domingo, 29 de setembro de 2013

FUTEBOL MINEIRO SOBRA NO BRASILEIRO: GALO JÁ É QUINTO E CRUZEIRO PÕE 11 PONTOS DE FRENTE DO VICE.

Vou guardar minha boca pra comer minha farinha. Não é que o Galo disparou e chegou ao quinto lugar, com 35 pontos, seis atrás do Atlético Furacão e 18 do arquirrival Cruzeiro, líder disparado da competição.
Os que estavam na boca de um tropeço do Cruzeiro em Nova Hamburgo, quebraram a cara.
Quem perdeu foram os coveiros: o Botafogo, no Maracanã, perdeu por 1 a 0 da Ponte Preta; o Atlético Furacão levou de 5 a 3 do Vitória, em Curitiba, apesar da reação que teve: saiu de 3 a 0, chegou a 3 a 3. Olha o Ney Franco aí, caratinguenses!
O técnico Cuca, que não perdeu o otimismo, continua afirmando que pretende disputar o título do Brasileiro deste ano e não se assusta com a diferença do rival.
A experiência de perder Ronaldinho Gaúcho,  seu principal jogador pra todo campeonato, não abalou a equipe contra o Santos, no Horto.
E o Galo, ainda, levou 1 a 0, gol de Cicinho, mas virou já no primeiro tempo. Na etapa final, Alecsandro marcou o placar final de 3 a 1.

LÍDER DISPARA

O Cruzeiro fez a parte dele em Novo Hamburgo diante do Internacional, quinto colocado e de olho no G-4. Venceu com autoridade por 2 a 1, sem fazer um grande jogo. Foi frio, implacável e não se entregou à pressão dos colorados.
Quando fez 1 a 0, aos 4m com Nilton, de cabeça, o Cruzeiro descuidou-se e pensou que seria fácil demais. Então, o Inter empatou um minuto depois com Otávio.
Os azuis, então, usaram sua experiência pra não levar outros gols. O Colorado saiu pra cima.
Egídio era uma avenida pela lado esquerdo e Dedé que começou bem, ganhando todas por cima, no chão falhou três vezes seguidas.
Não era apenas ele, nem só Egídio. Outros dorminhocos em campo: Dagoberto, William e Borges. O objetivo foi alcançado: o placar resistiu até o final do primeiro tempo.
Com certeza, Marcelo Pacote Oliveira pagou total. Tirou Egídio e colocou Maike, indo Ceará pra lateral esquerda. Deu certo.
Dedé, também, voltou à realidade e passou a jogar com seriedade e segurança.

GOL DA VITÓRIA

Aos 8m, num contra-ataque sensacional, rápido, o Cruzeiro selou a partida. A bola saiu de Maike, na defesa, passou por Everton Ribeiro e chegou a Dagoberto.
O passe pra William saiu na conta; o atacante dominou a bola, olhou onde estava o goleiro e botou bem no cantinho. Golaço: Cruzeiro 2 a 1. 5º gol dele na disputa.
Depois, Pacote tratou de mexer mais pra poupar alguns jogadores importantes. Botou o menino Alisson no lugar de Dagoberto com ordem de segurar mais a bola.
Por fim, aos 40m, fez entrar Tinga (arre!) no lugar de Everton Ribeiro. Sabia que o jogo já estava ganho e o Inter batido.

CAIU NO HORTO...

O Atlético voltou a confirmar o axioma criado pela torcida de que se o adversário caiu no Horto, tá morto. O Santos só foi adversários nos primeiros minutos.
Depois de levar o gol santista, aos 13m, marcado por Cicinho, em impedimento, o Atlético tomou conta do jogo.
Alguns analistas dizem que foi o melhor primeiro tempo do Galo no Brasileiro. Vendo o vídeo tape, também achei.
O Santos nem gozou o seu gol: aos 15m, Luan escorou uma bela jogada de Fernandinho e empatou em 1 a 1. Aos 36m, num golaço, Marcos Rocha marcou 2 a 1.
No segundo tempo, bem no finalzinho, Alecsandro fechou o placar em 3 a 1 e o Galo chega perto do G-4.
Não é seu objetivo, porque já tem vaga na Libertadores ano que vem, como último campeão.

