sexta-feira, 29 de novembro de 2013

APESAR DE KALIL JOGAR NA RETRANCA, FIFA GARANTE FERNANDINHO NO MUNDIAL

Alexandre Kalil, urso bravo acostumado a grandes embates, prefere dizer que "Fernandinho não está nada definido, quem está definindo é a imprensa".
Tá bom, Kalil, mas eu convoco a Massa pra comemorar a presença do impetuoso e veloz atacante alvinegro nos jogos de Marrocos.  
Afinal, o clube recebeu a transcrição do parecer favorável da inscrição de Fernandinho assinada pela eminência parda da entidade, Dr. Jérôme Valcke.
O comunicado foi enviado à CBF e repassado a suspeita competência da FMF. Nele a inscrição do atacante não está garantida, oficialmente, porque precisa da ratificação do Departamento da Fifa que cuida do setor.  
Direis: "de sã consciência alguém iria contrariar o parecer do Dr. Valcke, o segundo na hierarquia da entidade?" Eu vos respondo: definitivamente não!

FALTA ALGUÉM NA LISTA

Esta lista dos melhores do Campeonato Brasileiro de 2013, divulgada pela CBF,  cometeu gritante falha contra um dos melhores atacantes atualmente do futebol tupiniquim.
Como deixaram de fora Diego Tardelli, do Atlético?  Colocaram Paulo Baier. Com o devido respeito, não foi mais positivo que Diego Tardelli.
Não discuto as qualidades individuais de Baier e nem faço qualquer analogia de sua competência técnica com a de Tardelli. São duas referências em seus times.
Porém, coube ao meia atleticano a responsabilidade maior: a de também substituir Ronaldinho Gaúcho na armação sem deixar a peteca cair.
Faltou Diego Tardelli na lista da CBF.

FESTA CHULA DE PREMIAÇÃO

A premiação será no dia 9 de dezembro, no programa Bem, Amigos, do Sportv, em São Paulo, - caiu bem de qualidade a festança global, antes realizada com requinte em salões nobres- ...
Entre os eleitores estão os jogadores e os integrantes da comissão técnica da Seleção Brasileira que  disputou os dois últimos amistosos de 2013 - Honduras, 5 a 0, e Chile, 2 a 1.
Os profissionais de imprensa – quais? - também votaram. A lista dos votantes se encerra com os treinadores e capitães dos clubes que disputaram a Série A neste ano.

LISTA DOS MELHORES

Goleiro: Fábio (Cruzeiro);   Lateral-direito: Marcos Rocha (Atlético); Zagueiros:  Dedé (Cruzeiro) e Manoel (Atlético Paranaense); Lateral-esquerdo:  Alex Telles (Grêmio);  Volantes: Nilton (Cruzeiro) Elias (Flamengo); Meias Armadores: Everton Ribeiro (Cruzeiro)Paulo Baier (Atlético Paranaense); Atacantes: Walter (Goiás) Ederson (Atlético Paranaense).
Técnico:  Marcelo Oliveira (Cruzeiro)
Revelação do campeonato: Marcelo (Atlético Paranaense)
Craque do campeonato: Everton Ribeiro (Cruzeiro)

CERTO E ERRADO

Penso que a votação de Everton Ribeiro, do Cruzeiro, como o melhor jogador do Campeonato deste ano foi correta, em que pese minha torcida pelo goleiro Fábio.
A escolha de Marcelo, do Atlético Furacão, como a revelação da competição não merece, também, contestação.

No entanto, penso que Hernani, do Flamengo, merecia a vaga de Walter Gordinho, fruto de maior marketing. Também entendo que Bruno Rodrigo seria um dos zagueiros no lugar de Dedé.

