domingo, 11 de agosto de 2013

NÃO SEI QUAL FOI PIOR JOGO : O DE SÁBADO OU O DE DOMINGO


Santo Deus! Não sei qual foi o pior jogo: o 0 a 0 que vi no sábado entre Náutico x Atlético, no Recife, ou o empate, também, sem gols entre Cruzeiro x Santos, no domingo, no Mineirão. A ruindade desta partida ficou por conta do Cruzeiro, mandante invicto no Mineirão e com obrigação de vencer pra assumir a liderança isolada do Brasileiro.
A disposição mostrada por alguns atletas celestes, na maior parte do duelo, foi de mascador de chicletes, encostado no muro da sorveteria, vendo as meninas do ginásio feminino passarem numa procissão.
Egídio e Luan irritaram tanto quanto Souza pela falta de compromisso e excesso de displicência  nas jogadas do lado esquerdo, e menosprezo ao adversário. Egídio não acertou nem um passe e abusou das jogadas individuais sem efeito. E permaneceu assim até o fim. Luan foi zero à esquerda e como peixe de Marcelo Pacote ficou lá no seu lugarzinho, inoperante até quase a metade do segundo tempo.

JOGO DA ESQUERDA

Apesar da total falta de compromisso deste lado esquerdo, Souza insistiu em jogar sempre por lá. Nilton nem tanto, porém teve, igualmente, exagerada dose de teimosia individual. Inexplicavelmente, Marcelo Pacote escalou o time, sem Everton Ribeiro, com Martinuccio, mas pelo lado direito e de marcador de lateral. Trocou Luan por ele apenas aos 45m do primeiro tempo.
Na fase final, o primeiro a sair pra Elber entrar foi o argentino, enquanto Luan ficou em campo na sua falta de compromisso.
Pra variar, Pacote fez a sua tradicional mudança espetacular, genial, que alterou todo o panorama do jogo. Botou Borges no lugar de Vinicius Araújo, que, por sinal, também, estava total omisso no jogo. Mas com vontade e lutando pra acertar.
A entrada de Elber e posteriormente a de Lucca no lugar de Luan melhoraram bastante a vontade da equipe. Sob o risco de tomar contra-ataque com Montillo, o Cruzeiro partiu pra cima nas bolas aéreas e obrigou o goleiro Aranha a trabalhar tão somente nas saídas do gol. Nenhum chute perigoso aconteceu, nenhum gol foi perdido. Ricardo Goulart chegou a mandar a bola nas redes, mas em completo impedimento.

LIVREMOS A CARA

Posso livrar a cara de Fábio, com uma defesa sensacional aos 4m do primeiro tempo; do menino Maike, brecado pelo posicionamento de Montillo; dos zagueiros Bruno Rodrigo e Dedé, este ainda meio atrapalhado em certos lances, nas disposições de Nilton e Ricardo Goulart, além de Elber no segundo tempo. E só.
Borges chutou apenas uma bola a gol, rebote da defesa santista.
O empate fez o Cruzeiro voltar à liderança pelo saldo de gols, em razão do empate em 1 a 1 entre Botafogo e Goiás, na Arena Mané Garrincha. Outro benefício foi a derrota do Coritiba, em casa, para o Vasco. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.