EMOÇÃO PURA EM CURITIBA

Se Cruzeiro e Atlético não tiveram que fazer força pra vencer seus jogos, a partida entre Atlético Furacão e Vitória, treinado por Ney Franco, caratinguense de Vargem Alegre foi de matar cardíaco.
O Vitória abriu 3 a 0 e complicava a vida do Furacão, último do G-4, com 41 pontos e que  precisava vencer pra não descolar de Grêmio e Botafogo, com 42.
A reação do Furacão no segundo tempo foi fantástica. Chegou a 3 a 3. Porém tomou dois contra-ataques e o jogo acabou em 5 a 3. O Vitória é o sexto com 34 pontos.
O Grêmio manteve a vice-liderança, com 42 pontos, ao derrotar o São Paulo por 1 a 0, gol de Vargas. Mas o SP foi roubado. Teve pênalti de Kleber que o árbitro não deu.
Kleber estava na barreira e no chute de Reynaldo levantou o braço direito de propósito e cortou a bola.Os são-paulinos reclamaram muito.

GRANDE SURPRESA

A Portuguesa que na rodada anterior venceu o Internacional (1 a 0), em Novo Hamburgo, provocou outra surpresa ao golear o Corinthians por 4 a 0, em Campo Grande no Mato Grosso.
Três gols foram de Gilberto, menino revelado pelo Internacional, passou pelo futebol pernambucano e agora está na Lusa.
O Flamengo, também, pegou uma vaca atolada e goleou o Criciúma, atolado na Z-4, no Maracanã, por 4 a 1. Em Salvador, jogo monótono entre Bahia e Vasco empatado em 0 a 0.
No sábado, o Náutico derrotou o Coritiba por 2 a 0 e o Fluminense, também, em franca ascensão derrotou o Goiás, no Serra Dourada, por 2 a 1.
Finalmente, o jogo que a torcida do Cruzeiro, também, comemorou bastante na noite de sábado. A Ponte Preta aprontou contra o Botafogo, no Maracanã, e venceu por 1 a 0.


CUIDADO PACOTE: Na próxima quarta-feira, no Mineirão, o Cruzeiro enfrenta a Portuguesa, a sensação deste returno. Tem sempre uma sensação, né?

CONFIANÇA TOTAL NA RECUPERAÇÃO DE RG-10: ATÉ DO PLANALTO

Ronaldinho agradece apoio da presidenta Dilma.

sábado, 28 de setembro de 2013

DÁ PRA QUASE JOGAR A TOALHA. COELHO NÃO VENCE DE NOVO EM CASA

O América fica, a cada partida no Horto mais distante da elite do futebol brasileiro.Não vejo uma saída e nem argumento pra explicar a instabilidade do Coelho.
Neste sábado, o time voltou a suar frio no Independência e não passou de empate em 0 a 0 com o Avaí, pela 25ª rodada da Série B do Brasileiro.
E você não vai acreditar, meu Bom: o Avaí teve um jogador expulso e o América jogou quase 60 minutos contra 10.
Nem assim mostrou mais apetite ou vontade de derrotar os barrigas verdes.
Segundo os estatísticos, ainda, restam 13 jogos na Série B e o Coelho tem que vencer 10 pra atingir seu objetivo. Acreditem quem quiser!
Na próxima terça-feira, o América pega o Paraná, que faz boa campanha e integra o G-4 do campeonato. Será às 10 da noite no Estádio Durival de Brito, em Curitiba.
No momento, o Coelho é o oitavo na classificação geral com 36 pontos e poderá ultrapassado por Boa Esporte e Figueirense.

OLHA O CAMPEÃO AÍ, GENTE!

O Fluminense, campeão brasileiro, fez sua quarta virada heroica na competição. Começou perdendo por 1 a 0 e jogando mal no primeiro tempo.
No segundo, o time de Luxa cresceu e ganhou de 2 a 1 no Serra Dourada. Já é o sexto colocado com 33 pontos.
Outro feito tricolor: não perde há sete jogos. Tem quatro vitórias e três empates.
Esta foi a segunda derrota do Goiás, no Serra Dourada no Brasileiro deste ano. A primeira aconteceu diante do Cruzeiro, também por 2 a 1.
Por causa do saldo de gols, o Verdão goiano foi parar em oitavo lugar, apesar de ter os mesmos 33 pontos do Fluminense e do Santos.
O gordinho Walter, estrela da companhia goiana, não jogou nada. Decepção total.

NÁUTICO SONHA ARRANCADA

A briga lá na Z-4 tende a esquentar, também. Neste sábado, o Náutico goleou o Coritiba por 3 a 0, na Arena Pernambuco no Recife.
Não saiu da rabeira da competição, porém ameaça uma daquelas arrancadas heroicas. Saiu dos 9 pontos, onde estava encracalhado  e já atingiu 14, cinco a menos que a Ponte, vice lanterna.

