domingo, 10 de novembro de 2013

FALTOU EMPATE DO FURACÃO, MAS CRUZEIRO DEU VOLTA OLÍMPICA NA FESTA DA CHINA AZUL

Os menos avisados podem até criticar a atitude dos craques celestes que depois do chocolate no Grêmio por 3 a 0, deram a tradicional volta olímpica dos campeões na pista de atletismo do Mineirão.
Dirão: os jogadores faltaram com respeito ao Atlético Furacão. Na matemática do Campeonato Brasileiro faltam 15 pontos em disputa e a diferença entre o Cruzeiro e o Furacão é de 13 pontos.
Não estava escrito nas estrelas que o time azul seria campeão antecipado caso vencesse o Grêmio e o Atlético Furacão empatasse com o São Paulo em Curitiba? Sim.
Então a volta olímpica foi prematura e provocante, visto que o Furacão, em excelente fase, enfiou, também, 3 a 0 nos paulista.

INTEGRAÇÃO TOTAL

Tudo bem! O que os jogadores fizeram, diante da massa humana que lotou de azul o Mineirão, foi em agradecimento ao apoio da torcida.
Vejam as contas: basta agora empatar com o Vitória, quarta-feira, em Salvador e Cruzeiro será campeão brasileiro de 2013.
Sem o calor humano da China Azul na sua totalidade, porque o jogo será disputado no Barradão, em Salvador.
Caso não consiga este empate em Salvador - tudo é possível - a conquista matemática então ficaria pro jogo contra a Ponte Preta, teoricamente, marcado pra casa.
Só que o STJD, lembram-se?, puniu o Cruzeiro com perda de mando de campo e o jogo com a Macaca será no Parque do Sabiá, em Uberlândia.
Que me desculpem os uberlandenses: também fora de casa. Não é o caso da Ponte, no entanto, qualquer outro time carioca ou paulista tem mais torcedores lá que os azuis.

FORÇA RECUPERADA

Olha, nas duas últimas partidas, o time de Marcelo Pacote recuperou a alegria de jogar que perdera nuns três jogos deste returno. Contra o Santos ( 1 a 0), na Vila Belmiro e contra o Grêmio esteve quase perfeito.
Pra não mostrar nenhum desequilíbrio, como no jogo na Vila Belmiro, quando Fábio fez apenas duas vezes - uma fácil e outra difícil - neste domingo o capitão fez cinco defesas notáveis.
A linha de defesa, Ceará, Dedé - principalmente este - Léo e Egídio, quem diria!, jogou muito e marcou bem. Dedé anulou Kleber e Barcos.
Os lances que permitiram Fábio fazer seus "milagres" foram chutes da meia-lua e em dois, cobrança de escanteio, sobras na pequena área.
No mais, o domínio de Nilton, Lucas Silva, com apoio de Ricardo Goulart e Dagoberto, foi total na faixa do meio-campo.
Everton Ribeiro marcado e caçado de perto, saiu com a canela esfolada e amarelado, fora do jogo em Salvador.
De qualquer forma foi jogador tático e pela movimentação dele, Dagoberto e Goulart, o time gremista se perdeu.
Borges fez a parte dele:  golaço de voleio, de canela, bem no estilo matador e que lhe valeu tombo espetacular, mas abriu o caminho da goleada cruzeirense.

HORA DOS RESERVAS

Os titulares aos poucos foram se cansando. Borges pediu pra sair, porque ainda estava meio tonto por causa do tombo no lance do gol, aos 35m do primeiro tempo.
Jogou até os 15m do segundo tempo, quando foi trocado por Júlio Baptista, que entrou bem. Um minuto depois, Ceará foi amarelado e, também, não enfrenta o Vitória.

Na outra metade do jogo, Marcelo Pacote armou aquele costumeiro bote de contra-ataque.  Mas tomou susto com o petardo de Barcos na trave, aos 16m.
Então resolveu colocar mais dois descansados: Luan e William, nos lugares de Everton Ribeiro e Dagoberto. Soprou as cinzas e o fogo reapareceu.
Aos 33m, William trabalha a bola da entra da área e manda a bomba, sem defesa pra Dida. Cruzeiro, 2 a 0.
Barcos continuava dando trabalho pra defesa e Fábio fazendo das suas. Então, o Cruzeiro resolveu liquidar logo a fatura:.
Aos 40m, William cobrou uma falta da direita, a bola atravessou a área e pegou Ricardo Goulart livre pela esquerda. Bomba cruzada: Cruzeiro 3 a 0.

FESTA AZUL

A torcida, cerca de 58 mil presentes, não arredou pé do estádio e gritou o nome dos campeões, ou próximos campeões brasileiros, como queiram. Aí foi dada a volta olímpica, numa alegria incontida da rapaziada. A festa se espalhou pela cidade.

 RETA FINAL

Conforme eu destaquei acima, o Cruzeiro tem o compromisso em Salvador, contra o Vitória, que venceu a Ponte Preta, em Campinas, e luta por vaga no G-4.
Depois pega a Macaca de Campinas, no Parque do Sabiá. Em seguida vai ao Rio jogar contra o desesperado Vasco de Adilson Batista.
Na penúltima rodada, o Cruzeiro recebe o Bahia no Mineirão e encerra sua participação contra o Flamengo, no Maracanã.

O Cruzeiro soma agora 71 pontos e os matemáticos garantiam que com 72 ou 73 o time seria campeão. O Furacão é o vice e tem 58. O Grêmio, 54 e o Botafogo, 53.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.