sexta-feira, 23 de agosto de 2013

"EU ACREDITO" TERÁ DE VOLTAR AO HORTO NA COPA DO BRASIL



 
RG-10 festeja Guilherme: ambos deixaram o Galo vivo na Copa do Brasil e o grito de "Eu acredito" voltará ao Horto no jogo de volta contra o Fogão. (Foto Roberto Filho-Foto Arena/Estadão)


O craque holandês Clarence Seedorf  correu da raia no confronto com Ronaldinho Gaúcho, como aconteceu outro dia no Horto, pelo Brasileirão. O Botafogo sentiu a ausência de seu craque apenas no primeiro tempo, quando RG-10 deitou e rolou.
Com 10m, o Galo já podia ter um placar alto a seu favor, em lances de Fernandinho, jogada individual, e Luan, na cara de Jefferson e a bola desviou no zagueiro a corner.
O Galo massacrava e o Fogão não passava do meio-campo.
Então veio o contra-ataque que começou com Victor socando a bola, numa cobrança de escanteio. Luan a pegou na entrada da área - a tal segunda bola - e se despachou. RG-10 saiu do impedimento e se mexeu pra direita. Recebeu e cruzou rasteiro, na medida, pra Marcos Rocha fazer 1 a 0.
Belo trama: uma aula completa de contra-ataque em alta velocidade.  Aos 21m.

COMEÇAM AS TRAPALHADAS

Era pro Galo colocar mais os cariocas nas rédeas. Que nada!
Aos 30m, numa sucessão de trapalhadas de marcação do meio-campo, a bola resvalou em Josué e sobrou livre pra Lodero num toque magistral encobrir Victor e fazer 1 a 1. Placar injusto do primeiro tempo, mas foi a dose de entusiasmo que os botafoguenses. precisavam pra fase final.
O início do segundo tempo foi carioca.
Com 5m, Léo Silva cometeu a segunda trapalhada da defesa atleticana, a centésima na carreira dele no clube.
Vitinho, 19 anos - o melhor da partida, fez a torcida esquecer Seedorf - lançou Lodero na esquerda - outra fera - e ele chutou cruzado. No meio do caminho, o trapalhão Léo Silva, com suas pernas compridas, desviou pras redes de Victor: 2 a 1 Fogão.

CALDO ENTORNA

Aí o caldo entornou: aos 12m, tabela de Vitinho, Alex e Rafael Marques e o chute deste desviou nas costas de Junio César, matou Victor. Botafogo, 3 a 1.
Cuca esperto, trocou Josué por Guilherme aos 17m e saiu atrás de gols. Quase levou o quarto, salvo por Victor, numa cobrança ensaiada de falta e que mereceu a dura do goleiro em toda defesa.
Cuca continuou mexendo bem: Fernandinho morreu. Entrou Neto Berola. descansado e aceso. .Depois saiu outro pregado, Jô, e entrou Alecsandro. Galo partiu pro tudo ou nada.
Mas acabou por tomar o quarto gol. Besteira de Pierre. Quis driblar Henrique e Vitinho na entrada da área. Tomaram a bola dele e Vitinho soltou o petardo, sem chance pra Victor- Botafogo: 4  a 1.

REPETECO DA LIBERTADORES

O placar de 4 a 1 praticamente estabelecia o fim do Galo na Copa do Brasil. Mas, Guilherme salvador estava em campo. Como aconteceu no jogo contra o Newell´s no torneio continental, após receber belo passe de RG-10, meio sumido no segundo tempo, Guilherme encobriu Jefferson e marcou o segundo gol atleticano.
Final do excelente jogo: Botafogo 4 a 2.
Este gol de Guilherme reacendeu as esperanças. Como nos jogos contra o Newll´s e o Olímpia, o Atlético precisa fazer 2 a 0 no Horto, sem levar gols.
O grito Eu Acredito com certeza estará de volta, como de volta, também, estará Diego Tardelli, ausência bem sentida no Maracanã.

MELHORES DO JOGÃO

Os destaques do Atlético, pelo primeiro tempo que fizeram, e na média mantida durante do jogo, foram Marcos Rocha, Ronaldinho Gaúcho e Luan. No Botafogo, brilharam Vitinho, desequilibrou no segundo tempo, Loredo e Dória.

EXEMPLO PRO PACOTE

 Vitinho infernizou o Galo no segundo tempo e fez a torcida se esquecer de Seedorf .(Foto Luciano Belfort - Ag. Estadão)


Marcelo Pacote Oliveira que morre de medo de botar menino da base no time principal, "por falta de experiência", ao contrário da fama que tinha antes, pode-se mirar no exemplo de Osvaldo de Oliveira, do Botafogo. Ratificou Vitinho e Dória, ambos com 19 anos, como titulares e a vida do alvinegro carioca até melhorou. 

Um comentário:

  1. Olá, Flavio!
    Não é demérito nenhum priorizar a marcação.
    Voando do jeito que está o Botafogo, fatalmente iria fazer gols... Um time como o do Atlético, que tem como filosofia de jogo somente atacar, ao jogar “fora de casa” com um time forte, como é o Botafogo, ou vai pra cima e “mata” o jogo ou prioriza a marcação “boca de bode”. Acho muito estranho a não contratação de volantes de pegada, ainda mais depois daquela atuação do Pierre. http://www.assuntodofutebol.com.br/

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.