Maicon Leite voltou a ser destaque com dois gols na partida.

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

KALIL MANDA RECADO: QUER RG-10 RECUPERADO ATÉ MUNDIAL. CUSTE O QUE CUSTAR.

 A palavra de ordem atual no Atlético é - Recuperação. O presidente Alexandre Kalil estabeleceu que seja montada uma "operação de guerra", no clube, com a participação de todos funcionários e adidos, a fim de recuperar Ronaldinho Gaúcho a tempo de jogar o Mundial de Times em Marrocos.
Vale tudo: desde o tratamento convencional até as opções inovadoras da medicina esportiva, mais reza brava, banho de ervas, cozimento, correntes de orações, e etc. O próprio RG-10 lançou uma corrente, aquele grito da Libertadores: "Eu Acredito" e quer toda torcida encaixada nela.
A ruptura do músculo adutor da coxa esquerda é mesma contusão que tirou Pelé do restante da Copa do Mundo no Chile, em 1962. Só que naqueles idos anos a medicina esportiva engatinhava.
Doutor Rodrigo Lasmar - filho de peixe, peixinho é - na entrevista coletiva desta sexta-feira citou a conversa que teve com o presidente Kalil, que lhe exigiu uma redução no prazo de recuperação de RG-10 estimado atualmente de 75 a 90 dias.
Consideramos acelerar esse processo com a medicina de hoje, e não vamos medir esforços. O presidente disse que o que precisar ser feito, será feito. O atleta tem que estar disposto a se entregar num tratamento enfadonho e cansativo. Eu acredito que ele tenha condições de estar presente. Vamos trabalhar para isso”, disse Lasmar.

GALO EM POLVOROSA


A coisa é assustadora! Afinal, o Atlético está a 82 dias de estrear no Mundial de Marrocos e sofre baque deste tamanho, comentado e mostrado nos principais sites do mundo inteiro, inclusive neste aqui que é o mais famoso.
Também discutido no site do Chico Maia, o segundo mais famoso do mundo.
Rodrigo Lasmar falou em diversas opções de tratamento, como fisioterapia, tratamento biológico, acupuntura e tudo que precisar mais. Segundo ele, existe um sigilo médico que torcedores e imprensa precisam entender.
-"O que eu tiver experiência e evidência de bom tratamento, eu vou fazer", comentou o boa-praça Rodrigo Lasmar.

CURA DAS BENZEDEIRAS


  Esta contusão do RG-10, vejam aí minhas benzedeiras, poderia ser curada na Rua das Baratas?

Então, doutor,  na rua das Baratas, que atualmente chamam de Santa Cruz, ou Dênio Moreira, em Caratinga, pelo que me lembro tem excelentes benzedeiras.
Eu só curava meus quebrantos, porradas, torções, unhas encravadas, caneladas e fraturas com a dona Hermínia, além de tudo cozinheira de mão cheia do Hotel Anselmo. Infelizmente, ela se foi pro andar de cima. Mas, quem sabe deixou herdeira lá nos cantões da rua das Baratas.
Caso o senhor bote fé, este filho da dona Geralda botará seus cupinchas conterrâneos, moradores na Cidade das Palmeiras, atrás de boa benzedeira.
Aposto que o Jorginho Mexidinho conhece várias, como seguidor da velha cura pelas benzedeiras.

SÓ RG-10 E CUCA ESTÃO TRANQUILOS

Enquanto o ambiente de "operação de guerra" é deflagrado na Cidade do Galo, Ronaldinho Gaúcho e o técnico Cuca estão tranquilos. Dr. Rodrigo revelou que RG-10 reagiu com serenidade à notícia, apesar do abatimento comum nos atletas lesionados tão seriamente.
Existe, também, a hipótese de tratamento por plaquetas, aplicado pelo médico no meia Guilherme, que, também, sofre com lesões musculares. Exemplo de sucesso desse tratamento é Jorge Henrique, hoje no Internacional, que passou por situação semelhante no Corinthians e voltou aos gramados em 35 dias.
Nós tivemos uma reunião, com o presidente, Cuca, Carlinhos Neves, Maluf, Ronaldinho e Assis. Falamos de estratégias de tratamento adequado pra Ronaldo se recuperar. O tratamento com PRP (plasma rico em plaquetas) mostra resultados com eficácia, mas a gente procura não divulgar".
" Não posso falar do Jorge Henrique, mas temos casos parecidos. Fiz um PRP no Guilherme há 10 dias, mas não divulgamos. Faremos o que for possível pra que ele esteja pronto para jogar o quanto antes”.