RG 10 DE FORA

Cuca resolveu que Ronaldinho Gaúcho não retornará ao time do Atlético neste sábado, no Maracanã, contra o Fluminense. O jogo será pesado por causa da situação do Flu.
RG10 voltou a treinar depois de dois meses tratando da lesão muscular e deve ser testado contra o Vitória, na última rodada do Brasileiro, dia 8.
A decisão foi do técnico atendendo um pedido de Ronaldinho que, segundo Cuca, entende que, ainda, não está em condições de viajar. Então não viaja, meu Bom!

MINEIRÃO LOTADO

Não existe mais nenhum ingresso pro jogo Cruzeiro x Bahia, no qual os azuis receberão faixas, medalhas e o troféu de Campeão Brasileiro.
Teve nego até dormindo na fila pra adquirir ingressos e caravanas virão de todas as partes. Festa pro Cruzeiro. Jogo de Vida ou morte pro Bahia.
Marcelo Pacote Oliveira prometeu força máxima e festa só depois do jogo. Nilton não joga e no seu lugar aparece o inócuo Souza.
Em Porto Alegre, o atacante  Barcos informou que recebeu sondagem do Cruzeiro, mas prefere ficar no  Grêmio. Conversa fiada! Barcos furado.

É O QUE DISSERAM...

Anderson Leão – Caratinga – "Sou seu fã e leio sua coluna diariamente. Gostaria de saber se o Sr sabe quais as empresas que o Galo negocia para fornecimento de material esportivo, pois mais de 90% da torcida sonha com a Adidas...
Em minha opinião, mesmo se ela oferecer um pouco menos que as demais a torcida banca a diferença com a compra dos produtos.
Fico assustado quando escuto as pessoas comentarem que o Galo pode fechar com a Puma (O Botafogo enfrenta problemas e pode trocar de empresa), A Penalty tem atrasado pagamentos ao São Paulo), sem contar o fiasco com a Lupo.
 Desde já agradeço sua atenção e se souber de algo lhe serei muito grato.
Trincheira: Amigo Anderson. O Kalil tem por política ser muito reservado nas discussões de contrato e nunca revelá-las antes.  Contudo, tenha certeza de que tomará conhecimento dessa sua opinião, visto que é leitor diário da Trincheira. Eu que lhe agradeço a atenção e o carinho.

Rogério Rogerão Nascimento – BH – ainda sobre o jogo Vasco x Cruzeiro, o importante endocrinologista atleticano enviou mensagem no seguinte teor: "ô Flavio,é tanta marmelada , que um jogador como o Fábio , que não ia aceitar essa marmelada , não foi pro jogo . O futebol,  infelizmente. é terra de gente como os Perrela ,  agora se vêem envolvida no tráfico de droga. E  essa família é forte ainda no Cruzeiro". 
Trincheira: Concordo em gênero, número e grau com você, Rogerão
Ronaldo Abretz BH - "Flávio, quanto a essa bobagem sobre o Júlio Batista, criada pela Sportv. Acho que vergonha não é um jogador brincar com outro em campo, vergonha mesmo é uma rede de televisão colocar VT de jogos ao invés de liberar o sinal de transmissão para a própria cidade do jogo. Tudo isso pra nos roubar com o tal de payperview."
Trincheira: Tô contigo e não abro, meu Bom. 

Francis Bicca – BH - Caro Flávio, sobre Dedé eu penso que há uma fronteira entre sentimentalismo aceito e até permeia o campo da ética, que é que devendo esperar do ser humano e o profissionalismo: 1) sentimentalismo aceito (ético): se matar em campo contra seu clube de coração, meter um gol e não comemorar ; 2) profissionalismo : jogar contra o time que sua mãe está jogando. Jogar incondicionalmente e dar o máximo.
 Por mais que o Júlio Batista explique o diálogo com Cris e por mais que o Ronaldo Fenômeno explique a Copa de 98, sempre haverá dúvidas independente de pronunciamentos oficiais". 



