quinta-feira, 8 de agosto de 2013

PRECIOSISMO EM EXCESSO NA VITÓRIA AZUL EM CRICIÚMA







Martinuccio entrou bem e deu o passe pra Ricardo Goulart marcar um golaço, de letra, na dura vitória por 2 a 1, em Criciúma. (Fotos Rodrigo Clemente- DA Press/EM)

Nos primeiros 20m do jogo entre Criciúma x Cruzeiro, o pau comeu solto. Tanto batiam os locais, como os azuis. E o capixaba Marcos André Lima tentava segurar no apito, sem sucesso. Na base da vontade, desfalcado de oito titulares, o time de Vadão começou assustando. Aos 15m, Fábio fez uma defesa milagrosa num chute do ex-cruzeirense Fabinho. Aos poucos, como time grande que é, o Cruzeiro passou a diminuir o ímpeto do Criciúma, tocando a bola.
Só que no período em dominou a partida, o Cruzeiro abusou do excesso, principalmente no primeiro tempo. Luan queria dar um drible a mais; Everton Ribeiro teve a melhor chance, mas esperou demais e chutou travado. Toques de calcanhar, passes de trivela e por aí vai. Gol que é bom mesmo, nada. Aí vem aquele velho lugar-comum: time que não faz, leva.

GOL DE PRESENTE

Os azuis ganharam um gol de presente aos 23m, com Vinicius Araújo, no rebote do lateral Suélliton que rebateu o cruzamento de Ricardo Goulart no pé esquerdo do goleador celeste. Bola nas redes, Cruzeiro 1 a 0.
No intervalo, mais outro escorregão de Marcelo Pacote Oliveira em substituição: tirou Luan, meio omisso, e colocou William, que ficou o segundo tempo omisso e meio.
Logo aos 6m, esse mesmo William perdeu a chance incrível, chutando de pé direito, por cima do gol de Helton Leite, filho do deputado João Leite, ex-goleiro do Atlético. Aos 25m, o Criciúma empatou com um gol incrível.
O atacante Lins tentou uma bicicleta, a bola saiu alta, Fábio fez golpe de vista . A bola bateu na trave e voltou pra Bruno, que acabara de entrar, empatar diante de Dedé, assustado.

MARTINUCCIO ACERTA

A entrada de Martinuccio, aos 30m, no lugar de Everton Ribeiro, excessivamente individualista e em jornada ruim, foi acertada. Palmas pra Pacote. Porém, retiro as palmas na mudança dos 38m, quando colocou Borges, de novo, no lugar de Vinicius Araújo. Nada acrescentou de interessante.
Ricardo Goulart se redimiu dos gols perdidos aos 39m marcando o gol de letra, numa bola perdida que Martinuccio foi buscar na ponta direita, quase na linha de fundo e cruzou forte, de pé direito que não é o bom. De costas pro gol de Helton Leite, o oportunista Goulart marcou o gol em alto estilo. Cruzeiro 2 a 1.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.