CUCA NÃO PERDE OTIMISMO
 Cara, eu estou impressionado com o otimismo do Cuca.Ou ele tá sacando, ou realmente seu astral anda tão alto desde a final da Libertadores que se nega a voltar ao mundo dos simples mortais.
Nem a ausência de Ronaldinho Gaúcho, com essa ruptura no músculo adutor da coxa esquerda, tirou o ânimo do treinador sobre as chances de título no Brasileiro.( Foto de Juarez Rodrigues - DA Press, EM)
A 18 pontos do líder Cruzeiro, o Atlético precisa ajustar o time sem o seu principal jogador. E Cuca volta a afirmar:
"Claro que eu acredito no título. Temos muito tempo para trabalhar. As coisas vão se encaminhar certinho para estarmos bem na hora certa. Pouco a pouco, sem alarde, para trabalhar mais”.
O técnico fala das opções para substituir o camisa 10. “A gente tem o Tardelli, o Guilherme, e o Dátolo. São as opções que a gente tem. É lógico que nenhum se compara ao encaixe e a condição que o Ronaldo dá à  equipe, mas todos são bons jogadores. Não tem como você falar que eles não sabem jogar”.
Neste domingo, no primeiro jogo sem Ronaldinho, Diego Tardelli fará a função do meia contra o Santos. O setor ofensivo ainda terá a presença de Luan, Fernandinho e Jô.

EUROPA FALA DA LESÃO

A grave contusão de Ronaldinho Gaúcho, como era de se esperar, repercutiu mundo afora;  sites de jornais europeus noticiaram o drama do craque atleticano.
O site do periódico esportivo Marca, da Espanha, destacou a contusão de R10, colocando em dúvida sua presença no Mundial de Clubes, em dezembro.

Com o títuloRonaldinho se lesiona e não chegaria ao Mundial”, a notícia ainda acrescenta que o jogador terá de se submeter a um tratamento longo e intensivo para chegar aos 100%.
Na Itália, o Quotidiano Sportivo também pôs em relevância o risco de Ronaldinho não atuar na competição no Marrocos. “Ronaldinho dois meses foraLesão na coxa e risco no Mundial de Clubes”, noticiou a página.

Já o portal do jornal francês L'equipe levanta a dúvida sobre o período que o craque deve desfalcar o Atlético. “Três meses fora para Ronaldinho?” é a manchete da notícia. A matéria lembra ainda a ausência do camisa 10 no empate por 1 a 1 com o Criciúma, na quarta-feira, pelo Campeonato Brasileiro.
Em Portugal, o site A Bola  também chama atenção para a possibilidade de Ronaldinho não participar do Mundial: "Ronaldinho em risco para o Mundial de Clubes".

MINAS REFORÇA SELEÇÃO DE FELIPÃO ATÉ COM O INQUESTIONÁVEL TITA.


QUE VICTOR que nada. Que Dedé que nada! A convocação mais comemorada feita por Luiz Felipe Scolari pra Seleção Brasileira foi a de Edmar Antônio da Silva, o boa-praça Tita, massagista do Cruzeiro há vários anos.
Não há ninguém que frequente a Toca da Raposa - ou fora dela - que não seja admirador deste moço que voltou a estudar aos 42 anos, já no clube azul e formou-se em fisioterapia pela Faculdade Estácio de Sá.
Na própria Toca, o inquestionável Tita concluiu o ensino fundamental e médio, na escola dos jogadores das categorias de base. O que ele agradece:
"O Cruzeiro foi a porta grandona que se abriu pra mim. Pude voltar a estudar, posso dar escola e informática ao meu filho e pra minha esposa.

PRIMEIRO APTO.

Depois de ultrapassar obstáculos como morar sozinho desde os 12 anos, trabalhar durante 30 anos como camelô e residir boa parte dos seus anos em condições precárias numa favela na periferia, Tita pode, hoje, dar uma boa condição de vida à sua família.
Ele conta a história de como saiu de lá:
"Um dia o Felipão, então treinador do Cruzeiro, se ofereceu pra me levar em casa. Eu disse, ô professor moro numa favela, o senhor não vai gostar. E não gostou mesmo quando chegou lá. Ele me disse: "você não pode morar aqui".
"E de imediato, enfiou a mão no bolso e me deu R$ 18 mil. Os jogadores completaram o resto e assim comprei meu apartamento fora da favela".
A estatura de espírito de Tita, antes até dele chegar à Toca, já tinha diversos admiradores. Este filho de dona Geralda e o seu filho Flavinho eram dois desses.
Sei lá aonde Tita andou por esse mundo de futebol, antes de aportar na Toca. Mas havia sempre um cantinho pra ele, conseguido na base da simpatia, da humildade e da vontade de servir. Daí a minha alegria por sua convocação: ele merece!