quinta-feira, 28 de novembro de 2013

MENGÃO LEVA A COPA DO BRASIL E GARANTE VAGA NA LIBERTADORES


Como qualquer decisão que se preze, Flamengo e Atlético Furacão fizeram valer apenas a transpiração no jogo do Maracanã nesta quarta-feira, sem nenhuma inspiração de ambos os lados. Se houve algum personagem da partida eu diria que Jaime de Almeida, treinador dos rubro-negros foi este nome.
Segurou o time pra manter o 0 a 0 que lhe daria o título e o soltou no momento de desespero dos rubro-negros do Furacão. Aí a velocidade e a categoria da jovem revelação Paulinho funcionaram. Junte-se a elas a determinação de Hernani.
A jogada do primeiro gol, aos 42m do segundo tempo, começou com ele pela direita, passou por Paulinho driblando e chegando à linha de fundo. E terminou com Elias colocando a bola na rede do bom goleiro Weverton, do Furacão.
Desesperado, os paranaenses foram atrás do gol de empate que provocaria a decisão nos pênaltis.  Aí função o espírito coletivo de Luiz Antônio, outra boa figura no jogo, que cruzou pra Hernani, de voleio marcar 2 a 0, placar final. Artilheiro absoluto da Copa do Brasil, com sete gols.
Os mais de 53 mil flamenguistas que pagaram ingresso, contra sete mil de atleticanos paranaenses, num total presente de quase 70 mil pessoas, coloriram o belo Maracanã de vermelho e preto. As cores que saíram em passeata pelas ruas do Rio e até aqui em Belo Horizonte ouviram-se buzinas e foram vistas comemorações pelas ruas do centro.

PONTE ELIMINA SP

Quem diria, hein? Com duplo 3 a 1 a Macaca de Campinas tirou os bambis do Morumbi, levando junto o mau humorado Murici Ramalho, da Copa Sul Americana. A Ponte Preta arrebanhada entre os piores do Brasileiro e  quase sem chance de permanecer na Série A, decidirá o torneio continental, o primeiro que ela disputa, possivelmente contra algum time argentino.

HOMENAGEM À ENCICLOPÉDIA

Antes do apito inicial de Leandro Pedro Vuaden, o irascível árbitro gaúcho que comandou a decisão entre Flamengo x Atlético Paranaense, foi prestado um minuto de silêncio pela morte da lenda Nilton Santos, que morreu no Rio aos 88 anos. Exemplo de profissional, Nilton Santos jogou apenas em dois times: na Seleção Brasileira e no seu Botafogo.
A Fifa já o havia reconhecido como o melhor lateral esquerdo da história do futebol. Que a CBF faça o mesmo e jamais permita que esta lenda se esvaia e se perca na memória curta dos brasileiros.
Eu tive oportunidade de jogar como lateral esquerdo, apesar de destro, como o saudoso Nilton Santos – sem qualquer comparação, por favor – e como todos daquela época, na posição, gostava de imitá-lo: a sunga usada era dobrada pra fora do calção e as meias ficavam até o meio das canelas.
O difícil sempre foi alguém imitar a arte de Nilton Santos no futebol.

O QUE DISSERAM...

Professor Haydn Pimenta: BH -  Caro Flavio, recebi de um amigo esta notícia que, possivelmente, você já tenha conhecimento. Esta é uma diferença apreciável de arrecadação de bilheteria que o Galo tem de pensar como equilibrar.
Creio que pura e simplesmente aumentar nas bases que o Kalil propõe seja uma temeridade, pois temo que a renda média do torcedor do Galo seja inferior à do cruzeirense.
Além, é claro, da maior capacidade arrecadatória do Mineirão x Independência. Acho que, em função destas diferenças, um aumento razoável da bilheteria do Galo nunca chegaria à do Cruzeiro. Por isso, teria de se contentar apenas com a diminuição da diferença. Por outro lado, não sei se há alguma cláusula do contrato entre Galo com a BWA que o proíba de jogar alguns jogos de expressão no Mineirão, será?
Trincheira: Tais contas só o Kalil conhece. E parece que o contrato com a BWA proíbe que o Atlético saia de lá, a não ser que pague R$ 100 mil de multa. Abraços.

