segunda-feira, 21 de outubro de 2013

POR MAIS QUE EU TAPE O SOL COM A PENEIRA UMA COISA É CERTA: CRUZEIRO TEVE QUEDA BRUSCA

Vou ser mais condescendente e debitar a derrota do Cruzeiro em Curitiba (2 a 1) à fatalidade e à quantidade de fluidos negativos dos torcedores de outros times.
Vocês, caros leitores, não acreditam nisso nos secas-pimenteiras, nos maus-olhados, despachos e coisas parecidas? Também não acredito. Mas que eles existem, existem.
Pra começar: a tal cisma do ex-revelador de craques, Marcelo Pacote Oliveira, tem com o talento vencido dos velhotes amigos deles e líderes do elenco celeste.
Repetiu a fórmula contra o Coritiba, com Ceará na direita, Egídio na esquerda e Borges no meio. Fracasso. O time parecia com as pernas amarradas em campo.

AS MUDANÇAS

A maior coragem do Coxa redundou no gol de Carlinhos, aos 42m, numa falha gritante do velhinho Ceará. Um detalhe: o goleiro Vanderlei, do Coxa, não fez nenhuma defesa no primeiro tempo.
Aos 12m do segundo tempo, Pacote erra: tira Egídio e põe Luan, voltando de contusão; tira Borges e coloca o insípido Dagoberto. Não melhorou nada.

PENAL BEM MARCADO

Por mais que a dupla de transmissão do Sportv tenha batido na teste de pênalti inexistente, a falta sobre William por dois zagueiros do Coxa existiu sim.
Dagoberto cobrou e fez o que sabe fazer bem nas penalidades. Goleiro para um canto, bola no outro. Empate em 1 a 1, aos 15m.

A FATALIDADE

A dupla de zaga, Dedé e Bruno Rodrigo jogavam com total segurança. Por ali, em bola alta, o Coritiba não chegaria.
Aí veio a fatalidade, Bruno se lesionou e entra Léo, aos 24m.
Quatro minutos depois, Keirrisson - aquele mesmo que andou pela Toca da Raposa - recebe uma bola aérea, Léo fica no chão a marcar a bola, e o Cruzeiro toma 2 a 1.

NADA MUDOU

Para o pessoal do Sportv o resultado nada altera a caminhada do Cruzeiro na busca do título, por causa da derrota do Atlético Furacão (3 a 0, do Goiás), empate do Grêmio no Grenal ( 1 a 1) e do Botafogo diante do Vasco (2 a 2).
Como não afeta? Uma vitória cruzeirense significaria mais dois pontos na frente do vice-líder, o Grêmio, e não os atuais nove pontos.
Além do que o time de veteranos experientes do Pacote está ansioso. Contagem regressiva pra foto de campeão e todo mundo quer sair nela. 
Se autoescalam no peito, a pressão é forte.

GALO QUEBRADO MAS VALENTE

Sem 14 titulares entre os efetivos e aqueles que são reservas imediatos, suspensos ou entregues ao departamento médico, o Galo que só disputa um lugar honroso na competição, pois já está na Libertadores, continua mandando no Horto.
Não tomou conhecido dos titulares do Flamengo e venceu por 1 a 0, gol do menino da base Lucas Cândido.
Por sinal, golaço de gente grande: uma bomba de fora da área no ângulo do goleiro Felipe.
O jogo foi movimentado, aberto, e com bons lances de ambos os lados. Cuca mostrou coragem quando usou o banco de reservas cheio de jogadores da base.
Assunto, no entanto, proibido pra este colunista. Aquela turminha que patrulha as opiniões alheias logo me chama de atleticano.
Outro dia, respondi um deles que não sou atleticano - e os que me conhecem bem sabem disso - mas me sentiria muito honrado se fosse.
É um clube vencedor, dos maiores do país e com diretoria atenta, competente e que no momento só merece elogios.

MORTE DE GADE

Eurico- ou Erich- Gade, com o qual eu brincava sempre que ia à Caratinga e visitava o Sistec - Sistema Caratinga de Comunicação - chamando-o de "Roberto Marinho do sertão mineiro", morreu neste 21 de outubro. Lamentável.
Seu espírito guerreiro o trouxe pra Capital de onde passou a comandar seu pequeno império e conseguiu canalizar importantes conquistas políticas pra minha cidade. Natural de Teófilo Otoni, aportou em Caratinga como locutor da Rádio Caratinga. Passou a sócio-proprietário e criou a TV Sistec, a Rádio Sistec, a Rádio Cidade e o Jornal de Caratinga.
Era cidadão honorário de BH e de Caratinga, ex-presidente da Amirt, Associação Mineira de Rádio e Televisão. Foi enterrado em Caratinga

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.