GAROTÃO CHORA

Dedé (foto de Gilmar Laigner - EM-DA Press) é outro meninão. Recebeu a nova convocação pra seleção de Felipão com lágrimas nos olhos diante das câmeras. Nada de fingimento, choro baixinho, de pura emoção, realmente. Ele passou por difíceis momentos na Toca da Raposa.
A desconfiança sobre aquela história de "Mito", que ele nunca incentivou, os problemas de adaptação, os erros fatais, como aquele contra o Flamengo, no Mineirão, causaram-lhe estragos na reputação.
Valente e ciente de suas condições técnicas, como um dos melhores zagueiros do País, Dedé deu a volta por cima. No Brasileiro já é um destaque ao lado de Bruno Rodrigo.
As minhas críticas quanto a Dedé sempre foram leves: estava afoito demais, correndo demais atrás do adversário e deixando a posição abandonada.

LANCE QUE ESTIMULA

"Aquele lance contra o Flamengo, pelo contrário, serviu pra me estimular em busca de minha recuperação. Eu o analisei muito e vi que precisava sair do buraco. Tomei mesmo um choque quando não fui convocado pra Copa das Confederações. Contava com ela".
"Porém, o que mais me abalou foi a doença de minha irmã. Ela teve encefalite e ficou sete dias na UTI de um hospital no Rio de Janeiro. Sofri demais e minha cabeça não saía de lá, Não me focava em nada. Graças a Deus, ela se recuperou e eu também".
Dedé e Tita estão no  grupo que enfrentará Coreia do Sul e Zâmbia, nos dias 12 e 15 de outubro, respectivamente. 

GALO PERDE DOIS


Convocados pelo técnico Luiz Felipe Scolari para defender a Seleção Victor e Jô serão desfalques certos do Atlético em três partidas do Campeonato Brasileiro. Como, também, Dedé no Cruzeiro.
A apresentação tá marcada pra 6 de outubro, à noite, após a rodada daquele domingo. Os atleticanos nãojogam na 27ª, 28ª e 29ª rodada, contra Ponte Preta (dia 9), Cruzeiro (13) e Atlético Paranaense (16). O Atlético é o único time brasileiro que cedeu dois jogadores.

JUSTIÇA NO GOL

Só espero que não se cometa com Victor a injustiça feita com Fábio, goleiro do Cruzeiro. Sempre foi um dos melhores do futebol brasileiro. Mas nas convocações era sempre preterido ou chamado pros amistosos chulés como os de agora. Depois, esquecido de novo.
Victor vive a mesma situação. "São Victor" da Libertadores retornou em várias partidas desta Brasileiro, exceto naquela falha no chute de longe do volante Dakson, no Vasco. Não houve prejuízo maior, porque o Galo venceu por 2 a 1, porém a bola passou-lhe por entre as pernas.
Jô, no entanto, é feijão sem bicho e tem praticamente o passaporte carimbado pra Copa do Mundo/2014. Tem mesmo? E quando Fred se recuperar da lesão, sobrará o Jô ou Pato?Aqui a briga não é pelo talento individual, mas pela força política.

VICTOR NA SELEÇÃO

A relação do goleiro Victor com a Seleção Brasileira vem de longa data. A primeira convocação aconteceu há quatro anos, quando ele ainda defendia o Grêmio. Ele disputou as eliminatórias da Copa de 2010 e uma Copa das Confederações. Em 2010, estreou contra os Estados Unidos.
Depois, atuou também contra Irã, Ucrânia e Argentina. Em 2011, Victor estava no grupo que jogou a Copa América, na Argentina. Retorna agora, um ano depois quando foi chamado pros amistosos com o Japão e Iraque, pelo treinador Mano Meneses.
Segundo Victor, será a primeira vez que trabalha com Luiz Felipe Scolari; "Todavia, tive boas referências de que já foi treinado por ele e do seu jeito "paizão" de tratar os atletas. Os treinamentos e os amistosos serão fundamentais pra que eu mostre o meu valor".
Cuidado, Victor! Jefferson e Cavalieri estão na fila e Júlio César recupera-se da contusão nas mãos.