Nonato Laranjo – BH "Caro amigo Flavio, essa imagem do Julio Batista falando para o Cris me faz lembrar uma foto que você deve lembrar em que aparecia o grande goleiro Helio rindo após ter levado um gol, e que quase acabou com a carreira dele. fato que mais tarde foi demonstrado ser reação de quem não se mostrava satisfeito com a falha da zaga.

 Aliás ele foi afastado do Galo e o grande administrador Felício Brandi comprou o passe dele que acabou barrando um dos maiores ídolos do Cruzeiro o grande Raul. Se eu estiver errado me corrija.
Trincheira: Você não tá errado não Nonato. Foi no jogo em que o Cruzeiro chegou a perder por 3 a 0 no primeiro tempo, teve Fontana expulso e empatou no final por 3 a 3. Foi uma arrancada pra conquista do título mineiro daquele ano. Em 1966 e cuja final, porque terminaram os dois em primeiro lugar foi disputada em 1967, com duas vitórias fáceis do Cruzeiro. Se eu estiver errado, me corrijam por favor!!!



quarta-feira, 27 de novembro de 2013

MUNDO DA BOLA PERDE A ENCICLOPÉDIA DO FUTEBOL: MORRE NILTON SANTOS

Bicampeão mundial pela Seleção, ídolo do Botafogo, maior lateral-esquerdo de todos os tempos e amigo de Garrincha perde luta contra mal de Alzheimer
Por GLOBOESPORTE.COM Rio de Janeiro

Fazia frio naquela noite de 8 de junho de 1958 em Uddevalla, cidadezinha na Suécia. Ali, no estádio Rimnersvallen, o Brasil estreava na Copa do Mundo contra a então perigosa Áustria. A Seleção vencia por um 1 a 0, gol de Mazzola. O jogo não estava nada fácil. Aos seis minutos do segundo tempo, um lance mudaria a partida e, de certa forma, contribuiria para uma nova ordem do futebol mundial. O time austríaco tentava atacar pelo lado direito. A bola foi lançada para o ponta Horak. Nilton Santos, o lateral-esquerdo brasileiro, à época já com 33 anos, se antecipou. Tomou-lhe a bola e se lançou ao ataque.
- Volta, Nilton! - berrava o técnico Vicente Feola, preocupadíssimo com o contra-ataque.
saiba mais












Nilton Santos - sempre Botafogo
                                          Com o presidente Lula, em Brasília

Como todo craque que se preza, Nilton Santos desobedeceu às ordens do treinador. Voltar, nada. Seguiu na arrancada, incomum aos laterais, na época meros marcadores. Tabelou com Mazzola e, na área, tal como um atacante extraclasse, tocou com categoria por cima do goleiro: era o segundo gol brasileiro na vitória por 3 a 0 (assista ao vídeo acima). Ali começava o caminho do primeiro título brasileiro. Ali começava uma nova forma de se atacar. Ali o mundo começava a conhecer, de fato, o maior lateral-esquerdo de todos os tempos. Nada menos que a Enciclopédia do Futebol, como era carinhosamente chamado Nilton Santos, bicampeão mundial pelo Brasil, tantas vezes campeão pelo Botafogo, único clube em que atuou e hoje chora, com todo o Brasil, a sua morte, aos 88 anos, após infecção pulmonar e longa luta contra o mal de Alzheimer. O ex-jogador estava internado desde sábado à noite na Fundação Bela Lopes, em Botafogo, Zona Sul do Rio de Janeiro, com complicações respiratórias.
Ao ser informado do falecimento, o presidente Maurício Assumpção imediatamente ordenou que a bandeira alvinegra fosse colocada a meio mastro na sede de General Severiano, e uma bandeira com o rosto do ídolo também foi exposta. O ex-jogador será velado no Salão Nobre da sede, na Zona Sul do Rio, com previsão para início às 20h, e o enterro está marcado para as 16h desta quinta-feira, no cemitério São João Batista, em Botafogo. O clube emitiu nota oficial de lamento pela morte, e a CBF decretou luto no futebol do país e a observação de um minuto de silêncio nos jogos.
São muitas as histórias emblemáticas de Nilton dos Santos, nascido a 16 de maio de 1925 na Ilha do Governador, no Rio de Janeiro. Se em 1958 o craque mostrou que lateral podia atacar e até se aventurar a fazer gols - marcou 11 como profissional em toda a carreira, um número alto para a época -, no bicampeonato mundial de 1962 fez da malandragem uma arma poderosíssima para salvar o Brasil. Nilton Santos era Enciclopédia até para consertar o próprio erro.

