quinta-feira, 29 de agosto de 2013

PACOTE BOTA CRUZEIRO NA DEFESA E SAI DA COPA DO BRASIL



  Pacote viu o time amarelar no Maracanã e não soube como evitar a desclassificação na Copa do Brasil

Vou debitar as desclassificações de Atlético (pelo Botafogo) e Cruzeiro ( pelo Flamengo) aos seus treinadores Cuca e Marcelo Pacote Oliveira.  Cada um à sua maneira atropelou o bom-senso nas partidas do Horto e do Maracanã. Cuca fez as mexidas mais estranhas no transcorrer do jogo, enquanto Pacote assistia seu time acovardado no primeiro tempo, contra um adversário, também, incapaz de sair atrás do objetivo que era de vencer por 1 a 0.

RESPONSABILIDADE DE PACOTE

A responsabilidade pela saída do Cruzeiro da Copa do Brasil foi de Marcelo Pacote Oliveira. Não se trata de lugar-comum, aquele em que o técnico afirma que a culpa da derrota é dele. E foi mesmo, nesse caso. Tem sido uma constante: o Cruzeiro tem comportamento de time grande no Mineirão, onde arrasa os adversários e outro fora, quando se acovarda e todo time amarela.
O que Pacote tem com isso, se nem está em campo? Ele tem no banco de reservas diversas opções pra mudar o time e as usa mal.
Contra o Flamengo, no Maracanã, já começou mal ao escalar Ceará e deixar o menino Maike no banco. Aquele setor direito do Cruzeiro sempre forte nos ataques não existiu. Ceará ficou lá atrás, com certeza, por determinação de Marcelo.
 O primeiro tempo do time azul foi horroroso, não chutou uma bola sequer ao gol e nem segurava a bola no ataque.
Uma sequência de passes errados motivada pela instabilidade emocional de  Everton Ribeiro e as omissões de Borges, Egídio, e Ricardo Goulart. A bola queimava nos pés de Everton que passou pela necessidade de tocá-la rápido, de trivela, e sempre errado. Egídio foi uma avenida pela esquerda, principalmente no segundo tempo, quando Mano Meneses colocou por lá Rafinha e Paulinho.
 Por lá saiu o lance do gol de Elias, aos 43m do segundo tempo, momento do jogo em que o Cruzeiro safava-se com chutões desesperados pra cima.
Pra complicar, o menino Vinicius Araújo teve a bola do jogo, limpo numa arrancada livre da intermediária e quis driblar Felipe. Perdeu o ângulo e o gol.
Pacote, apesar das péssimas atuações de Borges e Everton Ribeiro no primeiro tempo, só foi mexer no time aos 22m, quando trocou de centroavante e botou Martinuccio no lugar de Ribeiro. O argentino chegou a marcar, aos 30m, lance anulado por impedimento.
Por fim, pra retrancar mais ainda a equipe que estava pra lá de acuada e a gente sentia que o gol do Flamengo viria a qualquer instante, Marcelo colocou Guerreiro no lugar de Goulart.
Se pensava em fechar a entrada da área, fechou nada. Rafinha foi ao fundo e voltou a bola na entrada da área, de onde Elias soltou o petardo que venceu Fábio.
Agora, vamos ficar nos nossos sofás assistindo os times outros times correndo atrás do título da Copa do Brasil. E o que mais preocupa é um possível abatimento psicológico neste time de Marcelo que amarela em ocasiões difíceis e entregar a ótima posição que ocupa no Brasileiro, a liderança isolada

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.