CRUZEIRO NO SUL

Assisti à partida entre Internacional 1 x 1 Atlético Paranaense, em Novo Hamburgo, pelas oitavas de final da Copa do Brasil e constatei que o time colorado titular, velho e decadente, com média de idade superior a 30 anos, é mais perigoso ao lançar mão dos criados em casa.
O Inter tem excelente trabalho de base.
E sem D'Alessandro, suspenso, será o adversário do Cruzeiro, neste domingo, em Novo Hamburgo, onde tem jogado mal.
No primeiro tempo em Novo Hamburgo, o Inter tomou verdadeiro chocolate do Furacão, que conseguiu marcar apenas 1 a 0. Teve chance pra mais, desperdiçadas por um ataque que briga com o Cruzeiro pra ser o mais positivo do Brasileiro.
Neste período do jogo, apenas D'Alessandro esteve em campo pelo Inter. Os demais figurões levaram o passeio da meninada paranaense.
Na outra fase, Dunga tirou logo de cara dois velhos e colocou o menino Caio e o excelente Scocco. Sai de baixo!
O jogo mudou de água pra vinho e D'Alessandro, ainda com fôlego, comandou a tentativa de virada do placar.
O melhor homem em campo, depois do argentino, era o zagueiro Manoel do Furacão.
Justo ele que rebateu mal, de cabeça, a bola levantada pra área e presenteou Otávio, outro menino bom de bola, pra empatar.
Quem fez o gol do Furacão? Claro que foi ele, o interminável Paulo Baier.

E GALO EM CASA

Todo cuidado é pouco. O Santos, adversário do Atlético neste domingo, no Horto, vem de empate com o Náutico na Vila Belmiro. Por causa disso, está em sexto lugar com 33 pontos.
Sua campanha, como a do Atlético, é bem irregular. Ambos têm oito vitórias e o Peixe soma apenas um ponto a mais que o Galo, oitavo colocado, com 32 pontos.
O planejamento de Cuca, bem utópico, é de entrar no G-4 não pra garantir vaga na Libertadores porque essa ele já tem, como último campeão. Quer o caneco do Brasileiro!

O Santos almeja o G-4 e a vaga na Libertadores. Tem os pés no chão e sabe que pra chegar ao título terá de vencer muito e os da frente perder demais. 

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

VAMOS ÀS RUAS: POR CAUSA DO CRUZEIRO JÁ FALAM EM ACABAR COM DISPUTA EM PONTOS CORRIDOS

Não tenho a menor dúvida: é coisa da Rede Globo. Da vez passada, em 2003, com o Cruzeiro ganhando o Brasileiro antecipado, a Globo botou seu porta-voz. Galvão Bueno, numa escancarada campanha contra os pontos corridos.
Galvão chegou a afirmar, sem números concretos, que o torcedor não gostava da fórmula; queria decisões em mata-mata. Ou seja, os times jogariam 38 vezes e depois caíram na esparrela de oito classificados para as finais no sistema de um contra o outro.
O Cruzeiro na 24ª rodada, porque tem melhor time e investiu pra isso; está a oito pontos do segundo colocado, o Botafogo. Atrás deste, estão Internacional e Grêmio. Viram o Flamengo no G-4? Ou o Corinthians? Ou o Vasco, ou o São Paulo, ou o Santos? Do eixo apenas o Botafogo.

IRRITAÇÃO GLOBAL

Isso irrita a Rede Globo um tanto impossível de imaginar! Então ela começou, de novo, a campanha contra os pontos corridos.
A televisão usa como mote o discurso dos atletas contra o calendário. Se tem jogo demais, a fórmula do mata-mata pode resolver. Apenas um turno, como o campeonato mineiro, e oito times classificam-se pras finais.
Jogaram isso no ar, e os alienados jogadores de futebol e seus procuradores e empresários correm atrás.
Algumas vozes conscientes - como esta aqui, da Trincheira - levantam-se pela manutenção do campeonato ganho pela técnica, pelo melhor, por pontos corridos.
Reproduzo, com a devida vênia, a coluna do jornalista Humberto Perón sobre o tema. Muito interessante, leiam e deem seus pitacos:

Mais Cruzeiro e menos regulamento - De São Paulo
Humberto Luiz Perón*
-"Com a boa distância que o Cruzeiro, líder absoluto do atual Campeonato Brasileiro, abriu sobre os demais concorrentes, já estão aparecendo as viúvas do tempo que o campeonato era disputado com fases de "mata-mata".
"Os saudosistas dos jogos eliminatórios ressaltam o absurdo de o torneio praticamente estar decidido já no final de setembro. Acho que as pessoas que questionam o sistema de pontos corridos para o Nacional, no lugar de criticarem a fórmula de disputa do torneio, deveriam prestar mais atenção ao grande desempenho que o Cruzeiro tem  apresentado durante toda a competição".
"Aliás, boa parte dos insatisfeitos com o sistema de pontos corridos que surgem agora é de paulistas e cariocas, pois está claro que os clubes desses dois grandes centros, tirando o Botafogo, têm chances reduzidas de conquistar o torneio."
"Esses parecem se esquecer de que, desde que o atual sistema foi introduzido, apenas uma única vez - o Cruzeiro, em 2003 - não foi um time paulista ou carioca o vencedor do Brasileiro".

AH, SE FOSSE DO EIXO!

"Não tenho dúvidas de que, se fosse um time de São Paulo ou do Rio de Janeiro que estivesse com o aproveitamento de pontos que o Cruzeiro tem no momento, não haveria adjetivos suficientes exaltando o time".
"Todos falariam da força do elenco - elogiariam o critério das contratações e não classificariam alguns jogadores apenas como refugos dos grandes times de Rio e São Paulo -, das opções que o técnico tem para mudar a forma de a equipe jogar durante a partida e o equilíbrio do time, que consegue atuar de maneira ofensiva".
"Sem dizer da pressão que haveria para a convocação para a seleção de alguns jogadores importantes, como o meia Everton Ribeiro - o grande destaque do time até agora na competição -, o goleiro Fábio, o volante Nilton e o zagueiro Dedé".
”Aliás, não custa lembrar que, quando Dedé jogava no Vasco, ele tinha o apelido de "Mito" e era apontado como o melhor zagueiro do país. Só que sua transferência para o Cruzeiro parece que o transformou em um jogador comum e só se fala do defensor quando ele falha em algum gol que o time cruzeirense toma".
"O mesmo acontece com o técnico Marcelo Oliveira. Por mais que ele tenha armado o time que tem um excelente padrão de jogo e variações táticas, mesmo perdendo jogadores como Diego Souza, alguns só se referem ao técnico como o profissional que foi derrotado em duas finais consecutivas de Copas do Brasil com o Coritiba, o que é uma tremenda injustiça".
"Não concordo e acho exagerado o termo "eixo do mal", que é a maneira como as pessoas de outros estados se referem à influência de São Paulo e Rio de Janeiro no nosso futebol, mas não posso deixar de dizer que paulistas e cariocas sempre demoraram a aceitar o sucesso de clubes e jogadores de fora dessas duas cidades".
"Além do atual exemplo do Cruzeiro, e do Atlético-MG, que venceu a Libertadores deste ano, poderia citar outros exemplos. O Cruzeiro da década de 1960 - que deveria ter mais destaque na história de nosso futebol -, assim como o Internacional que conquistou o bicampeonato brasileiro em 1975/76, mas por um bom tempo foi visto como um time viril, que jogava duro e que tinha um estilo de jogo que fugia das características do futebol brasileiro".
" Há também o caso do Grêmio comandado por Luiz Felipe Scolari - que ganhou tudo na metade dos anos 1990 - que era classificado como um time violento, que jogava retrancado e tinha como única jogada ofensiva os cruzamentos para a área".
"Ainda bem que a força do futebol brasileiro não se resume aos times do eixo Rio-São Paulo. E é bom ressaltar que o Cruzeiro não tem culpa nenhuma em ter disparado na tabela de classificação, só méritos".

Humberto Luiz Peron é jornalista esportivo, especializado na cobertura de futebol, editor da revista "Monet" e colaborador do diário "Lance". Escreve às terças-feiras no site da Folha.

TRINCHEIRA; Aplauso o texto de Humberto Perón e assino em baixo. É o que tenho dito aqui há anos, até mesmo quando trabalhei cinco anos como comentarista do Sportv.