Foi no jogo contra a Espanha, em Viña del Mar, no Chile, em 6 de junho (assista ao vídeo ao lado). A Seleção perdia por 1 a 0 e estava desnorteada quando o lateral derrubou na área o ponta Enrique Collar. Era pênalti. Mas o árbitro estava distante do lance e não percebeu os dois passos à frente de Nilton logo após ter feito a falta. E esses passos o deixavam fora da área. Foi o suficiente para o chileno Sérgio Bustamante marcar falta. O Brasil acabou vencendo por 2 a 1 e caminhou rumo ao bicampeonato mundial.
Bastariam essas duas histórias para Nilton Santos entrar para a história do futebol. Mas Nilton Santos fez muito, muito mais. Era tão bom e perfeito com a bola nos pés que ganhou o apelido de Enciclopédia. De fato, sabia tudo de bola. Que o digam os torcedores do Botafogo, beneficiados pela exclusividade de vibrar com as jogadas do maior lateral de todos os tempos - é oficial, a Fifa reconheceu em 2000.
Alto (1,84m), habilidoso (ambidestro), veloz, clássico, elegante, forte. Nilton já era assim desde moleque, tanto no futebol de praia quanto no Flexeiras, onde chegou com 14 anos após experiência no remo, que lhe dera mais força física. E foi assim que se fez no Botafogo, onde chegou com 23 anos após ter se destacado no time do Exército - era o único soldado em meio a tenentes e capitães.
Santo baile de Garrincha
Ao assinar contrato em branco com o clube, se  tornou o maior soldado em preto e branco: é o recordista de jogos (718 partidas), ganhou o Rio-São Paulo de 1962 e 1964 e foi campeão carioca em 1954, 1957, 1961 e 1962. No bicampeonato estadual, formava o timaço-base da Seleção bicampeã mundial, com Didi, Zagallo, Amarildo... E Mané Garrincha.
"Naquele tempo, lateral que passasse do meio do campo era considerado maluco."
Nilton Santos, sobre o gol na Copa de 1958
Aliás, Garrincha e o ex-lateral estavam sempre ligados por causos curiosos. Nilton Santos era Enciclopédia até para levar um baile. Foi o que aconteceu no primeiro treino do Mané no clube alvinegro. O jogador das pernas tortas nem tomou conhecimento do astro botafoguense.
- Ele me deu um baile. Pedi que o contratassem e o pusessem entre os titulares. Eu não queria enfrentá-lo de novo - disse certa vez, às gargalhadas, o maior fã da Alegria do Povo, Mané Garrincha,.


