segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

TORCIDA MARROQUINA DIVIDIDA ENTRE RAJA E GALO. ATÉ GRITO DE APOIO A TURMA DO LADO DE CÁ JÁ CRIOU


Torcedores do Galo e do Kawbab juntos têm até grito de apoio ensaiado. (Foto Rodrigo Fonseca)

Além do surpreendente número de torcedores atleticanos presentes em Marrakesh e dos contabilizados pelas agências de turismo que deverão chegar até o dia do jogo, nesta quarta-feira , o Galo terá reforço importante nas arquibancadas.
O repórter Rodrigo Fonseca, enviado especial do Superesporte,  foi acompanhar um jogo do Kawbab, clube mais popular de Marrakesh, e flagrou seus torcedores de vermelho e branco ensaiando um grito de apoio ao time mineiro, tão logo notaram a presença da imprensa brasileira no estádio.
"Ôoo, Atlético Mineiro; ôoo, Atlético Mineiro, ôoo".
Tudo durou segundos. Imediatamente apareceram seguranças e impediram novas gravações e imagens dos torcedores cantando.
Por quê, ninguém soube? Rodrigo, no entanto, apurou que o rápido registro da música foi com a agitada torcida Crazy Boys, uma das organizadas do Kawbab, com entonação igual às torcidas argentinas. Legal!

MAIS INFORMAÇÕES

Outra informação curiosa do repórter Rodrigo Fonseca: o Atlético é o único elenco do Mundial de Clubes que não conta com estrangeiros em sua lista de inscritos, visto que o argentino Dátolo não foi relacionado.
O recordista de nacionalidades é o Bayern de Munique: são 11 países representados no time. Dos 23 inscritos, são 11 alemães.
O clube conta com dois brasileiros, um belga, dois espanhóis, um francês, um croata, um holandês, um suíço, um peruano, um austríaco e um dinamarquês.
Outro time cheio de “forasteiros” é o Auckland City, da Nova Zelândia: são cinco ingleses, dois espanhóis, além de atleta de Argentina, Japão, Croácia, Fiji, Papua-Nova Guiné e País de Gales.
Al Ahly SC, do Egito, tem um estrangeiro; Raja Casablanca, do Marrocos, Monterrey, do México, e Guangzhou Evergrande, da China, possuem quatro.

Além de Atlético e Bayern, existem jogadores brasileiros no Guangzhou (Elkeson, ex-Vitória e Botafogo, e Muriqui, ex-atleta do Galo) e no Monterrey (Lucas Silva, ex-Botafogo).

GUARDIOLA NÃO QUER FAVORITISMO

O treinador espanhol Pep Guardiola, comandante do Bayern de Munique, não aceita nenhum rótulo de favorito nem contra o Guangzhou Evergrande no jogo desta terça-feira à tarde, em Agadir, pelas semifinais do torneio de Marrocos.
Ninguém aceita, contudo, a ideia de que o Bayern de Munique seja o maior candidato à conquista do título e que Guardiola não seja tricampeão do torneio.
Segundo Guardiola "é preciso alertar para os perigos do adversário chinês, por ser comandado pelo treinador italiano Marcello Lippi, campeão do mundo com a Azzura em 2006, quando tinha o menor favoritismo."
"As pessoas pensam que o Bayern é favorito, mas isso muda contra um técnico italiano. Quando eles não são favoritos, eles são muito, muito perigosos", disse Pep
Guardiola teve dois títulos mundiais no comando do Barcelona - em 2009 e 2011 - mas, admitiu que a disputa desta vez  não é particularmente especial para ele.
"Ser campeão agora representa continuar o legado do meu antecessor, Jupp Heynckes, que levou o Bayern à conquista da Liga dos Campeões".