VIVA O MARACA

Outro assunto pelo qual me debato, aborreço e xingo à vontade é a porcaria que ficou a administração do Mineirão entregue à uma empresa paulista, a fim de dar o tombo nos clubes mineiros e recuperar o dinheiro que investiram na reforma do estádio.
E somos obrigados a ler que a grana saiu, no seu montante, do governo do Anast-azia. ÓÓÓ, me poupa doutor!!!
Meu primo Iraq Rodrigues, grande colaborador desta Trincheira, também jornalista, me mandou, além do texto acima do Humberto, outro dele, falando de sua ida ao Maracanã. Leiam, também, com atenção:
"Fui ao Maracanã (não o conhecia após a reforma) e comento duas coisas. Ao ver aquele estádio reformado, fiquei com vergonha do Mineirão... e do Independência...apesar de o Maraca não ter aquele espaço gigantesco que o Mineirão tem em seu entorno, a organização é nota 10".
"O metrô facilita a chegada da torcida, a quantidade de orientadores, jovens rapazes e moças, com imensa boa vontade e sorriso nos lábios (Posso ajudar em alguma coisa, sr fulano?) é impressionante. A cortesia começa do lado de fora, onde até megafone é acionado quando necessário".
" P.E. Atenção torcedores do Botafogo, a bilheteria X está mais vazia e tranquila para a compra do seu ingresso".... e outras orientações que se fizerem necessárias. Aqui, menores de 12 anos e maiores de 65 não pagam ingresso. Basta apresentar o documento que comprove suas situação para entrar, sem nenhum idiota para atrapalhar".  

 PM SEMPRE ATENTA

A polícia se mantém por perto, sempre atenta e vigilante. Eu e meu genro estávamos com uma lata de cerveja na mão, um orientador nos parou, gentilmente, e disse,"Desculpem, mas desse ponto em diante não pode passar com lata de cerveja".
Eu só disse para ele que sabia e que só estava procurando um lixeira para jogar a lata. Ele apontou uma lixeira perto e disse "ali tem uma". E pronto. Jogamos a lata no lixo e entramos, sem confusão, sem contratempo, sem ninguém enchendo o saco."
"O andar do público fluía tranquilo sem pressa nem agitação. Nem um Galoucura nem Máfia Azul exaltado para perturbar os torcedores. Foi sensacional. Uma vez lá dentro, sempre mais jovens orientadores a nos indicar o caminho a seguir, quando alguém tinha dúvida...."
"Quando entrei, levei um susto imenso com a beleza do Maraca. As cadeiras multicoloridas, predominantemente amarelas e azuis, desciam desde a parte mais alta até embaixo, sem um fosso como entre arquibancadas e gerais de antigamente". 
"Mencionei a polícia, a polícia militar tem até equipe de choque, mas se mantém em locais estratégicos (isto, na entrada do estádio) e a Guarda Municipal cuida de maneira mais próxima dos torcedores. Existem nas ruas do entorno, muitas pessoas vendendo cerveja escondido, é ilegal".
" Mas a Polícia Militar não se incomoda, seu papel é vigiar a torcida, zelar por sua segurança. A Guarda Municipal é que cuida desses "cervejeiros ilegais". As torcidas estão o tempo todo juntas na entrada e não acontecem tumultos. Cada um respeitando o direito do outro de ter simpatia por um time diferente do seu". 
Agora, é a vez do interior do Maracanã. que vista maravilhosa... Eu, propositadamente optei por assistir ao jogo atrás do gol, coisa que não faço nem no Independência e nem no Mineirão. Acredite, de qualquer lugar do Maracanã você tem um vista total do gramado em qualquer "cantinho" que a bola esteja rolando".

DESESPERO COM FLA

"O ponto negativo foi o jogo: uma pelada sem tamanho. E verifiquei que a CBF e a Globo estão desesperadas pela situação do Flamengo, não ganhou nada este ano e ameaçado de rebaixamento".
"Sua majestade, o juiz, tentou de todas as maneira dar uma vitória para o Flamengo, para ver se passa para as semifinais da Copa do Brasil...mas o Botafogo ajudou: não jogou nada".
"E o tal Hyuri, novo dodói da torcida botafoguense, era o reforço do Flamengo. Eram 12 contra 11 do Bota. O cara é horroroso. Não joga nada e nada fez durante toda a partida. Seedorf dormia em campo.  O único ligado no jogo era o Edilson, lateral direito do Foguinho, inclusive ele foi o autor do gol de empate do Botafogo".
"Ah!, é mesmo, o jogo terminou 1 a 1, só não foi pior que Flamengo e Náutico porque teve um gol para cada lado".
"Enfim voltei satisfeito de ter (re)conhecido o Maracanã e ver que a administração cuida muito bem dele...e a prefeitura faz sua parte, oferecendo transporte coletivo à vontade. Só lamentei o empate do Galo contra o Criciúma...

Trincheira: completo e interessante relatório, Iraq. Obrigado.