JULIO BAPTISTA, HUMILDE, PEDE APOIO A CHINA AZUL EM NOME DE SEU CURRÍCULO

Desconsidero as críticas - principalmente as mais pesadas - que fiz ao Júlio Baptista. Sua carta à torcida, gentil e dócil, sem nenhuma pretensão arrogante, levou-me à revisão dos meus conceitos.
Desculpe-me o atleta, pela tardia revisão. Este filho do Sodico vive a experiência dos 70 anos, que nos ensina que qualquer posição assumida deva ser bem analisada e medida, antes de posta ao conhecimento público.
Ainda não mergulhei de corpo e alma nesta inquestionável verdade, visto que sou da geração de jornalistas "donos da verdade", hoje em dia reduzida tão somente nas revistas semanais. Ou melhor: na Veja.
Sério mesmo! Nos meus tempos de foca aprendi que jornalista bate primeiro e apura depois. No caso dos formadores de opinião da massa alienada.
De quando em vez,  dentro da perspectiva da geração atual que é bem diferente em alguns setores da mídia, tenho recaídas.
Analisei as duas justificativas - Dedé e Júlio César. Mantenho o que escrevi sobre o caso de Dedé.

ARTE DE ESCREVER

Creio que as opiniões, sem dúvida, partiram dos atletas, mas foram escritas por seus assessores de imprensa. Que nem advogados que escrevem o que pensam os seus clientes e por isso não são responsabilizados pelos duros ataques dos textos. Júlio Baptista fez a linha paz e amor, ainda que indignado com as críticas.

 Leiam abaixo o texto na íntegra de sua carta:

"Olá pessoal, estou muito triste com o fato divulgado pela imprensa no dia ontem. Pegaram trecho de uma conversa minha durante o jogo contra o Vasco dando a entender que estávamos entregando o jogo... Incrível!!! É um absurdo!!!!
Por isso, gostaria de pedir um momento de vocês para poder explicar os fatos da maneira e forma como realmente aconteceram. Assistam o vídeo da partida e vão entender que o que se divulga não é legal comigo e muito menos com o Cruzeiro, Tri-Campeão Brasileiro!
Saí muito cedo do Brasil para jogar na Europa e sou muito agradecido a Deus por desde sempre ter conseguido estar nos melhores times do planeta como: São Paulo, Arsenal, Roma, Real Madrid, Sevilha, Málaga e agora no Cruzeiro, o melhor time do campeonato Brasileiro e do Brasil na atualidade.

VIDA NADA FÁCIL

Segue a carta de Júlio Baptista: "Minha vida, assim como a vida de todos vocês não é fácil. Tive e tenho de lutar muito de onde eu saí para atingir a excelência em minha profissão e com muita humildade conseguir um lugar de destaque.
Abdiquei de muitas coisas em minha vida e sempre soube que para dar uma vida melhor à minha família e atingir os objetivos não teria outra forma; não existe mágica! Pesquisem o meu passado... Nunca fui envolvido em nenhuma polemica que pudesse ferir o meu caráter, honra e ética.
O único caminho utilizado sempre foi trabalhar, trabalhar e trabalhar muito, respeitar a torcida, clube e saber esperar com muita fé e determinação o meu momento. 
Vivo hoje um momento que qualquer jogador do mundo gostaria de viver. Voltar ao Brasil, ser recebido com o carinho que a torcida do Cruzeiro me recebeu e abraçou! Com toda sinceridade não esperava tamanha sintonia com o torcedor do Cruzeiro que é incrível!! Uma torcida que joga junto com a gente e sempre incentiva nos dando muita força.


MOMENTOS DIFÍCEIS

Diz mais Júlio Batista: "Já tive momentos difíceis em minha vida que tive de superar com muita força de vontade. Mas nenhum foi triste como este.
Pois ele, acima de tudo envolve uma exposição de valores pessoais, filosofia de vida, que sempre vou lutar para que sejam preservados com Ética, Respeito ao trabalho, Respeito à Minha Família, Seriedade, Foco, Caráter, Lealdade e Justiça!
 Pensem, como eu poderia chegar em casa olhar minha esposa e filha se isso que falam fosse verdade???
Peço que assistam o vídeo novamente e o que vão ver é que, infelizmente, o Cruzeiro já vinha perdendo o jogo de 2 a 0 e aos 4:38 minutos do segundo tempo em um escanteio onde talvez eu ou um companheiro poderíamos fazer um gol no Vasco.
Então o Cris utiliza de sua experiência de anos a frente de grandes clubes para fazer comigo, uma espécie de guerra psicológica (muito comum no futebol) dizendo para eu "Amaciar".
Como estava muito focado falei duro com ele para ir lá e "Fazer um Gol, P...." (desculpem o palavrão, mas dentro de campo não tem como).