LUSA PROMETE IR AO INFERNO

Revoltado com a decisão da Primeira Comissão Disciplinar do STJD, em primeira instância, que tirou quatro pontos da Portuguesa e da Primeira divisão em 2014, em favor do Fluminense, o presidente da Lusa prometeu ir até o inferno atrás da Justiça.
O problema é complexo e exige análise sem qualquer emoção. Não creio que a Portuguesa conseguirá isso no Rio de Janeiro ainda que no STJD, em grau de recurso.

ROUPAS MANCHADAS

Na verdade, o pano do picadeiro fechou vergonhosamente em 2013. O Campeonato Brasileiro foi salvo pelo time do Cruzeiro, somente pelo time.
Até boa parte de sua torcida envergonhou, também, o Brasileirão e quase manchou a bela conquista do time no gramado.
Nesta "trigésima nona rodada", - o campeonato tecnicamente só teve 38 rodadas - e esticou à última do tapetão, o Fluminense merece ficar no lugar que terminou, rebaixado.
Contudo, a incompetência da Lusa, com espírito de clube pequeno, fez a besteira de colocar jogador irregular - Heverton - aos 36m do segundo tempo na última rodada. Ele estava suspenso.
Tomou ferro. Querem discutir agora que a punição é dura demais pra Lusa, que o Tribunal deveria apená-la apenas com multa ou com perda de pontos ano que vem, porque não houve intenção de fraudar nada, não houve dolo.
É verdade é o texto da lei é sempre frio, gelado. Existe pra ser interpretado.
No Código Penal e no Civil é assim, existem as atenuantes e agravantes. No Código Esportivo isso funciona só nos casos de agressões e expulsões.
Além do que, existe a vontade política: "aos amigos os favores da lei, aos inimigos a lei".
Neste momento a Portuguesa, time sem torcida, de pouca história atual ficar no campeonato em detrimento do Fluminense, não dá pros tubarões de goela larga engolirem bem!
Pra não sofrer qualquer retaliação da Fifa que ditatorialmente proíbe  que casos esportivos cheguem  à Justiça comum, o presidente da Portuguesa, Manoel da Lupa, admite a possibilidade de recorrer a "torcedores ilustres".
 "Tem que preservar o resultado de campo. Se a Portuguesa for derrotada, vai parar na Justiça comum. Nem que seja ação de alguns dos nossos torcedores ilustres. Mas a Portuguesa vai até o inferno para se defender."

FORA DO COMUM


Sempre elegante e discreto, bem mais do que era em nosso tempo de internato, no Ginásio São Francisco, em Pará de Minas, Lucas Mendes encerrou seu programa no GNT com a camisa do Galo. Belo manto, por sinal. Retrô, homenagem às velhas conquistas. Dos tempos de Lucas, menino no Funcionários.

REFORÇOS PRA TOCA

Parece que o Cruzeiro desistiu mesmo de contratar D'Alessandro ou pretende usar a fábula de Esopo, "A Raposa e as uvas". Não conseguindo seu intento de trazer o argentino, desistiu dele.
O Cruzeiro afirma que Marcelo Oliveira concluiu ser desnecessário tal investimento tão alto.Por outro lado, o presidente do Inter, Giovanni Luigi, acenou negativamente pro negócio.
Tudo por causa do cano que levou o clube gaúcho na transação de Dagoberto, ainda com pagamentos em atraso.
Por enquanto, as uvas gaúchas coloradas estão podres, na visão da Raposa mineira. Enquanto não pode colhê-las, o Cruzeiro vira pro outro lado do Rio Guaíba e mira em Barcos, do Grêmio.
Outro pano de fundo! O jogador afirmou que quer ficar em POA, o Grêmio quer usá-lo na Libertadores e o pior...Barcos custa uma nota preta.

Meu espião na Toca da Raposa me informou o seguinte: não vá com tanta sede no pote da contratação de Marlone. O negócio tá preso apenas em palavra, que não vale nada no futebol.

Um comentário:

  1. Que informante de araque que você conseguiu hein.... o Marlone já assinou e postou foto com a camisa azul....

    ResponderExcluir

Escolha a melhor forma de se identificar em Comentar como: Depois pitaque à vontade.