam passar pelos clubes. Mas a maioria dos clubes vive do dinheiro da televisão. Aí como o dinheiro da tevê fazem algumas loucuras. Pronto, o rombo está feito. Com isso, o clube adianta mais cotas da tevê. Na Liga Alemã existe um regulamento que você não pode extrapolar o orçamento. O cara acha que quebrar regra no Brasil é bonito. Bonito não é ser honesto. Bonito é ser malandro."
"O Brasil vive esse momento de insatisfação há muito tempo, mas as redes sociais ajudaram na difusão dos protestos. Esse momento de turbilhão vem acontecendo há muito tempo, mas agora o povo perdeu a paciência. Não sei se foi proposital, logo em um momento de Copa das Confederações, mas foi legal".
"O Brasil só tem a crescer com isso. O povo está começando a usar as armas que tem. Temos as urnas no ano que vem. Espero que o povo vote da melhor maneira. A cobrança em cima das pessoas que elegemos deve existir sempre. Político não é nosso patrão. É nosso empregado."
"Na verdade, o brasileiro se preocupa muito pouco com a política. Os jogadores de futebol só são inseridos no contexto social. Vejo pouquíssimas pessoas sentando e debatendo política aqui no Brasil. Morei nove anos em um país (Turquia) que os caras discutiam política todos os dias. Eles são politizados desde pequenos. Infelizmente o nosso país tem uma educação ruim. Justamente para não criar esse tipo de discussão."

Trincheira: parabéns pro Rímoli. Essa foi uma das melhores matérias que li, nos últimos meses, nos blogues existentes. Por isso a transcrevo, com inveja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.