HONRA DE JOGAR AQUI

"Tenho um grande clube a defender que é Tricampeão Brasileiro, uma história de vida a honrar, uma linda família para criar e passar adiante valores de caráter e ordem moral (minha verdadeira base do que realmente considero como legado).
Disse que estava muito triste, por isso. Pois estou trabalhando e isso pra mim é sagrado!!
O Cruzeiro, não levou nenhum gol no segundo tempo e após este fato. Na verdade fizemos dois gols, sendo um anulado. Por isso, não faz sentido nada do está que sendo, infelizmente, divulgado! Como pode?
Estou triste... Tal sentimento, infeliz, vem acompanhado de uma forte impotência, pois estão falando muito principalmente na internet sobre o fato; e não posso ir a cada um e explicar olho no olho. Por isso, gostaria solicitar a cumplicidade de vocês  para divulgar a verdade.
Leio aqui na rede várias frases de incentivo e quero contar com o Apoio de Vocês para superar com a devida honra uma tamanha injustiça! "

Trincheira:  do meu posto avançado, Júlio Baptista recebe minha benção, acompanhado de minha retratação e meu pedido de desculpas. Espero que toda China Azul faça igual.

ATENÇÃO, KALIL INFORMA:

Quando o presidente Alexandre Kalil convoca uma coletiva, o pessoal setorista fica ouriçado. Vem bomba por aí. Na maioria das vezes, Kalil quer apenas fazer o que mais lhe agrada na Cidade do Galo, em suas folgas: " Resenha com os repórteres".
Na linguagem da crônica esportiva, "resenha" é aquele bate-papo informal entre cartolas e repórteres, ou mesmo entre os próprios repórteres, nos momentos do à toa. Eu adorava resenhar. Era o momento de pegar boas informações de bastidores.
Estas vinham sempre com o rótulo: "te falo em off, por favor não divulgue". No dia seguinte, ou no mesmo dia, dependendo da importância, tava no ar.

INFORMAÇÕES ÚTEIS

Na última coletiva, Kalil começa falando sobre o caso Bernard, e que busca acordo com a Fazenda Nacional sobre os 25 milhões de euros (R$ 77 milhões). "Eu acredito que até o final da semana que vem nós vamos ter uma solução", disse.
Sobre o fornecimento de material esportivo, Alexandre kalil confirmou que negocia com outras empresas; a Lupo não atendeu às expectativas do clube. "A Lupo não vai continuar, porque não tem a menor condição de entrega de material, foi um sofrimento e ela já foi comunicada que vai sair do Atlético."

 O presidente reforçou o interesse de seguir mandando os jogos no Independência, onde o clube tem um contrato comercial e excelente aproveitamento técnico. "Confesso que você estar há dois anos invicto no lugar, onde você sofreu uma derrota, eu não tenho muito apetite de sair de lá. Eu prefiro ficar em casa e o Atlético ganhar do que eu ir para campo e o Atlético perder."
Apesar disso, Kalil acredita que os gestores do Mineirão vão melhorar as condições para um acordo com o Galo: "Agora, eu acho que o Mineirão vai caminhar para o Atlético. Eu acho que isso aí vai se encaminhar. Eu, como presidente do Atlético, eu ainda prefiro ganhar. Então, qual é a lógica de ir para o Mineirão?", questionou.


Flávio Anselmo
Twitter:  @fganselmo
Face:  Fanselmo Fanselmo




Flávio Anselmo
Email - fanselmo@msn.com
Twitter:  @fganselmo
Face:  Fanselmo Fanselmo
blog - www.flavioanselmo.com.br